Tabatinga (Amazonas)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Tabatinga
"Capital do Alto Solimões"
Orla de Tabatinga

Orla de Tabatinga
Bandeira de Tabatinga
Brasão desconhecido
Bandeira Brasão desconhecido
Hino
Aniversário 10 de dezembro
Fundação 10 de dezembro de 1981
Gentílico tabatinguense
CEP 69640-000
Prefeito(a) Raimundo Carvalho Caldas (PDT)
(2013–2016)
Localização
Localização de Tabatinga
Localização de Tabatinga no Amazonas
Tabatinga está localizado em: Brasil
Tabatinga
Localização de Tabatinga no Brasil
04° 15' 09" S 69° 56' 17" O04° 15' 09" S 69° 56' 17" O
Unidade federativa  Amazonas
Mesorregião Sudoeste Amazonense IBGE/2008[1]
Microrregião Alto Solimões IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Letícia (Colômbia),Santo Antônio do Içá, São Paulo de Olivença, Benjamin Constant, Atalaia do Norte
Distância até a capital 1,105 km
Características geográficas
Área 3,225,064 km² [2]
População 59 684 hab. IBGE/2014[3]
Densidade 18 506,67 hab./km²
Altitude 60 m
Clima equatorial Am
Fuso horário UTC-5
Indicadores
IDH-M 0,616 (AM: 10º) – médio PNUD/2010[4]
PIB R$ 232 173 mil (AM: 13º) – IBGE/2010[5]
PIB per capita R$ 4 441,04 IBGE/2010[5]
Página oficial

Tabatinga é um município brasileiro do interior do estado do Amazonas. Pertencente à Mesorregião do Sudoeste Amazonense e Microrregião do Alto Solimões, sua população, de acordo com estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2014, era de 59 684 habitantes, sendo o município mais populoso de sua microrregião e mesorregião e o sétimo mais populoso do estado.[3]

O município está localizado no oeste do estado do Amazonas, na tríplice fronteira entre Brasil-Colômbia-Peru,[6] tendo sido criado em 1983. Apresenta uma conurbação com a cidade colombiana de Letícia.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

A palavra Tabatinga é de origem indígena, vindo do tupi, tendo seu significado designado como barro branco ou barro esbranquiçado[7] . Acredita-se que os indígenas referiam--se à região com esse nome por conta do barro branco encontrado abundantemente no fundo dos rios da região. No Tupi Guarani, a palavra quer dizer também casa pequena.[8]

História[editar | editar código-fonte]

Poste entre a fronteira de Tabatinga e Leticia em 1985

Em meados do século XVII, registra-se a existência, junto à foz do Rio Solimões, de uma aldeia fundada pelos jesuítas. Próximo ao local são estabelecidos em 1766 um posto militar e um posto fiscal, tendo em vista tratar-se de região fronteiriça à Colômbia e ao Peru. O responsável pelo estabelecimento do posto militar na região foi Fernando da Costa Ataíde Teives, que formou também um posto de guarda de fronteiras entre domínios do Reino de Portugal e da Espanha, além de outros postos miltares. Formou-se então, a partir daí, a povoação de São Francisco Xavier de Tabatinga.[8]

Entre todas as três povoações de fronteira de maior expressão (São Francisco Xavier de Tabatinga, Vila Ipiranga e Vila Bittencourt) apenas a primeira prosperou ativamente. Em 1866, no dia 28 de junho, o marco dos limites entre Brasil e Peru foi fixado perto da povoação. Até então, a região era pertencente ao município de São Paulo de Olivença, sendo pouquíssimos municípios de fato criados até a data. Em 1898, com o desmembramento do território de São Paulo de Olivença e emancipação do distrito de Benjamin Constant, o povoado de Tabatinga passa a pertencer ao recém-criado município, incluindo-se neste como um dos subdistritos do distrito-sede.[8]

