Cowboy Bebop

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde Fevereiro de 2008).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Cowboy Bebop
カウボーイビバップ
(Cowboy Bebop)
Gênero Aventura, Drama, Comédia, Ficção Científica, Ação
Anime
Direção Shinichiro Watanabe
Estúdio Japão Sunrise
Japão Victor Entertainment
Exibição original 3 de Abril de 1998 – 23 de Abril de 1999
Emissoras de TV Japão TV Tokyo (de 3 de abril de 1998 a 19 de junho de 1998, apenas 12 episódios)
Japão WOWOW (de 23 de outubro de 1998 a 23 de abril de 1999, Série completa)
Japão Animax
Emissoras lusófonas Brasil Locomotion
Portugal SIC Radical
Nº de episódios 26
Mangá
Cowboy Bebop: Shooting Star
Autor Hajime Yatate
Ilustrador Cain Kuga
Editora(s) Japão Kadokawa Shoten
Revista Asuka Fantasy DX
Data de publicação Maio de 1998 – Outubro de 1998
Volumes 2
Mangá
Cowboy Bebop: A New Story
Autor Hajime Yatate
Ilustrador Yutaka Nanten
Editora(s) Japão Kadokawa Shoten
Revista Asuka Fantasy DX
Data de publicação Abril de 1999 – Abril de 2000
Volumes 3
Filme
Cowboy Bebop: Knockin' on Heaven's Door
Ano de lançamento 2001
Cor cor
Duração 115 minutos
Diretor Shinichiro Watanabe
Estúdio Japão Sunrise
Japão BONES
Japão Bandai Visual
Roteiro Keiko Nobumoto
Projeto Animangá  · Portal Animangá

Cowboy Bebop (カウボーイビバップ, Kaubōi Bibappu?), também conhecido como CowBe, é um anime premiado e aclamado pela crítica, dirigido por Shinichiro Watanabe, escrito por Keiko Nobumoto e produzido pela Sunrise, lançado em 1998.

Situada no ano 2071, a história de um grupo de caçadores de recompensa, que viajam na espaçonave Bebop, é contada em 26 episódios, onde há ação, aventuras, crimes e tragédias. A série explora vários conceitos filosóficos, incluindo existencialismo, solidão e tédio. Com muitos cenários e profundos personagens combinado com a ótima fluidez da trama (profundamente baseada na cultura americana, principalmente nos movimentos do jazz da década de 1940; e com o nome dos personagens sempre tipicamente americanos, e nunca japoneses como é comum) e várias sequências de ação (de batalhas espaciais até o mano-a-mano), o anime tornou-se popular no Japão e posteriormente nos outros países, com um considerável número de espectadores. A Bandai licenciou Cowboy Bebop nos Estados Unidos. Duas séries de mangá foram criadas a partir da série de TV, que não foram feitas por Watanabe, mas por Yutaka Nanten. Em 2001, Shinichiro Watanabe dirigiu um filme baseado na série, que foi lançado pela Sony Pictures: Cowboy Bebop: Tengoku no tobira.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Corre o ano de 2071 e muitas mudanças ocorreram: a tecnologia evoluiu; a população da Terra migrou para outros planetas do Sistema Solar, vivendo em colônias. A população aumentou consideravelmente e, com ela, o número de criminosos. A polícia espacial (ISSP, Inter Solar System Police, em inglês), não podendo dar conta de todos os bandidos, recorre ao auxílio de cowboys: verdadeiros caçadores de recompensas espaciais. A série de 26 episódios orbita em torno das violentas aventuras dos ímpares personagens principais são Spike, Jet, Valentine, Ed e Ein que se reúnem devido a situações adversas nas vidas de cada um.

Influências[editar | editar código-fonte]

As influências em Cowboy Bebop são muitas e variadas. A maior parte delas está na cultura americana: do cinema, incluindo filmes mobster e de velho-oeste à liberdade do jazz da década de 1940 (Bebop). Também tem influências dos filmes de Kung Fu das décadas de 1960 e 1970. As habilidades e o seu estilo de arte marcial (Jeet Kune Do) vieram do grande lutador Bruce Lee - tais influências são vistas várias vezes durante a série. O nome do procurado no segundo episódio é Abdul Hakim, tirado do filme de Bruce Lee Game of Death, estrelado também por Kareem Abdul-Jabbar, que interpretou um personagem chamado "Hakim". Em outras duas ocasiões, Spike também faz uma citação sobre Enter the Dragon e Way of the Dragon, outros dois filmes de Bruce Lee.

