Nuuk

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Nuuk
'
'
Bandeira oficial de Nuuk
Brasão oficial de Nuuk
Bandeira Brasão
Coordenadas 64° 10' 30" N 51° 44' 20" O
País  Dinamarca
Região Autónoma  Gronelândia
Fundação 1728
Prefeito Asii Chemnitz Narup
População  
  Cidade (2010) 15.666
Fuso horário UTC-03 (UTC)
Website: www.sermersooq.gl/kl

Nuuk ou Nuuque[1] (em gronelandês, literalmente: "A Península"; em dinamarquês: Godthåb, literalmente: "Boa Esperança") é a capital e maior cidade da Gronelândia, nação constituinte do Reino da Dinamarca, e o principal centro comercial, industrial, administrativo e de transportes do Ártico.[2] É a maior cidade groenlandesa com 16 181 habitantes (estimativas de 2012). Fundada em 1728 pelo padre dinamarquês-norueguês, Hans Egede, que foi enviado à Gronelândia pelo rei dinamarquês para encontrar os escandinavos, Nuuk desenvolveu-se pouco ao longo dos séculos, apesar de ter registrado um considerável avanço populacional nos últimos anos.

A cidade localiza-se na costa oeste da ilha, cerca de 240 quilômetros ao sul do Círculo Ártico. É ainda, capital do município de Sermersooq - o segundo maior dos quatro grandes municípios da Groenlândia, que foi criado após a reforma municipal em 1º de janeiro de 2009. O município de Sermersooq tem sua área semelhante a da França e sua população aproximada é de 21 000 habitantes.[3] A cidade possui diversas estradas de relevante importância, como a Frederick, Herning, Hillerød, Østermarie e Vanløse.

Nuuk é ainda, uma das maiores cidades da região do Ártico. Durante os últimos trinta anos, Nuuk tem sido caracterizada por um crescimento diverso e constante. De uma forma única, a cidade e seus habitantes têm sido capazes de se adaptar à dinâmica de desenvolvimento de uma sociedade tradicional da Groenlândia a uma cidade industrial moderna.[2] O governo local se tornou uma realidade na Groenlândia apenas em 1979, quando Nuuk teve seu nome alterado de Godthåb (que significava Boa Esperança), para seu nome atual. Foi a partir de então que a cidade começou a expandir-se.[2] Hoje, é o lar de muitos ramos da administração pública, tais como o Parlamento da Gronelândia, o Tribunal Gronelandês, a Biblioteca Nacional, o Museu Nacional e o Hospital Especializado Nacional. Possui ainda, instituições educacionais relevantes, como uma escola de nível secundário, um colégio de educação primária e a Universidade da Gronelândia, a única pública na nação. É sede ainda do Aeroporto de Nuuk.[4] [2]

Lá moram pouco mais de 15 mil pessoas, 17 mil e 834 mais exatamente,[5] mas seus problemas são iguais aos de qualquer cidade grande. Alcoolismo, desemprego e suicídio constroem um cenário urbano triste. Para além disso, muito se debate sobre a possível perda da identidade nacional devido à crescente chegada de imigrantes na ilha. Rapidamente, os groenlandeses legítimos poderão ser uma minoria no próprio país.[6]

História[editar | editar código-fonte]

A cidade tem uma longa história de diferentes habitações: primeiro pelos antigos "pré-Inuit", paleo-esquimós, mais tarde pelos vikings exploradores, no século X, e logo em seguida pelos povos inuit. Os Inuit e os vikings viviam com pouca interação nesta área por volta de 1000 até aproximadamente 1500, quando a habitação nórdica parou, provavelmente devido à mudança do clima e da vegetação.

