Kyle Broflovski

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Kyle Broflovski
Personagem fictícia de South Park
KyleBroflovski.png
Idade 8-10 anos
Sexo Masculino
Cabelo Ruivo
Olhos Verde Escuro
Ocupação Estudante
Família Gerald Broflovski (pai), Sheila Broflovski (mãe), Ike Broflovski (irmão)
Voz Matt Stone
Dublagem Brasil Marco Antônio Costa
Brasil Guilherme Briggs
Brasil José Luiz Barbeito
Primeira aparição "'The Spirit of Christmas (Jesus vs Santa)"

Kyle Broflovski, dublado por Matt Stone, é um dos quatro principais personagens de South Park, juntamente com Stan, Kenny e Cartman.

Características principais[editar | editar código-fonte]

Kyle é impulsivo e algumas vezes, moralista a favor do que é certo, o que parece certo ou um paradoxo do certo (o que deveria ser certo mas é uma coisa tão errada e impossível de ser certa que é certa). Inteligente, educado e carismático, na maior parte das vezes ele quem causa o enredo dos episódios ou as confusões desencadeadas pelas palavras de Eric X Kyle, Eric X Stan, Stan X Kyle ou relacionados. Kyle é muito presente na série, sendo o principal protagonista na maioria dos episódios. É ele quem sempre discursa alguma coisa para tentar resolver um problema o mais rápido possível o que dá certo ao mesmo tempo que dá errado, principalmente quando ele é mal entendido e gera um problema muito maior. Seus discursos são frequentes, e chega uma hora que todos se afastam dele pois estão cansados de ele falar coisas que não resultam em absolutamente nada. É filho de Sheila Broflovski e Gerald Broflovski, um advogado muquirana. Devido ao fato de ser judeu, é extremamente ridicularizado por Cartman e as vezes quando acontece algo de ruim, Kyle é culpado juntamente com todo o Judaísmo, e quando não basta apenas ele ser culpado, Cartman também faz com que misteriosamente surja um motivo para que ele REALMENTE seja culpado junto com a sua religião, valorizando a opinião de Cartman, o que nem sempre dá certo pois não consegue convencer uma grande massa de pessoas, ou simplesmente o universo conspira contra Kyle.

Religião[editar | editar código-fonte]

Kyle é da fé judaica, mas esse detalhe não revelam, oficialmente até "Mr. Hankey, The Christmas Poo", apesar de ter sido mencionado brevemente no segundo The Spirit of Christmas (que antecede a série de televisão), e em "Big Gay Al's Big Gay Boat Ride". Também foi mencionado em "An Elephant Makes Love to a Pig" e em Peppa Pig, Cartman regularmente faz comentários depreciativos sobre o povo judeu, muitas vezes diretamente na presença de Kyle especificamente para ofendê-lo.

Kyle aparece ambivalente para o Judaísmo, e não há evidências conflitantes sobre a religiosidade de sua família - por exemplo, enquanto eles se vestem de forma semelhante a muitos religiosos judeus (Gerald, por exemplo, sempre usa um solidéu), que, aparentemente, não seguem muito os ditos da fé judaica quanto a sexualidade (Sheila Stone, mãe de Matt Stone, foi ela própria uma secular judia sefardita). A aparente indiferença de Kyle para a religião pode ser parte de seu esforço para se ajustar com os seus amigos, que são de maioria cristã. Kyle é mais frequentemente defensivo do que orgulhoso de sua fé, e embora ele participe regularmente em funções de reuniões judaicas infantis, ele tem muitas vezes uma má compreensão da história, tradições e rituais de sua religião. Ele é muito ingênuo. Esta poderia ser a culpa de seus pais, que, em uma tentativa equivocada de abrigar seu filho, geralmente não discutem com ele os pontos mais delicados de sua religião. Por exemplo:

Kyle é interpretado pelo co-criador Matt Stone.

