HD 102964

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
B Centauri
Dados observacionais (J2000)
Constelação Centaurus
Asc. reta 11h 51m 08,7s[1]
Declinação -45° 10′ 24,5″[1]
Magnitude aparente 4,46[1]
Características
Tipo espectral K3III[1]
Cor (U-B) 1,46[1]
Cor (B-V) 1,30[1]
Astrometria
Velocidade radial 0,82 ± 0,85 km/s[2]
Mov. próprio (AR) -73,09 mas/a[2]
Mov. próprio (DEC) -8,17 mas/a[2]
Paralaxe 7,4043 ± 0,1863 mas[2]
Distância 440 ± 11 anos-luz
135 ± 3 pc
Magnitude absoluta -1,2
Detalhes
Raio 36[3] R
Luminosidade 425,56[4] L
Temperatura 4500[4] K
Outras denominações
B Centauri, CD-44 7614, FK5 446, HR 4546, HD 102964, HIP 57803, SAO 223062.[1]
HD 102964
Centaurus constellation map.png

HD 102964 (B Centauri) é uma estrela na constelação de Centaurus. Tem uma magnitude aparente visual de 4,46,[1] sendo visível a olho nu em locais sem poluição luminosa excessiva. Com base em medições de paralaxe, está localizada a aproximadamente 440 anos-luz (135 parsecs) da Terra.[2] É uma das estrelas observadas pela sonda Hipparcos com a menor variação de magnitude, com amplitude não maior que 0,01.[5]

Esta estrela é uma gigante de classe K com um tipo espectral de K3III, indicando que é uma estrela evoluída que já consumiu todo o hidrogênio em seu núcleo e abandonou a sequência principal. Está irradiando 426 vezes a luminosidade solar de sua fotosfera a uma temperatura efetiva de 4 500 K,[4] conferindo à estrela coloração alaranjada típica de estrelas de classe K.[6] Seu raio, calculado com base em um diâmetro angular de 2,538 ± 0,004 milissegundos de arco,[7] é equivalente a 36 vezes o raio solar.[3] Não possui estrelas companheiras conhecidas.[8]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g h «SIMBAD query result - B Cen». SIMBAD. Centre de Données astronomiques de Strasbourg. Consultado em 5 de maio de 2017 
  2. a b c d e Gaia Collaboration: Brown, A. G. A.; Vallenari, A.; Prusti, T.; de Bruijne, J. H. J.; et al. (2018). «Gaia Data Release 2. Summary of the contents and survey properties». Astronomy & Astrophysics. 616: A1, 22 pp. Bibcode:2018A&A...616A...1G. arXiv:1804.09365Acessível livremente. doi:10.1051/0004-6361/201833051.  Catálogo Vizier
  3. a b Lang, Kenneth R. (2006), Astrophysical formulae, ISBN 3-540-29692-1, Astronomy and astrophysics library, 1 3 ed. , Birkhäuser . O raio (R*) é dado por:
  4. a b c McDonald, I.; Zijlstra, A. A.; Boyer, M. L. (novembro de 2012). «Fundamental parameters and infrared excesses of Hipparcos stars». Monthly Notices of the Royal Astronomical Society. 427 (1): 343-357. Bibcode:2012MNRAS.427..343M. doi:10.1111/j.1365-2966.2012.21873.x 
  5. Adelman, S. J (fevereiro de 2001). «Research Note Hipparcos photometry: The least variable stars». Astronomy and Astrophysics. 367. pp. 297–298. Bibcode:2001A&A...367..297A. doi:10.1051/0004-6361:20000567 
  6. «The Colour of Stars». Australia Telescope, Outreach and Education. Commonwealth Scientific and Industrial Research Organisation. 21 de dezembro de 2004. Consultado em 5 de maio de 2017 
  7. Richichi, A.; Percheron, I.; Davis, J. (outubro de 2009). «A list of bright interferometric calibrators measured at the European Southern Observatory Very Large Telescope Interferometer». Monthly Notices of the Royal Astronomical Society. 399 (1): 399-409. Bibcode:2009MNRAS.399..399R. doi:10.1111/j.1365-2966.2009.15289.x 
  8. Eggleton, P. P.; Tokovinin, A. A. (setembro de 2008). «A catalogue of multiplicity among bright stellar systems». Monthly Notices of the Royal Astronomical Society. 389 (2): 869-879. Bibcode:2008MNRAS.389..869E. doi:10.1111/j.1365-2966.2008.13596.x