Código de Endereçamento Postal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
O primeiro código postal do Brasil (01001-000) está atribuído à Praça da Sé, em São Paulo, SP.

O sistema de endereçamento postal no Brasil foi criado com objetivo de organizar, agilizar e facilitar a postagem, localização e distribuição das correspondências de forma lógica. O sistema foi criado pela Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos em maio de 1971,[1] sendo divulgado à população em geral com a publicação do Guia Postal Brasileiro no mesmo ano. Até maio de 1992, os Códigos de Endereçamento Postal - conhecidos pela sigla CEP - de todo o Brasil tinham o formato 00000 (cinco dígitos). Na parte casos históricos estão exemplos casuísticos da implantação do sistema antigo de CEP.

Com o aumento da população, do volume de correspondências e da necessidade de criar mais códigos específicos para grandes receptores de correspondência, o sistema de CEP com cinco dígitos tornou-se insuficiente nas grandes cidades. Com isto, em maio de 1992, os Correios alteraram o formato dos códigos postais de todo o Brasil, que passaram a ter oito dígitos: 00000-000 (cinco dígitos - hífen - três dígitos), tendo essa mudança sido informada à população no mesmo ano, com a publicação do Guia Postal Brasileiro de 1992.

Estrutura do CEP[editar | editar código-fonte]

Os primeiros cinco dígitos têm a mesma função no sistema vigente nos anos 1970 e 80 e no atual: localizar a região, o estado, o município e a região ou o distrito. O bairro (na maioria dos casos) e a rua (ou, se grande receptor de correspondências, o condomínio, empresa etc.) passaram a ser identificados pelo sufixo de três dígitos acrescido aos códigos postais brasileiros em 1992.

O Brasil foi dividido em dez zonas postais, de 0 a 9, contadas a partir do estado de São Paulo, no sentido anti-horário. A divisão se deu de acordo com critérios populacionais e econômicos da época (1972), o que implicou algumas distorções existentes hoje (ver seção "Distorções nas faixas de CEP").

Mapa das Regiões de CEP de São Paulo.

Observação: Apenas localidades com mais de 50.000 habitantes residentes na área urbana têm CEPs por logradouro (Ruas, Avenidas, Alamedas, Travessas, etc., havendo em certas avenidas ou ruas mais de um CEP). Quando o município não tem CEP por logradouro, o CEP dito genérico - seguido do número -000 - é usado:

Em agosto de 2008, o estado de Rondônia teve a sua faixa alterada de 78800-78999 para 76800-76999, com a redução da faixa final de Goiás de 76999 para 76799.[2]

Estrutura do CEP[editar | editar código-fonte]

  • X0000-000: Região
  • 0X000-000: Sub-Região
  • 00X00-000: Setor
  • 000X0-000: Sub-Setor
  • 0000X-000: Divisor de Sub-Setor
  • 00000-XXX: Sufixo de distribuição

Exemplo de construção de CEP[editar | editar código-fonte]

Carlos Rossi
Avenida João Jorge, 112 ap.31
Vila Industrial[3]
Campinas, SP
13035-680

O sufixo -680 é uma atribuição arbitrária à Avenida João Jorge, dentro do CEP 13035.

Sufixos[editar | editar código-fonte]

Os três algarismos após o hífen são denominados de sufixo e destinam-se à identificação individual de Localidades, Logradouros, Códigos Especiais e Unidades do Correio, conforme o seguinte:

  • Localidades sem CEP: generico, sufixo 000.
  • Localidades não codificadas por logradouros (possuem um único CEP):
    • Faixa de Sufixos utilizada: 000 a 999
    • Caixas Postais Comunitárias: 990 a 998
  • Localidades codificadas por logradouros:
    • 000 a 899: atribuídos a logradouros (cada logradouro pode ter um CEP específico e exclusivo para si, como pode ter alguns, divididos por segmentos do logradouro ou para os lados par e ímpar ou reunindo as duas condições);
    • 900 a 959: específicos para grandes receptores de correspondências (condomínios, empresas, instituições, etc.). Normalmente esse tipo de destinatário recebe as correspondências em malotes entregues por carteiros motorizados;
    • 960 a 969: próprio para promoções comerciais;
    • 970 a 989: para agências próprias ou franqueadas dos Correios, seus centros de distribuição de correspondência e quaisquer unidades operacionais;
    • 990 a 998: para caixas postais comunitárias;
    • 999: para serviços de carta, cartão, envelope, encomenda resposta.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Distorções[editar | editar código-fonte]

Como já foi dito anteriormente, o sistema de códigos postais do Brasil foi criado em 1971 obedecendo aos critérios populacionais e econômicos da época. Procurou-se estabelecer uma hierarquia entre as cidades, atribuindo faixas muito extensas - de 800 a 5000 números - de CEP às grandes capitais; faixas grandes - de 30 a 300 números - às demais capitais e aos municípios-polo em suas regiões ou pertencentes à região metropolitana das capitais, e faixas menores - de 1 a 30 números - aos demais municípios.