• Quando ele soube que seu irmão Ike estava indo ter um Brit milá, ele estava sob o equívoco que envolveu o corte do pênis por inteiro ao invés de apenas o prepúcio. Isso apesar do fato de que Kyle ter circuncidado a si mesmo - que ele era jovem demais para lembrar disso e não perceber que ele foi circuncidado.

• Depois de ver "A Paixão de Cristo", de Mel Gibson, ele disse que Cartman estava certo sobre os judeus e em sua sinagoga exigiu que os judeus se desculpassem pela morte de Cristo. Ironicamente, ele pessoalmente matou Jesus no "Fantástico Especial Páscoa", embora o ato não foi devido à malícia, mas pedido do próprio Jesus "(para que ele pudesse ressuscitar a si mesmo e salvar Stan e o "Hare Club for Men" de serem fervidos vivas como coelhos ). Kyle era inicialmente relutante em concordar com o pedido de Jesus e, preocupado quanto às implicações de um judeu matando Cristo, somente em última análise, aceitou desde que Eric Cartman nunca soubesse sobre isto, isso também ecoa a alegação não comprovada e altamente controversa que Judas traiu Cristo a pedido, não por motivos mal-intencionados.

• Quando soube das condições do catolicismo para entrar no Céu, ele renunciou à sua fé na base de que se os judeus estavam certos sobre o assunto, não faria diferença se ele fosse um católico, mas se os católicos estavam certos, ele iria para o inferno por não aceitar a Cristo (ver a Aposta de Pascal).

• No episódio "Chickenpox", quando seu pai lhe contou sobre como a sociedade funciona, ele pensou em uma "idéia melhor", que envolveu o envio de todos os pobres para campos de concentração para que apenas pessoas ricas vivessem. O pai de Kyle prontamente percebeu que estava sendo intolerante com as pessoas menos afortunadas do que ele e parou com isso. Isso indica que pelo menos no início de temporada da animação, Kyle não tem uma compreensão muito clara do Holocausto ou outras formas de genocídio.

• Apesar de ser judeu, Kyle parece muito entusiasmado com o evento Baconalia acontecendo no local, Denny's. Cartman usou "Panquecas Cheias de Bacon" como uma tentação para colocar Kyle na Crack Baby Basketball League. Embora Kyle não fora visto comendo o bacon, o seu entusiasmo coloca em questão se ele mantém Kosher como parte de sua fé judaica.

Talentos[editar | editar código-fonte]

Segundo o Sr. Garrison, Kyle é um aluno inteligente e nota dez. Kyle, junto com os outros meninos, é retratado como tendo múltiplos talentos úteis e triviais. No entanto, em raras ocasiões, como a maioria das crianças, ele também é retratado como sendo ignorante.

Habilidades Psíquicas[editar | editar código-fonte]

Em "The Tooth Fairy Tats 2000," Kyle começa a questionar a realidade uma vez que ele descobre a Fada dos Dentes não é real. Ele lê o que parece ser cada livro sobre a psicologia, a realidade, e a ciência escritos. No final do episódio, Kyle entra em um estado semelhante a Deus por um tempo, desaparecendo e fazendo um uma galinha-gigante esquilo aparecer. Posteriormente, no final do episódio "Cartman's Incredible Gift" Kyle grita com Cartman e os outros psico-detetives, fazendo com que as luzes se apaguem e as prateleiras atrás de sua cama de hospital a tremer e seus conteúdos a cair.

Videogames[editar | editar código-fonte]

Kyle é muitas vezes visto jogando jogos de vídeo com Stan, Kenny e Cartman, e tem um XBOX. No episódio "Guitar Queer-o," os meninos elogiam a habilidade Kyle e Stan sobre Guitar Hero 123, e mais tarde no episódio eles passam a marca de um milhão pontos juntos em modo co-op - um feito que foi pensado para ser praticamente impossível. No episódio "Whale Whores" Kyle é mostrado tocando guitarra ou baixo no Rock Band para a música Poker Face.

