Iguatemi Empresa de Shopping Centers

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Shopping Iguatemi)
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Shopping Center Iguatemi redireciona para este artigo. Para o centro de compras de Salvador, veja Shopping da Bahia. Para outros significados, veja Iguatemi.
Iguatemi Empresa de Shopping Centers
Razão social Iguatemi Empresa de Shopping Centers S.A.
Tipo Empresa de capital aberto
Cotação BM&F Bovespa: IGTA3
Indústria Setor imobiliário
Gênero Sociedade Anônima
Fundação 23 de maio de 1979 (37 anos)
Sede São Paulo,  São Paulo,  Brasil
Presidente Carlos Jereissati Filho
Produtos Shopping centers
Acionistas Grupo La Fonte
Website oficial www.iguatemi.com.br

O Iguatemi Empresa de Shopping Centers S.A é uma empresa brasileira de planejamento, desenvolvimento e administração de shopping centers.

A Iguatemi detém participação em 16 shoppings centers, 1 premium outlet e 3 torres comerciais que totalizam 657 mil m² de área bruta locável (ABL), espaço que é utilizado por 3.004 lojas, que recebem aproximadamente 10 milhões de consumidores por mês.[1]

A empresa é controlada pelo Grupo Jereissati nos segmentos de shopping centers e outlets.[2]

Histórico[editar | editar código-fonte]

Em maio de 1979 foi fundada a Iguatemi Empresa de Shopping Centers S.A. No mesmo ano, a Iguatemi Empresa comprou a Construtora Alfredo Matias S.A, uma das donas do Iguatemi São Paulo, o shopping mais antigo do Brasil. Em maio de 1980, a Iguatemi Empresa abriu o shopping Iguatemi Campinas, no interior do estado de São Paulo e três anos depois, em 1983, foi inaugurado o Iguatemi Porto Alegre.

A expansão da Iguatemi ocorreu na década de 90 com a abertura dos shoppings Praia de Belas, em 1991, terceiro empreendimento em Porto Alegre, Market Place, em 1995, segundo shopping center da empresa na cidade de São Paulo, o Iguatemi Rio, em 1996, primeiro shopping da empresa no Rio de Janeiro, vendido em 2012 para a Ancar Ivanhoé, o Iguatemi Caxias do Sul, em 1996, terceiro empreendimento da companhia no Rio Grande do Sul e o Iguatemi São Carlos, em 1997.[3] O Iguatemi Florianópolis foi inaugurado em 2007, mesmo ano que companhia abriu capital na Bolsa de Valores de São Paulo (BOVESPA). Nos anos seguintes, a empresa inaugurou o Iguatemi Alphaville, em 2011, o JK Iguatemi, em 2012, o Iguatemi Ribeirão Preto, em 2013, o Iguatemi Esplanada, também em 2013 e o Iguatemi Rio Preto, em 2014.[4] O JK Iguatemi, inaugurado em junho de 2012, foi uma sociedade entre a Iguatemi Empresa de Shopping Centers e a WTorre Empreendimentos Imobiliários. O JK Iguatemi abriu as primeiras lojas das marcas GAP, Miu Miu, Hermès e Sephora no Brasil.[5][6][7] Em março de 2014, a WTorre vendeu sua participação no empreendimento para a Iguatemi Empresa de Shopping Centers e o Fundo TIAA-CREF. A Iguatemi detém 64% e o fundo 36% do shopping JK Iguatemi.[8][9]

No ano de 2013, o Iguatemi iniciou no setor de premium outlets com a compra de 41% do Platinum Outlet, em Nova Hamburgo. A companhia anunciou a construção de mais dois outlets, um em Nova Lima e outro em Tijucas.[10]No mesmo ano a Iguatemi tornou-se responsável pela administração do Shopping Pátio Higienópolis.

Em 2014, a Iguatemi foi eleita pela sétima vez consecutiva no ranking realizado pela Brand Analytics, como umas das 50 marcas mais valiosas do Brasil. A companhia conquistou o título de 22ª marca mais valiosa.[11]

Shoppings da empresa[editar | editar código-fonte]

São Paulo[editar | editar código-fonte]

Shopping Iguatemi Ribeirão Preto.

Ceará[editar | editar código-fonte]

Distrito Federal[editar | editar código-fonte]

Rio Grande do Sul[editar | editar código-fonte]

Santa Catarina[editar | editar código-fonte]

Shoppings administrados pela empresa[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Iguatemi investe em expansão dos shoppings». Valor Economico. 4 de outubro de 2013. Consultado em 03 de junho de 2014  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  2. «Acionistas da Jereissati aprovam conversão de ações PN em ON». Valor Economico. 31 de dezembro de 2013. Consultado em 03 de junho de 2014  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  3. «"Jeressati agita mercado"». Isto e Dinheiro. Consultado em 03 de junho de 2014  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  4. «'O Brasil agora tem um mercado para os outlets', diz diretor do Iguatemi». O Estado de S.Paulo. 14 de abril de 2014. Consultado em 03 de junho de 2014  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  5. «Temas criativos mudam cenário». Valor Economico. 28 de novembro de 2013. Consultado em 03 de junho de 2014  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  6. «Por que comprar 50% do JK Iguatemi pode ser vantajoso». Exame Negócios. 5 de novembro de 2013. Consultado em 03 de junho de 2014  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  7. «Shoppings de luxo de São Paulo oferecem mimos para atrair endinheirados». UOL. 2 de agosto de 2012. Consultado em 03 de junho de 2014  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  8. «Cade aprova saída do Grupo WTorre do JK Iguatemi». Exame Noticias. 21 de março de 2014. Consultado em 03 de junho de 2014  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  9. «Iguatemi eleva fatia no JK Iguatemi para 64%». Folha de S. Paulo. 18 de fevereiro de 2014. Consultado em 03 de junho de 2014  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  10. «"Modelo de Outlet atrai o mercado de luxo"». Epoca Negocios. Consultado em 03 de maio de 2014  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  11. «As 50 marcas mais valiosas do Brasil em 2014». Exame. 25 de abril de 2014. Consultado em 03 de junho de 2014  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]