A cidade foi fundada em 1728 pelo missionário norueguês-dinamarquês Hans Egede, e dado o nome Godthåb (Boa Esperança).[7] Hans Egede havia chegado próximo à Kangeq, lugar onde a população inuit já existente vivia. Naquela época, a Gronelândia era uma colônia norueguesa governada pelo Reino da Dinamarca e Noruega, mas a colônia não tinha tido qualquer contato adequado com a Noruega durante quase três séculos. Em 1733-1734 uma epidemia de varíola matou a maior parte da população nativa, bem como a esposa de Hans Egede.[8] Hans Egede voltou para a Dinamarca, após 15 anos na Gronelândia, deixando seu filho Paul Egede para continuar seu trabalho.[9]

Em 1979, a cidade foi renomeada para Nuuk pelo governo da Gronelândia. Como o resto da Gronelândia, Nuuk hoje é preenchida por Inuit e dinamarqueses. Atualmente, cerca de um quarto da população total da Gronelândia vive na região de Nuuk.[10]

Os setores económicos no futuro serão o turismo e os serviços energéticos, Nuuk está já, e vai beneficiar ainda mais, do crescente tráfego no Ártico.[11]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Panorama de Nuuk

Nuuk está localizada a aproximadamente 64° 10′ N 51° 44′ W,[12] na foz do Kangerlua Nuup (dinamarquês: Godthåbsfjorden fiorde), cerca de 10 km das margens do Estreito de Davis, na costa sudoeste da Gronelândia, e cerca de 240 km (150 km) ao sul do Círculo Ártico. A Gronelândia atualmente é parcialmente independente da Dinamarca.

Clima[editar | editar código-fonte]

Nuuk tem um clima marítimo, influenciado pelo clima subarctico, com invernos frios, com neve e verões frescos. As temperaturas estão abaixo de zero durante o inverno e permanece um frescor no verão.[13]

Nuvola apps kweather.svg Dados climatológicos para Nuuk Weather-rain-thunderstorm.svg
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima registrada (°C) 11 11 12 13 16 23 24 22 17 18 14 15 24
Temperatura máxima média (°C) −4,6 −4,7 −5,1 −1,2 3,1 7,0 9,9 9,3 6,0 1,4 −1,3 −3,5 1,4
Temperatura mínima média (°C) −10,0 −10,7 −10,7 −6,3 −1,7 1,1 3,5 3,5 1,4 −2,7 −5,9 −8,6 −3,9
Temperatura mínima registrada (°C) -29 -27 -28 -21 -12 -6 -2 -3 -8 -14 -18 -26 -29
Precipitação (mm) 40 47 49 47 55 62 87 85 89 66 73 74
Fonte: n/a

Demografia[editar | editar código-fonte]

Com 15 469 habitantes em 2010, Nuuk é a cidade mais populosa da Groenlândia, sendo também a de maior crescimento populacional registrado nos últimos anos.[14] Juntamente com Tasiilaq, uma das poucas no país que exibe padrões de crescimento estáveis ​​ao longo das duas últimas décadas. A população aumentou significativamente desde 1990. Em 2000, registrou 16% de crescimento de população comparado ao último censo.[14]

Economia[editar | editar código-fonte]

Air Greenland, companhia aérea regional da Gronelândia, tem sua sede em Nuuk.[15]

Comércio[editar | editar código-fonte]

Nuuk possui muita diversidade na área comercial. Na cidade existem sedes de bancos, agências de viagens, empresas industriais e restaurantes especializados na culinária do ártico. É na cidade também que se situa a sede do Royal Greenland company, um dos maiores exportadores e processadores no mundo de peixe e derivados do pescado.[2]

Estrutura urbana[editar | editar código-fonte]

Educação[editar | editar código-fonte]

A Universidade da Gronelândia (Ilisimatusarfik) situa-se em Nuuk. Outras relevantes instituições de ensino presentes na cidade são a Nuuk Technical College (Escola Técnica de Nuuk), The Greenlandic School of Journalism (Escola Gronelandesa de Jornalismo) e The College of Education (A Escola da Educação).

Transporte[editar | editar código-fonte]

Vista da rodovia Aqqusinersuaq, a principal de Nuuk.

Aéreo[editar | editar código-fonte]

O Aeroporto Internacional de Nuuk está situado na cidade, em uma distância de 4 quilômetros ao nordeste do centro comercial. Construído em 1979, é o mais movimentado do país e operado pela Air Greenland, que também está sediada em Nuuk e opera a sua base técnica no aeroporto.[16]

Marítimo[editar | editar código-fonte]

A cidade é servida por um porto marítimo, que atende toda a costa oeste do Ártico e interliga a capital à comunidades da costa ocidental.[17]

Terrestre[editar | editar código-fonte]

