Feijó (Acre)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Feijó
"Terra do açaí!"
Prefeitura de Feijó - Acre

Prefeitura de Feijó - Acre
Bandeira de Feijó
Brasão de Feijó
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 3 de maio de 1903 (111 anos)
Gentílico feijoense, feijoaca, feijoano
Prefeito(a) Mêrla[1] (PT)
(2013–2016)
Localização
Localização de Feijó
Localização de Feijó no Acre
Feijó está localizado em: Brasil
Feijó
Localização de Feijó no Brasil
08° 09' 50" S 70° 21' 14" O08° 09' 50" S 70° 21' 14" O
Unidade federativa  Acre
Mesorregião Vale do Juruá IBGE/2008[2]
Microrregião Tarauacá IBGE/2008[2]
Municípios limítrofes Tarauacá, Jordão, Santa Rosa do Purus e Manoel Urbano. Ao norte com o Amazonas e ao sul com o Peru.
Distância até a capital 344 km
Características geográficas
Área 24 202,027 km² [3]
População 32 311 hab. IBGE/2010[4]
Densidade 1,34 hab./km²
Altitude 153 m
Clima equatorial
Fuso horário UTC-5
Indicadores
IDH-M 0,539 baixo PNUD/2010[5]
PIB R$ 200 791,714 mil IBGE/2008[6]
PIB per capita R$ 6 233,83 IBGE/2008[6]
Página oficial

Feijó é um município brasileiro localizado na região central do estado do Acre. Sua população é de 32 261 habitantes, sendo o quinto município mais populoso do estado e sua área é de 24 202 km², sendo umas das maiores cidades brasileiras em área.

História[editar | editar código-fonte]

O município de Feijó tinha suas terras habitadas pelas tribos Jaminawás, kaxinauwás e Chacauwás. Com a chegada dos nordestinos à foz do rio Envira, em 1879, começou-se a desbravação da região, subindo os rios e igarapés, desmarcando os ‘seus’ lotes e terras e até ‘seringais’. No entanto, ocorreram vários conflitos na selva, entre os nordestinos e índios por conta da desocupação dessas áreas de terras, que pouco tempo depois transformaram-se em seringais. É neste contexto que surge à margem esquerda do rio Envira, o Seringal Porto Alegre que mais tarde deu origem ao município de Feijó.

Após alguns anos o seringal tornou-se um vilarejo, e aos 13 de maio de 1906, foi elevado a categoria de vila sob a denominação de Feijó, em homenagem ao Pe. Diogo Antônio Feijó, nome que se conserva até hoje. A instalação do município deu-se sob o decreto 968 de 21 de dezembro de 1938, sendo o governador do território do acre, o Sr. Dr. Epaminondas Martins e o Prefeito municipal o Sr. Raimundo Augusto de Araújo o primeiro prefeito feijoense.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Limita ao norte com o Amazonas, ao sul com o Peru, a leste com os municípios de Santa Rosa do Purus e Manoel Urbano e a oeste com os municípios de Tarauacá e Jordão.

A cidade está localizada na margem direita do Rio Envira, que é principal meio de escoamento de produção dos ribeirinhos, 5.640 ribeirinhos somente no rio Envira, que vivem em pequenas comunidades nas margens do rio, geralmente localizados bem longe do centro urbano. Como a maior parte dos rios amazônicos, o nível das águas é sazonal.

População

Segundo dados de 2007, possuía 31.288 habitantes, na proporção de 50,26% urbana, cerca de 15.726 pessoas; e 49,74% rural, cerca de 15.562 pessoas. Da população rural, 11.225 habitantes[7] vivem nas margens dos rios que cortam o seu território, os chamados ribeirinhos. Possuindo uma densidade demográfica de 1,33 hab/km² em 2009.

Economia[editar | editar código-fonte]

Feijó é mais um município acreano que tem na administração pública a base da sua economia, o setor industrial se resume a pequenas industrias de móveis, cerâmicas e artefatos de cimento, e a agropecuária vem tornando-se parte significativa dessa composição, com o cultivo de bovino nas margens das rodovias. A esperança que com a reabertura total da BR-364, ligando a a capital Rio Branco a cidade de Cruzeiro do Sul, as perspectivas melhorem, com a diminuição do custo de vida e melhora dos serviços públicos.

Composição econômica de Feijó [7]
Serviços
71,5%
Agropecuária
18,5%
Indústria
10%

Cultura[editar | editar código-fonte]

O município de Feijó tem sua cultura muito variada. Variação essa que repercute com as varias culturas que se introduziram na época de sua ocupação. A cultura dos Nordestinos e da Região Sul, é a mais notável por serem eles os principais povoadores do acre. Os feijoenses, como na maioria das cidades brasileiras, tem uma cultura diversificada, tendo assim muitos traços culturais próprios. A época em que acontece as maiores festividades são: em fevereiro com a realização do carnaval; junho, com a realização das grandes festa juninas (uma das maiores do Brasil, e o Festival do Açaí de Feijó e Festival de Praia que acontecem todos os anos no mês de Agosto. O evento marca principalmente o grande consumo da fruta tipicamente do Norte do Brasil, açaí. O açaí produzido em Feijó é considerado por muitos críticos da como o melhor do Brasil, com a sua espessura mais grossa e com o sabor mais doce por natureza. Este festival mobiliza o Estado inteiro que se dirige a cidade de acontecimento do mesmo. Além de poder saborear o melhor açaí do Brasil, os festeiros podem curtir shows de celebridades locais e nacionais, gratuitamente, o que faz com que o Festival tenha muito crédito com a população acreana. Um dia após o início do Festival do Açaí, tem início Festival de Praia de Feijó. A Praia de Feijó é conhecida regionalmente por sua beleza, com águas claras e limpas do Rio Envira. A Praia de Feijó, como outras do Acre, são consideradas umas das praias mais lindas de água doce do Brasil. Esse grande evento tem como telespectadores amazonenses e rondonienses, vizinhos do Estado do Acre. Já foi registrada também a presença de bolivianos, peruanos, chilenos e até argentinos, além dos próprios acreanos.

Referências

  1. Resultado para prefeito nas eleições 2012 em todo o Acre. Página visitada em 12/01/2013.
  2. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  3. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  4. Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  5. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 29 de agosto de 2013.
  6. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
  7. a b Governo do Estado do Acre (09 de Março de 2010). Acre em Números 2009 (em Português). Página visitada em 02 de Agosto de 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Acre é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.