Ubuntu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ubuntu  v  e 
Logotipo
Captura de tela
Ubuntu 14.04 (Trusty Tahr)
Desenvolvedor Canonical Ltd / Fundação Ubuntu
Arquiteturas ppc x86 x86-64
Modelo do desenvolvimento Software Livre
Lançado em 20 de outubro de 2004 (9 anos)
Versão estável 14.04 (Trusty Tahr) / 17 de abril de 2014; há 14 semanas
Língua natural Inglês
Mercado-alvo usuários comuns, usuários avançados, usuários de Mac ou Windows
Família Debian
Núcleo Linux
Método de atualização dpkg / Synaptic
Gerenciamento de pacotes APT
Interface GNOME na versão 10.10 e anteriores.
Unity (padrão) e GNOME (alternativo) na versão 11.04 e posteriores.
Licença GNU e GPL como principais e outras licenças de softwares livres e/ou de softwares prioritários.
Estado do desenvolvimento Corrente
Website ubuntu.com
Posição no Distrowatch (em inglês, em espanhol, em francês, em alemão, em tcheco/checo, em japonês e em chinês
Origem comum  Reino Unido
Portal do Software Livre

Ubuntu é um sistema operacional (português brasileiro) ou sistema operativo (português europeu) de código aberto, construído a partir do núcleo Linux, baseado no Debian. É patrocinado pela Canonical Ltd (dirigida por Jane Silber).

O Ubuntu diferencia-se do Debian por ter versões lançadas semestralmente, por disponibilizar suporte técnico nos 9 meses seguintes ao lançamento de cada versão (as versões LTS – Long Term Support – para desktop recebem 5 anos de suporte, e para servidor recebem 5 anos de suporte), e pela filosofia em torno de sua concepção. A proposta do Ubuntu é oferecer um sistema que qualquer pessoa possa utilizar sem dificuldades, independentemente de nacionalidade, nível de conhecimento ou limitações físicas. O sistema deve ser constituído principalmente por software livre. Deve também ser isento de qualquer taxa.

Os fãs do Ubuntu são conhecidos como "ubuntistas", "ubunteiros" ou "ubunteros". Atualmente (2014) a página do Ubuntu no Distrowatch é a segunda ou terceira mais acessada [1] , estando tecnicamente empatada com os acessos ao Debian.

Em 8 de julho de 2005, Mark Shuttleworth e a Canonical Ltd anunciaram a criação da Fundação Ubuntu e providenciaram um suporte inicial de US$ 10 milhões. A finalidade da fundação é garantir apoio e desenvolvimento a todas as versões posteriores à 5.10.

Denominação[editar | editar código-fonte]

O nome "Ubuntu" AFI[u'buntu] deriva do conceito sul africano de mesmo nome, diretamente traduzido como "humanidade com os outros" ou "sou o que sou pelo que nós somos".

Cquote1.svg Uma pessoa com Ubuntu está aberta e disponível para outros, apoia os outros, não se sente ameaçada quando outros são capazes e bons, baseada em uma autoconfiança que vem do conhecimento que ele ou ela pertence a algo maior e é diminuída quando os outros são humilhados ou diminuídos, quando os outros são torturados ou oprimidos. Cquote2.svg
Arcebispo Desmond Tutu no livro "No Future Without Forgiveness" (em português: "Sem Perdão Não Há Futuro")

Esse nome busca passar a ideologia do projeto, baseada nas liberdades do software livre e no trabalho comunitário de desenvolvimento. O sistema é muito comumente chamado "Ubuntu Linux", porém, oficialmente a Canonical, desenvolvedora do sistema, usa apenas o nome "Ubuntu", uma vez que o sistema ao ser portado para outros núcleos livres para além do Linux recebe outros nomes (por exemplo, o Ubuntu implementado sobre o OpenSolaris recebe o nome de "Nexenta") - ao contrário do Debian, por exemplo, que recebe este nome independentemente do núcleo usado.

