Antonio Goulart dos Reis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Goulart
Deputado federal por  São Paulo
Período 1 de fevereiro de 2015
presente
Dados pessoais
Nome completo Antonio Goulart dos Reis[1][2]
Nascimento 23 de dezembro de 1963 (53 anos)[1][2]
Vargem Bonita, MG[1][2]
Esposa Kazuko Hayashi Goulart[3]
Partido PMDB (19932011[2])
PSD (2011—presente[2])

Antonio Goulart dos Reis (Vargem Bonita, 23 de dezembro de 1953[1][2]) é um político brasileiro. Filiado ao Partido Social Democrático (PSD), Goulart foi eleito deputado federal por São Paulo nas eleições estaduais de 2014.[1]

Goulart possui o recorde de maior coleção de pingas de São Paulo. Segundo a Confraria Nacional da Cachaça, ele possui mais de 38.000 garrafas de 24.000 rótulos.[4] Desde 2003, Goulart é sócio da Cachaçaria Goulart Comércio de Bebidas LTDA.[2] Ele também é conselheiro vitalício do Sport Club Corinthians Paulista desde 2000.[2]

Em 2011, enquanto vereador da cidade de São Paulo, Goulart foi acusado de utilizar dinheiro do Legislativo para pagar serviços da gráfica de sua mulher, Kazuko Hayashi Goulart. A Corregedoria da Câmara Municipal arquivou o caso por Kazuko não participar da gestão da empresa desde 2005.[3] Foi eleito deputado federal em 2014, para a 55.ª legislatura (2015-2019), pelo PSD. Votou a favor do Processo de impeachment de Dilma Rousseff.[5] Já durante o Governo Michel Temer, votou a favor da PEC do Teto dos Gastos Públicos.[5] Em abril de 2017 foi favorável à Reforma Trabalhista.[5] [6] Em agosto de 2017 votou contra o processo em que se pedia abertura de investigação do então presidente Michel Temer, ajudando a arquivar a denúncia do Ministério Público Federal.[5][7]


Livros[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e «Goulart 5580». Consultado em 22 de fevereiro de 2015 
  2. a b c d e f g h «GOULART - PSD/SP». Câmara dos Deputados do Brasil. Consultado em 22 de fevereiro de 2015 
  3. a b «Denúncia contra vereador Antonio Goulart, do PMDB, é arquivada». Folha de S.Paulo. 12 de março de 2011. Consultado em 22 de fevereiro de 2015 
  4. Colombo, Silas (28 de fevereiro de 2014). «Antonio Goulart: o cachaceiro da Câmara». Veja SP. Consultado em 22 de fevereiro de 2015 
  5. a b c d G1 (2 de agosto de 2017). «Veja como deputados votaram no impeachment de Dilma, na PEC 241, na reforma trabalhista e na denúncia contra Temer». Consultado em 11 de outubro de 2017 
  6. Redação (27 de abril de 2017). «Reforma trabalhista: como votaram os deputados». Consultado em 18 de setembro de 2017 
  7. Carta Capital (3 de agosto de 2017). «Como votou cada deputado sobre a denúncia contra Temer». Consultado em 18 de setembro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.