Série E81 a E86 da CP

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Série E81 a E86
BSicon exlDAMPF.svg
Locomotiva E86 no Museu Ferroviário de Macinhata do Vouga.
Descrição
Propulsão Vapor
Fabricante Maschinenfabrik Esslingen
Características
Bitola Bitola métrica
Operação
Ano da entrada em serviço 1886

A Série E81 a E86, igualmente conhecida como Série E80, foi um tipo de locomotiva a tracção a vapor, que foi parte da frota da Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses. Foram encomendadas pela Companhia Nacional de Caminhos de Ferro, possuindo originalmente a numeração de 1 de 6 daquela empresa.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Estas locomotivas foram construídas em 1886 pela casa alemã Maschinenfabrik Esslingen para a Companhia Nacional de Caminhos de Ferro, para serem utilizadas na inauguração do primeiro lanço da Linha do Tua, entre Foz Tua e Mirandela.[1] Apresentavam originalmente a numeração de 1 a 6 da Companhia Nacional, mas quando chegaram as locomotivas da E50 em 1889, para funcionar na Linha de Santa Comba Dão a Viseu, também lhes foi atribuída a mesma numeração, gerando alguma confusão entre as duas famílias de locomotivas, que só foi resolvida quando estas foram renomeadas para 11 a 16, por volta de 1934.[1]

Durante o seu funcionamento, estas locomotivas foram alvo de várias alterações, especialmente em relação às caixas de fumo, caixas de areia, capitéis da chaminé, válvulas de segurança, pavilhões das locomotivas, e nos tanques de água.[1]

Em 1947, as linhas da Companhia Nacional foram integradas na Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses, incluindo o material circulante, tendo estas locomotivas recebido uma nova numeração, de E81 a E86.[1] Até então, esta série apenas tinha circulado na Linha do Tua, mas com a integração na C. P. foram distribuídas por outras linhas de via métrica, nomeadamente na rede suburbana do Porto e nas linhas do Vouga.[1] No caso do Porto, vieram fazer os comboios até Matosinhos, Póvoa de Varzim, Famalicão e Lousado, substituindo as locomotivas mais pequenas que tinham pertencido à Companhia dos Caminhos de Ferro do Norte de Portugal, tendo sido destacadas primeiro as E83 e E85, e depois as E84 e E86.[1] A E86 ainda passou algum tempo na rede do Vouga, onde fazia os comboios que normalmente eram rebocados pelas locomotivas da Série E90, entre Sernada do Vouga e Aveiro.[1]

Nos princípios da Década de 1970, saíram do serviço as locomotivas E84 e E85, tendo sido parqueadas na Estação de Porto-Boavista até serem abatidas no final dessa década.[1] As E83 e E86 duraram mais alguns anos, tendo a primeira permanecido até ao final da tracção a vapor na rede métrica do Porto, entre 1976 e 1977, enquanto que a segunda provavelmente terá saído do serviço em 1975.[1] Ambas as locomotivas estiveram na estação de Lousado até cerca de 1983.[1] Por seu turno, as locomotivas E81 e E82 ficaram na Linha do Tua até serem abatidas ao serviço em meados dos anos 70.[1]

Cerca de 1974, as locomotivas desta série receberam a numeração UIC, de 3-059081 a 086.[1]

Apenas duas locomotivas desta série foram preservadas em museus, utilizando a numeração original da Companhia Nacional de Caminhos de Ferro, embora já não apresentem o seu aspecto primitivo.[1] A E86 esteve ao abandono em Lousado até 1983, quando foi transferida para Macinhata do Vouga e preservada com o número 16, enquanto que a E82 foi guardada em Bragança com o número 1.[1] Quando a E81 foi demolida nos princípios da Década de 1980, alguns dos seus componentes foram mudados para a E82, que teve a sua numeração alterada para E81 aquando das obras de preservação, talvez para coincidir com a numeração original da Companhia Nacional.[1]

Caracterização[editar | editar código-fonte]

Esta série era composta por 6 locomotivas, numeradas originalmente de 1 a 6 e depois de 11 a 16 da Companhia Nacional de Caminhos de Ferro, e finalmente de 81 a 86 da Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses.[1] Eram muito semelhantes às locomotivas da Série E50, tendo sido fabricadas pela mesma empresa, embora as superfícies de aquecimento e da grelha fossem muito maiores do que as das suas congéneres.[1]

Possuíam três eixos motores mais um eixo livre à frente, para suportar o peso da caldeira, que era muito mais pesada do que nas locomotivas E50, formando assim um esquema do tipo 1-3-0T.[1]

Ficha técnica[editar | editar código-fonte]

Características gerais[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre a série E81 - E86 da CP

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w NUNES, Nuno Miguel (2005). «Locomotivas da série E81 a E86». O Foguete. 4 (15). Entroncamento: Associação de Amigos do Museu Nacional Ferroviário. p. 32-34. ISSN 124550 Verifique |issn= (ajuda) 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]



Ícone de esboço Este artigo sobre locomotiva a vapor é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.