Em 4 de junho de 1968, pela Lei Federal 5.449[9] , todo o município de Benjamin Constant foi classificado como Área de Segurança Nacional. Por um longo período, Tabatinga foi um subdistrito de Benjamin Constant. A emancipação política de Tabatinga deu-se apenas em 10 de dezembro de 1981, pela Emenda Constitucional do Amazonas nº 12, que passou a determinar o subdistrito de Tabatinga um município autônomo. A instalação do município ocorreu em 1 de janeiro de 1983.[8]

Demografia[editar | editar código-fonte]

(Censo 2010)

  • População Rural: 15.908
  • População Urbana: 36.371
  • População Total: 52.272
  • Total de Mulheres: 25.931
  • Total de Homens: 26.341

Geografia[editar | editar código-fonte]

Tabatinga está localizada no meio da maior floresta tropical do planeta, a selva amazônica, à margem esquerda do Rio Solimões fazendo fronteira com a Colômbia. Possui uma área de 3.239,3 km².

Toda a região está coberta por florestas (altas, baixas e pouco densas) e, hidrograficamente, pertence à bacia do rio Amazonas, sendo banhada pelos rios Solimões, Içá, Japurá e vários de seus afluentes, tais como: Hapapóris, Traíra, Puretê, Puruê e Cunha. Há duas grandes ilhas fluviais próximas: Santa Rosa - Peru e Aramaçá - Brasil.

Características[editar | editar código-fonte]

É uma cidade fronteiriça à Colômbia e ao Peru, sendo que a fronteira com o primeiro país é terrestre. As cidades de Tabatinga e Leticia (Colômbia) são interdependentes, no tocante ao abastecimento das populações. Todavia, o único marco limítrofe é um poste com as duas bandeiras, o que faz com que a população local transite livremente entre os dois países como se as duas cidades fossem uma[6] . O acesso mais frequente à Colômbia é pela Avenida da Amizade que começa no Aeroporto Internacional de Tabatinga e termina dentro de Leticia (Colômbia). O acesso à cidade se dá por barco ou por avião, inexistindo estradas que unam Tabatinga a Manaus. A viagem fluvial no trecho Tabatinga - Manaus consome cerca de três dias e, no trecho contrário, cerca de sete dias. Por sua localização desfavorável em relação a Manaus, principal mercado consumidor, não há muitas empresas maiores ou fábricas interessadas em investir nessa região, apenas duas fábricas (uma de polpas de frutas e uma de adubo orgânico para exportação) já se manifestaram em criar base na área, porém esperaram formas de viabilizar o escoamento de suas produções.

Economia[editar | editar código-fonte]

O custo de vida é um pouco elevado em virtude da distância com a capital, todavia, a cidade fronteiriça, Letícia, dá suporte mais favorável, haja vista que tal cidade é livre de todo imposto colombiano, recebendo mercadorias vindas pelo canal do Panamá e Bogotá a preços baixos. A população tabatinguense vai à cidade colombiana para fazer compras diversas, onde varia do supermercado aos móveis de casa. Os produtos mais procurados são os eletrodomésticos, móveis e principalmente os perfumes franceses, cujos preços correspondem a 40% do valor dos perfumes em Manaus. Existe um comércio local de vestuários e calçados no centro de Tabatinga, principalmente na rua Marechal Mallet. Há também um grande fluxo de mercadorias peruanas vindas da ilha de Santa Rosa - Peru na região do porto e próxima ao Mercado Público, onde os peruanos instalaram e administram pequenos mercadinhos e quitandas.

População[editar | editar código-fonte]

A população em Tabatinga é mista, pois possui brasileiros, peruanos, colombianos e dentre estes, os indígenas de diversas etnias; cuja maioria é da etnia Ticuna.[6] Dentre os brasileiros em Tabatinga, existe a população rotativa, correspondente aos militares das forças armadas e bancários que vão a Tabatinga passar temporadas [6] ou de pessoas de outros órgãos administrativos federais como a Polícia Federal, a Receita Federal e Justiça Federal. Mais recentemente houve a chegada de haitianos que vieram através da fronteira com o Peru.

