Upsilon2 Centauri

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
υ2 Centauri
Dados observacionais (J2000)
Constelação Centaurus
Asc. reta 14h 01m 43,5s[1]
Declinação -45° 36′ 12,3″[1]
Magnitude aparente 4,33[1]
Características
Tipo espectral F7II/III[1]
Cor (U-B) 0,27[1]
Cor (B-V) 0,59[1]
Astrometria
Velocidade radial -2,79 ± 2,90 km/s[2]
Mov. próprio (AR) 8,80 mas/a[2]
Mov. próprio (DEC) -26,81 mas/a[2]
Paralaxe 3,2564 ± 0,3716 mas[2]
Distância 1001 ± 114 anos-luz
307 ± 35 pc
Detalhes
Massa 6,9 ± 0,5[3] M
Raio 36[4] R
Luminosidade 3 919[5] L
Temperatura 6 495[5] K
Idade 45,9 ± 4,0 milhões[3] de anos
Outras denominações
CD-44 9040, HR 5260, HD 122223, HIP 68523, SAO 224621.[1]
Upsilon2 Centauri
Centaurus constellation map.png

Upsilon2 Centauri2 Cen, υ2 Centauri) é uma estrela na constelação de Centaurus. Possui uma magnitude aparente visual de 4,33, sendo visível a olho nu em locais sem muita poluição luminosa. Com base em medições de paralaxe, está a uma distância de aproximadamente 1 000 anos-luz (300 parsecs) da Terra, com uma grande incerteza de 110 anos-luz (35 pc).[2] É uma das estrelas observadas pela sonda Hipparcos com a menor variação de magnitude, com amplitude não maior que 0,01.[6]

Upsilon2 Centauri é uma estrela gigante ou gigante luminosa de classe F, com um tipo espectral de F7II/III[1] e temperatura efetiva de 6 495 K.[5] Tem uma massa equivalente a 6,9 vezes a massa solar[3] e luminosidade 3 919 vezes superior à solar.[5] Com base em um diâmetro angular de 1,1 milissegundos de arco,[7] seu raio pode ser calculado em 36 raios solares.[4] Possui uma alta velocidade peculiar de 39,2 km/s em relação às estrelas próximas, tornando-a uma provável estrela fugitiva.[3] Sua idade foi estimada em 45,9 milhões de anos.[3]

É uma binária espectroscópica, possuindo uma estrela companheira em uma órbita com período de 207,4 dias e excentricidade de 0,55.[8] Seu movimento próprio apresenta variações significativas, o que levaram a estrela a ser identificada também como uma binária astrométrica.[9][10][11]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g h «SIMBAD query result - ups02 Cen». SIMBAD. Centre de Données astronomiques de Strasbourg. Consultado em 25 de setembro de 2016 
  2. a b c d e Gaia Collaboration: Brown, A. G. A.; Vallenari, A.; Prusti, T.; de Bruijne, J. H. J.; et al. (2018). «Gaia Data Release 2. Summary of the contents and survey properties». Astronomy & Astrophysics. 616: A1, 22 pp. Bibcode:2018A&A...616A...1G. arXiv:1804.09365Acessível livremente. doi:10.1051/0004-6361/201833051.  Catálogo Vizier
  3. a b c d e Tetzlaff, N.; Neuhäuser, R.; Hohle, M. M (janeiro de 2011). «A catalogue of young runaway Hipparcos stars within 3 kpc from the Sun». Monthly Notices of the Royal Astronomical Society. 410 (1). pp. 190–200. Bibcode:2011MNRAS.410..190T. doi:10.1111/j.1365-2966.2010.17434.x 
  4. a b Lang, Kenneth R. (2006), Astrophysical formulae, ISBN 3-540-29692-1, Astronomy and astrophysics library, 1 3 ed. , Birkhäuser . O raio (R*) é dado por:
  5. a b c d Hohle, M. M.; Neuhäuser, R.; Schutz, B. F (abril de 2010). «Masses and luminosities of O- and B-type stars and red supergiants». Astronomische Nachrichten. 331 (4). p. 349. Bibcode:2010AN....331..349H. doi:10.1002/asna.200911355 
  6. Adelman, S. J (fevereiro de 2001). «Research Note Hipparcos photometry: The least variable stars». Astronomy and Astrophysics. 367. pp. 297–298. Bibcode:2001A&A...367..297A. doi:10.1051/0004-6361:20000567 
  7. Pasinetti Fracassini, L. E.; Pastori, L.; Covino, S.; Pozzi, A (fevereiro de 2001). «Catalogue of Apparent Diameters and Absolute Radii of Stars (CADARS) - Third edition - Comments and statistics». Astronomy and Astrophysics. 367. pp. 521–524. Bibcode:2001A&A...367..521P. doi:10.1051/0004-6361:20000451 
  8. Pourbaix, D.; et al. (setembro de 2004). «SB9: The ninth catalogue of spectroscopic binary orbits». Astronomy and Astrophysics. 424. pp. 727–732. Bibcode:2004A&A...424..727P. doi:10.1051/0004-6361:20041213 
  9. Makarov, V. V.; Kaplan, G. H (maio de 2005). «Statistical Constraints for Astrometric Binaries with Nonlinear Motion». The Astronomical Journal. 129 (5). pp. 2420–2427. Bibcode:2005AJ....129.2420M. doi:10.1086/429590 
  10. Eggleton, P. P.; Tokovinin, A. A (setembro de 2008). «A catalogue of multiplicity among bright stellar systems». Monthly Notices of the Royal Astronomical Society. 389 (2). pp. 869–879. Bibcode:2008MNRAS.389..869E. doi:10.1111/j.1365-2966.2008.13596.x 
  11. Frankowski, A.; Jancart, S.; Jorissen, A. (março de 2007). «Proper-motion binaries in the Hipparcos catalogue. Comparison with radial velocity data». Astronomy and Astrophysics. 464 (1). pp. 377–392. Bibcode:2007A&A...464..377F. doi:10.1051/0004-6361:20065526