Anexo:Lista de legiões romanas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Esta é uma lista de legiões romanas[1] . A legião romana profissional era uma estrututra da organização militar da antiga Roma, especialmente importante no período final da República Romana, a partir das reformas de Caio Mário, e Império.

Os comentários incluem data de criação e dissolução da legião, causa do desparecimento se relevante, responsável pela criação original e emblema.

Legiões do final do período republicano[editar | editar código-fonte]

Até as reformas de Mário de 107 a.C., as legiões republicanas eram formadas pelo alistamento compulsório de cidadãos romanos que atingiam os critérios mínimos e eram formadas sempre que necessário. Geralmente, a formação era autorizada pelo senado e, finda a sua utilizada, eram desfeitas.

As reformas de Caio Mário transformaram as legiões em unidades permanentes, podendo existir por diversos anos ou décadas, algo necessário para que o agora vasto império fosse todo guarnecido.

As legiões incluídas na lista a seguir tiveram uma história longa o suficiente para serem consideradas notáveis. A maioria delas foi instituída por Júlio César e foram, posteriormente, incorporadas no exército de Otaviano, sendo que umas poucas foram também obra de Marco Antônio ou Augusto:

Legiões romanas do final do período republicano
Legião
Nº & Cognomen
Fundador Emblema Data de fundação Data
final
Observação
Legio I Germanica Júlio César 48 a.C. 70 d.C. Revolta dos batavos
Legio II Sabina Augusto Capricórnio 43 a.C. 9 d.C. Nome antigo da Legio II Augusta
Legio III Cyrenaica Marco Antônio tridente ~36 a.C. séc V d.C.
Legio III Gallica Júlio César Touro ~49 a.C. séc IV d.C.
Legio IV Macedonica Júlio César Touro
Capricórnio
48 a.C. 70 Desfeita por Vespasiano.
Legio IV Scythica Marco Antônio Capricórnio 42 a.C. séc V d.C.
Legio V Alaudae Júlio César Elefante 52 a.C. 70 Destruída na Revolta dos batavos
Legio VI Ferrata Júlio César Touro
Lobo
Rômulo e Remo
52 a.C. depois de 250 Legião gêmea da Legio VI Victrix
Legio VII Claudia Pia Fidelis Júlio César 51 a.C. 44 a.C.
Legio VIII Augusta Júlio César 59 a.C. 48 a.C. Desfeita e remontada por Augusto como Legio VIII Augusta
Legio IX Hispana Triumphalis Júlio César 59 a.C. 48 a.C. Desfeita e remontada por Augusto como Legio IX Hispana
Legio X Equestris Júlio César antes de 58 a.C. 45 a.C. Desfeita e remontada por Lépido, incorporada na Legio X Gemina por Augusto
Também conhecida como Legio X Veneria
Legio X Fretensis Augusto 41 a.C./41 a.C. pelo menos 410 Batalha de Nauloco
Legio XI Júlio César Netuno 58 a.C. 45 a.C. Desfeita e remontada por Augusto
Legio XII Victrix Júlio César 57 a.C. 45 a.C.
Legio XII Antiqua 43 a.C. Reconstituída por Lépido em 43 a.C.
Batizada por Marco Antônio
Incorporada ao exército de Augusto como Legio XII Fulminata
Legio XIII Gemina Júlio César 57 a.C. 45 a.C. Reconstituída como Legio XIII Gemina por Augusto em 41 d.C.
Legio XVIII Libyca Marco Antônio ? 31 a.C.
Legio XXX Classica Júlio César 48 a.C. 41 a.C.

Legiões do início do Império Romano[editar | editar código-fonte]

Códigos para as províncias na tabela a seguir[editar | editar código-fonte]

Legiões romanas do início do império[editar | editar código-fonte]

(unidades formadas entre 59 a.C. e 250 d.C.)