Segurança[editar | editar código-fonte]

Embora a cidade de Tabatinga seja visada pelo narcotráfico como rota de passagem, não é um centro consumidor e a violência é pequena, em cujos assassinatos se restringem basicamente a pessoas envolvidas de alguma maneira mais direta com o narcotráfico, ou seja, não atinge a quase totalidade da população mesmo com a organização policial da cidade sendo precária: há uma delegacia geral de polícia civil, uma Delegacia da Polícia Federal, um batalhão da Polícia Militar do Amazonas - PMAM, um presídio, um efetivo da Força Nacional do Brasil, um Destacamento de Controle do Espaço Aéreo de Tabatinga (DTCEA-TT) e um Comando de Fronteira do Exército, representado pelo 8º Batalhão de Infantaria de Selva. No dia 16 de julho de 2014 foi instalado um grupamento do Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (4ª Companhia de Bombeiros Militar) para executar dentre os diversos serviços prestado pelo Corpo de Bombeiros o Serviço de prevenção contra incêndio,combate a incêndio, salvamento de vidas, patrimônio e o meio ambiente.

Saúde[editar | editar código-fonte]

Em termos de saúde, possui apenas um hospital que é administrado pelo Exército e que atende toda a população fronteiriça (brasileiros, colombianos, peruanos e haitianos) e pequenos postos de saúde em alguns bairros.

Educação[editar | editar código-fonte]

Tabatinga vem atingindo uma nota estável no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) nos últimos anos. O município saltou de 2,7 pontos obtidos no indicador, em 2005, para 3,6 pontos em 2011.[10] O crescimento vem se mantendo estável, apesar de pouca progressividade. De acordo com dados do indicador em 2011, de cada 100 alunos do ensino fundamental residentes no município, 17 não alcançaram posições satisfatórias, o que gerou um fluxo de 83% de aprovação.[11] As notas padronizadas das disciplinas de língua portuguesa e matemática, tidas como as principais do ensino brasileiro, ficaram em 4,31 pontos, sendo consideradas baixas.[11] O indicador aponta, ainda, que 3% das instituições de ensino do município atingiram a meta proposta.[11]

A instituição de ensino municipal que obteve o melhor registro no IDEB em 2011, nos primeiros anos do ensino fundamental, foi a Escola Municipal São Sebastião, que registrou 3,8 pontos. A pior nota registrada entre as instituições de ensino municipais foi na Escola Municipal Indígena Rainha dos Apóstolos, que obteve 1,6 pontos.[10] Entre as instituições de ensino de caráter estadual, destacam-se a Escola Estadual Duque de Caxias, que registrou 5,0 pontos no IDEB, e a Escola Estadual Marechal Rondon, com 4,9 pontos registrados.[10] Nos últimos anos do ensino fundamental, as melhores notas registradas foram da Escola Estadual Duque de Caxias (4,4 pontos) e Escola Estadual Pedro Teixeira (4,2 pontos).[10]

Há em Tabatinga escolas municipais, estaduais e duas federais (núcleo do Colégio Militar de Manaus e Instituto Federal do Amazonas - IFAM(Ensino médio-técnico)), além de privadas, que atendem à população nos ensinos fundamental e médio. Quanto ao ensino superior, ela é atendida por um Centro de Estudos Superiores da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), pelo núcleo do Instituto Federal do Amazonas - IFAM e por polos de ensino a distância (EAD) de algumas instituições particulares de ensino superior tais como: Universidade Paulista (UNIP) e UNISUL. Há também o acesso por via fluvial ao campus da Universidade Federal do Amazonas (UFAM), situada em Benjamin Constant.

Cultura e Lazer[editar | editar código-fonte]

Existem vários esportes radicais que são praticados no município: Motocross, Bicicross, Canoagem Rústica, Le Parkour e Corridas de Orientação.

