Invincible (álbum de Michael Jackson)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Invincible
Álbum de estúdio de Michael Jackson
Lançamento 30 de outubro de 2001
Gravação Outubro de 1997 – junho de 2001
Gênero(s) R&B, pop, hip-hop, dance-pop
Duração 77:08
Idioma(s) inglês
Gravadora(s) Epic
Sony Music
Produção Michael Jackson
Rodney Jerkins
Teddy Riley
Andraeo Heard
Kenneth "Babyface" Edmonds
R. Kelly
Dr. Freeze
Certificação RIAAQuintuple Platinum.png 5× Platina
Opiniões da crítica

O parâmetro das opiniões da crítica não é mais utilizado. Por favor, mova todas as avaliações para uma secção própria no artigo. Veja como corrigir opiniões da crítica na caixa de informação.

Cronologia de Michael Jackson
Último
Último
Blood on the Dance Floor
(1997)
Number Ones
(2003)
Próximo
Próximo
Singles de Invincible
  1. "You Rock My World"
    Lançamento: 22 de Agosto de 2001
  2. "Cry"
    Lançamento: 3 de Dezembro de 2001
  3. "Butterflies"
    Lançamento: 8 de fevereiro de 2002


Invincible é o décimo álbum de estúdio do cantor americano Michael Jackson lançado pela Epic Records em 2001, que reúne dezesseis canções inéditas. Foi a primeira coleção de canções inéditas lançada pelo astro em seis anos,[1] e tem como convidados o guitarrista Carlos Santana, a cantora Brandy e contém ainda um rap póstumo de Notorious B.I.G.

Nas canções "Unbreakable", "You Rock My World", "Break of Dawn" e "Threatened", Jackson assume a execução rítmica, tocando todos os instrumentos musicais.

O álbum estreou no primeiro lugar entre os mais vendidos em treze países, incluindo Estados Unidos, Inglaterra, Austrália e França. O lançamento de Invincible foi seguido pelos compactos de "Butterflies" na América e de "Cry" na Europa, Ásia e Oceania. Apesar de ter vendido mais de 6 milhões - até 2004 - e 13 milhões - até 2009 (de acordo com o site do cantor e livros de biografia) de cópias o álbum foi considerado pela crítica um fracasso comercial comparado aos trabalhos anteriores.[2] Desentendimentos entre Jackson e a diretoria da Sony Music levaram à interrupção da divulgação de Invincible pouco depois do Natal de 2001.

Atualmente, o álbum vendeu aproximadamente 18 milhões de cópias, é um dos álbuns mais vendidos da primeira década dos 2000. Após a morte de Jackson, o álbum está nos desejos de novos fãs, resultado comprovado, em 10 lojas brasileiras, Invincible encontra-se esgotado. Ainda após 2009, 'You Rock My World' voltou a tocar, e muito, tornando-se um dos hits favoritos dos fãs.

O álbum recebeu elogios da crítica e foi votado pelos leitores da Billboard como o melhor da década.[3] [4]

Produção[editar | editar código-fonte]

Michael começou a gravar Invincible em outubro de 1997, e terminou com as gravações do álbum apenas oito semanas antes do lançamento, em outubro de 2001. Rodney Jerkins afirmou que Jackson estava olhando para o gravar o novo material em uma direção musical diferente do seu trabalho anterior, descrevendo a nova direção como "mais ousado". Michael recebeu o crédito tanto para escrever e produzir a maioria das músicas de Invincible. Além de Jackson, o álbum conta com produções de Jerkins, Teddy Riley, Harris Andre, Andraeo "Fanatic" Heard, Kenneth "Babyface" Edmonds, R. Kelly e Dr. Freeze. O álbum é a terceira colaboração entre Jackson e Riley, sendo os outros dois: Dangerous e Blood on the Dance Floor: HIStory in the Mix. Invincible é o décimo e último álbum de estúdio a ter sido gravado e lançado por Michael Jackson.Foi relatado que custou 30 milhões de dólares para fazer o álbum, tornando-se o mais caro já feito na história.

Promoção[editar | editar código-fonte]

Foi relatado que o álbum teve um orçamento de 25 milhões de dólares somente em promoção. Para ajudar a promover o álbum, um especial Michael Jackson: 30th Anniversary Special ocorreu no Madison Square Garden em Nova York, em setembro de 2001, para marcar a comemoração de 30 anos de carreira solo de Michael. O cantor executou uma canção de Invincible e marcou sua primeira aparição no palco ao lado de seus irmãos, pela primeira vez desde a Victory Tour, em 1984. O show também contou com performances de Britney Spears, Mya, Usher, Whitney Houston, Tamia, 'N Sync, e Slash, entre outros artistas. O show foi ao ar na CBS em novembro de 2001, como um especial de televisão de duas horas.

