V810 Centauri

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
V810 Centauri
Dados observacionais (J2000)
Constelação Centaurus
Asc. reta 11h 43m 31,19s[1]
Declinação -62° 29′ 21,82″[1]
Magnitude aparente 5,03[1] (4,95 a 5,12)[2]
Características
Tipo espectral F8Ia + B0III[3]
Cor (U-B) 0,35[1]
Cor (B-V) 0,80[1]
Variabilidade semirregular (SRd)[2]
Astrometria
Velocidade radial -16,44 km/s[1]
Mov. próprio (AR) -5,59 mas/a[4]
Mov. próprio (DEC) 1,32 mas/a[4]
Paralaxe 0,5883 ± 0,1242 mas[4]
Distância 10800-11400 anos-luz
3300-3500[3] pc
Magnitude absoluta A:
-8,4 (visual)
-8,5 (bolométrica)
B:
-5,1 (visual)
-8,0 (bolométrica)[3]
Detalhes
V810 Centauri A
Massa 20[3] M
Raio 420[3] R
Gravidade superficial log g = 0,7 cgs[3]
Luminosidade 200 000[3] L
Temperatura 5970 ± 100[3] K
Rotação v sin i = 29,1 ± 4,6 km/s[5]
V810 Centauri B
Massa <25 M
Raio 14[3] R
Gravidade superficial log g = 3,5 cgs[3]
Luminosidade 125 000[3] L
Temperatura 29000 ± 1000[3] K
Outras denominações
V810 Centauri, CPD-61 3163, HR 4511, HD 101947, HIP 57175, SAO 251555.[1]
V810 Centauri
Centaurus constellation map.png

V810 Centauri é uma estrela binária[3] na constelação de Centaurus. Tem uma magnitude aparente visual média de 5,03,[1] sendo visível a olho nu em locais com baixa poluição luminosa. Com base em sua luminosidade, está a uma distância estimada de 3300 a 3500 parsecs (10800-11400 anos-luz) da Terra.[3]

O componente primário do sistema V810 Centauri é uma supergigante amarela com um tipo espectral de F8Ia. Inicialmente com uma massa de 25 vezes a solar, a estrela já perdeu 5 massas solares desde que estava na sequência principal, e está atualmente no limite azul da faixa de instabilidade. A estrela expandiu-se para um raio 420 vezes superior ao raio solar e está brilhando com 200 000 vezes a luminosidade solar. Sua fotosfera tem uma temperatura efetiva de 6 000 K, que é próxima da menor temperatura que a estrela vai alcançar antes de voltar e evoluir em direção ao azul. O componente secundário, detectado a partir do espectro ultravioleta do sistema, é uma gigante azul de tipo espectral B0III. Tem uma massa parecida à da supergigante e um raio menor de 14 raios solares. Apesar de ter uma luminosidade alta de 125 000 vezes a solar, é 3 magnitudes menos brilhante já que emite a maior parte de sua energia fora da faixa visível.[3]

A estrela primária é uma variável semirregular com vários períodos de baixa amplitude detectados, variando entre sua magnitude aparente entre 4,95 e 5,12.[2] O período dominante, com a maior amplitude, é igual a 156 dias e corresponde a uma pulsação radial na frequência fundamental, igual às pulsações das Cefeidas. Outros períodos entre 89 e 234 dias foram identificados, incluindo dois mais fortes de 107 e 185 dias, que podem corresponder a pulsações não radiais na estrela.[3]

O sistema V810 Centauri já foi considerado um possível membro do aglomerado aberto Stock 14, a uma distância de 2,6 kpc, mas parece estar mais distante. Medições de velocidade radial confirmaram que não é membro, tendo uma velocidade 10 km/s menor que a média do aglomerado.[3]

Referências

  1. a b c d e f g h «SIMBAD query result - V* V810 Cen -- Long-period variable star». SIMBAD. Centre de Données astronomiques de Strasbourg. Consultado em 22 de agosto de 2017 
  2. a b c Samus, N. N.; Durlevich, O. V.; et al. (janeiro de 2009). «VizieR Online Data Catalog: General Catalogue of Variable Stars (Samus+ 2007-2013)». VizieR On-line Data Catalog: B/gcvs. Bibcode:2009yCat....102025S 
  3. a b c d e f g h i j k l m n o p q Kienzle, F.; Burki, G.; Burnet, M.; Meynet, G. (setembro de 1998). «The pulsating yellow supergiant V810 Centauri». Astronomy and Astrophysics. 337: 779-789. Bibcode:1998A&A...337..779K 
  4. a b c Gaia Collaboration: Brown, A. G. A.; Vallenari, A.; Prusti, T.; de Bruijne, J. H. J.; et al. (2018). «Gaia Data Release 2. Summary of the contents and survey properties». Astronomy & Astrophysics. 616: A1, 22 pp. Bibcode:2018A&A...616A...1G. arXiv:1804.09365Acessível livremente. doi:10.1051/0004-6361/201833051.  Catálogo Vizier
  5. Ammler-von Eiff, M.; Reiners, A. (junho de 2012). «New measurements of rotation and differential rotation in A-F stars: are there two populations of differentially rotating stars?». Astronomy & Astrophysics. 542: A116, 31. Bibcode:2012A&A...542A.116A. doi:10.1051/0004-6361/201118724