Esportes[editar | editar código-fonte]

Kyle já praticou vários esportes, incluindo basquetebol, futebol, beisebol,hóquei, e dodgeball. Ele é muito talentoso atleticamente. Kyle é conhecido por ser o melhor jogador de basquete na Escola Primária de South Park, . No entanto, no episódio "Mr. Garrison's New Fancy Vagina", ele vai para as eliminatórias de todos os estado do jogo e não é rejeitado por causa de suas habilidades, mas devido ao fato de que ele é curto e judeu (também por ser baixinho). Estranhamente, Kyle não estava no time de basquete em "Elementary School Musical", ainda que isto aconteceu, provavelmente para evitar Kyle ser ativo na moda. Kyle afirmou que ele quer jogar no Denver Nuggets algum dia. No time de futebol no entanto, ele é muito talentoso. Ele fez um touchdown, que comentou suas habilidades. Ele jogou como um protetor de Basquetebol, um Wide Receiver em Futebol Americano, e a segunda base no Beisebol.

Música[editar | editar código-fonte]

Em "Hooked on Monkey Phonics" Kyle toca guitarra faz uma serenata para Rebecca, que responde atirando-lhe dinheiro. Ele também toca com a Boy Band Fingerbang em "Something You Can Do With Your Finger". E é acompanhado por Stan em sua tentativa de alcançar um milhão de pontos em modo co-op no Guitar Hero, no episódio "Guitar Queer-o". E é visto executar um número musical em "Elementary School Musical". Ele também tocou baixo em na banda dos meninos: Moop. Ele não parece ter muito sentido de ritmo em termos de dança no entanto, como em "Schmainforest Rainforest", ele continuou atrapalhando cada vez que o grupo se apresentou (embora em "Elementary School Musical" este foi contrariada pelo fato de os meninos principais realizarem uma sequência de dança longa e complicada perfeitamente). Kyle também grita para Robert Smith no episódio "Mecha-Streisand", que "Disintegration é o melhor álbum de todos!"

Habilidades Tecnológicas[editar | editar código-fonte]

Kyle é frequentemente caracterizado como possuidor de conhecimentos de informática relativamente fortes, como mostrado em "The Snuke", onde ele usa vários recursos públicos para impedir uma ameaça terrorista de um militante soviético. No filme ele inicia uma pesquisa sobre o clitóris e, acidentalmente, chega a um vídeo de pornografia com Liane Cartman. Quando foi preso pelo governo japonês por ecoterrorismo em "Whale Whores" Stan pede a ajuda de Kyle (que permaneceu em South Park) para manipular uma imagem mostrando substituindo um golfinho e uma baleia no Enola Gay por uma vaca e frango. Kyle também é mostrado para ser ativo em sites de redes sociais como Facebook e o MySpace e usando populares dispositivos eletrônicos, como o iPad da Apple Inc..

Escrita e Poesia[editar | editar código-fonte]

Ocasionalmente frases que ele diz de uma maneira um tanto poética quando ele fala filosoficamente, questionando a realidade e porque as coisas são como são. Em "Roger Ebert Should Lay Off the Fatty Foods" Sr. Garrison começa a explicar haikus (uma forma de poesia) para a classe, mas pára ao perceber que Cartman não estava na sala de aula. Kyle logo depois veio com três haikus no local que foi utilizado para insultar Cartman. Além disso, em "The Wacky Molestation Adventure" Kyle é informado de que Cartman tinha três convites extras na linha 28 no concerto Pussies Raging, mas a mãe de Kyle diz que ele não pode ir para vê-los, a menos que ele faça todas as suas tarefas e trouxesse a democracia a Cuba (supondo que seja uma tarefa impossível). Isso leva Kyle a escrever uma carta a Fidel Castro, que está realmente convencido a levar a democracia a Cuba depois de ler as inocentes, persuasivas rimas, letras e palavras de Kyle. Kyle também parece ter um papel preponderante ao escrever o livro "The Tale of Scrotie McBoogerBalls" com os outros meninos em "A Tale of Scrotie McBoogerBalls".