Recepção da crítica e do público[editar | editar código-fonte]

Invincible recebeu críticas geralmente mistas dos críticos de música contemporânea. No Metacritic, que atribui uma avaliação normalizada em 100 as opiniões de críticos, o álbum recebeu uma pontuação média de 51 com base em 19 avaliações, o que indica "críticas mistas ou média". O editor Stephen Thomas Erlewine da Allmusic comentou que tem uma "faísca" e "som melhor do que qualquer coisa que Jackson fez desde Dangerous em 1991". James Hunter da Rolling Stone comentou que Jackson e Riley fez "algo realmente bonito e inteligente" em Invincible, permitindo que os ouvintes "para concentrar-se em ritmos momentosos da pista". Pouco depois do lançamento do álbum, em uma pesquisa conduzida pela revista Billboard, "uma esmagadora maioria" das pessoas-79% dos 5.195 eleitores, não foram surpreendidos por Invincible entrar na Billboard 200 no número um. Billboard também informou que 44% concordaram com a afirmação, proclamando que Jackson ainda estava "Rei do Pop". Outros 35% disseram que não ficaram surpresos com o ranking do álbum, mas duvidou Invincible seria esperar por uma segunda semana no topo da tabela. Apenas 12% das pessoas que responderam à pesquisa disseram que foram surpreendidos pelo álbum mapeando estréia por causa da carreira de Michael Jackson durante os últimos seis anos e outro de 9% foram surpreendidos pelo sucesso do álbum, devido à luz da negatividade que precedeu o lançamento do álbum. Invincible recebeu uma indicação ao Grammy Awards na cerimônia de 2002. Canção do álbum "You Rock My World" foi nomeado para Melhor Performance Pop Vocal Masculino, mas perdeu para a música de James Taylor, "Don't Let Me Be Lonely Tonight". Devido ao lançamento do álbum ter sido em Outubro de 2001, não foi indicado para qualquer outra categoria do Grammy Awards 2002.

Ruptura com a Sony[editar | editar código-fonte]

Durante a rápida divulgação do álbum ficaram explícitas as divergências entre Michael e o então-chefe da Sony Music, Tommy Mottola. Os problemas começaram em 2000, quando Jackson tentou retirar a licença das gravações originais do catálogo dele da gravadora para lançamento independente. Assim, Michael não precisaria dividir os lucros com a Sony. Entretanto, os advogados de Jackson encontraram cláusulas no contrato dele com a gravadora que impediam a transação.

Para evitar uma disputa judicial, Michael e a Sony fecharam um acordo que permitiria que ele abandonasse a gravadora depois do lançamento de Invincible, mas não antes de um pacote de coletâneas que reuniriam os maiores sucessos dele. A crise se acentuou quando a canção "You Rock My World" vazou para as rádios ilegalmente e teve que ser lançada como primeiro compacto do álbum, Michael queria fosse "Unbreakable", apesar disso ele gravou o clipe da canção "You Rock My World" e depois se negou a colaborar com a divulgação de Invincible: não fez aparições promocionais e não gravou videoclipes para os compactos de "Butterflies" e "Cry".

Em 2002, Jackson convocou entrevista coletiva para externar os conflitos com a gravadora e chamou Mottola de 'maligno' e 'racista'. A Sony reagiu por meio de nota enviada à imprensa afirmando estranhar as alegações, uma vez que Tommy já havia sido marido de Mariah Carey, descendente de negros.

A imprensa chegou a especular que as vendas de Invincible, consideradas fracas por muitos especialistas se comparadas a outros trabalhos de Michael Jackson, teriam acentuado as divergências entre o astro e a gravadora.

