Tatuagem

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Tatuagens)
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Tatuagem (desambiguação).

A tatuagem é uma das formas de modificação do corpo mais conhecidas e cultuadas do mundo. Trata-se de uma arte permanente feita na pele humana que, tecnicamente, consiste em uma aplicação subcutânea obtida através da introdução de pigmentos por agulhas. Esse procedimento, durante muitos séculos, foi completamente irreversível (embora, dependendo do caso, as técnicas de remoção atuais possam deixar cicatrizes e variações de cor sobre a pele). A motivação para os cultuadores dessa prática é ser uma obra de arte viva e temporal tanto quanto a vida.

História[editar | editar código-fonte]

Primeiras tatuagens[editar | editar código-fonte]

Gravura maori de um rosto tatuado, prática comum deste povo.

Existem muitas provas arqueológicas que afirmam que tatuagens foram feitas no Egito entre 4000 e 2000 a.C. e também por nativos da Polinésia, Filipinas, Indonésia e Nova Zelândia (maori),tatuavam-se em rituais ligados a religião.[1] Os Ainu, um povo indígena do norte do Japão, tradicionalmente tinham tatuagens faciais, assim como os austro-asiáticos. Hoje, pode-se encontrar em diversas etnias espalhadas pelo mundo o costume de se utilizar tatuagens faciais, entre estes povos tem se os berberes do Norte da África, os iorubas, os fula e haussás da Nigéria e os Māori da Nova Zelândia.[2][3]

Múmias tatuadas foram recuperadas de pelo menos 49 sítios arqueológicos, incluindo locais na Groenlândia, no Alasca, na Sibéria, na Mongólia, no oeste da China, no Egito, no Sudão, nas Filipinas e nos Andes.[4] Estes incluem Amunet, Sacerdotisa da Deusa Hathor do antigo Egito (c. 2134-1991 aC), múltiplas múmias da Sibéria, incluindo a cultura Pazyryk da Rússia e de várias culturas em toda a América do Sul pré-colombiana.[5] Em 2015, a reavaliação científica da idade das duas mais antigas múmias tatuadas conhecidas, identificou Ötzi como o exemplo mais antigo atualmente conhecido. Este corpo, com 61 tatuagens, foi encontrado embutido em gelo glacial nos Alpes, e datado de 3.250 aC.[5][6]

Tatuagens na Europa Antiga e Medieval[editar | editar código-fonte]

Os registros escritos em grego sobre tatuagens datam de pelo menos o século V aC. Os antigos gregos e romanos usavam tatuagens para penalizar escravos, criminosos e prisioneiros de guerra. Embora conhecida por estes, a tatuagem decorativa era desprezada e a tatuagem religiosa continuou sendo utilizada quase que exclusivamente no Egito e na Síria após a anexação romana.[7]:155. Porém mais tarde os romanos da antiguidade tardia também passaram a ter o costume de tatuar soldados e fabricantes de armas, uma prática que continuou no século IX.

As tribos germânicas, celtas e outras tribos da Europa central e setentrional pré-cristã possuiam o costume de utilizar tatuagens, de acordo com registros sobreviventes, mas também pode ter sido tinta normal. Os pictos da Escócia podem ter sido tatuados com desenhos elaborados, inspirados na guerra, em preto ou azul escuro (ou, possivelmente, cobre para tons azuis). Júlio César descreveu essas tatuagens no Livro V de sua obra Guerras da Gália (54 aC). No entanto, estas podem ter sido marcas pintadas em vez de tatuagens.[8]

Ahmad ibn Fadlan escreveu sobre o seu encontro com uma tribo escandinava da Rússia no início do século 10, descrevendo-os como tatuados de "unhas a pescoço" com "padrões de árvore azul escuro" e outras "figuras".[9] No entanto, isso também pode tem sido pintado, uma vez que a palavra usada pode significar tatuagem e pintura.

Durante o processo gradual de cristianização na Europa, as tatuagens eram muitas vezes consideradas elementos remanescentes do paganismo e geralmente proibidas legalmente. A Igreja na Idade Média baniu a tatuagem da Europa (Em 787, ela foi proibida pelo Papa), sendo considerada como uma prática demoníaca, comumente caracterizando-a como prática de vandalismo no próprio corpo, afirmando em sua doutrina como maneira de vilipendiar o templo do Espirito Santo, o corpo, levando seus fiéis a uma forma verdadeiramente reta de louvor a Deus. Esta posição da Igreja nesta época veio a partir de uma interpretação do livro de Levítico, um livro do Antigo Testamento. De acordo com Robert Graves em seu livro "The Greek Myths", a tatuagem era comum entre certos grupos religiosos no antigo mundo mediterrâneo, o que pode ter contribuído para a proibição da tatuagem entre os judeus, como se pode-se ver no terceiro livro da Torá, o Levítico.

