Ununpêntio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O ununpêntio (nome provísório atribuido pela IUPAC), "elemento 115" ou eka-bismuto é um elemento químico sintético, de símbolo temporário Uup e número atômico 115.

É um elemento transurânico, radioativo, provavelmente metálico e sólido. A descoberta foi anunciada por cientistas russos e norte-americanos no início de 2004.[1] Em setembro de 2013 pesquisadores suecos, da universidade de lund, também conseguiram criar o mesmo elemento ratificando o experimento de 2004. [2]


História[editar | editar código-fonte]

Em 1 de fevereiro de 2004, a síntese dos elementos unúntrio e ununpêntio foi relatada por uma equipe composta de cientistas russos na Universidade de Dubna do "Joint Institute for Nuclear Research", e por cientistas norte-americanos do "Lawrence Livermore National Laboratory". A descoberta do elemento foi confirmada dia 28/08/2013.

A equipe relatou que bombardeou amerício (número atômico 95) com cálcio (número atômico 20) para produzir quatro átomos de ununpêntio. Estes átomos , segundo o relato, deteriou em átomos de unúntrio (113) numa fração segundo. O unúntrio produzido estabilizou durante 1,2 segundos antes de decair em elementos naturais.

"Ununpêntio" é um nome sistemático, temporário, adotado pela IUPAC.[3]

Confirmação

Segundo o site Mashable, cientistas dizem ter criado um punhado de átomos do elemento 115 indescritível, que ocupa um canto misterioso da tabela periódica.

O elemento super-pesado ainda tem de ser oficialmente nomeado, mas é chamado temporariamente "ununpentium" (Ununpêntio em português), aproximadamente baseada nas palavras latinas e gregas para os dígitos de seu número atômico, 115.

O número atômico é o número de prótons de um elemento contém. O elemento mais pesado comumente encontrado na natureza é o urânio, que tem 92 prótons, mas os cientistas podem carregar ainda mais prótons em um núcleo atômico e fazer elementos mais pesados, através de reações de fusão nuclear.

Em experimentos em Dubna, na Rússia, cerca de 10 anos atrás, os pesquisadores relataram que eles criaram átomos com 115 prótons. Suas medidas já foram confirmadas em experimentos no Centro Helmholtz GSI para Ion Research pesado na Alemanha.

Para tornar o Ununpêntio no novo estudo, um grupo de investigadores disparado um feixe de ultra-rápida de cálcio (que tem 20 prótons), a uma película fina de amerício, o elemento 95 com prótons. Quando estes núcleos atômicos colidiram, alguns fundiram para criar átomos de curta duração com 115 prótons.

"Nós observamos 30 em nossas três semana de experiência", o pesquisador Dirk Rudolph, um professor de física atômica na Universidade de Lund, na Suécia, disse em um e-mail. Rudolph acrescentou que a equipe russa havia detectado 37 átomos do elemento 115 em suas experiências anteriores.

"Os resultados são em geral compatíveis", disse Rudolph.

Isótopos[editar | editar código-fonte]

Supóe-se que seu isótopo Uup-299, com 184 neutrons, seja bem mais estável que os demais, porque 184 é considerado o próximo "número mágico" para neutrons, depois de 126 (o número de neutrões do Pb-208, o mais pesado dos isótopos estáveis).[4]

Citações na mídia[editar | editar código-fonte]

Ficção[editar | editar código-fonte]

Menções em jogos de computador[editar | editar código-fonte]

  • Na série de jogos "X-COM" um elemento denominado "elério-115" é citado. Aqui o número atômico é adotado erroneamente como sendo o número de massa;
  • No jogo de estratégia "Dark Reign" há uma referência relativa a um isótopo estável ficcional do ununpêntio;
  • Nos jogos da série "Call of Duty" (WAW, BO e BO2) o ununpêntio (inglês ununpentium) faz parte do enredo (usado na manufatura de armas e outros utensílios, mas como consequência a transformação de humanos em Zumbis).

Menções em filmes e seriados[editar | editar código-fonte]

  • No filme "The Core" um isótopo estável ficcional do elemento também é mencionado;
  • No seriado de ficção norte-americana "Seven Days" é mencionado um isótopo estável ficcional do "elemento 115" (este teria relação com a força motriz da máquina do tempo).

Mitos e falácias[editar | editar código-fonte]

Em 1989, Bob Lazar, alegando ter trabalhado na Área 51, declarou que o governo dos Estados Unidos estava pesquisando tecnologia extraterrestre, e que o reator de anti-gravidade operaria com base no elemento 115. O governo teria cerca de 200 kg [Nota 1] do material, recolhido de restos de naves extraterrestres.[5] No entanto esta história foi desvendada como sendo um hoax.[6] Em 1990, Bob Lazar foi preso por se envolver em atividades de um bordel de Nevada.[5]


Notas e referências

Notas

  1. 500 pounds, no original.

Referências

  1. The New York Times (01 de fevereiro de 2004). Uut and Uup Add Their Atomic Mass To Periodic Table (web) 1 pp.. Visitado em 18-12-2012. "...Scientists generally do not give permanent names to elements (...)until the discoveries have been confirmed by another laboratory. By an international convention (...)element 115 will be designated Ununpentium (Uup)."
  2. Confirmado novo elemento químico de 115 prótons (em Português) (02 de Setembro de 2013). Visitado em 09 de Setembro de 2013.
  3. Boletim da SPQ, "Nome dos Elementos"
  4. Radiochemistry Society, Element 115 - Ununpentium (temporary) [em linha]
  5. a b HowStuffWorks, Bob Lazar, UFO Hoaxster [em linha]
  6. Best UFO Resources, Probable or confirmed fakes


Ligações externas[editar | editar código-fonte]