Faixas[editar | editar código-fonte]

N.º Título Compositor(es) Duração
1. "Unbreakable" (com The Notorious B.I.G.) Michael Jackson, Rodney Jerkins, Fred Jerkins III, LaShawn Daniels, Nora Payne, Robert Smith 6:25
2. "Heartbreaker" (com Fats) Michael Jackson, Rodney Jerkins, Fred Jerkins III, LaShawn Daniels, Mischke, Norman Gregg 5:10
3. "Invincible"   Michael Jackson, Rodney Jerkins, Fred Jerkins III, LaShawn Daniels, Norman Gregg 4:45
4. "Break of Dawn"   Dr. Freeze, Michael Jackson 5:32
5. "Heaven Can Wait"   Michael Jackson, Teddy Riley, Andreao Heard, Nate Smith, Teron Beal. E. Laues, K. Quiller 4:49
6. "You Rock My World"   Michael Jackson, Rodney Jerkins, Fred Jerkins III, LaShawn Daniels, Nora Payne 5:38
7. "Butterflies"   Andre Harris, Marsha Ambrosius, Michael Jackson 4:40
8. "Speechless"   Michael Jackson 3:18
9. "2000 Watts"   Michael Jackson, Teddy Riley, Tyrese Gibson, J. Henson 4:24
10. "You Are My Life"   Michael Jackson, Babyface, Carole Bayer Sager, John McClain 4:33
11. "Privacy" (com Slash) Michael Jackson, Rodney Jerkins, Fred Jerkins III, LaShawn Daniels, Bernard Belle 5:04
12. "Don't Walk Away"   Michael Jackson, Teddy Riley, Richard Carlton Stites, Reed Vertelney 4:24
13. "Cry"   R. Kelly 5:00
14. "The Lost Children"   Michael Jackson 4:00
15. "Whatever Happens"   Michael Jackson, Teddy Riley, Gil Cang, J. Quay, Geoffrey Williams 4:56
16. "Threatened"   Michael Jackson, Rodney Jerkins, Fred Jerkins III, LaShawn Daniels 4:20

Músicas arquivadas[editar | editar código-fonte]

  • "(I Can't Make It) Another Day" (Michael Jackson) - Faixa lançada em 2010 no álbum póstumo, Michael.
  • "Beautiful Girl (Michael Jackson) - Lançada em 2004 na coletânea The Ultimate Collection
  • "Blue Gangsta" (Michael Jackson) - Lançada em 2014 no álbum postumo Xscape
  • "Creep In'" (Michael Jackson)
  • "Crush" (Michael Jackson/Lenny Kravitz)
  • "Do You Love Me" (Babyface)
  • "Do You Want Me" (Sisqo/Dru Hill)
  • "Easy" (Michael Jackson)
  • "Ekam Satyam (The One Truth)" (Michael Jackson/A.R. Rahman)
  • "Xscape" (Michael Jackson) - Lançada posteriormente em 2014 no CD póstumo de inéditas intitulado "Xscape"
  • "Fall Again" (Walter Afanasieff/Robin Thicke) - Lançada como lado B do single "Is It Scary" em 1997, a versão finalizada foi lançado no The Ultimate Collection de 2004.
  • "House Of Style" (Michael Jackson/Teddy Riley/Tyrese Gibson/Andre Harris)
  • "I Have This Dream" (Michael Jackson/Carole Bayer Sager/David Foster/Ric Kipp)
  • "Keep On"(Michael Jackson)
  • "Kick It" (Michael Jackson/Rodney Jerkins/LaShawn Daniels/Norman Gregg)
  • "Maybe We Can Do It" (Michael Jackson/P. Diddy/Rodney Jerkins)
  • "New Attitudes" (Michael Jackson)
  • "On My Anger" (Michael Jackson/Teddy Riley)
  • "Ride With Me" (Michael Jackson/Rodney Jerkins) - Lançada no álbum Versatility de Rodney Jerkins em 2006.
  • "Secret Passage" (Michael Jackson)
  • "Seeing Voices" (Sidney Fine)
  • "She Was Loving Me" (Mark C. Rooney/Michael Jackson) - Lançada posteriormente em 2014 no álbum póstumo Xscape com o nome de "Chicago"
  • "Shout" (Michael Jackson/Teddy Riley/Claudio Forbes/Samuel Hoskins/Carmen Lampson) - Lançada como lado B do single Cry
  • "Soldier's Entrance" (Michael Jackson)
  • "The Way You Love Me" (Michael Jackson) - Incluída no The Ultimate Collection de 2004 e posteriormente com novos arranjos e com o nome "(I Like) The Way You Love Me" no álbum Michael
  • "This Is Our Time" (Michael Jackson/Lauryn Hill/David Foster)
  • "Triple Threat Cable" (Michael Jackson)
  • "Tubeway" (Michael Jackson)
  • "Vibrationist" (Michael Jackson/Teddy Riley)

Singles[editar | editar código-fonte]

You Rock My World: Foi esta a primeira música para a promoção de Invincible. Considerando o fato da música não ter a sonoridade de uma música para um 1º single de um álbum, You Rock My World apresentou desempenho satisfatório, levando Michael de volta às rádios, conquistando a décima posição nos Estados Unidos e segunda na Inglaterra. O videoclipe que acompanhou o compacto terminou sendo o único gravado pelo astro para promover Invincible. Dirigido por Paul Hunter ("Lady Marmelade", trilha-sonora de Moulin Rouge), inclui participações dos atores Marlon Brando, Chris Tucker, Michael Madsen e Billy Drago.

