Miss Amazonas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde agosto de 2014). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Miss Amazonas
Fundação 1955
Tipo Concurso de Beleza
Sede Amazonas Manaus
Coordenador Lucius Gonçalves

Miss Amazonas é um tradicional concurso de beleza feminino realizado anualmente na capital do Estado. Trata-se também de uma das etapas estaduais do Miss Brasil versão Miss Universo. O Estado foi o primeiro da região norte do país a receber um título nacional de importância e renome, em 1957, com sua representante Terezinha Morango, natural de São Paulo de Olivença, que posteriormente ficou em segundo lugar no Miss Universo daquele mesmo ano. O Amazonas vem obtendo boas classificações no concurso nacional, ficando, na maioria das vezes, entre as dez ou cinco finalistas do certame. O evento é coordenado pelo jornalista e comunicador Lucius Gonçalves.

Primórdios[editar | editar código-fonte]

Edna Frazão[editar | editar código-fonte]

Edna Frazão Ribeiro, primeira Miss Amazonas.

O primeiro concurso de Miss Amazonas foi realizado pelo Jornal do Comércio no ano de 1929 em pareceria com o jornal A Noite do Rio de Janeiro, que faria o Miss Brasil. Foi vencido por voto popular pela jovem Manauara Edna Frazão Ribeiro [1], representante do Atlético Rio Negro Club, filha do ex-prefeito da cidade, o comerciante Adrião Ribeiro Nepomuceno, que faleceu dias após o final do concurso do Rio de Janeiro. [2]

Cronologia[editar | editar código-fonte]

A história começa em 1929, quando o Amazonas pela primeira vez elegeu a sua miss. Naquela época o Jornal “A Noite” promovia no Rio de Janeiro, o concurso de Miss Brasil. Coube ao Atlético Rio Negro Clube a iniciativa que elegeu a mais bela amazonense de 1929. Inscreveram-se várias candidatas destacando-se dentre elas Tharcila Barata e Edna Frazão Ribeiro. No certame saiu vencedora Edna Frazão Ribeiro (foto), possuidora de grande beleza, graça e simpatia enfim uma verdadeira representante da mulher cabloca, que iria disputar no sul do País o título de Miss Brasil. No concurso máximo da beleza, Edna foi eleita Miss Simpatia, após disputar com outras 16 concorrentes dos outros Estados da Federação, saiu vencedora de tão elegante concurso Olga Bergamini de Sá, representante do Rio de Janeiro.

Sucedeu Edna Frazão Ribeiro, eleita Miss Amazonas 1930 Jóia Granjeiro, que disputou o título de Miss Brasil 1930 da qual saiu vitoriosa Yolanda Pereira, representante do Rio Grande do Sul, eleita oito semanas depois Miss Universo 1930. Em 1949 foi eleita Miss Amazonas a senhorita Maria Amália Duran Ferreira, que disputou no Rio de Janeiro o título de Miss Brasil, da qual saiu vencedora Jussara Marques, representante de Goiás.

Em 1955 foi a embaixatriz da beleza amazonense, Miss Atlético Rio Negro Clube, a senhorita Annete Stone, que conquistou o 2º. Lugar no Miss Brasil que foi conquistado por Emília Correia Lima, representante do Ceará. Em 1956 a senhorita Zeina Ramadan, foi eleita Miss Amazonas representando "Cheik Clube", retiro de amazonenses descendentes de sírios-libaneses e disputou o título de Miss Brasil, conquistado por Maria José Cardoso, representante do Rio Grande do Sul.

Em 1957, o Amazonas elegeu a sua mais famosa Miss, Terezinha Gonçalves Morango, Miss Cinelândia, Miss Estudantil, Miss Atlético Rio Negro Clube e Miss Amazonas. No Quitandinha, sob um clima de expectativa entre Maria Dorothea, Miss Minas Gerais e Teresinha Morango, Miss Amazonas, a amazonense conquistou a preferência do júri, sendo eleita então Miss Brasil 1957. No concurso de Miss Universo em Long Beach, na Califórnia, trouxe para os brasileiros o título de 2ª mulher mais bela do mundo.

