Le Petit Vingtième

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Le Petit Vingtième foi um suplemento semanal do jornal belga Le Vingtième Siècle, publicado de 1928 a 1940. As primeiras Aventuras de Tintim foram publicadas neste suplemento.

História[editar | editar código-fonte]

Le Vingtième Siècle era um jornal conservador, e católico, dirigido pelo abade Norbet Wallez. A partir de 1925, Hergé, criador de Tintim, também trabalhou neste jornal, primeiro como empregado de escritório, e depois do serviço militar como ilustrador das páginas principais, e de suplementos de assuntos femininos e de arte.

Em 1928, Norbet Wallez decide criar um suplemento de oito páginas, direccionado para os jovens, com edição semanal à quinta-feira. O nome escolhido foi Le Petit Vingtième. Hergé foi escolhido para editor-chefe. A primeira edição, em 1 de Novembro de 1928, incluía histórias de criadas por Desmedt, o editor desportivo, chamadas Les Aventures de Flup, Nénesse, Pousette et Cochonet. Hergé considerava estas histórias pouco apelativas, e antiquadas, comparativamente às bandas desenhadas norteamericanas e aos trabalhos de Alain Saint-Ogan, e decidiu criar as suas próprias histórias.

Ainda no mesmo ano, Hergé ficou noivo de Germaine Kieckens, a secretária de Norbet Wallez, casando-se em 1932.

Em 10 de Janeiro de 1929, na edição nº11, foi publicado Tintim no País dos Sovietes, a primeira história das Aventuras de Tintim. Cada edição incluía duas páginas da história, e muitas capas do suplemento mostravam Tintim. Um ano mais tarde, em 23 de Janeiro de 1930, surge a primeira história cómica de Quick & Flupke (Quim e Filipe). Seguiram-se mais 310 histórias até ao fecho da revista.

O suplemento foi um sucesso, em especial as bandas desenhadas, fazendo com que a revista principal vendesse cerca de cinco vezes mais, quando aquele era publicado. Após a publicação das primeiras três aventuras de Tintim, foi organizado um evento na estação de Bruxelas, onde a personagem principal foi interpretada por um actor, e onde assitiram milhares de pessoas. Entretanto, foram contratados dois assistentes para apoiar Hergé nas histórias de Quim e Filipe, Eugène Van Nijverseel (conhecido por Evany), e Paul Jamin (conhecido por Jam).

Aproveitando o sucesso do Le Petit Vingtième, surge uma nova editora, Les éditions du Petit Vingtième, que edita os três primeiros livros de Tintim, e os dois de Quim e Filipe. Após o encerramento desta editora, os direitos de autor são comprados pela Casterman, em 1934, mais vocacionada internacionalmente, para gerir o sucesso de Tintim. Tanto o suplemento, como os livros, eram em preto-e-branco, excepto as capas, coloridas por Hergé.

Entre 8 de Fevereiro e 16 de Agosto de 1934, Hergé também publica Les aventures Popol et Virginie chez les Lapinos. Só em 1952, estas histórias são publicadas em livro (versão francesa).

Em Fevereiro de 1940, foi feita uma tentativa de editar este suplemento nos Países Baixos, com o nome De Bengel. Foi a primeira vez que Tintim era dado a conhecer neste país. No entanto, apenas uma cópia terá sido publicada.

As histórias de Tintim, e de Quim e Filipe, continuaram até Maio de 1940, data da invasão dos alemães na Bélgica.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]