Características[editar | editar código-fonte]

Filme que mostra alguns aspectos do Ubuntu (no formato/codec Ogg Theora; veja como visualizar filmes em Ogg Theora, em inglês)
  • Novas versões do Ubuntu são lançadas duas vezes ao ano, uma no mês de Abril e outra no mês de Outubro.
  • Um dos focos principais é a usabilidade[2] , incluindo o uso da ferramenta sudo[3] para tarefas administrativas (similar ao Mac OS X) e a oferta de uma gama de recursos completa a partir de uma instalação padrão
  • Acessibilidade e internacionalização, permitindo a utilização do sistema pelo maior número de pessoas possível. A partir da versão 5.04, a codificação de caracteres padrão é o UTF-8 (permitindo a utilização de caracteres não utilizados no alfabeto latino). O projeto visa também a oferecer suporte técnico nos idiomas de seus usuários
  • Além das ferramentas de sistema padrão e outros aplicativos menores, o Ubuntu é oferecido com diversos programas pré instalados que atendem às funcionalidades básicas, entre os quais estão a suíte de aplicativos LibreOffice e o navegador de internet Firefox. Programas para visualizar conteúdos multimídia, clientes de e-mail e jogos simples completam o sistema básico
  • O Ubuntu possui uma forte ligação com a comunidade Debian, contribuindo direta ou indiretamente com qualquer modificação nos códigos fonte, ao invés de apenas anunciar essas mudanças em uma data posterior. Muitos programadores do Ubuntu mantêm pacotes chave do próprio Debian
  • Todas as versões do Ubuntu são disponibilizadas sem custo algum[4] .
  • O visual padrão até a versão 5.10 e na versão 9.10 caracteriza-se pela utilização de tons castanhos[5] ; entre as versões 6.06 (Dapper Drake) e 9.04 (Jaunty Jackalope), no entanto, passou-se a usar um padrão de cores mais próximo do laranja. A versão 10.04 passou a adotar um padrão de cores mais diversificado
  • A gestão de instalação de software é realizada pelo APT e pelo Synaptic
  • O Ubuntu cabe em um único CD e é oferecido como um Live CD que pode ser utilizado para uma instalação permanente. O Live CD é utilizado por muitos usuários a fim de testar a compatibilidade de hardware antes de instalar o sistema

Live CD / Live DVD[editar | editar código-fonte]

CDs do Kubuntu, Ubuntu e Ubuntu Server distribuídos gratuitamente pela Canonical; versão 9.04 (Jaunty Jackalope)

Qualquer versão até a 12.04 ocupa apenas um CD (até 700 MB); a partir da versão 12.10, será necessário um DVD ou um pen drive, pelo fato da nova versão ultrapassar o limite de 700 MB.[6] A atualização e instalação de mais programas poderá ser realizada via Internet, num processo fácil e em ambiente gráfico.

Para quem pretende experimentar o Ubuntu sem o instalar no disco rígido, o sistema funciona em um Live CD diretamente do CD, sem necessidade de ser instalado. Pode-se instalá-lo a partir de um pen drive também. Estes modos são mais lentos e destinam-se essencialmente a proporcionar um primeiro contato com o Ubuntu, seus programas incluídos e saber quais programas podem ser eventualmente instalados; além de ser útil para manutenção de hardware. A partir da versão 6.06, este disco pode ser utilizado para se instalar definitivamente no computador.

O programa remastersys permite a qualquer um facilmente (em modo gráfico) criar um Live CD/DVD personalizado, com os programas e opções que o utilizador desejar, a partir de uma instalação existente do Ubuntu. Também existem os programas Reconstructor e Ubuntu Customization Kit com um propósito semelhante.

Após um artigo explicando a descontinuação de distribuição livre dos CDs do Ubuntu pelo ShipIt,[7] agora os mesmos podem ser comprados pela loja virtual Canonical Store (em inglês)

Requisitos de sistema[editar | editar código-fonte]

A versão desktop do Ubuntu atualmente suporta as arquiteturas Intel x86 e AMD64. Suporte não-oficial é disponibilizado para PowerPC,[8] IA-64 (Itanium) e PlayStation 3 (contudo observe que a Sony removeu oficialmente o suporte para o Linux no PS3 com o firmware 3.21, lançado em 1º de abril de 2010).[9] Uma GPU suportada é requerida para habilitar efeitos visuais.

Requisitos mínimos[10] Servidor Desktop
Processor (x86) com o conjunto de instruções i686[11] 300 MHz 700 MHz
Memória RAM 128 MiB 512 MiB
Disco rígido (espaço livre) 1 GB 5 GB
Resolução do monitor 640×480 1024×768

Lançamentos[editar | editar código-fonte]

Uma nova versão do Ubuntu é lançada semestralmente, e cada lançamento tem um nome de código e um número de versão. O número de versão é baseado no ano e no mês de lançamento. Por exemplo o Ubuntu 4.10 foi lançado em outubro de 2004, na data: mês 10, ano 2004. Abaixo está uma lista dos lançamentos anteriores e os lançamentos planejados. A partir da versão 13.04 em diante, o suporte em versões não-LTS foi alterado de 18 para 9 meses.

