My Chemical Romance

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde setembro de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde setembro de 2012).
Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
My Chemical Romance
My Chemical Romance rain.jpg
A banda, em meio a chuva, em concerto no Beale Street Festival em Memphis, Tennessee, Estados Unidos, durante a Tour Mundial The Black Parade.
Informação geral
Origem Nova Jersey
País  Estados Unidos
Gênero(s) Rock alternativo
Gêneros disputados (ver tópico)
Período em atividade 20012013
Gravadora(s) Eyeball Records (20012003)
Reprise Records (2003–2013)
Warner Music
Afiliação(ões) Pencey Prep
Leathermouth
Página oficial My Chemical Romance.com
Integrantes Gerard Way
Mikey Way
Frank Iero
Ray Toro
Ex-integrantes Bob Bryar
Matt Pelissier

My Chemical Romance (geralmente abreviado para MCR ou My Chem) foi uma banda de rock dos Estados Unidos formada em 2001 em Nova Jérsei.

Os integrantes são oriundos de Belleville e Kearny, Nova Jérsei. O nome da banda foi ideia do baixista Mikey Way, que retirou-o do livro "Ecstasy: Three Tales of Chemical Romance" de Irvine Welsh. Foram eleitos pela Revista Kerrang! a 5° Banda mais influente dos últimos 30 anos.[1] Em 2008 o Blog do Portal MTV declarou que a banda possuí um dos maiores cachês para apresentações ao vivo, cobrando um mínimo de 150 mil dólares por show[2]

História[editar | editar código-fonte]

Primeiros anos (2001/2002)[editar | editar código-fonte]

A banda foi formada pelo vocalista Gerard Way e pelo ex-baterista Matt Pelissier. A primeira canção escrita é Skylines and Turnstiles, escrita por Gerard, na qual ele fala sobre seus sentimentos sobre os Ataques terroristas de 11 de Setembro. Pouco tempo depois, Ray Toro, Mikey Way (irmão de Gerard) e Frank Iero se juntaram ao grupo.

Desde o começo, My Chemical Romance é caracterizado por uma estética escura e por letras que falam de morte, amor e problemas pessoais.

Gravaram seu primeiro álbum em 2002, I Brought You My Bullets, You Brought Me Your Love, pela Eyeball Records. Após o lançamento do CD eles iniciaram turnês com bandas como The Used, Thrice e Taking Back Sunday.Nos primeiros anos da banda abriram varios show de bandas como Green Day, Mindless Self Indulgence e The Used.

Sucesso com Three Cheers for Sweet Revenge (2004)[editar | editar código-fonte]

My Chemical Romance assinou um contrato com a gravadora Reprise Records em 2003 e começou a trabalhar em seu segundo álbum, Three Cheers for Sweet Revenge, lançado em 2004, e que rendeu ao grupo um disco de platina um ano depois( venda de mais de 2 milhões de copias). É considerado um álbum conceptual, uma continuação de uma das músicas do primeiro álbum da banda, Demolition Lovers, que conta a história de um casal fora-da-lei morto em um tiroteio. Ele acaba no Purgatório, e o único meio de chegar até ela é voltar a Terra e matar mil homens maus. Do álbum resultaram três singles, I'm Not Okay (I Promise), Helena e The Ghost of You.

Desde o lançamento, eles mostraram a importância do Vans Warped Tour, foram destaque do primeiro Taste of Chaos Tour e também abriram a apresentação de Green Day na turnê American Idiot. Em 2005 foram destaque do Vans Warped Tour 2005, e também de sua primeira turnê com o Alkaline Trio. My Chemical Romance e The Used trabalharam juntos em um cover de "Under Pressure", que foi lançada em impressões posteriores do álbum In Love and Death, do The Used. A canção foi gravada para um álbum que tinha como objetivo arrecadar fundos para ajudar as vítimas do Tsunami de 2004.

Mudanças com The Black Parade (2006)[editar | editar código-fonte]

Em 21 de Março 2006 a banda lançou o DVD Life on the Murder Scene, que inclui dois volumes sobre a história da banda e um álbum ao vivo. A obra foi adiada duas vezes, primeiro surgiram rumores de que seria lançado em 8 de Novembro de 2005 e foi adiado para 7 de Fevereiro de 2006, mas foi adiado novamente para a data em vigor atualmente. Ele contém aproximadamente 4h30min de informações sobre a banda, making offs, videoclipes e apresentações ao vivo, além de entrevistas com pessoas que tiveram contato com a banda, incluindo produtores, cantores de outras bandas e amigos, entre outros.

Evento de lançamento do The Black Parade.