Legião
Nº & Cognomen
Principal
base
Emblema Data de fundação/
fundador
Data
final
Castra legionaria (base) * Observações
I Adiutrix Szöny
Hungria
Capricornus 68 d.C.
Nero
444 70 - 86 Mogúncia (GS); 86 - meados séc. V Brigetio* (PAN) "1ª Auxiliar". Era I classica (formada por marinheiros)
I Germanica Bona
Alemanha
Touro 48 a.C.
Júlio César
70 DD até 16 a.C. HISP; ca. 5 a.C. - 70 d.C. Bona* (GI) Desfeita por covardia durante a Revolta dos batavos
I Italica Svishtov
Bulgária
Javali 66 d.C.
Nero
após 400 70 - início séc. V Nova* (MI) prima Italica: formada para a campanha abortada no Cáucaso
I Macriana 68 d.C.
Clódio Macer
69 DD (Formada no motim contra Nero por Clódio Macer, gov da AFR) liberatrix: "Liberator 1ª". Desfeita por Galba
I Minervia Bona
Alemanha
Minerva 82 d.C.
Domiciano
após 300 82 - séc. IV Bona* (GI) "Veneradora de Minerva 1ª"
I Parthica Sinjar
Iraque
Centauro 197 d.C.
Septímio Severo
após 400 197 - início século V Nísibis* (SYR) Formada para a campanha contra os partas em 197
II Adiutrix Budapeste
Hungria
Capricornus 70 d.C.
Vespasiano
269+ 70 - 87 BRIT; 87 - 106 MS; 106 - pelo menos 269 Aquinco* (PAN) "2ª Auxiliar" Ex-legião naval.
II Augusta Caerleon
País de Gales
Capricornus pré 9 d.C.
Augusto
após 300 até ca. 9 d.C. HISP; 43 - 74 BRIT; 74 - pelo menos 255 Isca Augusta* (BRIT) Não conseguiu enfrentar Boudica 60.
ca. 395 em Rutupiae (BRIT)
II Italica Enns
Áustria
Loba 165 d.C.
Marco Aurélio
após 400 180 - ca. 400 Lauríaco* (NR) Lupa Capitolina Emblema de Roma
II Parthica Albano Laziale
Itália
Centauro 197 d.C.
Septímio Severo
após 350 197 - 218 Castra Albana* (IT); 218-34 SYR; 238-c300 C. Albana em Bezabde (SYR) no séc. IV
II Traiana Alexandria
Egito
Hércules 105 d.C.
Trajano
após 400 125 - séc. V Alexandria* (AEG) secunda fortis "2ª Valorosa de Trajanoo"
III Augusta Batna
Argélia
Pégaso 43 a.C. Augusto após 350 até 20 d.C. AFR; 20 - 75 Amedara 74 - 350+ Lambésis* (MAUR) Dizimada por covardia na guerra Mauri (18 d.C.)
III Cyrenaica Busra
Síria
36 a.C.
Marco Antônio
após 400 até 35 d.C. Tebas 35 - 125 Alexandria AEG; 125 - séc. V Bostra* AR "3ª de Cirene"
III Gallica Abila
Jordânia
Dois Touros 49 a.C.
Júlio César
após 300 31 a.C. - séc. IV Raphana* (SYR) tertia Gallica: "3ª da Gália"
III Italica Ratisbona
Alemanha
Cotovia 165 d.C. Marco Aurélio após 300 165 - séc. IV Castra Regina* (RT) Formada para a guerra contra os Marcomanos
III Parthica Ra's al-'Ayn
Síria
Touro 197 d.C.
Septímio Severo
após 400 197 - séc. IV Resaena* (SYR) Formanda para a campanha contra os partas em 197
IV Flavia Felix Belgrado
Sérvia
Leão 70 d.C.
Vespasiano
pré 400 86 - séc. IV Singiduno* (MS) Afortunada 4ª de Vespasiano.
Reformada como IV Macedonica
Legio IV Macedonica Mogúncia
Alemanha
Touro 48 a.C.
Júlio César
70 DD até 43 d.C. HISP; 43-70 Mogúncia* (GS) Desfeita por covardia durante a Revolta dos batavos
IV Scythica Gaziantep
Turquia
Capricornus 42 a.C.
Marco Antônio
após 400 até 58 d.C. MS; 68 - séc. V Zeugma* (SYR) quarta scythica: "4ª conquistadora dos citas"
V Alaudae Xanten
Alemanha
Elefante 52 a.C.
Júlio César
70 XX até 19 a.C. HISP; ca. 10 a.C. - 70 d.C. Castra Vetera* (GI) "5ª Cotovias"
Penas no elmo?
XX pelos batavos
V Macedonica Turda
Romênia
Águia 43 a.C.
Augusto
após 500 6 - 101 Oescus, 107 - 61 Troesmis (MI); 166 - 274 Potaissa* (DC) quinta macedonica: "5ª da Macedônia"
VI Ferrata Galileia
Israel
Loba 58 a.C.
Júlio César
250+ FD até 71 d.C. Raphana (SYR); 135-250+ Caparcotna* (JUD) "6ª de ferro".
XX na Batalha de Edessa 260?
VI Hispana após 212 250+ FD ? Apenas um registro.
XX na Batalha de Abrito 251?
VI Victrix Iorque
Inglaterra
Touro 41 a.C.
Augusto
pré 400 até 70 d.C. Leão (HISP); 71-122 GI; 122-c400 Eboraco* (BRIT) "6ª Vitoriosa".
Construiu a Muralha de Adriano 122-32
VII Claudia Kostolac
Sérvia
Touro 58 a.C.
Júlio César
