Campestre (Alagoas)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Campestre
  Município do Brasil  
Símbolos
Bandeira de Campestre
Bandeira
Brasão de armas de Campestre
Brasão de armas
Hino
Lema Educação e Saúde
Gentílico campestrense
Localização
Localização de Campestre em Alagoas
Localização de Campestre em Alagoas
Campestre está localizado em: Brasil
Campestre
Localização de Campestre no Brasil
Mapa de Campestre
Coordenadas 8° 50' 45" S 35° 34' 04" O
País Brasil
Unidade federativa Alagoas
Região metropolitana Zona da Mata
Municípios limítrofes Jundiá, Jacuípe e Novo Lino em Alagoas; Xexéu e Água Preta em Pernambuco.
Distância até a capital 120 km
História
Fundação 1994 (28 anos)
Administração
Prefeito(a) Nielson Mendes "Pino" (MDB, 2021 – 2024)
Características geográficas
Área total [1] 65,910 km²
População total (IBGE/2010[2]) 6 598 hab.
Densidade 100,1 hab./km²
Clima Tropical
Altitude 109 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2000[3]) 0,582 baixo
PIB (IBGE/2008[4]) R$ 21 993,321 mil
PIB per capita (IBGE/2008[4]) R$ 3 554,76

Campestre é um município brasileiro do estado de Alagoas. Sua população em 2010 pelo censo do IBGE era estimada em 6.598 habitantes.

O município de Campestre está localizado na Micro Região da Zona da Mata Norte de Alagoas, sua distância até a capital Maceió é de 120 km, com uma área de 65,910 km² segundo censo do IBGE do ano de 2010, limitando – se com Jundiá, Novo Lino e Jacuípe em Alagoas e Xexéu e Água Preta em Pernambuco.

História e Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Os registros históricos do município de Campestre estão ligados ao município de Jundiá, de quem foi povoado desmembrado. O nome do povoado se originou dos verdejantes campos existentes em meados do século XVIII entre os morros que circundavam toda a região, a princípio com poucas casas. Com a construção da estrada que ai até Palmares, no Estado de Pernambuco, Campestre começou a se desenvolver. O povoado se estabeleceu com a instalação das atividades industriais da Usina Santa Terezinha, atualmente desativada e da feira livre, considerada a maior da região, superando progressivamente a sede do município. 

Na administração de José Ribeiro Caminha, em Jundiá, ocorreu o processo de desapropriação de terra, facilitando o crescimento urbano, também fizeram parte da evolução do povoado Domingos Barreto da Silva e Antonio Sijames Granja. O padre, Francisco Gerardi esteve à frente da construção da primeira igreja, em 1926, erguida em homenagem a São José. 

A luta pela emancipação começou em 1987, com o prefeito, Gervásio de Oliveira Lins, na época prefeito de Jundiá. No ano 1988, aprovado na Câmara de Vereadores, em 1988, o deputado estadual José Medeiros encampou o movimento. E em 25 de novembro de 1994, o governador Geraldo Bulhões, sancionou a lei que concedeu autonomia administrativa a Campestre. 

Os pontos de encontro da cidade são a área de lazer, a quadra de esportes, o clube municipal e a Prainha do Val, no rio Jacuípe. A atração turística ainda em fase de implantação será o Parque Ecológico Serra da Pedra.

Gentílico: camprestrense 

Formação administtrativa 

Distrito criado com denominação de Campestre, no município de Jundiá. 

Art. 41, inciso II, do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, da Constituição Estadual de 05-10-1989, confirmado pela Lei Estadual nº 5641, de 21-111994, que define os seus limites, desmembrado de Jundiá. Sede no distrito de Campestre ex-Povoado Campestre de Jundiá. Constituído do distrito sede. Instalado em 01-01-1997. 

Em divisão territorial datada de 1-VII-1997, o município é constituído do distrito sede. 

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

Hidrografia

Localiza-se às margens do Rio Jacuípe que nasce na Serra da Catita em Canastra entre Ibateguara e Colônia de Leopoldina -AL desaguando no Rio Una que deságua no Oceano Atlântico. Outros rios do município: Rio Manguaba, Riacho Trincheiras e Riacho Pedra Branca.

Turismo[editar | editar código-fonte]

Banhos naturais na Bica de Porto do Meio, Boa Vista, Piaba Grande e a reserva de Serra de Pedra, que lembra esconderijos dos negros do período da invasão holandesa.

Lazer[editar | editar código-fonte]

Existem poucas opções de recreação na cidade, os jovens concentram-se na praça Padre Cícero, e também na nova praça recém inaugurada em 2017, frequentam o Clube e apreciam shows no Pátio de Eventos. Outra opção é o banho de rio na prainha do Val, no Rio Jacuípe e também trilhas a Serra de Pedra.

Esportes[editar | editar código-fonte]

Futebol,Futsal, Trilha de Moto, Capoeira, Judô, Jiu-jitsu, Futsal, Voleibol, Handebol e Dominó.

Indústria[editar | editar código-fonte]

Não existem indústria na cidade, existem pequenos produtores que fazem produtos artesanais na cidade.

Comércio[editar | editar código-fonte]

O comércio é pequeno devido a falta de indústrias e de falta de recursos para serem aplicados na cidade, existe uma feira de rua aos sábados. As compras da população, costumam ser em Palmares-PE, por ser a cidade pólo da região.

Agricultura[editar | editar código-fonte]

Cana-de-açúcar, café, banana, mamão, mandioca, inhame, maracujá, acerola, milho, feijão e hortaliças.

Pecuária[editar | editar código-fonte]

Criação em pequena escala de gado de corte, vacas leiteiras, caprinos, ovinos e suínos.

Religião[editar | editar código-fonte]

Católica, Candomblé, Espirita, adventista, testemunhas de jeová, pentecostal e os Protestantes.

Apicultura[editar | editar código-fonte]

Criação de Abelhas Italianas para o controle da safra do maracujá em algumas propriedades rurais.

Artesanato[editar | editar código-fonte]

Artesãos locais, realizam pequenas atividades isoladas em barro, tecidos, pintura, bordado, crochê e vidro.

Educação[editar | editar código-fonte]

1.640 Alunos na Rede Municipal de Educação e na Rede Estadual distribuídos nas escolas abaixo relacionadas: Escola Estadual José Ribeiro Caminha; Centro de Ensino Fundamental Ministro Renan Calheiros; Escola Francisca Barreto; Escola Edson da Gama Peixoto; Centro de Educação Infantil Julieta Odete de Barros; Grupo Escolar Sto Antônio (Fazenda Taquarassú); Escola Municipal Santa Catarina (Fazenda Belo Dia); Grupo Escolar Sebastião Luis de Melo (Fazenda Taquarí); Grupo Escolar Dom Pedro II (Fazenda S. João); Grupo Escolar Marechal Castelo Branco (Fazenda bom Sossego).

  • São 63 professores da Rede Municipal e 23 professores da Rede Estadual.
  • Link para conferir os dados atualizados em 2015: http://cod.ibge.gov.br/1CRBA

Principais Festividades[editar | editar código-fonte]

Festa do Padroeiro São José (19 de Março) e Aniversário ou Emancipação Política (25 de Novembro).

Referências

  1. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  2. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  3. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  4. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Alagoas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.