A banda também esteve trabalhando em seu terceiro álbum, intitulado The Black Parade, que foi lançado dia 24 de Outubro de 2006. A banda começou a gravar o álbum em 10 de Abril do mesmo ano, com Rob Cavallo (que produziu todos os álbuns da banda Green Day desde Dookie com exceção de Warning).[1] The Black Parade conta a história de um homem à beira da morte no hospital, morrendo de cancro (câncer) e recordando a sua vida, iniciando pela época em que era criança, quando o pai o levou em um desfile negro, mas dizem outras fontes também que foi ideia de Gerard que a morte ou ceifeiro da morte nos vinha buscar num desfile negro. O título seria também o alter-ego dos integrantes da banda.

Recentemente a banda já apresentou em concerto canções como Dead, I Don't love you e Cancer, entre outras. O novo single já está em rodagem pelas televisões do mundo fora. Welcome to the Black Parade foi retirado do novo álbum e introduz também o novo visual da banda representando os seus alter-egos. A canção já foi inclusive apresentada no pré-espetáculo do VMA 2006. No videoclipe da canção, o vocalista Gerard Way tingiu o seu cabelo preto de branco/loiro e o encurtou. O baixista Mikey tirou os óculos. Começou também o Skeleton Crew, um coro de pessoas vestidas de esqueleto que acompanham a banda na sua parada negra. A banda também editou o seu disco em vinil com os B-sides, como "Famous Last Words" e "Welcome to the Black Parade" em versão Live e "Heaven Help Us", "Kill All Your Friends" e My Way Home Is Through You".

My Chemical Romance, apresentação com fogo, durante a tour do The Black Parade.

Em entrevistas Gerard Way, falou que tomariam um merecido e verdadeiro descanso e disse que poderiam passar anos para o lançamento do próximo disco.

Em 24 de setembro de 2007, se fala que o grupo pretende lançar mais singles do álbum The Black Parade e que estes vídeos seram dirigidos por Gerard Way. Se planeja que o próximo single seja Mama, mas ainda não há uma data concreta para o lançamento.

No concerto de 4 de outubro de 2007 em Monterrey, México no Auditorio Coca-Cola, Way retomou com a apresentação do Paciente. O grupo se destacou com as canções "Mama" e "Famous last words", em quais apresentam um espetáculo com fogo muito bem realizado. No final Way expresou em perfeito espanhol: "¡Gracias México, gracias Monterrey!".

No início de 2008 a banda finalmente teve a sua passagem pela america latina. Tendo assim quatro shows pelo Brasil, sendo essas cidades Rio de Janeiro, São paulo(que foram dois) e Curitiba. Algum tempo depois, a banda comunicou que tiraria alguns meses de férias, pararam assim no dia 9 de maio de 2008 em seu último show na Madison Square Garden, em New York.

Dias depois, ouve boatos que em 2008 lançariam seu segundo DVD, titulado The Black Parade Is Dead!, que conterá o concerto feito em 7 de outubro na Cidade do México, no Palacio de los Deportes e um show em Maxwell's. Foi lançado dia 1 de Julho de 2008.

Próxima página... O seguinte passo e Danger Days: The True Lives of the Fabulous Killjoys (2010)[editar | editar código-fonte]

Em dezembro de 2008, Mikey Way, baixista da banda, afirma que o próximo álbum não seguirá a linha conceitual e que será uma grande surpresa, até mesmo para os integrantes. "Já fizemos três discos conceituais, então, que o próximo… não quero pensar em uma história definida.", disse Mikey. "Escrevemos canções que soam como Rick Springfield, umas semana depois, se transformaram em algo como Children of Bodom. Sei que será um grande disco, só não sei como vai soar. Iremos nos surpreender tanto quanto todo mundo.", completou.

Em 27 de Janeiro de 2009, a banda lançou um single/cover do Bob Dylan, Desolation Row. Zack Snyder, direto do filme Watchmen, produção baseada na celebrada HQ de Alan Moore, confirmou que esse single irá para a trilha sonora do filme.

Em 3 de Junho de 2009, o grupo colocou no site oficial fotos com pistas para que os fãs decifrassem-as e descobrissem coisas sobre o novo CD, que estaria sendo gravado. Se percebe claramente palavras e frases como: "The World Is Ugly", "Still Alive", "Tokyo Death" e "City Lights".

Em agosto de 2009, a banda apresentou três músicas novas no Roxy, chamadas "Death Before Disco", "LA Heavy" e "Drugs".

A 29 de Dezembro de 2009, a revista Spin anunciou que ouviu 7 das faixas já gravadas para o novo album: “Death Before Disco,” “Save Yourself,” “Trans Am,” “Only Hope,” “Light Behind Your Eyes,” “Black Dragon Fighting Society,” e “L.A. Heavy.”

Em 3 de março de 2010, o grupo comunicou em sua página oficial o fim de Bob Bryar na banda (por motivo de divergências musicais), que foi por mais de cinco anos o baterista.


Na ComicCon 2010 Gerard Way disse em uma entrevista que o álbum já estava terminado e que não poderia fazer mais quadrinhos por enquanto por causa disso.