Entretanto, a situação demográfica sofreu alterações consideráveis desde então e muitos municípios que eram os mais importantes de suas regiões passaram essa condição para outros, hoje mais populosos e que têm de usar uma faixa menor de CEP tendo mais endereços e ruas a catalogar.

  • Uberlândia é o exemplo mais forte disso: em 1971, Uberaba era a maior e mais importante cidade do Triângulo Mineiro e recebeu a faixa 38000-38099, mas Uberlândia desde então cresceu muito mais que Uberaba e ficou com uma faixa muito menor de códigos postais: 38400-38415.
  • Com São José dos Campos acontece algo semelhante: Taubaté era a cidade mais importante do Vale do Paraíba em 1971, recebendo a faixa 12000-12119, enquanto São José dos Campos recebeu a faixa 12200-12249, mas esta cidade cresceu muito em função de seu parque industrial e tornou-se muito mais populosa que Taubaté, ficando com uma faixa menor.
  • O mesmo acontece com São Carlos, a cidade cresceu muito em função de seu parque industrial, tecnológico e setor de serviços, tornando-se muito mais populosa do que antes, não possuindo a numeração de Estrutura Setor, ficando assim com uma faixa menor (13560-13577).

O estado de Rondônia é outro exemplo. Em 1971, Rondônia ainda estava na condição de território, com uma população muito pequena e recebeu a faixa 78900-78999. Mas Rondônia tornou-se estado, sua população cresceu muito e a faixa original teve de ser ampliada e alterada para 76800-76999.[2]

A base de dados do correio com a relacão dos cep com bairros, cidades e estados relacionados foi por muito tempo gratuita para qualquer cidadão no site dos correios mas agora chama-se e-dne ou Diretório Nacional de Endereços que pode ser comprada no site dos correios. O diagrama da base sendo vendida pose ser visto aqui: [1].

Casos históricos[editar | editar código-fonte]

São Paulo[editar | editar código-fonte]

Até 1971, o município de São Paulo era dividido, pelo antigo departamento de Correios e Telégrafos, em zonas postais (Z.P.). Elas eram na verdade pouco conhecidas da população em geral, e deve ainda ser levado em consideração que a maioria das ruas da cidade não dispunha, àquela época, de serviço de entrega domiciliar dos correios.

As zonas postais de São Paulo eram:

  • ZP 1 - na região da Sé, que atendia cerca de 70 logradouros do Centro da cidade;
  • ZP 2 - atendia cerca de 100 logradouros das regiões de Santa Ifigênia, Vila Buarque e da área próxima ao Mercado Municipal;
  • ZP 3 - cerca de 160 logradouros, na Consolação, Bela Vista e Liberdade;
  • ZP 4 - cerca de 150 logradouros, espalhados pela Barra Funda, Higienópolis, arredores da Avenida Nove de Julho e Avenida São Luís (Centro);
  • ZP 5 - atendia cerca de 200 logradouros na região dos Jardins e no Sumaré;
  • ZP 6 - cerca de 280 logradouros no Brás e no Pari;
  • ZP 7 - aproximadamente 460 logradouros no Belenzinho, no Tatuapé e na Vila Maria;
  • ZP 8 - cerca de 480 logradouros da Vila Mariana e da Saúde;
  • ZP 9 - cerca de 370 logradouros de Pinheiros e do Butantã;
  • ZP 10 - aproximadamente 350 logradouros na Lapa e em Perdizes;
  • ZP 11 - atendia partes do Ipiranga e da Vila Prudente;
  • ZP 12 - cobria cerca de 150 logradouros no Cambuci e na Aclimação;
  • ZP 13 - atendia partes da Mooca, do Alto da Mooca e da Água Rasa;
  • ZP 14 - atendia partes de Santana e da Vila Guilherme;
  • ZP 15 - servia cerca de 130 logradouros na Vila Nova Conceição e no Itaim Bibi;
  • ZP 16 - cerca de 290 logradouros na Penha;
  • ZP 17 - aproximadamente 100 logradouros no Brooklin e Campo Belo;
  • ZP 18 - na área central de Santo Amaro;
  • ZP 19 - atendia parte da Vila Carrão;
  • ZP 20 - servia parte do Tucuruvi;
  • ZP 21 - cerca de 70 logradouros de Indianópolis (hoje em dia geralmente chamado de Moema);
  • ZP 22 - cobria apenas 30 logradouros, divididos entre São Miguel Paulista e a Freguesia do Ó;
  • ZP 23 - servia cerca de 160 logradouros no Bom Retiro, na Luz e na Casa Verde.

