Arthur Moledo do Val

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Arthur Moledo do Val
Deputado Estadual de São Paulo
Período 15 de março de 2019
até atualidade
Dados pessoais
Nascimento 21 de agosto de 1986 (33 anos)[1]
São Paulo[1]
Nacionalidade brasileiro
Partido DEM (2018-2019)
Patriota (2020-presente)
Ocupação ciberativista, empresário e político

Arthur Moledo do Val (São Paulo, 21 de agosto de 1986), também conhecido pelo seu pseudônimo Mamãe Falei, é um político, ativista integrante do Movimento Brasil Livre, youtuber e empresário brasileiro.[2][3] Nas eleições gerais de 2018, foi eleito deputado estadual por São Paulo pelo Democratas (DEM), sendo o segundo mais votado com 478.280 votos, atrás apenas de Janaína Paschoal.[4] Atualmente, é filiado ao Patriota.[1]

Arthur se autodeclara um defensor de ideias liberais e usa de seu canal na rede para difundir tal ideologia entre seus seguidores, que já passa da marca de 2,5 milhões de inscritos no YouTube.[5]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Arthur é o mais velho de três filhos homens do casal Manoel Costa Do Val Filho e Elza Moledo de Souza, divorciados desde 2003,[6] seu pai tem uma empresa de sucata de aço em Guarulhos aberta na época em que Arthur nasceu e onde trabalhou antes de se tornar youtuber.[7] Frequentou a faculdade de Engenharia Química no Instituto Mauá de Tecnologia[1] mas não se formou[8].

No final do ano de 2015, Arthur caminhava pelas ruas da cidade com uma câmera de vídeo para ouvir a população sobre temas políticos e econômicos, foi nesta época que criou um canal no YouTube chamado "Mamãe Falei" para expor suas ideias, o canal alcançou notoriedade rapidamente.[1] segundo Arthur, o YouTube reúne usuários dispostos a gastar tempo assistindo a vídeos longos — os dele costumam ter até dez minutos —, o que, em tese, favorece a construção de narrativas mais elaboradas sobre a atualidade política.[8] Segundo diz, o seu estilo polêmico o ajudou a projetá-lo, mas hoje o atrapalha, pois prejudica a imagem de seriedade que quer criar, além de comprometer a receita que poderia fazer com seu conteúdo no YouTube.[8]

Entre junho e julho de 2016, Arthur conheceu os coordenadores do MBL, passando a produzir conteúdos e militar como membro.[9]

No mesmo período, aconteciam manifestações a favor da permanência no cargo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como Ministro da Casa Civil.[10] Arthur aproveitou a oportunidade para pôr em pauta um dos principais pontos de seu trabalho no ano seguinte, em 2016, que seria a crítica à militância política cega. O vídeo foi bem recebido pelo público e foi o ponto de partida para sua carreira ativista.[11] O formato de vídeos em que ele ia a manifestações políticas (sobretudo de esquerda) e questionava manifestantes sobre pautas defendidas, na tentativa de expor incoerências, trouxe crescimento ao canal.[12] O canal alcançou notoriedade rapidamente, se associando a grupos como o Movimento Brasil Livre (MBL) e, juntamente com o movimento, recebendo o Prêmio Boletim da Liberdade, do jornal homônimo, em 2017; internautas assinantes do jornal participaram da eleição dos vencedores.[13]

Em 19 de novembro 2019, foi expulso do partido Democratas, de acordo com o diretório estadual da sigla, a decisão foi tomada por unanimidade por uma Comissão Executiva Estadual que considerou os atos do parlamentar incompatíveis com as deliberações do partido.[14] Posteriormente em fevereiro de 2020, filiou-se ao Patriota.[15]

Posições políticas[editar | editar código-fonte]

Arthur se considera liberal e apoiou durante um tempo o aborto apenas em gestações que põem em risco a vida da mãe ou são o resultado de um estupro, casos em que a legislação brasileira atual permite às mulheres interromper a gravidez. Mas posteriormente assumiu que cometeu erros de julgamento e informação, esclarecendo em um vídeo e desde então, não voltando a se posicionar sobre o assunto. Atualmente, seus pontos de vista têm sido criticados por setores da esquerda política devido ao seu posicionamento pró-capitalismo.[16] Ele também é a favor de privatizações e criticou o sistemas de cotas raciais, defendendo cotas sociais. Em 2015, ele assumiu abertamente ser a favor da pena de morte e da redução da maioridade penal com certas restrições.[17]