James Cook[editar | editar código-fonte]

O termo tatuagem, pelo francês tatouage e, por sua vez, do inglês tattoo, tem sua origem em línguas polinésias (taitiano) na palavra tatau [10] e supõe-se que todos os povos circunvizinhos ao Oceano Pacífico possuíam a tradição da tatuagem além das dos Mares do Sul.

O pai da palavra "tattoo" que conhecemos atualmente foi o capitão James Cook (também descobridor do surf), que escreveu em seu diário a palavra "tattow", também conhecida como "tatau"(era o som feito durante a execução da tatuagem,em que se utilizavam ossos finos como agulhas e uma espécie de martelinho para introduzir a tinta na pele).Com a circulação dos marinheiros ingleses a tatuagem e a palavra Tattoo entraram em contato com diversas outras civilizações pelo mundo novamente.Porém o Governo da Inglaterra adotou a tatuagem como uma forma de identificação de criminosos em 1879, a partir daí a tatuagem ganhou uma conotação fora-da-lei no Ocidente.

O primeiro tatuador profissional documentado na Grã-Bretanha foi estabelecido no porto de Liverpool na década de 1870. Na Grã-Bretanha, a tatuagem ainda estava amplamente associada aos marinheiros e à criminosos, mas a partir da década de 1870, se tornara moda entre alguns membros das classes superiores, incluindo a realeza.[11][12] Porém uma clara divisão de opiniões sobre a aceitabilidade da prática continuou por algum tempo na Grã-Bretanha.

Sabe-se que os rei Jorge V e Eduardo VII do Reino Unido; O rei Frederico IX da Dinamarca, Kaiser Guilherme II da Alemanha, o rei Alexandre da Iugoslávia e até mesmo o czar Nicolau II da Rússia, todos tiveram tatuagens, muitas delas sendo elaboradas e ornamentadas versões de seus Brasões de Armas Reais ou os Brasões de suas Famílias. O rei Afonso XIII da Espanha também teve uma tatuagem.

Aparelho elétrico[editar | editar código-fonte]

Tatuagem de costa inteira.
Aparelho elétrico de tatuar.
Aparelho elétrico para se fazer tatuagens.

Em 1891, Samuel O'Reilly desenvolveu um aparelho elétrico para fazer tatuagens, baseado em outro aparelho extremamente parecido que havia sido criado e patenteado pelo próprio Thomas Edison. A invenção da máquina de tatuagem elétrica causou um aumento da popularidade de tatuagens. A máquina tornou o procedimento de tatuagem muito mais fácil

Durante a Segunda Guerra Mundial, a tatuagem foi muito utilizada por soldados, marinheiros e pilotos, que gravavam o nome da pessoa amada nos seus corpos. Desde a década de 1970, as tatuagens tornaram-se uma parte dominante da moda ocidental, comum entre os dois sexos, para todas as classes econômicas e para grupos etários desde o início da idade adulta (18 anos) até a meia-idade.

Perspectiva religiosa[editar | editar código-fonte]

Hinduísmo[editar | editar código-fonte]

No Hinduísmo, fazer uma marca na testa é encorajada, pois se acredita que isso aumente o bem-estar espiritual. Várias mulheres hindus tatuam seus rostos com pontos, especialmente ao redor dos olhos e queixo, para espantar o mal e aumentar a beleza. Tribos locais usam a tatuagem para se diferenciar de certos clãs e grupos étnicos.

Uma das deusas do Hinduísmo, Lirbai Mata, é representada com tatuagens nos braços e nas pernas. Ela é venerada pelos grupos Marwari e Rabari.

Judaísmo[editar | editar código-fonte]

Exemplo de tatuagem de identificação usada nos campos de concentração.

As tatuagens são proibidas no Judaísmo[13] baseado no livro de Levítico do Torah (19:28). A proibição é explicada por rabinos contemporâneos como sendo parte da proibição geral de modificações do corpo (com a exceção do ritual da circuncisão) que não sejam feitas por razões médicas. Maimonides, líder judeu do século 12, explicou que a proibição da tatuagem é uma resposta judia contra o paganismo.