Alguns personagens da série também tem influências de Lupin III, um clássico da animação japonesa. O estilo de roupa de Julia e o "carisma" de Faye são claramente baseados na personagem Fujiko. A influência de Jet veio do parceiro de Lupin Jigen. Já Spike foi baseado no próprio Lupin.

Watanabe parece gostar de música brasileira. No filme e na série aparecem três simpáticos velhinhos com os nomes de Antônio, Carlos e Jobim. Tom Jobim é um grande nome da Bossa Nova.

A nave MONO de Spike Swordfish II foi inspirada na Fairey Swordfish, um bombardeiro britânico da Segunda Guerra Mundial. O episódio Pierrot Le Fou, cujo título faz referência ao filme homônimo de Jean-Luc Godard, foi influenciado pela revista de Alan Moore, V de Vingança, e foi um tributo a HQ. Muitas das seções de Cowboy Bebop têm um quê de ar cinematográfico, baseado em outros filmes. Essas homenagens incluem 2001: A Space Odyssey, The Crow, John Woo, Alien, Star Trek, Dirty Harry,Meu Ódio Será Tua Herança e Shaft - em Mushroom Samba, um homem diz que é "o irmão mais novo dos irmãos Shaft".Não podemos esquecer também da grande influência do gênero film noir.

No episódio "Cowboy Funk" percebe-se uma referência musical à trilha sonora dos filmes de velho oeste feitas por Ennio Morricone. Assobios durante a música e guitarras usadas para esse estilo musical são características únicas de suas composições.

Tecnologia[editar | editar código-fonte]

Conheça as mudanças tecnológicas que aconteceram em 2071:

Sistema MONO[editar | editar código-fonte]

A maioria das naves foi projetada para apenas uma pessoa e possuem um moderno sistema de piloto automático. Estas naves funcionam sob o Machine Operation Navigation of Outer Space, ou MONO. Este auxilia o piloto em tudo, desde pousos e decolagens até definir a rota de viagem.

Portais Hiperespaciais[editar | editar código-fonte]

Em 2021 foram construídos diversos portais por todo o Sistema Solar, chamados de Portais Hiperespaciais. Eles são "atalhos" pelo Sistema Solar.

O Acidente: O portal hiperespacial entre a Terra e a Lua explodiu, levando à atmosfera da terra várias pedras da Lua. Estes meteoros causam constantes destruições no planeta todos os dias, tornando o planeta inabitável; apesar disso, muitas pessoas ainda vivem por lá. O acidente com o portal mudou a vida de muitas pessoas, incluindo Faye.

Solar System Web[editar | editar código-fonte]

Uma dos maiores avanços foi na área da computação, principalmente da internet. Na SSW, Web do Sistema Solar, o usuário literalmente flutua entre os sites e pastas a procura de informação. Ela teve que passar por uma grande mudança para que todo o Sistema Solar se pudesse conectar.

Outras mudanças[editar | editar código-fonte]

O Woolong é o sistema monetário corrente usado no Sistema Solar. O dinheiro de papel não é tão comum. O woolong é uma moeda virtual, de créditos, e transferido de uma pessoa a outra através de um cartão magnético. Embora nunca dito, um woolong equivale a um yen Japonês. O símbolo do Woolong é um .

A área do entretenimento também evoluiu. Video games de realidade virtual tornaram-se comuns e o vídeo cassete é algo de um passado distante.

A tecnologia na área da medicina teve um grande avanço. Em 2071 a clonagem de órgãos e o congelamento criogênico tornaram-se perfeitamente eficientes. Para quem puder pagar por isso, é claro.

Personagens[editar | editar código-fonte]

Spike Spiegel[editar | editar código-fonte]

Este caçador de recompensas de 27 anos nasceu em Marte. Spike foi integrante do misterioso sindicato do crime Red Dragon. Spike aparenta ser um cara distraido e relaxado, mas ele é atento a tudo e tem uma ótima prestidigitação. Ele diz estar morto e a ideia de morrer não o preocupa. Na verdade, nada parece preoucupá-lo, excepto quando o nome de Julia, uma estranha mulher do seu passado, ou Vicious, seu antigo companheiro no sindicato do crime, é mencionado e ele larga tudo para ter notícias deles. Em alguns momentos ele arrisca a sua vida, não se importando se se vai ferir ou não. Ele é especialista na arte do Jeet Kune Do, o estilo de luta de Bruce Lee. Sua arma preferida é a Jericho 941. Um excelente piloto, Spike possui a nave chamada Swordfish II, um antigo caça de corridas dos asteróides agora remodelado e equipado com um canhão de plasma. A filosofia de Spike parece se basear nos ideais imediatistas dos antigos samurais: considerar-se morto e a ideia de que a morte é um acordar de um sonho, ambos pensamentos são elementos do Bushido, ilustrado pelo Hagakure.