Em 1970, a Empresa Brasileira de Correios iniciou, em São Paulo, a utilização do CEP, cujo objetivo é atender a totalidade da área urbana das diferentes localidades.

São Paulo passou a ser subdividida por nova numeração, com os CEPs se iniciando sempre por "0", e com os setores postais classificados conforme segue:

  • 010xx - Centro (Sé e República)
  • 011xx - Bom Retiro
  • 012xx - Vila Buarque e Sumaré
  • 013xx - Consolação
  • 014xx - Jardins
  • 015xx - Liberdade
  • 020xx - Santana e Vila Guilherme
  • 021xx - Vila Maria
  • 022xx - Jaçanã e Tucuruvi
  • 023xx - Tremembé
  • 024xx - Mandaqui
  • 025xx - Casa Verde
  • 026xx - Cachoeirinha
  • 027xx - Limão
  • 028xx - Brasilândia
  • 029xx - Freguesia do Ó
  • 030xx - Brás e Parque São Jorge
  • 031xx - Mooca e parte de Vila Prudente
  • 032xx - São Lucas
  • 033xx - Anália Franco e Vila Formosa
  • 034xx - Carrão e Aricanduva
  • 035xx - Vila Matilde
  • 036xx - Penha
  • 037xx - Cangaíba
  • 038xx - Ermelino Matarazzo
  • 039xx - São Mateus
  • 040xx - Vila Mariana (oeste) e Moema
  • 041xx - Vila Mariana (leste) e Saúde
  • 042xx - Ipiranga
  • 043xx - Jabaquara
  • 044xx - Cidade Ademar
  • 045xx - Itaim Bibi
  • 046xx - Campo Belo
  • 047xx - Santo Amaro
  • 048xx - Cidade Dutra, Grajaú e Parelheiros
  • 049xx - Guarapiranga
  • 050xx - Lapa e Perdizes
  • 051xx - Pirituba e Jaraguá
  • 052xx - Perus
  • 053xx - Jaguaré e Leopoldina
  • 054xx - Pinheiros
  • 055xx - Butantã (Raposo Tavares)
  • 056xx - Morumbi
  • 057xx - Campo Limpo
  • 058xx - Capão Redondo
  • 059xx - utilizado apenas para endereços comerciais de promoções de empresas
  • 060xx a 079xx - outros municípios da Grande São Paulo
  • 080xx - São Miguel
  • 081xx - Itaim Paulista
  • 082xx - Itaquera
  • 083xx - São Rafael
  • 084xx - Guaianases
  • 085xx a 099xx - outros municípios da Grande São Paulo.

Rio de Janeiro[editar | editar código-fonte]

Na cidade do Rio de Janeiro, antigo Distrito Federal, e mais tarde Estado da Guanabara, o antigo Departamento de Correios e Telégrafos utilizava as Zonas de Correio, ou ZC, que em algumas vezes eram atribuídas para pequenos trechos das principais vias comerciais da então capital do Brasil.

Alguns exemplos das antigas Zonas de Correio são:

  • ZC 00 - nas imediações da Praça Pio X
  • ZC 01 - nos bairros da Glória, Cosme Velho, Laranjeiras e Catete
  • ZC 02 - em Botafogo
  • ZC 07 - em Copacabana
  • ZC 11 - na Vila Isabel, no Grajaú e no Andaraí
  • ZC 20 - nos bairros de Leblon, Gávea, Jardim Botânico
  • ZC 21 - para o trecho da Avenida Rio Branco em torno do número 110
  • ZC 28 - na ilha de Paquetá
  • ZC 32 - na Ilha do Governador
  • ZC 37 - em Ipanema
  • ZC 58 - nas imediações da Praça da República
  • ZC 82 - na Urca
  • ZC 89 - em Jacarepaguá.

Esse sistema perdurou até 1975, pois mesmo depois da implantação do CEP com cinco dígitos para as localidades do Brasil e para os logradouros da cidade de São Paulo, em 1970, a correspondência destinada à cidade do Rio de Janeiro tinha o formato CEP 20000 - ZC 00. A partir de 1975 a cidade foi dividida em diferentes setores postais, e os bairros foram numerados de 20000 a 23700.

Exemplos:

  • 200xx - Centro
  • 202xx - Rio Comprido
  • 20397 - Ilha de Paquetá
  • 205xx - Grajaú
  • 208xx - São Cristóvão
  • 210xx - Méier
  • 220xx - Copacabana
  • 222xx - Flamengo
  • 230xx - Bangu
  • 237xx - Santa Cruz

Em 1991, como no resto do país, os códigos postais dos logradouros da cidade do Rio de Janeiro passaram também para o formato de oito dígitos 20000-000.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]