Idiomas[editar | editar código-fonte]

No episódio "Cartman's Silly Hate Crime 2000" Kyle parece falar latim porco (pig latin) muito bem, mesmo perdendo Stan na conversa. Ele também pode falar e compreender Marklar bem.

Alter-Ego de Super-Herói[editar | editar código-fonte]

O Pipa-Humana é o alter-ego super-herói de Kyle Broflovski, que aparece nos episódios especiais de super-heróis. Ele é um membro do grupo de super-heróis Guaxinim e Amigos. Das superpotências imaginárias humanas de Pipa-Humana, incluem a habilidade de voar e disparar lasers de seus olhos.

Status[editar | editar código-fonte]

Em "Chinpokomon" descobre-se que Kyle é um tanto atrasado em relação a seus colegas,pois ele não possuía um boneco e um controle de video-game Chinpokomon. Em "South Park is gay" mostra-se mais uma vez que Kyle é atrasado,desta vez quanto a moda,pois todos haviam adotado a moda metrosexual enquanto ele continuava vestindo suas roupas normais do cotidiano. Em "Elementary School Musical" não somente ele,mas também seus amigos,estão atrasados quanto ao sucesso de High School Musical.

Saúde[editar | editar código-fonte]

Kyle fica doente com mais freqüência do que qualquer um dos outros meninos (excluindo Kenny se sua morte freqüente pode ser considerado um problema de saúde). Ele tem uma hemorróida dolorosa e infecciosa quando Cartman herda $1 milhão da sua avó e usá-lo para comprar o seu próprio parque de diversões em "Cartmanlândia." Ele também experimentou insuficiência renal e precisava de um transplante de rim (que só Cartman poderia fornecer) em "Cherokee Hair Tampons" No episódio "Guitar Queer-o," doença aparentemente impede Kyle de praticar Guitar Hero tanto quanto Stan faz. Por outro lado, em "Chickenpox", ele é a única pessoa em sua classe que não pega a doença com facilidade, mesmo depois de jogar um jogo em que Kenny (que tinha catapora) cospe em sua boca e ele tem que engolir enquanto dizia "ookymouth"(uma atividade sugerida pela mãe na esperança de que seu filho iria pegar catapora). Ele finalmente pega-o após a exposição prolongada ao Stan e Cartman (que estão doentes), e contrata um caso mais grave do que qualquer das outras crianças.

Kyle e Cartman tem o tipo de sangue AB negativo, como foi revelado no episódio "Cherokee Hair Tampons". Também foi revelado em "Cherokee Hair Tampons" que Kyle é diabético. Seu diabetes pode ser a raiz de seus vários problemas de saúde, mas poderia ter sido curado após o transplante de rim em "Cherokee Hair Tampons"

Lista de Problemas de Saúde[editar | editar código-fonte]

Catapora (possivelmente telhas) em "Chickenpox" (Semi sério, desmaiou e caiu para trás, mas ele fora estabilizado no hospital.)

Insuficiência Renal em "Cherokee Hair Tampons" (Fatal, a menos que ele recebesse um rim que combinava com seu tipo de sangue AB; Stan armou para que Cartman doasse o seu)

Tipo I Diabetes mencionado em "Cherokee Hair Tampons" mas pode ter sido curada pelo transplante.

Hemorróida em "Cartmanland" (A infecção era para ser fatal devido a Kyle desistir da vida depois de uma crise religiosa. Stan levou Kyle ao parque de diversões,.. Ele recuperou a esperança quando ele testemunhou Cartman perdendo tudo que tinha)

Síndrome do Túnel Carpal (CTS), em "Make Love, Not Warcraft".

AIDS no "Woodland Critter Christmas" (história de Cartman) e "Trouble Tonsil". Ele foi curado da AIDS com uma injeção de dinheiro.