As ruas de Nuuk em geral, são largas e quase não há problemas de trânsito como nas grandes capitais mundiais, como o congestionamento de automóveis. A principal rodovida da cidade é a Aqqusinersuaq, que conta com um grande número de lojas e prédios públicos, além de abrigar o Hotel Hans Egede o maior e mais antigo da cidade.[18] Grande parte dos 72 ônibus que servem a localidade e os 2.570 carros registrados (dados de 2004) operam ativamente em Nuuk. A empresa Nuup Bussii fornece serviços de transporte coletivo frequentes para os bairros periféricos, como o Nuussuaq e Qinngorput.[19]

Casas[editar | editar código-fonte]

As casas são pintadas com cores fortes e vivas, dando alguma cor à paisagem.[20]

Cultura e sociedade[editar | editar código-fonte]

Turismo[editar | editar código-fonte]

A cidade possui diversos hotéis e pousadas, com destaque para o Hotel Hans Egede, o maior da Gronelândia.[21] Em 1992, foi construído o Escritório de Turismo de Nuuk, no mesmo prédio onde funciona o Conselho Nacional de Turismo da Gronelândia. O orgão é responsável por fornecer informações a turistas e funciona também como um atrativo turístico. Semanalmente, há excursões que permitem a exploração da natureza do Ártico nos arredores da capital.[22] [21]

Por se localizar na foz de um grupo de fiordes, é tida como uma boa localidade para uma viagem para observar as baleias, um passeio de trenó puxado por cães do ártico e henas e para a exploração das geleiras. Outros atrativos turísticos são o Museu Nacional de Arquivos, que exibe coleções de raros artefatos arqueológicos Norse e Inuit, e o Centro Cultural Katuaq que oferece uma mostra de música e arte contemporânea groenlandesa.[23]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Macedo, Vítor. (Primavera de 2013). "Lista de capitais do Código de Redação Interinstitucional". A Folha — Boletim da língua portuguesa nas instituições europeias (n.º 41): 16. Sítio web da Direcção-Geral da Tradução da Comissão Europeia no portal da União Europeia. ISSN 1830-7809. Visitado em 23 de maio de 2013.
  2. a b c d e Nuuk - Groenlândia
  3. Statistics Greenland, Greenland in Figures, 2010
  4. City of Nuuk (Cidade de Nuuk)
  5. Laurence C. Smith, The New North: The world in 2050 (título original), Dom Quixote (em Portugal), 2010, ISBN 978-972-20-4793-7, pág- 267
  6. http://www.terra.com.br/revistaplaneta/edicoes/422/artigo70430-1.htm
  7. Nuuk Encyclopedia Britannica. Visitado em 12/07/10.
  8. Wurm, Stephen A.; Mühlhäusler, Peter; Tyron, Darrell T.. In: Stephen A.. Atlas of Languages of Intercultural Communication in the Pacific, Asia, and the Americas, International Council for Philosophy and Humanistic Studies. [S.l.]: Walter de Gruyter, 1996. p. 1051. ISBN 3110134179.
  9. Nuuk travel guide
  10. CIA World Factbook – Greenland.
  11. Laurence C. Smith, The New North: The world in 2050 (título original), Dom Quixote (em Portugal), 2010, ISBN 978-972-20-4793-7, pág- 267
  12. Municipality information. De grønlandske kommuners Landsforening, KANUKOKA
  13. Extreme temperature records since 1850, meteorologyclimate.com.
  14. a b População por localidade, sexo, idade e local de nascimento no período de 1977-2010 - Estatísticas da Groenlândia.
  15. Air Greenland 50th Anniversary Grønlandsfly 1960–69 (em danish) Air Greenland. Visitado em 15/07/10.
  16. Air Greenland
  17. Arctic Umiaq Line
  18. Hotel Hans Egede
  19. O'Carroll, Etain (2005). Greenland and the Arctic. (em português:Groenlândia e o Ártico) Lonely Planet. pg. 231. ISBN 1-74059-095-3.
  20. http://www.terra.com.br/revistaplaneta/edicoes/422/artigo70430-1.htm
  21. a b Nuuk - Capital do Ártico
  22. Europa World Year, Livro 1. Taylor & Francis Group. 2004. pg. 1458. ISBN 1857432541.
  23. Turismo e viagem para Nuuk

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia da Gronelândia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.