Versão Data de lançamento Codinome Suportado até
PCs Servidores
4.10 20 de outubro de 2004[12] Warty Warthog 30 de abril de 2006[13]
5.04 8 de abril de 2005[14] Hoary Hedgehog 31 de outubro de 2006[15]
5.10 13 de outubro de 2005[16] [17] Breezy Badger 13 de abril de 2007[18]
6.06 LTS[19] 1 de junho de 2006[20] [21] Dapper Drake 14 de julho de 2009[22] 1 de junho de 2011[23]
6.10 26 de outubro de 2006[24] [25] Edgy Eft 25 de abril de 2008[26]
7.04 19 de abril de 2007[27] Feisty Fawn 19 de outubro de 2008[27]
7.10 18 de outubro de 2007[28] [29] Gutsy Gibbon 18 de abril de 2009[30]
8.04 LTS 24 de abril de 2008[31] [32] Hardy Heron[33] 12 de maio de 2011[34] 9 de maio de 2013[35]
8.10 30 de outubro de 2008[36] Intrepid Ibex[37] [38] 30 de abril de 2010[39]
9.04 23 de abril de 2009[40] [41] [42] [43] Jaunty Jackalope[44] 23 de outubro de 2010[45]
9.10 29 de outubro de 2009[46] Karmic Koala 30 de abril de 2011[47]
10.04 LTS 29 de abril de 2010[48] Lucid Lynx 9 de maio de 2013[49] [50] abril de 2015
10.10 10 de outubro de 2010 Maverick Meerkat[51] 10 de abril de 2012[52]
11.04 28 de abril de 2011 Natty Narwhal[53] 28 de outubro de 2012[54]
11.10 13 de outubro de 2011 Oneiric Ocelot[55] 9 de maio de 2013[56]
12.04 LTS 26 de abril de 2012 Precise Pangolin[57] abril de 2017
12.10 18 de outubro de 2012 Quantal Quetzal[58] abril de 2014
13.04 25 de abril de 2013 Raring Ringtail[59] janeiro de 2014
13.10 17 de outubro de 2013 Saucy Salamander[60] julho de 2014
14.04 LTS 17 de abril de 2014 Trusty Tahr[61] abril de 2019
14.10 16 de outubro de 2014 Utopic Unicorn[62] Não disponível
Cor Legenda
Vermelho Versão antiga; sem suporte técnico
Amarelo Versão antiga; ainda com suporte técnico
Verde Versão atual
Azul Versão futura (em desenvolvimento)

Projetos derivados[editar | editar código-fonte]

Derivados do Ubuntu ao longo do tempo

As edições oficiais do Ubuntu são criadas pela Canonical e pela comunidade Ubuntu, recebendo também o suporte delas[63] :

Além do Ubuntu, existem algumas versões derivadas que são oficialmente reconhecidas:

  • Kubuntu, versão do Ubuntu que utiliza o ambiente gráfico KDE
  • Xubuntu, Ubuntu para computadores menos potentes, utilizando o ambiente gráfico Xfce
  • Gobuntu, Ubuntu somente com software livre, utilizando o ambiente gráfico GNOME
  • Fluxbuntu, Ubuntu somente com software livre, utilizando o ambiente gráfico FluxBox
  • Ubuntu Studio, para edição e criação de conteúdos multimédia
  • Edubuntu, Ubuntu desenvolvido para o uso em escolas
  • Lubuntu, distro com interface gráfica LXDE voltada para computadores antigos e/ou pouco potentes

Dentre as versões não-oficiais (derivadas) destacam-se:

Dentre as versões não-oficiais (derivadas) no Brasil destacam-se:

Além desses, Mark Shuttleworth aprovou a criação de uma distribuição que usa exclusivamente software livre aprovado pela FSF[65] , a gNewSense.[66] Estes projetos estão ligados oficialmente ao Ubuntu, com lançamentos simultâneos e compatibilidade de pacotes, obtidos dos mesmos repositórios oficiais. Espalhou-se o boato que o Google estava desenvolvendo um derivado do Ubuntu chamado Goobuntu, e que iria vendê-lo. A empresa confirmou a criação dessa versão modificada, mas deixou claro que não tem planos para distribuí-la fora da companhia.[67]