Estava doente, com o resfriado comum durante os eventos de "The Snuke", mas ficou melhor no final do episódio.

Foi diagnosticado com dependência de sexo em "Sexual Healing".

Embora não diretamente relacionado com a sua saúde, os seguintes eventos em perigo a sua vida:

Quase morreu numa tempestade de soberba em "Smug Alert" (salvo por Cartman) Morreu em "Imaginationland Episódio II" de um ataque ManBearPig (salvo por Cartman). Morreu em "Imaginationland Episódio III" do míssil disparado por Al Gore (reimaginado por Butters). Bateu a cabeça em "Cartman's Incredible Gift".

Disputa de Nomes[editar | editar código-fonte]

O sobrenome de Kyle foi dado como Broslovski, Broflowski, Broflowsky, Broflofski, Broflovski e Brovlofski na série, embora os personagens dizem "Broflovski" ou "Broslovski" o mais frequentemente. O nome vem do nome de solteira da mãe de Matt Stone, Sheila Belasco (Broslovski tinha sido alterado para Belasco, quando seu pai emigrou para a América). Em "Spontaneous Combustion" há uma parte em que o escritório de advogado de Gerald mostra o nome 'Brovlofski'. Em "Sexual Harassment Panda", seu nome é mostrado como "Broflofski '. As diferentes grafias pode ser devido a alguma confusão na tentativa de transcrever o sobrenome cirílico Бровловский para o alfabeto latino, o в carta é normalmente transcrito "v", mas quando mudo é muitas vezes escrito como "f" em Inglês, como no nome "Rachmaninoff ". Parker e Stone têm confirmado que o último nome de Kyle é realmente Broflovski, que foi usado pela primeira vez em materiais promocionais para South Park: Bigger, Longer & Uncut antes de ser visto no "Fourth Grade" intro. Seu sobrenome é polonês ou russo. Seu nome de super-herói soa similar à palavra "Kike", um insulto racial usado para se referir aos judeus; Cartman chama-o como tal em "Coon vs Coon & Friends".

Castigos[editar | editar código-fonte]

Como os outros garotos, Kyle raramente é posto de castigo. Ele se arrepende mais das coisas que ele está de castigo por. Aqui está uma lista de castigos de Kyle.

South Park: Bigger, Longer and Uncut - Kyle estava de castigo por duas semanas com os outros meninos para ir ver um filme proibido de Terrance e Phillip, que causou a morte de Kenny.

"Ike's Wee Wee" - Kyle foi colocado de castigo por ter mandado o seu irmão Ike para longe de casa, ao pensar que seus pais cortariam o órgão genital de seu irmão.

"Fun With Veal" - Kyle, junto com o resto dos meninos, foi castigado por manter em seus quartos um grupo de bezerros para não serem abatidos e vendidos como vitela.

"Butt Out" - Kyle estava de castigo por três semanas para fumar dentro da escola com os outros meninos e por acidentalmente iniciar um incêndio na escola.

"Boobage Major" - Kyle foi castigado por seus pais, neste episódio, porque pegou escondido um gato e pensaram que ele estava com bompaca quando, na verdade, Kyle tentava manter o gato longe de Kenny. Sua liberdade foi posteriormente revogada depois que seu pai, Gerald, que mais tarde usou bompaca e foi pego em um escândalo enorme.

Aparência[editar | editar código-fonte]

Kyle usa um ushanka verde limão, uma jaqueta laranja brilhante, calças escuras verdes e luvas verde-limão. Kyle pesa 27 kg., como é afirmado em "HUMANCENTiPAD". Dentro de seu chapéu, ele tem o cabelo vermelho, muito parecido com sua mãe. Isto foi mostrado pela primeira vez em "How to Eat with Your Butt", ele é visto sem seu chapéu em "Lil' Crime Stoppers", "South Park is Gay!", "Quest for Ratings", "Mr. Garrison's Fancy New Vagina", "The Losing Edge", "Elementary School Musical", "WTF", "It's a Jersey Thing", e o especial de Guaxinim e Amigos (como o seu alter-ego vigilante o Pipa-Humana). Seu cabelo é uma homenagem ao antigo penteado de Matt Stone(seu criador), assim como seu personagem em "Cannibal! O Musical".