Em 1958 Vera Costa Nova (vencedora estadual pelo Juventude Clube), disputou no Rio de Janeiro com outras 22 candidatas o título de Miss Brasil quando foi eleita Adalgisa Colombo, não se classificou. O Ideal Clube, lançou como candidata a Miss Amazonas Nora Pazuelo Sabbá, a mais bela amazonense de 1959, no Rio de Janeiro conquistou o título de "As Mais Belas Pernas do Certame".

Em 1960, Vanja Nobre Jacob (nome real de Maria Angelina Nobre Jacob), representante dos Barés Clube, foi Miss Amazonas e conquistou o terceiro lugar no Miss Brasil daquele ano. Vale salientar que Vanja Nobre nasceu em Manaus, mas residia na época no Rio. Em 1962, Suely Moura de Melo, depois de ter perdido o Miss Brasília 1962, sendo derrotada por Silvia Rezende, foi eleita Miss Amazonas 1962 pelos diretores do Rio Negro e no Rio de Janeiro não conseguiu classificação.

Fátima das Neves, disputou o Miss Guanabara 1962 sendo derrotada por Vera Lúcia Saba, tornou-se em 1963 Miss Amazonas 1963 e posteriormente não conseguiu classificação na disputa nacional. Em 1964, concorreram duas candidatas, uma representante do Círculo Militar, Marciléa Carvalho, outra representando o Clube Bancrévea, Telma Carvalho. Telma conquistou para os amazonenses, no nacional, um título que só Edna Frazão Ribeiro em 1929 trouxera para o Amazonas, o de “Miss Simpatia”. [3]

Em 1968, ano em que o Brasil conquistou seu segundo título de Miss Universo com Martha Vasconcellos, Maria de Fátima Acris (Tijuca Clube de Coari) se sobressaiu sobre suas concorrentes: Maria das Graças Garcia (Clube Municipal de Manaus), Evan Neves (Clube Bancrévea), Helen Costa (Clube Princesa Isabel), Teolinda Franco Duarte (Faculdade de Filosofia de Manaus) e Grace Marques (União Esportiva Portuguesa).

Tabela de Classificação[editar | editar código-fonte]

Abaixo a performance das amazonenses no Miss Brasil.

Posição Performance
Miss Brasil 1
2º. Lugar 3
3º. Lugar
4º. Lugar
5º. Lugar 2
Semifinalista 15

Premiações Especiais[editar | editar código-fonte]

  • Miss Simpatia: Telma Carvalho (1964)
  • Melhor Traje Típico: Vivian Amorim (2012)
  • Miss Voto Popular: Brena Dianná (2016)

Edições[editar | editar código-fonte]

Vencedoras[editar | editar código-fonte]