O seiyuu (ator dublador) de Spike é Koichi Yamadera (curiosidade: o mesmo ator que dublou Kaji Ryoji em Neon Genesis Evangelion] na versão japonesa e Steven Blum (creditado como David Lucas) na versão em inglês.

Jet Black[editar | editar código-fonte]

Jet, um ex-policial de 36 anos de Ganimedes (um dos satélites de Júpiter), nascido a 3 de Dezembro, age como um pai de Spike durante a série. Em seus tempos de ISSP (Inter Solar System Police) era conhecido como Black Dog, apelido dado por ser reconhecido como o cachorro preto que uma vez mordendo, nunca mais larga. Enquanto Spike age como um preguiçoso desinteressado, Jet trabalha no duro e é um verdadeiro pau-para-toda-obra. Jet foi um investigador da ISSP por muitos anos até perder o seu braço esquerdo em acção, que foi substituído por um braço cibernético (mais tarde mostrando-se uma opção bastante pessoal, já que na época os implantes biológicos eram realidade). O seu maior desgosto foi a corrupção na polícia e saiu da ISSP para tornar-se caçador de recompensas. Jet considera-se um homem renascentista: ele cria e cultiva bonsais, cozinha e adora o estilo Jazz/Blues de música, especialmente Charlie Parker, além de se interessar por Johann Wolfgang von Goethe. Jet mostra-se como um verdadeiro pai-coruja na série, embora goste que o veja como apenas um irmão mais velho (justamente por fazer parecer mais novo do que aparenta). Jet é um ótimo mecânico e piloto, sua nave é a Bebop, mas também pilota uma nave menor, a Hammerhead. Sua arma favorita é a Walther P99.

O seiyuu (actor dublador) é Unsho Ishizuka (curiosidade: o mesmo dublador de Quent Yaiden da série Wolf's Rain do mesmo grupo que criou Cowboy Bebop) na versão japonesa e Beau Billingslea (creditado como John Billingslea) na versão em inglês.

Faye Valentine[editar | editar código-fonte]

Faye tem aparentemente 23 anos, embora tenha nascido 77 anos antes, foi preservada numa câmara de congelamento criónico por 54 anos. Ela é uma mercenária que só pensa em si mesma. Tornou-se uma caçadora de recompensas para tentar pagar uma dívida com um hospital (o mesmo que a manteve viva todo esse tempo); as circunstâncias do seu acidente, sua vida antes dele, bem como seu verdadeiro nome continuam um mistério, que vai sendo revelado conforme a série progride. Ela acordou do seu sono criónico com amnésia total, num estranho mundo que ela não compreende. Seu sobrenome "Valentine" foi dado pelo médico diretor que cuidou dela (o Dr. Bakus). Ela também é conhecida como "Poker Alice", a lendária jogadora de poker que jamais perdeu um jogo em vida.

Como sempre foi passada para trás desde que acordou de seu sono de 54 anos, Faye mostra-se egoísta, materialista e durona na maior parte do tempo perante outros. Talvez uma forma de escudo, pois ao longo da série mostra seu *verdadeiro* lado emotivo e frágil em dadas circunstâncias. Dentre os vários boatos que chegam aos seus ouvidos sobre sua origem, é dito que a sua verdadeira origem é, na verdade, Singapura, no planeta Terra, local onde vivia a sua família, dita rica. A sua nave chama-se Redtail e a sua arma preferida é a Glock 30.

Megumi Hayashibara (curiosidade: a mesma actriz que dublou a voz de Ayanami Rei em Neon Genesis Evangelion e Lime em Saber Marionette J) é a seiyuu na versão japonesa e Wendee Lee na versão em inglês.

Edward "Ed" Wong Hau Pepelu Tivrusky IV[editar | editar código-fonte]

Edward Wong Hau Pepelu Tivrusky IV, ou Ed como é conhecido, é a maior hacker do planeta Terra e tem somente 13 anos! É normalmente confundida com um menino por andar sempre descalça e desarrumada. Ed resolveu sair da Terra na primeira oportunidade que teve: quando a nave Bebop chegou ao planeta. A sua habilidade como hacker chega a superar qualquer pessoa e sua ajuda é preciosa para a tripulação: ela pode achar qualquer pessoa na Solar System Web SSW com o seu computador, batizado de Tomato, ajudando muito na caça dos procurados.