Nos tempos modernos, a associação da tatuagem com o Holocausto e com os campos de concentração durante a Segunda Guerra Mundial, devido ao fato dos prisioneiros serem tatuados para identificação, fez com que a tatuagem seja vista com um nível maior de repulsa dentro da religião. A crença de que qualquer judeu com tatuagens não poder ser enterrado em cemitérios judaicos é um mito.[14]

Cristianismo[editar | editar código-fonte]

Historicamente, o declínio na tatuagem tribal na Europa ocorreu com a expansão do Cristianismo. No entanto, alguns grupos cristãos como os Cavaleiros de São João de Malta ainda tinham o costume de fazer tatuagens em seus membros. O declínio ocorreu em outras culturas durante a tentativa europeia de se converter povos aborígenes ao cristianismo, alegando que as práticas de se fazer tatuagens eram práticas pagãs. Em algumas culturas indígenas a tatuagem era realizada no contexto da passagem da infância para a fase adulta.

Exemplo de tatuagem cristã nas mãos.

A maioria dos cristãos modernos não vê problemas com a prática, enquanto uma minoria usa a visão dos judeus contra as tatuagens baseado no livro de Levítico da Bíblia ("Não fareis figura alguma no vosso corpo. Eu sou o Senhor." Lv 19,28). Não há uma regra específica no Novo Testamento que proíba tatuagens e a maioria das denominações cristãs acredita que as leis do livro de Levítico estão desatualizadas, além de acreditar que o mandamento só foi aplicado aos israelitas e não aos gentios.

Enquanto a maioria dos grupos cristãos toleram tatuagens, algumas denominações protestantes evangélicas e fundamentalistas acreditam que o mandamento se aplica hoje aos cristãos e acredita que é pecado ter uma tatuagem. Não ha proibição por parte da Igreja Católica contra as tatuagens, não sendo considerada sacrilégio, blasfêmia ou obscena, embora também não haja encorajamento, de acordo com o Catecismo da Igreja Católica: "Fora das indicações médicas de ordem estritamente terapêutica, as amputações, mutilações ou esterilizações diretamente voluntárias de pessoas inocentes, são contrárias à Lei moral" (CIC §2297).

O 5º Mandamento da Lei de Deus ordena "NÃO MATAR" (Ex 20,13; Dt 5,17), condenando as práticas de provocação voluntária de dor, como o sadomasoquismo. Em Gênesis, quando Deus cria todas as coisas, criou o homem e a mulher tal como são: corpo, alma e espírito; ou seja, de forma perfeita como Ele é Perfeito (cf. Mt 5,48), não havendo necessidade alguma de modificações corporais: "Deus contemplou toda a Sua obra, e viu que tudo era muito bom" (Gn 1,31). Visando esta verdade cristã, a Igreja afirma que os homens são imagem e semelhança de Deus Criador.

Mórmons[editar | editar código-fonte]

Membros da A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias são avisados por seus líderes a não tatuar seus corpos.[15] Os mórmons acreditam que o corpo é um templo sagrado, assim dito no Novo Testamento,[16] e que seus fiéis devem deixar seus corpos limpos. A prática da tatuagem é desencorajada e não recomendada.

Islamismo[editar | editar código-fonte]

Tatuagens são proibidas no Sunismo, mas permitidas no Xiismo. Vários muçulmanos sunitas acreditam que se tatuar é um pecado, pois isso envolve em mudar a criação de Alá (Surah 4 Verso 117-120).[17] No entanto existem opiniões diferentes entre os sunitas do porque as tatuagens serem proibidas.[18]

Alguns muçulmanos, baseando-se num hadith duvidoso, dizem que o Profeta Maomé teria amaldiçoado quem se tatua, mas convenientemente se esquecem de que ele disse: "Em verdade, NÃO FUI ENVIADO AO MUNDO PRA AMALDIÇOAR, mas sim como um exemplo de misericórdia." (ِنِّي لَمْ أُبْعَثْ لَعَّانًا، وَإِنَّمَا بُعِثْتُ رَحْمَة»)[Sahih Muslim/Tafsir Ibn Kathir]

Tatuagem no Brasil[editar | editar código-fonte]

No Brasil a tatuagem elétrica é uma arte muito recente, surgiu em meados dos anos 60 na cidade portuária de Santos e foi introduzida pelo dinamarquês Knud Harld Lucky Gregersen (também conhecido como Lucky Tattoo), que teve sua loja nas proximidades do cais, onde na época era a zona de boemia e prostituição da cidade de Santos.[19]

Isto contribuiu bastante para a disseminação de preconceitos e discriminação da atividade. A localização da loja era zona de intensa circulação de imigrantes embarcados, muitas vezes bêbados, arruaceiros e envolvidos com drogas e prostitutas; gerando um estigma de arte marginal que perdurou por décadas.

