Guilherme Mussi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Guilherme Mussi
Guilherme Mussi Ferreira
Deputado federal por  São Paulo
Período 1 de fevereiro de 2011
até atualidade
Dados pessoais
Nascimento 14 de outubro de 1982 (35 anos)
Curitiba, PR
Nacionalidade Brasil Brasileiro
Progenitores Mãe: Liliane Mussi Ferreira
Pai: Carlos Henrique da Silva Ferreira
Partido PP (2013—presente)[1]
PSD (20112013)[2]
PV (20092011)
Profissão Administrador de empresas, político
Website Website oficial

Guilherme Mussi Ferreira (Curitiba, 14 de outubro de 1982) é um político brasileiro, atualmente filiado ao Partido Progressista (PP), sendo deputado federal por São Paulo pela segunda vez, recentemente Mussi teve mais de 156 mil votos e foi reeleito deputado federal pelo Estado de São Paulo.

Filiado ao Partido Verde (PV), Mussi foi eleito deputado federal por São Paulo em 2010 com 98.702 votos.[3] Em 2011, Mussi deixou o PV e se filiou ao Partido Social Democrático (PSD).[2] Em 2013, Mussi deixou o PSD para ingressar ao Partido Progressista (PP).[1]

Mussi foi casado com Luciana Tranchesi e já namorou Carolina Magalhães, neta de Antônio Carlos Magalhães.[1]Casou-se, em cerimônia discreta, com Rebeca Abravanel, filha do apresentador e empresário Silvio Santos. O casal se separou em Maio de 2016.

Votou a favor do Processo de impeachment de Dilma Rousseff.[4] Já durante o Governo Michel Temer, votou a favor da PEC do Teto dos Gastos Públicos.[4] Em agosto de 2017 votou contra o processo em que se pedia abertura de investigação do então presidente Michel Temer, ajudando a arquivar a denúncia do Ministério Público Federal.[4][5]


Referências

  1. a b c «Deputado Mussi: rompimento com Kassab e neta de ACM». Veja São Paulo. 12 de julho de 2013. Consultado em 2 de novembro de 2013 
  2. a b Roxo, Sérgio (1 de julho de 2011). «Dos 15 parlamentares do PV, apenas um está disposto a seguir a ex-senadora Marina Silva». O Globo. Consultado em 2 de novembro de 2013 
  3. «Guilherme Mussi (2010)». Consultado em 2 de novembro de 2013 
  4. a b c G1 (2 de agosto de 2017). «Veja como deputados votaram no impeachment de Dilma, na PEC 241, na reforma trabalhista e na denúncia contra Temer». Consultado em 11 de outubro de 2017 
  5. Carta Capital (3 de agosto de 2017). «Como votou cada deputado sobre a denúncia contra Temer». Consultado em 18 de setembro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]