Ed tem um estilo estranho e bastante engraçado, atitudes infantis, rimas bobas, tem uma facilidade enorme para a distracção e chega a parecer uma contorcionista durante a série. Realmente as suas expressões são as físicas: você vê-la a correr, rastejar, rolar, plantar bananeira ou algo parecido. Pode-se dizer que Ed é a alma da Bebop. Quase impossível não rir com várias das suas atitudes e reacções durante a série (especialmente no episódio Mushroom Samba). Pouca coisa se sabe sobre sua vida antes de se tornar membro efetivo da Bebop (sim, ela se integra ao grupo por 'livre e espontânea pressão'), apenas que já viveu num orfanato no planeta Terra e que um homem chamado Appledelhi Siniz Hesap Lütfen parece ser seu pai verdadeiro.

Ed gosta de Jet e se dá bem com ele, assim como Jet age como um pai substituto para Ed. Embora ela tente ter relações com Faye, algo como uma irmã mais velha, Faye simplesmente a ignora. Spike nem é necessário comentar, já que odeia crianças.

Ed parece ser a única pessoa na Bebop capaz de compreender Ein. A personagem Ed, no começo da produção seria na verdade um garoto, mas para serem justos quanto a porcentagem de género sexual, fizeram-na como uma menina. O design original até é usado num dos episódios de Cowboy Bebop: um dos garotos que rouba uma revista porno do quiosque de Annie/Anastacia, conhecida de Spike. Ed no passar da série apega-se a Ein, mostrando-se uma verdadeira inversão de papéis, já que Ein mostra-se cada vez mais humanizado e Ed mostrando-se cada vez mais instintiva, chegando a morder alguns procurados durante uma cena.

A seiyuu de Ed é Aoi Tada na versão japonesa e Melissa Fahn na versão em inglês.

Ein[editar | editar código-fonte]

Ein é um cão da raça Welsh corgi pembroke (Corgi Galês) que chega a bordo da Bebop junto com Spike depois de ele falhar a captura de um procurado. Ein é o que pode se chamar de "cão-de-dados": enquanto a série de TV não explica o que isto quer dizer, o mangá mostra Ed acessando os dados gravados no cérebro de Ein por uma interface de realidade virtual. Obviamente, Ein é extremamente inteligente, estando apto a atender o telefone, usar a Internet, e fazer inúmeras outras coisas que um cão não poderia fazer normalmente. Primeiramente, Ein se afeiçoou a Jet, mas com a chegada de Ed à equipe, ele fica com ela todo o tempo. Os dois combinam bem: Ein expressa-se com sentimentos humanos e Ed regride a um estado feroz.

Uma de suas cenas mais interessantes é justamente no episódio Mushroom Samba, onde divide cenas com Ed, onde ele, após uma cena de perseguição agradece a uma vaca, a seu modo, mas agradece. Seu nome provém de um pequeno trocadilho, pois em japonês, cachorro é inu, mas em alemão, Ein significa um, mas também é um diminuto para o nome Einstein, obviamente uma homenagem a Albert Einstein, devido a sua inteligência. No mais, deriva realmente de Einstein, uma vez que se pronuncia "Áin".

Vicious[editar | editar código-fonte]

Vicious é um homem do passado de Spike. Os dois já foram companheiros no sindicato do crime Red Dragon, mas eles acabaram por se apaixonar pela mesma mulher, Julia. Vicious é ambicioso e fechado, tenta fazer tudo para segurar sua posição de poder. Sua arma favorita é uma katana, que leva para todos os lugares e que pode ser incrivelmente destrutiva. Vicious acredita que é o único que pode matar Spike.

Vicious aparece muito pouco durante toda a série, e quando aparece, está sempre vinculado ao passado de Spike. Frio e bastante violento, Vicious almeja ser o chefe da Red Dragon, desprezando seus actuais chefes, taxando-os de velhos cadáveres.

Vicious também lutou na Guerra de Titã, em 2068, onde conheceu Gren/Grencia Mars Elijah Guo Eckener. Pouco se sabe sobre seu passado ou mesmo sobre suas reais intenções, mas sabe-se que está a aguardar a hora de confrontar-se com o seu inimigo, mais cedo ou mais tarde.

O seiyuu de Vicious é Norio Wakamoto (curiosidade: o mesmo que dublou Cell em Dragon Ball Z, Kagato em Tenchi Muyo e Alexander Anderson em Hellsing OVA) na versão japonesa e Skip Stellrecht (creditado como Henry Douglas Grey) na versão em inglês.