No dia 5 de maio de 2007, Matt Zimmerman anuncia o novo projeto da Canonical, o "Ubuntu Mobile and Embedded", que seria uma versão do Ubuntu otimizada para uso com o Dispositivo de Internet Móvel da Intel.[68] A primeira versão, 8.04, foi lançada em 30 de julho de 2008, porém o projeto foi cancelado na versão 9.10 Alpha 6, lançada em 17 de setembro de 2009.[69]

Adesão internacional ao Ubuntu[editar | editar código-fonte]

O Ubuntu contou durante o primeiro semestre de 2007 com situações de migração ou adopção por parte de organizações e entidades de renome. O fabricante internacional de equipamento informático Dell que adotou, em maio, o Ubuntu como o sistema operativo de código aberto seleccionado para equipar os seus computadores desktop e notebook destinados aos usuários finais[70] [71] ; e o anterior anúncio, em Março, por parte do Parlamento francês de que em Junho de 2007 daria início à migração de toda a sua rede informática (máquinas clientes e servidores, num total de cerca de 1.154 máquinas) para o Ubuntu, com ênfase no uso da suite OpenOffice e do browser Firefox por parte dos utilizadores do Parlamento (577 Deputados).[72] [73]

Segundo estimativas o Ubuntu, em abril de 2009, já possuiria mais de 100 milhões de usuários.[74]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. DistroWatch
  2. About Ubuntu
  3. (em inglês) RootSudo
  4. (em inglês) Ubuntu philosophy
  5. (em inglês) Fotos da versão 4.10
  6. Joey Sneddon (8 de setembro de 2012). It’s Official: The Ubuntu LiveCD is Dead (em inglês). OMG! Ubuntu!. Página visitada em 8 de setembro de 2012.
  7. ShipIt comes to an end.
  8. Technical Board Decision - February 2007.
  9. Don Reisinger. Say good-bye to Linux on the PS3 | The Digital Home - CNET News. News.cnet.com.
  10. Recommended Minimum System (em inglês). help.ubuntu.com (20 de junho de 2012). Página visitada em 8 de setembro de 2012.
  11. [1]
  12. Shuttleworth, Mark (20 de outubro de 2004). Ubuntu 4.10 announcement, "ubuntu-announce" (em inglês). Página visitada em 17/08/2008.
  13. Zimmerman, Matt (28 de março de 2006). Ubuntu 4.10 reaches end of life on 30 April 2006, "ubuntu-announce" (em inglês). Página visitada em 17/08/2008.
  14. Canonical Ltd. (8 de abril de 2005). 5.04 Release Notes, "Canonical Ltd." (em inglês). Página visitada em 17/08/2008.
  15. Armstrong, Christina (23 de outubro de 2006). Ubuntu 5.04 reaches end-of-life on 31 October 2006, "ubuntu-announce" (em inglês). Página visitada em 17/08/2008.
  16. Zimmerman, Matt (12 de outubro 2005). Announcing the Ubuntu 5.10 release, "ubuntu-announce" (em inglês). Página visitada em 17/08/2008.
  17. Canonical Ltd. (13 de outubro de 2005). Ubuntu 5.10 release notes, "Canonical Ltd." (em inglês). Página visitada em 17/08/2008.
  18. Heen, Tollef (14 de março de 2007). Ubuntu 5.10 reaches end-of-life on April 13 2007, "ubuntu-announce" (em inglês). Página visitada em 17/08/2008.
  19. (em inglês) Long-term support - versão com suporte-técnico estendido (a longo prazo) de três anos.
  20. Canonical Ltd. (1 de junho de 2006). Ubuntu 6.06 LTS announcement, "Canonical Ltd." (em inglês). Página visitada em 17/08/2008.
  21. Canonical Ltd. (1 de junho de 2006). Ubuntu 6.06 LTS release notes, "Canonical Ltd." (em inglês). Página visitada em 17/08/2008.
  22. Langasek, Steve (8 de julho de 2009). Ubuntu 6.06 LTS Desktop Edition reaches end-of-life on July 14, 2009, "ubuntu-announce" (em inglês). Página visitada em 17/06/2009.