c.400 até 9 d.C. GAL; 9 - 58 DLM; 58 - ca. 400 Viminácio* (MS) septima Claudia: título obtido ao esmagar o motim de 42
VII Gemina Leão
Espanha
68 d.C.
Galba
ca. 400 75 - ca. 400 Castra Legionis* (HISP) Formada na Hispânia por Galba para marchar contra Roma
VIII Augusta Estrasburgo
França
Touro 59 a.C.
Júlio César
após 371 9 - 44 Petóvio PAN; 44 - 70 Nova MI; 70 - 371+ Argentorato* GS octava Augusta
IX Hispana Iorque
Inglaterra
Touro 41 a.C.
Augusto
120+ FD até 13 a.C. HISP; 9 - 43 PAN?; 71 - ca. 120 Eboraco* (BRIT) nona Hispana
XX ma Revolta de Bar Kokhba c132?
X Fretensis Jerusalém
Israel
Javali 40 a.C.
Augusto
após 400 até 25 a.C. JUD; 25 a.C. - 66 d.C. SYR; 73 - c400+ Hierosolyma* fretum = Estreito de Messina, Batalha de Nauloco 36 a.C.
X Gemina Viena
Áustria
Touro 42 a.C.
Lépido
após 400 até 71 HISP; 71 - 103 Noviômago GI; 103 - ca. 400 Vindobona* PAN Era a X equestris, a legião "montada" de César
XI Claudia Silistra
Bulgária
Netuno 42 a.C.
Augusto
após 400 até 71 d.C. DLM; 71 - 104 Vindonissa RT; 104 - ca. 400 Durostoro* MI undecima Claudia: honrada por Cláudio
XII Fulminata Malatya
Turquia
Raio 43 a.C.
Lépido
após 400 até 14 d.C. AEG; 14 - 71 Raphana (SYR); 71 - ca. 400 Melitene* (CAP) XII Fulminata perdeu a Aquila na primeira guerra judaico-romana
XIII Gemina Alba Iulia
Romênia
Leão 57 a.C.
Júlio César
após 400 45 - 106 Petóvio PAN 106-270 Apulum* DC 270 - 400 MI "13ª Gêmea"
Cruzou o Rubicão com Júlio César em 49 a.C.
XIV Gemina Carnunto
Áustria
Capricornus 41 a.C.
Augusto
após 400 9 - 43 GS; 43-70 BRIT; 70 - 92 GS; 106 - ca. 400 Carnunto* Derrotou os britanos de Boudica em Watling Street (60 d.C.)
XV Apollinaris Saddagh
Turquia
Apolo 41 a.C.
Augusto
após 400 9 - 61 NR 61-73 SYR 73 - 117 NR; 117 - ca. 400 Satala* CAP "15ª Veneradora de Apolo".
Lutou na Primeira guerra judaico-romana
XV Primigenia Xanten
Alemanha
Fortuna 39 d.C.
Calígula
70 XX 39 - 43 Mogúncia (GS); 43 - 70 Castra Vetera* (GI) Deusa primogênita do Destino.
XX na Revolta dos batavos
XVI Flavia Firma Samsat
Turquia
Leão 70 d.C.
Vespasiano
após 300 70 - 117 Satala (CAP); 117 - 300+ Samósata* SYR "16ª Firme de Vespasiano"
Formada a partir da XVI Gallica
XVI Gallica Mogúncia
Alemanha
Leão 41 a.C.
Augusto
70 DD até 43 d.C. Mogúncia* (GS); 43 - 70 Novásio* (GI) Desfeita por covardia durante a Revolta dos batavos e reformada como XVI Flavia Firma
XVII Xanten
Alemanha
41 a.C.
Augusto
9 XX até 15 a.C. AQ?; 15 a.C. - 9 d.C. Castra Vetera* (GI) Destruída na Batalha da Floresta de Teutoburgo, perdeu o estandarte da Aquila, nunca refeita
XVIII Xanten
Alemanha
41 a.C.
Augusto
9 XX até 15 a.C. AQ?; 15 a.C. - 9 d.C. Castra Vetera* (GI) Destruída na Batalha da Floresta de Teutoburgo, perdeu o estandarte da Aquila, nunca refeita
XIX 41 a.C.
Augusto
9 XX até 15 a.C. desconhecido; 15 a.C. - 9 d.C. algum lugar em GI Destruída na Batalha da Floresta de Teutoburgo, perdeu o estandarte da Aquila, nunca refeita
XX Valeria Vict. Chester
Inglaterra
Javali 31 a.C.
Augusto
250+ FD até 9 d.C. DLM; 9 - 43 GI; 43 - 75 BRIT; 75 - 250+ Deva* BRIT vigesima batizada por Messalla?
XX na queda de Alecto 296?
XXI Rapax Windisch
Suíça
Capricornus 31 a.C.
Augusto
92 XX 9 - 43 GI; 43 - 70 Vindonissa* (RT); 70 - 89 GI; 89 - 92 PAN "21ª Devoradora".
XX pela tribo Roxolani dos sarmácios PAN
XXII Deiotariana Alexandria
Egito
48 a.C. 132 XX até ca. 8 a.C. GAL; 8 a.C. - 123 d.C.+ Alexandria* (AEG) Rei de GAL "21ª Deiótaro".
XX na Revolta de Bar Kokhba
XXII Primigenia Mogúncia
Alemanha
Hércules 39 a.C.
Calígula
após 300 39 - ca. 300 Mogúncia* (GS) Formada para a campanha na Germânia de Calígula
XXIV Caesarian Rapax Victrix Síria
Grécia
Mésia
Câncer e Touro 49 a.C. após 400 ???? ????
XXX Ulpia Victrix Xanten
Alemanha
Júpiter 105 d.C.
Trajano
após 400 105 - 22 b.C.; 122 - ca. 400 Castra Vetera* (GI) "30ª Vitoriosa de Trajano"