Em 17 de Setembro de 2010, a banda lançou no canal do YouTube um vídeo onde informava o nome do quarto álbum, onde cantava uma música com "na na na" e sem data alguma de lançamento. O nome do novo álbum é Danger Days: The True Lives of the Fabulous Killjoys e foi lançado no dia 22 de Novembro de 2010. O primeiro single do álbum, Na Na Na teve seu clipe lançado e dirigido por Gerard Way. Também lançaram The Only Hope For Me Is You, mas sem clipe. O álbum Danger Days teve sucesso nos EUA, recentemente a banda lançou o vídeo da música The Kids From Yesterday.

No dia 02 de Setembro de 2011, Frank Iero, comunicou através do site oficial da banda a saída do baterista Michael Pedicone, após ele ser pego roubando a banda. Não foi esclarecido o que foi roubado.

Conventional Weapons e quinto álbum de estúdio (2012-presente)[editar | editar código-fonte]

Em fevereiro de 2012, os membros do My Chemical Romance revelaram que estavam construindo um estúdio em Los Angeles para gravar o quinto álbum (o qual será mais "dark"). A banda estaria trabalhando com o engenheiro Doug McKean, que já trabalhou com o My Chemical Romance no The Black Parade e Danger Days: The True Lives of the Fabulous Killjoys.[3] Em 14 de setembro de 2012, Frank Iero anunciou através do site oficial da banda um novo projeto intitulado Conventional Weapons. O CW trás 10 músicas inéditas que foram gravadas em 2009 (ainda com Bob Bryar), e é um EP que representa o álbum que foi desfeito antes do Danger Days: The True Lives of the Fabulous Killjoys. É composto pelas músicas que não foram encaixadas no CD. Serão lançadas duas músicas por mês, durante cinco meses, começando em outubro.[4]

Com o lançamento do CW, uma HQ de Killjoys produzida por Gerard e alguns shows de Iero com a Leathermouth, supõe-se que o MCR5 (como Gerard afirmou ser o nome provisório numa entrevista) só irá ser lançado no segundo semestre, pois antes disso deve haver uma divulgação do álbum, mudanças no site oficial com algumas "pistas" e os singles.

O fim[editar | editar código-fonte]

No dia 22 de março de 2013 foi anunciado o fim da banda através de uma publicação no site oficial, onde dizia:

"Estar nesta banda nos últimos 12 anos têm sido uma verdadeira benção. Pudemos ir a lugares que nunca pensaríamos ir. Nós fomos capazes de ver e experimentar coisas que nunca imaginávamos ser possíveis. Nós temos compartilhado o palco com pessoas que nós admiramos, pessoas que respeitamos, e acima de tudo, os nossos amigos. E agora, tal como todas as coisas grandes, chegou o tempo para acabar. Muito obrigado pelo apoio e por serem parte da aventura.

My Chemical Romance"[5]

May Death Never Stop You: Greatest hits 2001-2013[editar | editar código-fonte]

No dia 29 de novembro de 2013, via twitter, Gerard Way anunciou a finalização de um trabalho, que havia previamente postado, também via twitter, que estava trabalhando em algo especial. A cada do álbum May Death Never Stop You justifica o misterioso trabalho do vocalista da extinta My Chemical Romance. O álbum, com lançameno previsto para março, conta com uma coletânea de sucessos de todos os álbuns previamente lançados. A gravação foi confirmada pelo próprio Gerard à Warner Bros.

Disputas sobre gêneros e influências da banda[editar | editar código-fonte]

Os integrantes da banda citam que inspiram-se em filmes, especialmente os de terror, para compor e para apresentar-se ao vivo. Possuem algumas influências como Thursday, The Smiths, The Cure e The Misfits[2]. O estilo musical da banda é muito debatido, mas de modo geral são misturados elementos de vários estilos, como rock alternativo, post-hardcore, pop punk e punk rock.[3]. Gerard Way disse em uma entrevista, que sua banda é apenas uma banda de rock, que toca sobre vida e morte. A banda também é frequentemente rotulada como emo,[6] [7] [8] [9] apesar do vocalista Gerard Way afirmar que odeia o estilo.[10]

Integrantes[editar | editar código-fonte]

Última formação[editar | editar código-fonte]

Ex-integrantes[editar | editar código-fonte]

Integrantes de tour[editar | editar código-fonte]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio
Ano Álbum
2002 I Brought You My Bullets, You Brought Me Your Love
2004 Three Cheers for Sweet Revenge
2006 The Black Parade
2010 Danger Days: The True Lives of the Fabulous Killjoys

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. Referência de Rolling Stone Counter. A banda também é, por vezes, classificada como sendo de punk rock ou pop punk. O vocalista Gerard Way, falou que não considera sua banda como emo. No myspace [4] da banda foi definido que era uma mistura de metal, post-hardcore e punk rock. ArtistDirect.com
  2. Pause and Play, Punknews.org

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui multimídias sobre My Chemical Romance