Há boates que tocam os mais variados ritmos e gêneros de música (vallanato, cumbia, reggaeton, pagode, forró, dance, mpb e música eletrônica) bem como bares e restaurantes onde é possível tomar vários tipos de bebidas nacionais e colombianas ou peruanas, ou apreciar as comidas típicas como o cebiche, a arepa e a feijoada.

Nas imediações do quartel do Exército existe um pequeno zoológico onde é possível ver tatu, sucuri, macacos, aves e a onça-pintada. No bairro da Comara, perto do aeroporto internacional, tem-se uma visão privilegiada do rio e das florestas peruanas e é o ponto de acesso às aldeias indígenas de Umariaçu I e de Umariaçu II de etnia Ticuna.

Nos dias de intenso calor todos correm para os vários banhos de igarapés que ficam na estrada Leticia - Tarapacá (Colômbia) e na área rural de Tabatinga. Os clubes com piscinas da cidade também servem de refúgio. Quando está na vazante, aparecem diversas praias do rio Solimões, sendo a principal e mais badalada a praia de Limeira onde há shows e desfile das mais belas mulheres da tríplice fronteira para a escolha da "Garota Limeira". O rio também propicia pesca abundante nos flutuantes, barcos pequenos ou na margem; sendo uma opção de relaxamento. Além de ser possível observar os botos e um belo por-do-sol.

Durante o ano existem vários eventos importantes. Destacam-se o Reveillon, com a tradicional queima de fogos no rio Amazonas ou rio Solimões; o carnaval, com o desfile das escolas de samba e blocos carnavalescos; as festas juninas ( com os arraiais se estendendo desde meados de maio até novembro), onde há as comidas típicas como canjica, milho assado, pamonha e doces; as comemorações cívicas como os desfiles de 20 de julho (Independência da Colômbia), 5 de setembro (Ascensão do Amazonas) e 7 de setembro (Independência do Brasil); o Festival da Confraternidade; e o Festival das Tribos do Alto Solimões - FESTISOL.

Confraternidade[editar | editar código-fonte]

É um festival que ocorre na cidade vizinha de Leticia e há a representação dos três países que compõem a tríplice fronteira. Um dia é destinado ao Brasil, onde há amostra das danças, comidas típicas e da cultura em geral. Há também o dia da Colômbia, do Peru e o dia final onde ocorre a escolha da rainha geral do festival com a disputa das mulheres que representam seus respectivos países.

Festisol[editar | editar código-fonte]

O Festival das Tribos do Alto Solimões é um grande evento cultural que reune a disputa entre os adéptos da onça pintada e da onça preta no "onçódromo". Esse festival tem similaridade ao festival que ocorre na cidade de Parintins - AM entre os "bois" Caprichoso e Garantido. A onça preta representa a cor azul e a onça pintada representa a cor vermelha. Na arena, ou melhor, no "onçódromo" cada agremiação tenta mostrar o seu melhor quanto a alegorias, coreografias e animação das torcidas para cativar os julgadores dos ítens observados. Isso se traduz num belo espetáculo de cores e de ritmo que encanta a todos que participam. É um festival que geralmente ocorre no mês de setembro.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  3. a b Estimativas populacionais para os municípios brasileiros em 01.07.2014 Estimativa populacional 2014 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2014). Visitado em 30 de agosto de 2014.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil (PDF) Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Visitado em 3 de agosto de 2013.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2005-2009 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 18 de junho de 2012.
  6. a b c d Mobilidade humana na tríplice fronteira Peru-Colômbia-Brasil Scielo (14 de julho de 2010). Visitado em 14 de julho de 2010.
  7. Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001
  8. a b c d História do município de Tabatinga (AM) Ache tudo e região (14 de julho de 2010). Visitado em 22 de junho de 2012.
  9. Lei Federal 5.449 Legislação Informatizada Câmara dos Deputados (4 de junho de 1968). Visitado em 17 de junho de 2012.
  10. a b c d Resultado do IDEB nos municípios do Amazonas
  11. a b c Ideb e seus componentes: Tabatinga (AM)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Tabatinga (Amazonas)