Ano Vencedoras Representação Colocação Miss Universo
2017 Juliana Barros Soares Manaus TBD
2016 Brena Dianná Modesto Parintins Semifinalista (Top 15)
2015 Carolina Toledo Burégio Manaus
2014 Ytala Narjjara de Oliveira Loja M2 Semifinalista (Top 10)
2013 Tereza Cristina Azedo Parintins
2012 Vívian Silveira Amorim Paradise Turismo Semifinalista (Top 10)
2011 Tammy Cavalcante Loja Via Uno 5º. Lugar
2010 Lílian Lopes Pereira Aquarela 2º. Lugar
2009 Cecília Alves Stadler Manaus
2008 Gabrielle Costa de Souza Manaus
2007 Priscilla Riker de Souza Manaus Semifinalista (Top 15)
2006 Thaysa de Souza Neves Manaus
2005 Danielle Costa de Souza Manaus Semifinalista (Top 10)
2004 Priscilla Meirelles Manaus 5º. Lugar
2003 Aline Hayashi Manaus
2002 Tatiane Alves Semifinalista (Top 10)
2001 Danielle Bueno
2000 Viviane de Souza
1999 Joice Lima Barros
1998 Maeme Lacerda Manaus
1997 Liana Paula Martins Semifinalista (Top 12)
1996 Jacilene Cardoso Nunes Semifinalista (Top 12)
1995 Lícia Cristina Barros
1994 Cristiane Silva Lins Benjamin Constant Semifinalista (Top 12)
1992 Ana Cristina Pereira Semifinalista (Top 12)
1989 Luisiana de Medeiros Semifinalista (Top 12)
1988 Eliana Marques da Silva Caiçara Clube de Campo
1987 Anne Christine César Atlético Rio Negro Clube
1986 Gina Santiago de Araújo
1985 Grace Mara Chagas Alves
1984 Alessandra Peretti Clube Sírio Libanês
1983 Zilene Silva de Souza
1982 Kátia Louzada Vargas Atlético Rio Negro Clube
1981 Adriana Lippolis Barcellos Lojas Quartier Latin 2º. Lugar
1980 Maria Emília Frota Barreto Indústria All-Stop
1979 Messody Serruya Israel Clube Sírio Libanês
1978 Telma Josefa Francisco Curso Einstein
1977 Letícia Atayde Barbosa Círculo Militar de Manaus
1976 Ingrid Cavalcanti Silva Nacional Fast Clube
1975 Janete Castro Amorim c Fazendário Clube
1974 Suzete Pires da Silva Bancrévea Clube
1973 Roseana de Almeida Maués
1972 Suely Souza da Silva Atelier Bosco Veras
1971 Terezinha Barbosa América Futebol Clube Semifinalista (Top 08)
1970 Analiz Nunes Feitosa Bancrévea Clube
1969 Suely de Mello Veras Nacional Futebol Clube Semifinalista (Top 08)
1968 Maria de Fátima Acris Tijuca Clube de Coari
1967 Nelma Ramos Batista Clube Municipal de Manaus
1966 Ermengarda Fonseca Grêmio Guanabara de Manaus
1965 Jane Fátima Carvalho Atlético Cliper Clube
1964 Telma Lobo de Carvalho Bancrévea Clube
1963 Fátima Neves da Silva Atlético Rio Negro Clube b Semifinalista (Top 08)
1962 Suely Moura de Melo Atlético Rio Negro Clube b
1961 Neila Loureiro Nery Atlético Rio Negro Clube b
1960 Vanja Nobre Jacob Atlético Barés Clube Semifinalista (Top 08)
1959 Nora Pazuelo Sabba Ideal Clube
1958 Ruth Leite Costa Novo Juventude Clube
1957 Terezinha Gonçalves Morango Atlético Rio Negro Clube a MISS BRASIL 1957 2º. Lugar
1956 Zeina Aleme Ramadan Cheik Club
1955 Annete Stone Atlético Rio Negro Clube 2º. Lugar

Notas[editar | editar código-fonte]

a. Apesar de nascida em São Paulo de Olivença, Terezinha Morango foi representante do Rio Negro.
b. Os diretores do Clube convidavam candidatas do Miss Distrito Federal (RJ) para representar o Amazonas.
c. Janete Amorim, que ficou em 2º lugar, assumiu após a renúncia de Silvana Leite de Maués.

Observações[editar | editar código-fonte]

  1. No ano de 1990 não houve concurso nacional.
  2. O estado não participou nas edições de 1954, 1991 e 1993.
  3. Não são naturalmente do Amazonas:
    1. Adriana Lippolis (1981) é de Jaguarão, Rio Grande do Sul;
    2. Liana Paula Martins (1997) é de Fortaleza, Ceará;
    3. Tatiane Kellen Alves (2002) é de Lafaeite, Minas Gerais;
    4. Priscilla Meirelles (2004) é de Belém, Estado do Pará;
    5. Ytala Narjjara (2014) é de Cruzeiro do Sul, Acre. [4]

Referências

  1. Biblioteca Nacional Jornal do Comércio, 12 de março de 1929
  2. Biblioteca Nacional, Jornal do comércio, 18 de Junho de 1929
  3. Artigo de Nilson Cunha de Oliveira para o Jornal do Commercio de, 6 de Junho de 1965
  4. «Acreana do Juruá representará o Amazonas no Miss Brasil 2014». Acre 24 Horas. 20 de setembro de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]