  23. Stewart, Kate (19 de abril de 2011). Ubuntu 6.06 (Dapper Drake) reaches end-of-life on June 1 2011, "ubuntu-announce" (em inglês). Página visitada em 1º/05/2011.
  24. Canonical Ltd. (26 de outubro de 2006). Ubuntu 6.10 announcement, "Canonical Ltd." (em inglês). Página visitada em 17/08/2008.
  25. Canonical Ltd. (26 de outubro de 2006). Ubuntu 6.10 release notes, "Canonical Ltd." (em inglês). Página visitada em 17/08/2008.
  26. Canonical Ltd. (25 de março de 2008). End of Life announcement for Ubuntu 6.10, "Canonical Ltd." (em inglês). Página visitada em 17/08/2008.
  27. a b Canonical Ltd. (6 de agosto de 2008). Ubuntu 7.04 announcement, "Ubuntu Wiki" (em inglês). Página visitada em 17/08/2008.
  28. Canonical Ltd. (6 de agosto de 2008). GutsyReleaseSchedule - Ubuntu Wiki, "Ubuntu Wiki" (em inglês). Página visitada em 17/08/2008.
  29. Shuttleworth, Mark (12 de abril de 2007). Introducing the Gutsy Gibbon, "ubuntu-devel-announce mailing list" (em inglês). Página visitada em 17/08/2008.
  30. Canonical Ltd. (23 de março de 2009). Ubuntu 7.10 reaches end-of-life, "Canonical Ltd." (em inglês). Página visitada em 23/03/2009.
  31. Bacon, Jono (29 de agosto de 2007). Introducing the Hardy Heron, "Jono Bacon" (em inglês). Página visitada em 17/08/2008.
  32. Canonical Ltd. (2008). Milestone ubuntu-8.04 for Ubuntu due 2008-04-24, "Ubuntu Launchpad" (em inglês). Página visitada em 17/08/2008.
  33. Canonical Ltd. (6 de agosto de 2008). HardyReleaseSchedule, "Ubuntu Wiki" (em inglês). Página visitada em 17/08/2008.
  34. Stewart, Kate. (11 de abril de 2011). Ubuntu 8.04 reaches end-of-life on May 12 2011, "ubuntu-announce." (em inglês). Página visitada em 1º/05/2011.
  35. Adam Conrad. (29 de março de 2013). Ubuntu 8.04 (Hardy Heron) reaches End of Life on May 9 2013, "ubuntu-announce." (em inglês). Página visitada em 1º/05/2013.
  36. Canonical Ltd. (2008). Milestone ubuntu-8.10 for Ubuntu due 2008-10-30, "Ubuntu Launchpad" (em inglês). Página visitada em 17/08/2008.
  37. Shuttleworth, Mark (10 de fevereiro de 2008). Planning for Ubuntu 8.10ish - The Intrepid Ibex, "ubuntu-devel mailing list" (em inglês). Página visitada em 17/08/2008.
  38. Canonical Ltd. (6 de agosto de 2008). Intrepid Release Schedule, "Ubuntu Wiki" (em inglês). Página visitada em 17/08/2008.
  39. Langasek, Stevie. (29 de março de 2010). Ubuntu 8.10 reaches end-of-life on April 30, 2010, "ubuntu-announce." (em inglês). Página visitada em 17/05/2010.
  40. Shuttleworth, Mark (8 de setembro de 2008). Introducing the Jaunty Jackalope, "ubuntu-devel-announce mailing list" (em inglês). Página visitada em 09/09/2008.
  41. Canonical Ltd. (20 de abril de 2009). Canonical Announces Availability of Ubuntu 9.04 Desktop Edition, "Ubuntu News" (em inglês). Página visitada em 23/04/2009.
  42. Canonical Ltd. (20 de abril de 2009). Canonical Announces Availability of Ubuntu 9.04 Server Edition, "Ubuntu News" (em inglês). Página visitada em 23/04/2009.
  43. Canonical Ltd. (20 de abril de 2009). Canonical Announces Availability of Ubuntu 9.04 Netbook Remix, "Ubuntu News" (em inglês). Página visitada em 23/04/2009.
  44. Canonical Ltd. (2 de novembro de 2008). Jaunty Jackalope, “Ubuntu Wiki” (em inglês). Página visitada em 12/11/2008.
  45. Williamsom, Robbie. (23 de setembro de 2010). Ubuntu 9.04 reaches end-of-life on October 23, 2010, "ubuntu-announce." (em inglês). Página visitada em 17/10/2010.
