Série 2550 da CP

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Série 2550
Tren.svg
Locomotivas 2560 e 2557, junto ao terminal Somincor.
Descrição
Propulsão Elétrica
Locomotivas fabricadas 20
Tipo de serviço Linha
Características
Bitola Bitola ibérica
Operação
Ano da entrada em serviço 1963-1964
Ano da saída do serviço 2009
Situação Fora de serviço

A Série 2550 é um tipo de locomotiva, que foi utilizada pela operadora ferroviária Caminhos de Ferro Portugueses e pela sua sucessora, Comboios de Portugal.

História[editar | editar código-fonte]

Produção e entrada ao serviço[editar | editar código-fonte]

Locomotivas 2550 e 2500 com algumas diferenças (posição e tamanho das janelas) em evidência. (Entroncamento, 2008)

Esta família de locomotivas foi introduzida entre 1963 e 1964[1][2], para assegurar os serviços nas linhas que foram electrificadas, no âmbito da segunda fase do programa de electrificação.[2] Por exemplo, passaram a rebocar os principais serviços de passageiros entre Lisboa e o Porto, como o Foguete.[1]

Foram fabricadas em Portugal[3], por um consórcio entre o Groupement d`Étude et Electrification des Chemins de Fer en Monophasé 50 Hz e as Sociedades Reunidas de Fabricações Metálicas.[2] As caixas foram construídas em aço inoxidável canelado, nas instalações da Amadora da SOREFAME, com licença da Budd Company, para reduzir os pesos mortos, e para que o design das locomotivas ficasse semelhante às carruagens metalizadas da Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses, produzidas por aquela empresa americana.[1][2] Estas foram as primeiras locomotivas no mundo a utilizar este método de construção nas caixas.[1]

Os bogies foram produzidos em Portugal, mas foram planeados na Alemanha, pela casa Henschel Werke.[2]

Junto com as locomotivas da Série 2500, constituíam o parque de locomotivas a tracção eléctrica da Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses, em finais de 1965.[3]

Abate ao serviço[editar | editar código-fonte]

Após a entrada da Série 2600, em 1974, foram sendo progressivamente afastadas dos comboios de passageiros, tendo sido, junto com as locomotivas da Série 2500, destacadas para rebocar composições de mercadorias.[1] Os últimos comboios de passageiros feitos por estas locomotivas foram realizados na Década de 1990.[1] Por outro lado, tinham graves problemas de instabilidade na suspensão em velocidades próximas dos 100 km/h.[1]

Em 1994, as cabines da locomotiva número 2565 foram pintadas de encarnado, para testar o novo esquema de cores que a operadora Caminhos de Ferro Portugueses pretendia introduzir nas suas locomotivas.[4] Apesar do esquema requerer que o corpo da locomotiva fosse pintado de cinzento, em contraste com as cabinas encarnadas, decidiu-se, neste caso, que o corpo ficaria sem pintura, com a cobertura em aço original; este esquema seria, posteriormente, aplicado a todas as outras locomotivas da mesma série.[4]

Foram, na sua totalidade, abatidas ao serviço após a introdução das locomotivas da Série 4700, em 2009.[1]

Caracterização[editar | editar código-fonte]

Esta série era constituída por 20 locomotivas elétricas, do tipo Bo Bo – 2500, para serviço de linha, em vias de bitola ibérica.[5][6] A configuração dos rodados era em Bo’Bo’[5][3], e a tensão utilizada era de 25kV 50Hz.[5][3]

As rodas, quando novas, possuíam 1300 mm de diâmetro.[5] A transmissão era hidráulica.[1]

Cada veículo contava com 4 motores de tracção, do tipo TAO–645 A1 da Alstom; cada motor contava com 187 CV de potência, sendo 560 CV disponíveis para utilização[1][5] A potência nominal era de 2053 kW ou 2790 CV[5] O esforço de tracção, no arranque, era de 185 kN.[5]

A velocidade máxima era de 120 km/h, sendo a velocidade correspondente ao regime contínuo de 62 km/h.[2][5] O peso em ordem de marcha era de 70,5 t.[5][2]

Ficha técnica[editar | editar código-fonte]

Locomotiva número 2552, utilizando uma caixa da Série 2500.
  • Características de exploração
    • Ano de entrada ao serviço: 1963 - 1964[5][2]
    • Ano de saída ao serviço: 2009[1]
    • Número de unidades construídas: 20 (2551–2570)[5][2][6]
    • Tipo de serviço: Linha[6]
  • Dados gerais
    • Bitola de Via: 1668 mm[5]
    • Tipo de tracção: Elétrica[6]
    • Tensão: 25kV 50Hz[5]
    • Tipo de locomotiva (construtor): Bo Bo – 2500[5]
    • Disposição dos rodados: Bo’Bo’[5][3]
    • Diâmetro das rodas (novas): 1300 mm[5]
  • Transmissão
  • Motores de tracção
    • Fabricante: Alsthom - Siemens[1]
    • Potência: 187 CV (por motor): 560 CV disponíveis para utilização[1]
    • Potência nominal (rodas): 2053 kW / 2790 CV[5]
    • Quantidade: 4[5]
    • Tipo: TAO–645 A1[5]
  • Partes mecânicas
  • Características de funcionamento
    • Velocidade máxima: 120 km/h[5]
    • Velocidade correspondente ao regime contínuo: 62 km/h[2]
    • Esforço de tração:
      • No arranque: 185 kN[5]
  • Pesos
    • Condições:
      • Peso em ordem de marcha: 70,5 t[5][2]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l m n o p CUNHA, João (5 de Junho de 2006). «Locomotivas Elétricas de Via Larga da Série 2550». Transportes XXI. Consultado em 27 de Julho de 2012 
  2. a b c d e f g h i j k «Otros países, otras noticias». Madrid. Via Libre (em espanhol). 1 (12). 24 páginas. 1 de Dezembro de 1964 
  3. a b c d e «Otros países, otras noticias». Madrid. Via Libre (em espanhol). 2 (24). 24 páginas. 1 de Dezembro de 1965 
  4. a b BRAZÃO, Carlos (1994). «Noticias». Maquetren (em espanhol). 3 (21). Madrid: Resistor, S. A. 63 páginas 
  5. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v «Locomotivas Elétricas Série: 2500 (2551-2570)». Comboios de Portugal. Consultado em 3 de Dezembro de 2010 
  6. a b c d «CLP freight locomotives and shunters» (em inglês). Railfaneurope. 29 de Maio de 2009. Consultado em 3 de Dezembro de 2010 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre as locomotivas da Série 2550

Ligações externas[editar | editar código-fonte]



Ícone de esboço Este artigo sobre transporte ferroviário é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.