Paripe

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Paripe (Salvador))
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde abril de 2012). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Paripe
  Bairro do Brasil  
Região administrativa Região Subúrbio Ferroviário, RA XVII[1]
Bairros limítrofes
Água encanada (%) Na maioria dos lugares
Coleta de lixo (%) Sim
Fonte: Não disponível

Paripe é um subdistrito do distrito do Salvador, na Bahia.[2][3] É um dos maiores e mais importantes bairros da cidade.

Pero de Magalhães Gândavo foi um dos cronistas do século XVI que citou a região de Paripe em 1576. Naquela época, Paripe era uma vila da Capitania da Bahia de Todos os Santos.[4]

Topônimo[editar | editar código-fonte]

O nome é de origem tupi e significa "no pari", através da junção dos termos pari ("pari") e pe ("em"). Pari era um canal de taquara e de cipós construído pelos índios brasileiros para pescar.[5]

Localização[editar | editar código-fonte]

Mapa mostrando a localização de Paripe em Salvador e adjacências

Está situado no chamado Subúrbio Ferroviário de Salvador, possuindo uma estação do trem do subúrbio, que se caracteriza como o ponto final da linha de trem.[6] Em seu território e limites, estão situadas as localidades de Tubarão, Estrada da Cocisa, Gameleira, Escola de Menor (ladeira Almirante Tamandaré), Bate Coração, Tororó, Muribeca, Nova Canaã, Vila Naval da Barragem (controlado pela Marinha) e São Tomé de Paripe (onde estão as bases militares e residências oficiais da Marinha, além de praias famosas como Inema, conhecida por servir de hospedagem para o(a) presidente da república em suas visitas a Salvador). O seu acesso rodoviário se dá através da Estrada da Base Naval de Aratu, pela Estrada do CIA ou pela Avenida Afrânio Peixoto, mais conhecida como Suburbana.

Características[editar | editar código-fonte]

A economia do bairro está concentrada basicamente no setor de comércio e serviços, possuindo várias lojas, supermercados, padarias e confeitarias, casas lotéricas, bares, restaurantes, agências bancárias etc. Além disso possui uma boa distribuição de escolas em seu território. Por estar às margens da baía de Todos os Santos, serve de importante gerador de renda para pescadores.

Demografia[editar | editar código-fonte]

População[editar | editar código-fonte]

Segundo o Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2010 Paripe é o quarto bairro com a maior população de negros em Salvador, com 84,49% (46 505 habitantes).[7] Sua população total em 2010 somando todas as etnias era de 55 039.[7]

Segurança[editar | editar código-fonte]

Foi listado como um dos bairros mais perigosos de Salvador, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e da Secretaria de Segurança Pública (SSP) divulgados no mapa da violência de bairro em bairro pelo jornal Correio em 2012.[8] Ficou entre os mais violentos em consequência da taxa de homicídios para cada cem mil habitantes por ano (com referência da ONU) ter alcançado o nível mais negativo, com o indicativo "mais que 90", sendo um dos piores bairros na lista.[8]

Entre 2011 e 2016 ficou consecutivamente entre os três bairros (dos vinte) mais perigosos de Salvador, devido ao número elevado de assassinatos.[9] O titular da 5ª Delegacia (Periperi), Nilton Borba, comentou em 2016 sobre a região do subúrbio, onde está localizado o bairro: "É uma área com muitas invasões. Há ruas que não entram carros e as incursões precisam ser a pé. A geografia e essa alta densidade de população são propícias ao tráfico e a uma marginalidade mais perigosa."[9]

Referências

  1. Prefeitura Municipal do Salvador. Lei n° 7.400/2008 Dispõe sobre o Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano do Município do Salvador – PDDU 2007 e dá outras providências.[ligação inativa]
  2. SALVADOR (BA). Lei nº 1.038, de 15 de junho de 1960. Fixa a delimitação urbana e suburbana dos distritos e sub- distritos do Município do Salvador, divide a cidade em bairros e dá outras providências. Salvador, BA: Prefeitura Municipal, 1960.
  3. G1
  4. GANDAVO, Pero de Magalhães (2008). Tratado da Terra do Brasil : história da província Santa Cruz, a que vulgarmente chamamos Brasil. Col: (Edições do Senado Federal ; v. 100). Brasília: Brasília : Senado Federal, Conselho Editorial. 161 páginas. Consultado em 21 de outubro de 2018 
  5. http://www.fflch.usp.br/dlcv/tupi/vocabulario.htm
  6. Paripe -- Estações Ferroviárias do Estado da Bahia
  7. a b Redação (20 de novembro de 2013). «TOP 10: veja os bairros de Salvador com maior população negra». iBahia.com. Rede Bahia. Consultado em 27 de abril de 2019 
  8. a b Juan Torres e Rafael Rodrigues (22 de maio de 2012). «Mapa deixa clara a concentração de homicídios em bairros pobres». Correio (jornal). Consultado em 28 de abril de 2019 
  9. a b Clarissa Pacheco (28 de agosto de 2016). «Paripe, Lobato e São Cristóvão estão entre os dez bairros mais violentos de Salvador». Correio (jornal) . Consultado em 26 de abril de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia da Bahia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.