Em vários episódios, ele tem aparecido em diferentes trajes que não sejam seus, como em "Margaritaville", quando Randy Marsh recomenda que os meninos vistam lençóis citadinos de desgaste, em vez de roupas normais (e montando lhamas, entre outras coisas) para propiciar a raiva da economia, Kyle usava um lençol vermelho na forma de um manto. Além disso, em várias ocasiões, ele alterou sua roupa elegantemente, como mostrado em "South Park é Gay!" (Quando ele rapidamente seguiu a moda metrosexual), "Quest For Ratings" (em uma touca âncora exagerada), "Elementary School Musical" (no estilo de Corbin Bleu), e em "It's a Jersey Thing" (quando ele transforma-se num típico morador de Nova Jersey). No episódio "Free Willzyx", uma imagem fotorrealista dele é desenhada pela polícia (junto com os outros meninos), sua mãe, Sheila Broflovski, comenta que é "uma espécie de desenho ruim".

Em "The List", Kyle foi eleito o garoto mais feio na classe dos dezesseis alunos da classe. Isso abala a confiança de Kyle, ele se inclina para o nível dos garotos desajustados e feios na escola (que é tão feio que ele ainda se destaca), e começa a pensar sobre a destruição de sua escola. Eventualmente, Stan e Kyle conversam sobre o assunto. Wendy informou que a lista foi o resultado de um compromisso corrupto pouco antes de Kyle começar a atear fogo na escola, e ambos se apressam para aliviar Kyle e impedir que ele destrua a escola.

A aparência de Kyle está drasticamente diferente do original do curta de Natal: em vez de sua jaqueta laranja, ele usava uma jaqueta verde, e em vez de um Ushanka, ele usava um boné de beisebol amarelo e parecia muito semelhante ao de Stan.

Para ver imagens de Kyle, visite Galeria de Kyle Broflovski

Personalidade[editar | editar código-fonte]

Originalmente, a personalidade de Kyle era extremamente semelhante a de Stan - ele tinha uma enorme moral, e geralmente era o "bom menino" do grupo, muitas vezes sendo o único a dizer o famoso "eu aprendi alguma coisa hoje" no final dos episódios. Depois que o plano para matar Kyle (pois os criadores achavam que Kyle era um personagem inútil devido sua semelhança a Stan) foi abandonado na quinta temporada (que foi entregue, previsivelmente, a Kenny) sua personalidade foi alterada - mais notavelmente, seu temperamento consideravelmente reduzido.

Kyle tem crenças muito fortes, e quando é forçado a questioná-los, ele fica muito triste e tem um pouco de pavio curto (especialmente quando se trata de Cartman. Isto já causou uma série de brigas entre os dois meninos). Para a maior parte, Kyle baseia suas decisões em ambas as suas emoções e crenças, por isso, ele é facilmente persuadido a brigas ou manipulado por seus sentimentos, um exemplo disso é quando Cartman cantou uma canção sobre sua mãe ser uma "vadia" e fez com que todos rissem, o que irritou Kyle. Como resultado, isso já aconteceu pelo menos duas vezes (South Park: Bigger, Longer and Uncut, "Mr. Hankey, o Poo Natal"). Cartman fica mais do que feliz em fazer chacota da cara de Kyle de outras maneiras também, que o colocou em muitas situações problemáticas. No entanto, Kyle tem a tendência de abandonar as suas crenças, quando ele recebe muito dinheiro e ele insiste em se auto-justificar, apesar de saber quão errado ele é, ele só muda de ideia quando ele percebe que está se transformando em Cartman (Crack Baby Athletic Association).