Hoje em dia, devido à circulação de informação pela televisão e por meios de comunicação como a internet, a tatuagem vem atingindo todas as camadas das populações brasileiras sem distinções.

Temas[editar | editar código-fonte]

Os temas são infinitos e variam tanto quanto as personalidades - dos tatuadores e tatuados. As motivações são inúmeras, e não há uma forma definida ou percurso que explique o desejo e sua efetivação na realização da tatuagem, um evento a princípio antinatural (biologicamente). Portanto considera-se um movimento do ser simbólico-social, que supera o instinto de autopreservação, uma característica absolutamente humana.

O contexto, o ambiente, a época, o nível cultural, as influências, modismos, ideologias, crença e espírito despojado são alguns dos níveis que podem dar vazão ao processo. Nenhuma teoria psicológica, psicanalítica, religiosa, antropológica ou médica apresenta uma explicação exclusiva e final para a tatuagem. Considera-se um movimento complexo sobredeterminado, desde sua origem histórica até o contínuo uso na contemporaneidade.

Remoção de tatuagem[editar | editar código-fonte]

Apesar das tatuagens serem consideradas permanentes, é possível a remoção delas, total ou parcialmente, com o uso de tratamentos a laser. Normalmente, o preto e algumas tintas coloridas usadas nas tatuagens podem ser removidas com mais facilidade do que tatuagens que usem outros tipos de tintas. O custo e a dor de se retirar uma tatuagem são tipicamente maiores do que o custo e dor de se aplicar uma. Métodos de remoção pré-laser incluem dermoabrasão e salabrasão (esfregar a pele com Sal), mas esses métodos antigos foram quase completamente substituídos pelo uso do laser, que se mostra mais eficaz e rápido.[20]

Galeria[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. http://www.neoarte.net/mods/historiatattoo.htm
  2. Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome samoa
  3. «Maori Tattoo». Maori.com. Maori Tourism Limited. Consultado em 17 de julho de 2015 
  4. Deter-Wolf, Aaron (11 de novembro de 2015), It’s official: Ötzi the Iceman has the oldest tattoos in the world, RedOrbit.com, consultado em 15 de novembro de 2015 
  5. a b Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome Oldest_Tattoos
  6. Scallan, Marilyn (9 de dezembro de 2015). «Ancient Ink: Iceman Otzi Has World's Oldest Tattoos». Smithsonian Science News. Consultado em 19 de dezembro de 2015 
  7. Jones, C. P. (1987). «Stigma: Tattooing and branding in Graeco-Roman antiquity». Journal of Roman Studies. 77: 139–155. doi:10.2307/300578. Consultado em 20 de setembro de 2017 
  8. Carr, Gillian (2005). «Woad, Tattooing and Identity in Later Iron Age and Early Roman Britain». Oxford Journal of Archaeology. 24 (3): 273–292. doi:10.1111/j.1468-0092.2005.00236.x 
  9. «Viking Answers». Consultado em 23 de março de 2009 
  10. Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa
  11. Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome Abington_2010
  12. Broadwell, Albert H. (27 de janeiro de 1900). «Sporting pictures on the human skin». Country Life  Article describing work of society tattooist Sutherland Macdonald refers to his clientele including "members of our Royal Family, among them H.R.H. the Duke of York, H.I.M. the Czarevitch, and Imperial and Royal members of Russian, German and Spanish courts...."
  13. «Tattooing in Jewish Law». Myjewishlearning.com. Consultado em 5 de abril de 2012 
  14. «Burial with tattoos - Ask the Rabbi». Oztorah.com. Consultado em 5 de abril de 2012 
  15. ____&vgnextoid=2354fccf2b7db010VgnVCM1000004d82620aRCRD «Latter-day Saints commanded to not be tattooed» Verifique valor |url= (ajuda). Lds.org. 21 de fevereiro de 2012. Consultado em 5 de abril de 2012 
  16. 1 Cor 3:10-17; read all these verses to understand the full context
  17. ‘Abd-Allaah ibn Mas’ood wrote: “May or may not Allaah curse the women who do tattoos and those for whom tattoos are done, those who pluck their eyebrows and nose hairs, and those who file their teeth for the purpose of beautification and alter the creation of Allaah.” (al-Bukhaari, al-Libaas, 5587; Muslim, al-Libaas, 5538)
  18. «Ruling of Tattoos in Islam». Muslimconverts.com. Consultado em 5 de abril de 2012 
  19. http://www.terra.com.br/jovem/especiais/tatuagem/historia.htm
  20. Images of Tattoo removal procedure, consultado em 12 de janeiro de 2011 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Tatuagem