História da arte no Brasil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
A Primeira Missa no Brasil (1861), pintura de Victor Meirelles. Museu Nacional de Belas Artes.

Nossa arte brasileira é o termo utilizado para designar toda e qualquer forma de expressão artística produzida no Brasil, desde a época pré-colonial até os dias de hoje. Dentro desta ampla definição, estão compreendidas as primeiras produções artísticas da pré-história brasileira e as diversas formas de manifestações culturais indígenas, bem como a arte do período colonial, de inspiração barroca, e os registros pictóricos de viajantes estrangeiros em terras brasileiras. Com a chegada da Missão Artística Francesa no século XIX, ensaia-se pela primeira vez a criação de uma escola nacional de arte, consolidada por meio do estabelecimento da Academia Imperial de Belas Artes, no Rio de Janeiro. Posteriormente, sob a influência do expressionismo, do cubismo e do surrealismo europeus, junto com uma valorização do primitivismo, o Brasil assistirá ao desenvolvimento do modernismo, que será progressivamente incorporado ao gosto da sociedade e da arte oficial, até que a assimilação das novas tendências surgidas no pós-guerra contribua para o florescimento da arte contemporânea brasileira.

Arte da pré-história no Brasil[editar | editar código-fonte]

As mais antigas manifestações de pinturas rupestres no Brasil encontram-se na serra da Capivara, no Piauí,1 datando de cerca de 13000 a.C. Em Pedra Pintada, na Paraíba, foram encontradas pinturas com cerca de 11 mil anos de idade e, em Minas Gerais, chamam atenção os registros de arte rupestre localizados em várias cavernas do vale do Peruaçu, que se distinguem por seus raros desenhos de padrões geométricos, executados entre 2.000 e 10.000 anos atrás. São igualmente dignas de menção as pinturas de animais descobertas em grutas calcárias no vale do rio das Velhas, em Lagoa Santa, Minas Gerais.2

Na documentação arqueológica brasileira, predominam o uso de materiais como osso, chifre, pedra e argila, para a confecção de objetos utilitários (recipientes, agulhas, espátulas, pontas de projétil), adornos (pingentes e contas de colar) e cerimoniais, atestando uma preocupação estética observável, sobretudo, na extraordinária variação de formas geométricas e no tratamento das superfícies e dos retoques.3

Vasilhame de cerâmica das civilizações de Santarém. Museu Paraense Emílio Goeldi, Belém.
Índio bororo com cocar e pintura corporal.

Arte indígena no Brasil[editar | editar código-fonte]

Do período entre 5000 a.C. e 1100, há vestígios de culturas amazônicas com alto grau de sofisticação na fabricação e decoração de artefatos de cerâmica, como as da ilha de Marajó e da bacia do rio Tapajós, onde se registra a presença de complexos vasos antropomorfos e zoomorfos, com suportes e apliques ornamentais. Ainda no contexto amazônico, são dignos de nota as estatuetas de terracota, sobretudo com representações femininas e de animais, e os objetos de pedra, como os pingentes representando batráquios (muiraquitãs).4

São igualmente importantes as cerâmicas encontradas na costa maranhense (tradição Mina, c. 3200 a.C.) e no litoral baiano (tradição Periperi, c. 880 a.C.), com difusão ampla e diversificada, atingindo certas áreas meridionais já em plena era cristã. Mais simples em sua composição do que as cerâmicas amazônicas, essas peças sobressaem pela diversidade de técnicas decorativas, que vão da pintura, incisão e excisão até o escovamento, corrugação, ungulação, etc.3

De forma genérica, a arte plumária indígena e a pintura corporal atingem grande complexidade em termos de cor e desenho, utilizando penas e pigmentos vegetais como matéria-prima. Por fim, destaca-se a confecção de adornos peitorais, labiais e auriculares, encontrados em diversas culturas diferentes espalhadas por todo o território brasileiro.

Períodos, grupos e movimentos[editar | editar código-fonte]

Barroco e Rococó[editar | editar código-fonte]

Neoclassicismo, Romantismo, Realismo[editar | editar código-fonte]

Modernismo e contemporaneidade[editar | editar código-fonte]

Categorias artísticas[editar | editar código-fonte]

Instituições[editar | editar código-fonte]

Museus de arte[editar | editar código-fonte]

Eventos[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Vários, in Almanaque Abril 2007. São Paulo: Abril, 2007, p. 234.
  2. Martins, Simone B. & Imbroisi, Margaret H. (1998). História da Arte (on line), 2 de março de 2008. [1]
  3. a b Vários. Grande Enciclopédia Larousse Cultural. Santana do Parnaíba: Plural, 1998, p. 909.
  4. Correa, Conceição Gentil. Estatuetas de cerâmica na cultura Santarém. Belém: Museu Paraense Emílio Goeldi, 1965.
Portal A Wikipédia possui o(s) portal(is):
Portal da Arte


Ícone de esboço Este artigo sobre Arte ou História da arte é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.