* Observação: Base principal. Início em 31 a.C., se não especificada.

Legenda[editar | editar código-fonte]

Legionários.
Cornija na coluna de Trajano, em Roma.>

Número e cognomen[editar | editar código-fonte]

A numeração das legiões é confusa. Diversas compartilharam o mesmo número entre si. Augusto (e outros) numerava as legiões que fundou partindo do I, mas também herdou outras já numeradas de seus predecessores. Porém, mesmo esta prática não era consistentemente seguida: Vespasiano mantinha os mesmos números das legiões que ele formava a partir de unidades debandadas. Já a primeira legião de Trajano era a XXX, pois já existiam então vinte e nove outras quando ela foi formada, ainda que a segunda tenha sido numerada II. Os números XVII, XVIII e XIX, as legiões aniquiladas na Batalha da Floresta de Teutoburgo, nunca mais foram utilizados (e estas legiões não têm o cognomen conhecido, o que sugere que após terem sido desgraçadas, os títulos foram deliberadamente esquecidos ou deixaram de ser mencionados). Como resultado desta evolução algo caótica, é fundamental a utilização do título da legião para identificá-la. É comum também encontrar legiões com mais de um número, arrebatados em campanhas, normalmente por determinação do imperador. Apenas os números mais comuns e estabelecidos são mostrados na tabela. Para os demais, veja o artigo individual de cada uma.

Os títulos geográficos indicam:
a) O país em que a legião foi originalmente recrutada, como Italica: da Itália ou
b) povos que a legião conquistou, como Parthica: vitoriosa sobre o Império Parta
As legiões que levam o nome de um imperador ou de sua gens (clã) (ex.: Augusta, Flavia) foram ou fundadas por ele ou foram agraciadas com o nome como prova de um apreço especial.

Principal base[editar | editar código-fonte]

Emblemas das legiões
Legio XXII Primigenia
Legio XXII Primigenia
Legio VI Parthica
Legio VI Parthica
Legio XX Valeria Victrix Holt, Clwyd, País de Gales. séc. II - III d.C., Museu Britânico, Londres.
Legio XX Valeria Victrix
Holt, Clwyd, País de Gales. séc. II - III d.C., Museu Britânico, Londres.

Esta coluna mostra o castro onde a legião passou o período mais longo. Legiões muitas vezes compartilhavam entre si a mesma base. Subdivisões de tamanhos variados de uma legião frequentemente passavam tempo considerável em outras bases ou em outras províncias, conforme a necessidade.

Emblema[editar | editar código-fonte]

As legiões frequentemente mantinham mais de um emblema ao mesmo tempo e, ocasionalmente, os trocavam. As legiões formadas por Júlio César geralmente mantinham o Touro como emblema, enquanto que as de Augusto mantinham o Capricórnio.

