Renata Abreu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Renata Abreu
Deputada Federal por São Paulo
Período 1º de fevereiro de 2015
até atualidade
Presidente Nacional do Podemos
Período 1º de julho de 2017
até atualidade
Dados pessoais
Nome completo Renata Hellmeister de Abreu
Nascimento 15 de abril de 1982 (39 anos)
São Paulo, São Paulo
Progenitores Mãe: Maria Cristina Hellmeister de Abreu
Pai: José Masci de Abreu
Cônjuge Gabriel Melo
Partido PODE (2001-presente)
Profissão Advogada
Website Website oficial

Renata Hellmeister de Abreu Melo (São Paulo15 de abril de 1982) é uma administradora de empresas, advogada e política brasileira.

É presidente nacional do Podemos (PODE) e deputada federal por São Paulo desde 2015, quando foi eleita com 86.647 votos. Na eleição de 2018, foi reeleita com 161.239 votos. Foi líder da bancada do partido,[1] que conta com 13 deputados. Única mulher no Colégio de Líderes da Câmara Federal. É autora do projeto de lei que resultou na Lei 13.931/2019, que aumenta a segurança das mulheres vítimas de violência.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Renata Hellmeister Abreu nasceu em 15 de abril de 1982 em São Paulo. Casada e tem três filhos, Felipe, Rafael e José. É filha de José Masci de Abreu, deputado federal por dois mandatos, e sobrinha do ex-deputado Dorival de Abreu, parlamentar cassado pela ditadura e preso político com cassação de direitos. É formada em Direito pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, com pós-graduação em Direito Eleitoral, e administração de empresa na Fundação Getúlio Vargas.[2] Desenvolve ações sociais no Centro de Tradições Nordestinas (CTN) voltado a projetos de assistência à população carente da capital de São Paulo e perpetuação dos costumes, crenças e tradições do povo do Nordeste.

Votou a favor do Processo de impeachment de Dilma Rousseff.[3] Já durante o Governo Michel Temer, votou a favor da PEC do Teto dos Gastos Públicos.[3] Em abril de 2017 foi favorável à Reforma Trabalhista.[3] [4] Em agosto de 2017 votou a favor do processo em que se pedia abertura de investigação do presidente Michel Temer.[3][5]

Em 2018, foi reeleita para o cargo de deputada federal, com 161.239 votos.[6] Em julho de 2019, votou a favor da Reforma da Previdência proposta pelo governo Bolsonaro.[7] Em dezembro de 2019, foi sancionada a Lei 13.931/2019 que se originou do Projeto de Lei 2538/2019 de sua autoria, para que os casos em que houver indícios ou confirmação de violência contra a mulher atendida em serviços de saúde públicos e privados sejam comunicado às autoridades policiais em até 24 horas.

Referências

  1. «Líder da Bancada do PTN na Câmara». Câmara dos Deputados. Consultado em 24 de Junho de 2016 
  2. «Câmara concede Título de cidadã itaquaquecetubense à Deputada Federal Renata Abreu». Câmara Municipal de Itaquaquecetuba. 12 de setembro de 2017. Consultado em 9 de junho de 2020 
  3. a b c d G1 (2 de agosto de 2017). «Veja como deputados votaram no impeachment de Dilma, na PEC 241, na reforma trabalhista e na denúncia contra Temer». Consultado em 11 de outubro de 2017 
  4. Redação (27 de abril de 2017). «Reforma trabalhista: como votaram os deputados». Consultado em 18 de setembro de 2017 
  5. Carta Capital (3 de agosto de 2017). «Como votou cada deputado sobre a denúncia contra Temer». Consultado em 18 de setembro de 2017 
  6. «Senadores e deputados federais/estaduais eleitos: Apuração e resultado das Eleições 2018 SP». UOL Eleições 2018. Consultado em 9 de junho de 2020 
  7. «Previdência: o voto de cada deputado». Congresso em Foco. 10 de julho de 2019. Consultado em 9 de junho de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço relacionado ao Projeto Biografias de Políticos. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.