Cry: Michael Jackson foi totalmente contra o lançamento desta canção como single. Isto porque após o lançamento de You Rock My World, sua intenção era de lançar What More Can I Give (música de autoria de Jackson gravada com vários artistas com intuito beneficente para as famílias das vítimas dos atentados de 11 de setembro), mas devido sua briga com a Sony, a gravadora resolveu por não lançar tal música, alegando temer em acabar estragando o desempenho de seu recém-lançado álbum, assim lançando Cry contra a vontade de Jackson. O video clipe que acompanhou Cry não contava com a participação de Michael, o que acabou sendo um fiasco comercial, vendendo apenas 60 mil cópias mundialmente, o que definitivamente terminou com a tão breve divulgação de Invincible.

Butterflies: Prevista para ser o terceiro single mundial de Invincible, com lançamento para 2001, por razões inexplicáveis, a Sony cancelou o lançamento comercial. A canção foi lançada promocionalmente para estações de rádio dos E.U.A; em janeiro de 2002 a gravadora lançou promos da canção na Europa a fim de divulgar somente nas rádios, o resultado foi desastroso, Butterflies ficou na #87 posição no Top 100 no Chart Europeu permanecendo nele por 1 única semana: sem ao menos obter um video clipe, a música tornou-se o maior fracasso do álbum.

Unbreakable: Deveria ser lançada como single, mas foi cancelada por razões não especificadas.

Estados Unidos[editar | editar código-fonte]

Single/Compacto Lançamento Melhor
posição
"You Rock My World" 22 de agosto, 2001 10
" Cry" 3 de dezembro, 2001 -
" Buttterflies" 8 de fevereiro, 2002 14

Reino Unido[editar | editar código-fonte]

Single/Compacto Lançamento Melhor
posição
"You Rock My World" 22 de agosto, 2001 2
" Cry" 3 de dezembro, 2001 25
" Buttterflies" 8 de fevereiro, 2002 -

Desempenho de mercado[editar | editar código-fonte]

O Álbum[editar | editar código-fonte]

Invincible teve boas vendagens na semana de estréia mas perdeu mercado rápido, já que a divulgação foi finalizada logo após o lançamento. No entanto o álbum reentrou nas paradas musicais várias vezes durante toda a década. Invincible chegou à primeira posição em treze países.

  1. 9 de Novembro de 2001 :: #01 :: 09 :: Alemanha (por 1 semana);
  2. 5 de Novembro de 2001 :: #01 :: 10 :: Austrália (por 1 semana);
  3. 9 de Novembro de 2001 :: #02 :: 09 :: Áustria;
  4. 31 de Outubro de 2001 :: #08 :: 06 :: Brasil;
  5. 8 de Novembro de 2001 :: #03 :: 12 :: Canadá;
  6. 9 de Novembro de 2001 :: #01 :: 08 :: Dinamarca (por 1 semana);
  7. 3 de Novembro de 2001 :: #02 :: 05 :: Espanha;
  8. 17 de Novembro de 2001 :: #01 :: 28 :: Estados Unidos (por 1 semana);
  9. 3 de Novembro de 2001 :: #01 :: 18 :: França (por 3 semanas);
  10. 10 de Novembro de 2001 :: #01 :: 13 :: Países Baixos (por 2 semanas);
  11. 1 de Novembro de 2001 :: #02 :: 10 :: Itália;
  12. 10 de Novembro de 2001 :: #05 :: 07 :: Japão;
  13. 11 de Novembro de 2001 :: #04 :: 03 :: Nova Zelândia;
  14. 4 de Novembro de 2001 :: #01 :: 10 :: Noruega (por 1 semana);
  15. 10 de Novembro de 2001 :: #01 :: 12 :: Reino Unido (por 1 semana);
  16. 11 de Novembro de 2001 :: #01 :: 14 :: Suíça (por 1 semana);
  17. 9 de Novembro de 2001 :: #01 :: 09 :: Suécia (por 1 semanas);