Posições políticas de Arthur Moledo do Val
Sim Revogação do Estatuto do Desarmamento[18] Sim Privatização[19] SimImprensa livre[20] SimFortalecimento Militar[20] Não PEC 13/12 [21] Não Subsídios ao transporte público[carece de fontes?]
SimEscola Sem Partido[20] SimReforma tributária[22] SimRevogação das leis inúteis[20] Sim Liberdade religiosa[5] Não Reforma agrária[5] Não Ocupação de locais públicos e privados[23]
Sim Regularização da terceirização[24] Sim Reforma política[5] SimDemocracia[25] Não Intervenção militar[5] Não Cotas raciais[26] Não Regulamentação estatal [27]
Sim Projeto de cotas sociais[26] Sim Legalização da maconha [28] Sim PEC 241[5] Não CLT e FGTS [27] Não Aumento salarial de parlamentares [29] Não Tributação [27]

Atuação política[editar | editar código-fonte]

Projetos de lei[editar | editar código-fonte]

Entre seus projetos de lei, estão:

Membro de comissões[editar | editar código-fonte]

  • CPI - Fake News - Eleições 2018, comissão Parlamentar de Inquérito criada pelo Ato 06/2020, do Presidente da Assembleia, mediante Requerimento nº 290/2019, com a finalidade de "investigar os casos das ?Fake News? (Notícias Falsas) que surgiram durante as eleições de 2018, no Estado de São Paulo"
  • CPI - Violência Sexual Contra Estudantes de Ensino Superior, comissão Parlamentar de Inquérito criada pelo Ato 03/2020, do Presidente da Assembleia, mediante Requerimento nº 287/2019, com a finalidade de "apurar denúncias de violência sexual praticada contra estudantes de instituições de ensino superior no Estado de São Paulo, no último ano"

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Agressão de Ciro Gomes[editar | editar código-fonte]

Em junho de 2018, durante a gravação de um de seus vídeos no Fórum da Liberdade, Arthur abordou o então pré-candidato à presidência Ciro Gomes,[30][31][32] indagando-lhe sobre uma declaração em que o político teria dito que iria "receber a turma do Moro na bala"[33] (em referência ao ex-ministro da justiça Sérgio Moro). Após isso ele foi agredido na cabeça com um tapa de Ciro; Arthur ironizou o ex-governador perguntando “Você acha que eu sou a Patrícia Pillar pra você bater?", Arthur continuou: “é um frouxo mesmo. Frouxo! Aí, o Ciro Gomes, me bateu na cabeça. Tá achando que cê tá no Nordeste ô Ciro, que cê é coronelzão lá?”. Thais Bilenky, escrevendo para o jornal Folha de S.Paulo, considerou que, no ato, Ciro teria "encostado" no pescoço do ativista, alegando não ser possível medir a intensidade do suposto tapa; Ciro comentou o acontecido à Folha dizendo "Tu acha que se eu tivesse batido não tinha uma marquinha não? Do jeito que eu sou? Eu falei "deixa de ser um merda, rapaz" e saí de perto".[34] Ainda assim, o especialista em micro-expressões faciais e linguagem corporal, Vitor Santos, certificado pelo Grupo Paul Eckman,[35][36] avaliou a hipótese de manipulação (montagem) no vídeo do conflito em questão, analisando o vídeo do ocorrido e concluindo que de fato Arthur foi agredido.