Julia[editar | editar código-fonte]

Julia é uma bonita e misteriosa mulher que faz parte do passado de Spike e Vicious. Um triângulo amoroso entre os três que terminou com a camaradagem entre os dois, causando a saída de Spike do sindicato. Julia aparece em flashbacks várias vezes durante a série, mas só aparece pessoalmente nos capítulos finais. Julia age como um contraste ao mundo dela. Ela realmente ama Spike, mas sabe que Vicious matará ambos se voltarem a se encontrar, sendo assim, Julia jamais apareceu no cemitério, onde ela e Spike marcaram para o reencontro e a subsequente fuga. Julia é uma homenagem à personagem Fujiko de Lupin III, o seu nome foi usado por se tratar de uma música dos Beatles de mesmo nome, do The White Album.

A seiyuu de Julia é Gara Takashima (curiosidade: a mesma que fez a voz de Rosa Cheyenne em Silent Möbius TV e Carly Witwicky em Transformers)na versão japonesa e Mary Elizabeth McGlynn (creditada como Melissa Williamson) na versão em inglês.

Dubladores[editar | editar código-fonte]

Japão[editar | editar código-fonte]

  • Spike Spiegel - Koichi Yamadera;
  • Jet Black - Unsho Ishizuka;
  • Faye Valentine - Megumi Hayashibara;
  • Vicious - Norio Wakamoto;
  • Júlia - Gara Takashima.

Estados Unidos[editar | editar código-fonte]

Brasil[editar | editar código-fonte]

*NOTA: Apenas o filme foi dublado.[editar | editar código-fonte]

Episódios[editar | editar código-fonte]

A série Cowboy Bebop possui 26 episódios, chamados de "sessões". Muitas sessões são explicitamente nomes de músicas famosas. Os títulos que não são específicamente de músicas famosas tem algo a ver com a ação do episódio.

Originalmente o nome do filme de Cowboy Bebop recebe o subtítulo de "Knockin' On Heaven's Door", nome de uma famosa canção de Bob Dylan, estando sob a licença de copyright, então a Columbia Tristar resolveu lançar em outros países com o título de Cowboy Bebop - O Filme.

Lista de episódios[editar | editar código-fonte]

  1. Asteroid Blues - Blues é um estilo musical
  2. Stray Dog Strut - Trocadilho com Stray Cat Strut, música dos Stray Cats
  3. Honky Tonk Women - Música dos Rolling Stones
  4. Gateway Shuffle - O Gateway é igual do jogo Cupcake Gateway no site de Victorious [1]
  5. Ballad of Fallen Angels - Fallen Angels é uma música do Poison. O Aerosmith também tem uma música com esse nome no álbum "Nine Lives"
  6. Sympathy For The Devil - Também dos Rolling Stones
  7. Heavy Metal Queen - Heavy Metal é um estilo musical
  8. Waltz For Venus - Trocadilho com Waltz For Debbie, famoso standard de jazz
  9. Jamming With Edward - Álbum dos Rolling Stones de 1972
  10. Ganymede Elegy - Elegia é um gênero de música de tom fúnebre
  11. Toys in the Attic - Música do Aerosmith
  12. Jupiter Jazz (Part 1) - Jazz é um estilo musical
  13. Jupiter Jazz (Part 2) - Jazz é um estilo musical
  14. Bohemian Rhapsody - Música do Queen
  15. My Funny Valentine - Famoso standard de jazz
  16. Black Dog Serenade - Black Dog é uma música do Led Zeppelin
  17. Mushroom Samba - Samba é um estilo musical
  18. Speak Like a Child - Música de Herbie Hancock
  19. Wild Horses - Música dos Rolling Stones
  20. Pierrot le Fou - Filme de Jean-Luc Goddard (1965)
  21. Boogie Woogie Feng Shui - Boogie Woogie é um estilo musical
  22. Cowboy Funk - Funk é um estilo musical
  23. Brain Scratch - Referência à música "Brain Damage" do Pink Floyd
  24. Hard Luck Woman - Música do Kiss
  25. The Real Folk Blues (Part 1) - Folk é um estilo musical
  26. The Real Folk Blues (Part 2) - Esse também é o nome da música de encerramento da maioria dos episódios. The Real Folk Blues é o nome de uma série de álbuns lançados entre 1965 e 1969, com compilação de músicas de artistas de blues como John Lee Hooker, Howlin' Wolf, Muddy Waters, e Sonny Boy Williamson II.

Filme "live-action"[editar | editar código-fonte]

Seria produzido um filme de Cowboy Bebop, mas agora com atores de carne e osso. No dia 16 de Janeiro de 2009, Keanu Reeves foi confirmado no papel de Spike. A empresa que produziria o filme seria a 3 Arts, Shinichiro Watanabe, diretor da série, e Keiko Nobumoto, roteirista da série, seriam os produtores associados. Porém o projeto foi engavetado.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre mangá e anime é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.