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • A turnê que poderia ter o nome de "Invincible World Tour" para promover o disco não aconteceu por conta dos problemas com a Sony, e por causa do acidente no 11 de Setembro
  • O álbum Invincible estava previsto para ser lançado no dia 11 de Setembro de 2001, em Nova York, logo após os dois concertos realizados para comemorar os trinta anos de carreira solo de Michael no Madison Square Garden, mas os atentados terroristas às Torres Gêmeas o fizeram adiar o lançamento do álbum.
  • Foram gastos 30 milhões de dólares para produzir o disco. Invincible vendeu 366.272 cópias na semana de estréia nos Estados Unidos. O álbum conquistou a primeira posição apesar da forte concorrência da coletânea GHV2, da cantora Madonna.
  • O rap de Rod Serling na canção "Threatened" foi construído por meio de recortes digitais de frases narradas por ele nos episódios da série The Twilight Zone.
  • Invincible esteve disponível, por tempo limitado, em cinco capas de cores diferentes: prata, dourado, azul, vermelho e verde. Atualmente é prensado somente na cor prata.
  • A cantora Brandy faz segunda voz em "Unbreakable". Michael retribuiu o favor gravando vocais para a canção "It's Not Worth It", do álbum Full Moon da cantora, de 2002.
  • A música "Shout", gravada para Invincible e que ficou fora da seleção de faixas, foi reaproveitada pelo produtor Teddy Riley no primeiro álbum solo do cantor Nick Carter, membro do grupo Backstreet Boys. Já a faixa "Rock Your Body", gravada por Justin Timberlake, foi escrita pelo mesmo e pelos produtores Pharrell Williams e Chad Hugo para Jackson, mas conflitos de agenda impediram que o trio se encontrasse para que a canção fosse apresentada ao astro.
  • O álbum foi dedicado a Benjamin Hermansen, um garoto negro, amigo de Omer Bhatti, que foi morto a facadas por um grupo de neo-nazistas em Oslo na Noruega em 26 de janeiro de 2001.
Cquote1.svg

Este álbum é dedicado a Benjamin "Benny" Hermansen. Que possamos continuar a lembrar-se de não julgar o homem pela cor da sua pele, mas o conteúdo de seu caráter. Benjamin … Nós te amamos … Você pode descansar em paz.

Cquote2.svg
Michael Jackson
  • Michael compôs a música "Speechless" enquanto brincava com os filhos no rancho Neverland e a dedicou a eles. Na faixa ele canta: "Quando estou com vocês nada parece real e me faltam palavras para explicar o quanto os amo".
  • A canção "Heaven Can Wait" começou a ser tocada espontaneamente por algumas rádios americanas em 2002 e fez um sucesso razoável, considerando que nunca foi lançada oficialmente.
  • A revista Billboard, considerada a mais importante dos Estados Unidos na área musical e que semanalmente divulga as paradas dos discos, DVDs e músicas mais vendidas e canções mais tocadas nas rádios do país, escolheu, através de votação, Invincible como álbum da década e This Is It do ano (2009).[3] [4]
  • Michael compôs a música "The Lost Children" em homenagem a algumas crianças desabrigadas da África.
  • Foi lançando, antes mesmo do álbum, o disco em cópias limitadissímas "A Taste of Invincible", que trouxe seis canções que seriam os verdadeiros singles, sendo eles: Unbreakable, Heaven Can Wait, Break Of Dawn, You Rock My World, Butterflies e Cry. Estima-se que este disco atualmente custa 900 dólares.
  • A música "Whatever Happens" teve um videoclipe de tributo produzido pelo fã-clube brasileiro "The Magic of Michael Jackson" e lançado no YouTube em 2009, intitulado "Michael Jackson's Whatever Happens". O videoclipe foi o primeiro não oficial do mundo produzido por fãs do Rei do Pop.


Referências

  1. Desde [HIStory: Past, Present and Future – Book |HISotry]], em junho de 1995; em 1995 o álbum History - Past, Present and Future reunia 15 sucessos e 15 inéditas, e em 1997 Jackson lançara um álbum (Blood on the Dance Floor) com 5 inéditas e 8 músicas remixadas de seu álbum anterior.
  2. Tamara Conniff (2009-08-30). We Killed Michael Jackson Huffington Post. HuffingtonPost.com, Inc. Página visitada em 2009-08-30.
  3. a b Invincible é votado como álbum da década pela Billboard.
  4. a b Título ainda não informado (favor adicionar).


Ícone de esboço Este artigo sobre um álbum de Michael Jackson é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.