Referências

  1. a b c d e «Assembleia Legislativa de São Paulo - Arthur do Val» 
  2. «Kataguiri e Arthur do Val começam pré-campanha com partido quase definido». Boletim da Liberdade. 16 de março de 2018 
  3. «Arthur Mamãe Falei é eleito deputado estadual em São Paulo». HuffPost Brasil. 7 de outubro de 2018 
  4. Leite, Fabio (8 de outubro de 2018). «Bolsonaristas batem recorde de votação na Câmara e Assembleia em SP». "... o mais votado em 2014, o ativista de direita Arthur do Val (DEM), conhecido como Mamãe , foi o segundo mais votado, com 470 mil votos.". O Estado de S. Paulo. Consultado em 8 de outubro de 2018 
  5. a b c d e f «Mamaefalei». YouTube. Consultado em 8 de outubro de 2018 
  6. «1ª Instância - Capital do Diário de Justiça do Estado de São Paulo (DJSP)». Diário de Justiça do Estado de São Paulo. 13 de fevereiro de 2019. Consultado em 14 de abril de 2020 
  7. Franco, Marcella (6 de março de 2019). «'Moleque capeta', youtuber chega à Assembleia de SP como político-celebridade». São Paulo: Folha de S. Paulo. Consultado em 14 de abril de 2020 
  8. a b c Bernardo, Esteves. «O algoritmo da ágora - A política dos extremos no YouTube». piauí. Consultado em 14 de abril de 2020 
  9. «Nomeação de Lula como ministro da Casa Civil gera protestos pelo país». 00h13min00seg. 17 de março de 2016 
  10. «Nomeação de Lula como ministro da Casa Civil gera protestos pelo país». Hora 1. 17 de março de 2016 
  11. «'Ou é guerra, ou é a política', diz Arthur do Val, do 'Mamãe Falei', ao defender que liberais lutem na política». Boletim da Liberdade. 7 de maio de 2017 
  12. Galbier, Francine (13 de novembro de 2017). «Em entrevista exclusiva, Arthur do Val anuncia candidatura a deputado estadual em 2018». O Diário Nacional. Consultado em 8 de outubro de 2018 
  13. «MBL e Arthur do Val ganham o Prêmio Boletim da Liberdade 2017». Boletim da Liberdade. 15 de dezembro de 2017. Consultado em 8 de outubro de 2018 
  14. «Deputado estadual Mamãe Falei é expulso do DEM». G1. Consultado em 15 de dezembro de 2019 
  15. «Cúpula do MBL migra para Patriota, e Arthur do Val vai disputar Prefeitura de SP». Estado de Minas. 5 de fevereiro de 2020. Consultado em 5 de fevereiro de 2020 
  16. «Catraca Livre sobre MamãeFalei». site do CatracaLivre. Consultado em 11 de junho de 2018 
  17. Mamaefalei (3 de julho de 2015), Maioridade Penal - Pena de Morte, consultado em 4 de julho de 2018 
  18. Moledo do Val, Arthur (11 de junho de 2016). «Desarmamento Civil». mamaefalei. Consultado em 6 de junho de 2018 
  19. «Governo usará receita de privatizações para atingir meta de superávit». Estado de São Paulo. 13 de junho de 2013. Consultado em 13 de junho de 2013 
  20. a b c d «Moledo em candidatura.Apoia». Maio de 2018. Consultado em 11 de junho de 2018 
  21. «Manifestação - PEC: 13/12 - Paulista - Black Blocks Fiesp». YouTube. Consultado em 22 de outubro de 2017 
  22. «Moledo em candidatura.Apoia». Apoia. Maio de 2018. Consultado em 11 de junho de 2018 
  23. «Ocupação de Escola - PtI». YouTube. Consultado em 22 de outubro de 2017 
  24. «Terceirização». YouTube. Consultado em 19 de junho de 2018 
  25. «Final - Fórum Liberdade e Democracia - 22/10/2016». YouTube. Consultado em 22 de outubro de 2016 
  26. a b «Cotas em Universidades e suas falhas!». YouTube. Consultado em 22 de outubro de 2016 
  27. a b c «FGTS é roubo!». YouTube. Consultado em 22 de outubro de 2017 
  28. «Maconha - Proibir é o caminho?». YouTube. Consultado em 29 de abril de 2019 
  29. «Aumento de Salários - ALESP - Deputados Estaduais e Servidores». YouTube. Consultado em 22 de outubro de 2017 
  30. Rodrigues, Renato (10 de abril de 2018). «Ciro Gomes agride repórter ativista». Papo TV. Consultado em 8 de outubro de 2018 
  31. Galbier, Francine (9 de abril de 2018). «Ciro Gomes agride Arthur do "Mamãe Falei"». O Diário Nacional. Consultado em 8 de outubro de 2018 
  32. «Ciro Gomes agride homem que o questiona sobre sua ameaça de receber a bala 'a turma de Moro'». AM News. 11 de junho de 2018. Consultado em 8 de outubro de 2018 
  33. Fernandes, Leticia (26 de março de 2017). «Ciro Gomes diz que, se Moro tentar prendê-lo, receberá 'turma' do juiz 'na bala'». O Globo 
  34. Bilenky, Thais (9 de abril de 2018). «Ciro e blogueiro ligado ao MBL se desentendem em fórum». Folha de S.Paulo. Consultado em 8 de outubro de 2018 
  35. «Especialista analisa linguagem corporal de candidatos à vice-presidência». R7. 7 de setembro de 2018. Consultado em 8 de outubro de 2018 
  36. «MASTERCLASS - LINGUAGEM CORPORAL DA MENTIRA». "Vitor Santos, Especialista em Microexpressões Faciais, certificado e-SETT, e-METT pelo Paul Ekman Group". sympla.com. 20 de março de 2018. Consultado em 8 de outubro de 2018 

Ver também[editar | editar código-fonte]