Data final[editar | editar código-fonte]

Para as legiões que estão documentadas no século IV e depois, não sabemos ao certo onde e nem como elas acabaram. Para as legiões que desapareceram antes de 284 d.C., a razão (certa ou provável) está indicada como:

  • XX = Aniquilada em uma batalha;
  • DD = Desgraçada e desonrada;
  • FD = Fim desconhecido;

Castra legionaria[editar | editar código-fonte]

Indica as bases (castra) e/ou províncias por onde a legião passou durante a sua história.

Observações[editar | editar código-fonte]

Pontos de interesse, incluindo a explicação dos títulos e detalhes sobre o destino de cada uma.

Nomes de províncias e as suas fronteiras são assumidas no artigo como em 107 a.C., durante o reinado de Trajano, e após a anexação da Dácia e da Arábia Pétrea. O mapa mostra as províncias no final do reinado dele, em 117 d.C., que é quase o mesmo de 107 d.C., exceto que a Armênia e a Mesopotâmia tinham sido anexadas (e abandonadas logo após a morte de Trajano); e a Panônia tinha sido dividida em duas (o que ocorreu por volta de 107 mesmo). O fato de as províncias e fronteiras terem mudado diversas vezes no período entre 30 a.C. e 284 d.C. explica a discrepância entre as fontes sobre a localização de uma particular legião numa data qualquer.

Legiões do final do império[editar | editar código-fonte]

Diocleciano reorganizou o exército romano para conseguir lidar melhor com a ameaça dos bárbaros do norte da Europa e do Império Parta do oriente. O exército foi dividido em unidades de "fronteira" e de "campo".

As unidades de fronteira (limítanes) ocupavam os limes, as fortificações nas fronteiras do império, e eram formadas por soldados profissionais com um treinamento de pior qualidade.

As unidades de campo ficavam bem atrás da fronteira e deveriam se mover rapidamente para onde quer que fosse necessárias, com papéis ofensivos e defensivos. As unidades de campo eram formadas por soldados de elite, com um excelente treinamento e armas de boa qualidade. Elas, por sua vez, se subdividiam em :

  1. Escola palatina: a guarda pessoal do imperador, criada por Constantino I para substituir a guarda pretoriana;
  2. Palatinae: "tropas palacianas" eram as unidades mais graduadas, criadas também por Constantino após ele ter debandado a guarda pretoriana e eram compostas inicialmente por antigos guardas;
  3. Comitatenses: unidades regulares de campo, algumas recém-formadas enquanto outras já tinham longa história desde o início do império;
  4. pseudocomitatenses: eram unidades limítanes absorvidas pelos exércitos de campo e mantidas lá com frequência. Algumas das legiões do início do império se tornaram unidades pseudocomitatenses;

Estas unidades tinham geralmente entre 300 e 2.000 soldados e algumas mantinham a numeração original. A principal fonte para estas legiões é a Notitia Dignitatum, um documento do final do século IV contendo todos os cargos civis e militares das duas metades do Império Romano (revisada em 420 d.C. para o ocidente):

  • Legio II
    • II Britannica ("da Britânia"): comitatensis sob o Magister Peditum
    • II Flavia Constantia ("Confiável Flaviana"): comitatensis sob o comando do Magister Peditum
    • II Flavia Virtutis ("Virtuosa Flaviana"): comitatensis sob o comando do Magister Peditum
    • II Herculia ("dedicada a Hércules"): fundada por Diocleciano, baseado na Cítia Menor
    • II Isaura ("dos isáurios")
    • II Iulia Alpina ("Alpina Juliana"): pseudocomitatensis sob o comando do Magister Peditum
    • II Felix Valentis Thebaeorum ("Valente e afortunada dos tebanos"): comitatensis
  • Legio III
    • III Diocletiana ("de Diocleciano")
    • III Flavia Salutis: comitatensis sob o comando do Magister Peditum
    • III Herculea: comitatensis sob o comando do Comes Illyricum
    • III Isaura
    • III Iulia Alpina: comitatensis sob o comando do Magister Peditum na Itália
  • Legio IV
    • IV Italica
    • IV Martia
    • IV Parthica
  • Legio XII
    • XII Victrix

Referências

  1. Grandes Impérios e Civilizações: Roma - Legado de um império. 1 ed. Madri: Ediciones del Prado, 1996. 112 p. p. 2 vol. vol. 1. ISBN 84-7838-740-4