Kyle parece ter um forte instinto fraternal. Apesar de seu desagrado inicial depois de saber que Ike era seu irmão adotivo de "Wee Wee Ike", ele mostra sua ligação com Ike e protege-o quando Ike estava em perigo imediato. Kyle, em inúmeros episódios, tem o objetivo de benificar Ike ou aprimorar seu bem-estar. ("It's Christmas in Canada", "Miss Teacher Bangs a Boy", "Canada on Strike", "Fatbeard", e "Dead Celebrities") no "The Jeffersons", ele foi o primeiro a mostrar preocupação com o filho mais novo vizinho ao ver que arranhara seu joelho, enquanto seu pai, o "Mr. Jefferson", o ignorava. Durante todo o episódio, Kyle voluntariamente ajuda Blanket: Leva-o para casa de Stan depois de mostrar indignação quando Blanket foi encontrado sozinho no quintal de Kyle, tentando escondê-lo de seu pai negligente, e defendê-lo, entregando que Mr.Jefferson deveria ser mais responsável para Blanket o bem-estar e devem agir como mais uma figura paterna.

Apesar de seu pavio curto, Kyle tem uma imaginação imensa e é facilmente o mais compassivo dos meninos, evidente pelo modo como ele não encontrou a fofoca invasiva de espião para ser divertido ao contrário da maioria das outras crianças de sua turma. Ele mostra uma empatia genuína por um raciocínio que os outros não iriam achar um site engraçado se falassem sobre eles (Bass in the Mouth). Embora, Kyle também pode ser mediano e, por vezes neurótico. Ele também é conhecido por ser o mais sensato e inteligente dos quatro e, embora às vezes ele coloque suas próprias emoções antes de senso comum, ele geralmente consegue encontrar soluções lógicas para os problemas - soluções que são muitas vezes ignorados em favor de algo ridículo (As habilidades psíquicas de Cartman, por exemplo - embora Kyle conseguiu oferecer sua solução através de suas próprias habilidades psíquicas igualmente fraudulentas, como em "Cartman's Incredible Gift"). Esta é mais uma coisa que irrita Kyle.

Família[editar | editar código-fonte]

Kyle Broflovski é filho de Sheila Broflovski e Gerald Broflovski. Sua avó se chama Cleo Broflovski. Tem um irmão canadense adotado chamado Ike.

Relações[editar | editar código-fonte]

  • Stan Marsh: É seu melhor amigo juntos participam de todos os episódios e raramente entram em conflitos.
  • Eric Cartman: São amigos, porém muitas vezes acabam brigando, pois Eric é considerado O malvado do grupo e Kyle é sempre o bom menino e isso é motivo de terem vários conflitos em muitos episódios. Por exemplo, Eric o provoca chamando de Judeuzinho entre outros e sempre que quer fazer algum plano maligno Kyle tenta impedir, como no episódio "Até o Fim dos Esteróides". No episódio "O Barba Gorda", Kyle torna-se prisioneiro dos piratas liderados pelo "Capitão Cartman" e é forçado a andar na prancha.
  • Kenny McCormick: São ótimos amigos e sempre ficam juntos e nunca entraram em conflitos e ficaram juntos no episódio em que iriam votar qual seria o novo mascote da escola e ganharam a votação quando criaram o babaca inútil. Muitas vezes, foi considerado o melhor amigo de Kyle.
  • Butters Stotch: São grandes amigos e ficaram bem próximos quando ocorreu a morte temporária de Kenny.
  • Ike Broflovski: É seu irmão mais novo e juntos participam vários episódios juntos na série. Em muitos episódios, Kyle tenta ajudá-lo como em "O Brizz de Ike", "É Natal no Canadá" e "Canadá em Greve" entre outros. Ike passa a ser um personagem destacável e pode ser considerado um dos coadjuvantes.