Cidade Dutra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Jardim Orion)
Ir para: navegação, pesquisa
Distrito paulistano da
Cidade Dutra
Interlagos 2006 aerial.jpg
Área 29,3 km²
População (14°) 203.473 hab. (2010)
Densidade 69,44 hab/ha
Renda média R$ 4,200,00
IDH 0,815 - elevado (66°)
Subprefeitura Capela do Socorro
Região Administrativa Sul
Distritos de São Paulo Bandeira da cidade de São Paulo.svg

Cidade Dutra é um distrito pertencente à subprefeitura da Capela do Socorro, localizado na Região Sul do município de São Paulo, no Brasil.

História[editar | editar código-fonte]

A história do distrito iniciou-se em meados de 1930, quando um grupo de empresários liderados por Luís Romero Samson criou a empresa Auto Estrada S/A. O objetivo era construir uma ligação entre São Paulo e o então município de Santo Amaro, ao qual o distrito de Cidade Dutra fazia parte.[1]

Junto desse objetivo vieram outros projetos que ficaram conhecidos como “Projeto Interlagos”. As avenidas Washington Luís e Interlagos, o Aeroporto de Congonhas e a “Cidade Satélite de Interlagos”, compreendendo hotel, igreja e autódromo, em áreas destinadas para uso residencial, comercial e industrial.    A construção da autoestrada para Santo Amaro iniciou-se em 1927 e foi concluída em 1933. O trajeto total tinha 14 quilômetros, começando na Avenida Brigadeiro Luís Antônio até o pedágio na Vila Sophia, próximo à Chácara Flora, e em 1940, foi construída uma variante em direção à represa, que dava acesso exclusivo à Cidade Satélite de Interlagos e ao autódromo, hoje conhecida como Avenida Interlagos.

A companhia Auto Estradas S/A negociou grandes glebas de terras com os proprietários dos terrenos que seriam cortados e, consequentemente, beneficiados com a construção da estrada de rodagem, acumulando um patrimônio imobiliário considerável, valorizado com a implantação dos seus próprios empreendimentos. 

Paralelamente a atuação da empresa Auto Estradas, em 1904 é constituída a empresa Light and Power com os mesmos sócios da empresa canadense The São Paulo Trainway, Light and Power Company que operava  serviços de geração e distribuição de energia elétrica e serviços de bondes elétricos do município de São Paulo, uma revolução para a época, quando havia apenas bondes puxados a burro.           Entre 1900 e 1930, a Light São Paulo realizou inúmeras obras de expansão dos serviços de energia elétrica na capital de São Paulo e municípios vizinhos, construindo em 1908 a represa de Guarapiranga e usinas hidrelétricas, como Edgar de Souza e Rasgão, localizadas no Rio Tietê, em Santana do Parnaíba, a 40 quilômetros da capital.

          Mais tarde, na década de 1940, a Light São Paulo também foi responsável pela retificação do rio Tietê, Rio Pinheiros e pela construção da represa Billings e da usina hidrelétrica Henry Borden. Como proprietária a época das represas Billings e Guarapiranga, a Light and Power, adquiriu lotes de terrenos pertencentes a Auto Estradas S/A, com o objetivo de atender a demanda por moradia de seus funcionários, cuja construção foi financiada pela Caixa de Aposentadoria e Pensões dos Servidores Públicos em São Paulo.           Em 25 de janeiro de 1949 teve início então, a construção de 500 casas planejadas, das quais 437 foram concluídas e entregues em 1º de  julho de 1950, estando a quase totalidade já habitadas por funcionários da Companhia de Gás, Companhia Telefônica, da “Light” e de funcionários da própria Caixa, todas elas construídas em ruas pavimentadas, com luz elétrica, água encanada e esgotos.           Às 16 horas desta data, com a presença de autoridades federais e estaduais era inaugurada a Cidade Previdenciária Presidente Dutra, assim chamada em homenagem ao então Presidente Eurico Gaspar Dutra, dando início então ao bairro, que posteriormente viraria distrito Cidade Dutra.

No início, a distância deixou o bairro isolado, mas foram criadas linhas de ônibus que trouxeram na sua esteira a formação de outros bairros, fazendo da Cidade Dutra um pólo de desenvolvimento do então extremo da Zona Sul. Outros bairros foram surgindo frutos da especulação imobiliária, sem qualquer preocupação urbanística. O comércio começa a se formar em torno dos pontos de parada de ônibus criando pontos de aglomerações que foram aos pouco se expandindo ao longo das vias principais.

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

No distrito, está localizado o Autódromo José Carlos Pacce, também conhecido como Autódromo de Interlagos, onde, desde 1989, acontece o Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1, além de outras competições de automobilismo. O distrito faz divisa com Pedreira, Grajaú, Parelheiros, Jardim São Luís, Socorro e Campo Grande. É servido de duas estações de trem da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos: Estação Autódromo, localizada a seiscentos metros do Autódromo de Interlagos e a Estação Primavera-Interlagos, localizada no cruzamento da Avenida Presidente João Goulart com a Rua Jequirituba.

Também está localizado, no distrito, o SESC Interlagos, um local de diversão com 500 000 metros quadrados, com quadras, churrasqueiras, piscinas e muito verde e o Clube de Campo de São Paulo, este localizado no bairro de Vila São José. É cortado pela Avenida Senador Teotônio Vilela, sendo esta servida pelo Corredor Parelheiros-Rio Bonito-Santo Amaro, principal acesso da região a Santo Amaro.

A despeito da data histórica de fundação, oficialmente o bairro comemora seu aniversário no dia 24 de janeiro e em 2015 completou 66 anos de vida.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Bairros[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Prefeitura de São Paulo (19 de fevereiro de 2010). «Um pouco de História: Cidade Dutra». Consultado em 12 de junho de 2015 
  2. Prefeitura de São Paulo (11 de novembro de 2009). «Aspectos Físico-Territoriais - Conheça os distritos e os bairros que formam a nossa região». Consultado em 11 de outubro de 2016. Cópia arquivada em 5 de agosto de 2012 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia de São Paulo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.