HD 102365

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
HD 102365
Dados observacionais (J2000)
Constelação Centaurus
Asc. reta 11h 46m 31,1s[1]
Declinação -40° 30′ 01,3″[1]
Magnitude aparente 4,88[1]
Características
Tipo espectral G2V[1]
Cor (U-B) 0,10[1]
Cor (B-V) 0,67[1]
Astrometria
Primário
Velocidade radial 16,90 ± 0,15 km/s[2]
Mov. próprio (AR) -1530,558 ± 0,214 mas/a[2]
Mov. próprio (DEC) 402,910 ± 0,161 mas/a[2]
Paralaxe 107,6210 ± 0,1636 mas[2]
Distância 30,306 ± 0,046 anos-luz
9,278 ± 0,014 pc
Magnitude absoluta 5,04
Secundário
Mov. próprio (AR) -1534,707 ± 0,100 mas/a[2]
Mov. próprio (DEC) 381,245 ± 0,064 mas/a[2]
Paralaxe 107,3106 ± 0,0675 mas[2]
Distância 30,3937 ± 0,0191 anos-luz
9,3187 ± 0,0059 pc
Detalhes
Massa 0,84 ± 0,02[3] M
Raio 0,93 ± 0,02[3] R
Gravidade superficial log g = 4,42 ± 0,03 cgs[3]
Luminosidade 0,81 ± 0,01[3] L
Temperatura 5687 ± 39[3] K
Metalicidade [Fe/H] = -0,29[4]
Rotação v sin i = 0,7 km/s[5]
Idade 10,8 ± 2,0 bilhões[3] de anos
Outras denominações
CD-39 7301, GJ 442, HR 4523, HD 102365, HIP 57443, SAO 223020.[1]
HD 102365
Centaurus constellation map.png

HD 102365 é uma estrela na constelação de Centaurus. Tem uma magnitude aparente visual de 4,88,[1] sendo visível a olho nu em locais sem muita poluição luminosa. É uma estrela próxima localizada a uma distância de 30,3 anos-luz (9,3 parsecs) da Terra, determinada a partir de medições de paralaxe pela sonda Gaia.[2] Atualmente se afastando do Sistema Solar com uma velocidade radial de 17,3 km/s,[1] fez sua aproximação máxima ao Sol há 30,7 milhões de anos, quando chegou a uma distância de 29,2 anos-luz (8,95 pc).[6]

Propriedades[editar | editar código-fonte]

Esta é uma estrela da sequência principal parecida com o Sol com um tipo espectral de G2V[1] (o mesmo do Sol) e temperatura efetiva de 5687 K.[3] Tem uma massa de 84% da massa solar, um raio de 93% do raio solar e está brilhando com 81% da luminosidade solar.[3] Está girando muito lentamente com uma velocidade de rotação projetada de 0,7 km/s.[5] Tem uma metalicidade, a abundância de elementos que não são hidrogênio e hélio, inferior à solar, com apenas 51% da abundância solar de ferro.[4]

HD 102365 forma um sistema estelar binário com uma anã vermelha de magnitude aparente 15,43 que está a uma separação angular de 22,9 segundos de arco, o que equivale a uma separação física mínima de 211 UA. É estimado que tenha um tipo espectral de M4V e um período orbital de 3,1 mil anos.[7][8] As medições de paralaxe da sonda Gaia confirmaram que essa estrela está aproximadamente à mesma distância da primária.[2]

Sistema planetário[editar | editar código-fonte]

Em 2011 foi publicada a descoberta de um planeta extrassolar orbitando HD 102365. A descoberta foi feita pelo método da velocidade radial, que consiste em detectar variações na velocidade radial de uma estrela causadas pela presença de um planeta em órbita. Com uma massa mínima de 16 vezes a massa da Terra, presume-se que ele seja um gigante gasoso parecido com Netuno. Sua órbita tem um período de 122 dias, semieixo maior de 0,46 UA e uma excentricidade moderada de 0,34.[5] Observações do sistema no infravermelho não revelaram excesso de emissão que indicaria a presença de um disco de detritos ao redor da estrela.[9]

O sistema HD 102365 [5]
Planeta Massa Semieixo maior
(UA)
Período orbital
(dias)
Excentricidade
b >16,0 ± 2,6 M 0,46 ± 0,04 122,1 ± 0,3 0,34 ± 0,14

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g h i j «SIMBAD query result - HD 102365». SIMBAD. Centre de Données astronomiques de Strasbourg. Consultado em 4 de junho de 2017. 
  2. a b c d e f g h i Gaia Collaboration: Brown, A. G. A.; Vallenari, A.; Prusti, T.; de Bruijne, J. H. J.; et al. (2018). «Gaia Data Release 2. Summary of the contents and survey properties». Astronomy & Astrophysics. 616: A1, 22 pp. Bibcode:2018A&A...616A...1G. arXiv:1804.09365Acessível livremente. doi:10.1051/0004-6361/201833051.  Catálogo Vizier
  3. a b c d e f g h Bonfanti, A.; Ortolani, S.; Nascimbeni, V. (janeiro de 2016). «Age consistency between exoplanet hosts and field stars». Astronomy & Astrophysics. 585: A5, 14 pp. Bibcode:2016A&A...585A...5B. doi:10.1051/0004-6361/201527297 
  4. a b Bertran de Lis, S.; Delgado Mena, E.; Adibekyan, V. Zh.; Santos, N. C.; Sousa, S. G. (abril de 2015). «Oxygen abundances in G- and F-type stars from HARPS. Comparison of [OI] 6300 Å and OI 6158 Å». Astronomy & Astrophysics. 576: A89, 15 pp. Bibcode:2015A&A...576A..89B. doi:10.1051/0004-6361/201424633 
  5. a b c d Tinney, C. G.; et al. (fevereiro de 2011). «The Anglo-Australian Planet Search. XX. A Solitary Ice-giant Planet Orbiting HD 102365». The Astrophysical Journal. 727 (2): artigo 103, 7 pp. Bibcode:2011ApJ...727..103T. doi:10.1088/0004-637X/727/2/103 
  6. Bailer-Jones, C. A. L. (março de 2015). «Close encounters of the stellar kind». Astronomy & Astrophysics. 575: A35, 13 pp. Bibcode:2015A&A...575A..35B. doi:10.1051/0004-6361/201425221 
  7. Tokovinin, Andrei (abril de 2014). «From Binaries to Multiples. II. Hierarchical Multiplicity of F and G Dwarfs». The Astronomical Journal. 147 (4): artigo 87, 14 pp. Bibcode:2014AJ....147...87T. doi:10.1088/0004-6256/147/4/87 
  8. Raghavan, Deepak; et al. (setembro de 2010). «A Survey of Stellar Families: Multiplicity of Solar-type Stars». The Astrophysical Journal Supplement. 190 (1): pp. 1-42. Bibcode:2010ApJS..190....1R. doi:10.1088/0067-0049/190/1/1 
  9. Beichman, C. A.; et al. (dezembro de 2006). «New Debris Disks around Nearby Main-Sequence Stars: Impact on the Direct Detection of Planets». The Astrophysical Journal. 652 (2): pp. 1674-1693. Bibcode:2006ApJ...652.1674B. doi:10.1086/508449 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]