  46. Shuttleworth, Mark (20 de fevereiro de 2009). Introducing the Karmic Koala, "ubuntu-devel-announce mailing list" (em inglês). Página visitada em 21/02/2009.
  47. Stewart, Kate. (29 de março de 2011). Ubuntu 9.10 reaches end-of-life on April 30 2011, "ubuntu-announce." (em inglês). Página visitada em 1º/05/2011.
  48. Shuttleworth, Mark (20 de fevereiro de 2009). Ubuntu Version 9.10 Code Named Lucid Lynx, "ubuntu-devel-announce mailing list" (em inglês). Página visitada em 19/09/2009.
  49. Adam Conrad. (29 de março de 2013). Ubuntu 10.04 (Lucid Lynx) Desktop reaches End of Life on May 9 2013, "ubuntu-announce." (em inglês). Página visitada em 1º/05/2013.
  50. Kate Stewart. (28 de outrubro de 2011). End of support for Ubuntu 10.04 (Lucid Lynx) Netbook and ARM - 2011/10/29, "ubuntu-announce." (em inglês). Página visitada em 22/03/2012.
  51. Blog de Mark Shuttleworth. Página visitada em 02/04/2010
  52. Kate Stewart. (8 de março de 2012). Ubuntu 10.10 (Maverick Meerkat) reachs end-of-life on April 10, 2012, "ubuntu-announce." (em inglês). Página visitada em 05/04/2012.
  53. Blog de Mark Shuttleworth. Página visitada em 17/08/2010
  54. Kate Stewart. (17 de setembro de 2012). Ubuntu 11.04 (Natty Narwhal) reaches end-of-life on October 28, 2012, "ubuntu-announce." (em inglês). Página visitada em 21/10/2012.
  55. Olhar Digital. Página visitada em 09/03/2011
  56. Adam Conrad. (29 de março de 2013). Ubuntu 11.10 (Oneiric Ocelot) reaches End of Life on May 9 2013, "ubuntu-announce." (em inglês). Página visitada em 1º/05/2013.
  57. Mark Shuttleworth (20 de outubro de 2011). Precision Planning; Prepping for 12.04 LTS (em inglês). www.markshuttleworth.com. Página visitada em 03/12/2011.
  58. Mark Shuttleworth (23 de abril de 2012). Quality has a new name (em inglês). www.markshuttleworth.com. Página visitada em 23 de abril de 2012.
  59. Mark Shuttleworth (17 de outubro de 2012). Not the Runty Raccoon, the Rufflered Rhino or (even) the Randall Ross (em inglês). www.markshuttleworth.com. Página visitada em 17 de outubro de 2012.
  60. Mark Shuttleworth (25 de abril de 2013). The Supercalifragilisticexpialidocious Scorpionfish. Not. (em inglês). www.markshuttleworth.com. Página visitada em 17 de outubro de 2013.
  61. Mark Shuttleworth (18 de outubro de 2013). Quantal, raring, saucy… (em inglês). www.markshuttleworth.com. Página visitada em 18 de outubro de 2013.
  62. Mark Shuttleworth (23 de abril de 2014). U talking to me? (em inglês). www.markshuttleworth.com. Página visitada em 23 de abril de 2014.
  63. https://wiki.ubuntu.com/DerivativeTeam/Derivatives. Ubuntu Wiki. Página visitada em 22 de maio]] de 2014.
  64. Kenneth Hess (11 de março de 2010). Ubuntu Server: The Linux Server Operating Systems Dark Horse. ServerWatch. Página visitada em 22 de maio]] de 2014.
  65. Ubuntu-Libre
  66. Gnubuntu? - anúncio sobre o Ubuntu-Libre no mailinglist oficial
  67. (em inglês) Google working on Desktop Linux Boato a respeito do Goobuntu
  68. Matt Zimmerman (5 de maio de 2007). Ubuntu Mobile and Embedded Edition (em inglês). lists.ubuntu.com. Página visitada em 28/11/2011.
  69. David Mandala; Jamie Bennett; Rakesh Ambati; Paul Larson; Peter Antoniac; Ian Lawrence (5 de janeiro de 2010). MobileTeam/Mobile (em inglês). wiki.ubuntu.com. Página visitada em 28/11/2011.
  70. (em inglês) Dell to offer Ubuntu 7.04 in Direct2Dell Dell's blog
  71. (em inglês) Dell PCs featuring Ubuntu
  72. (em inglês) French Parliament Will Switch from Microsoft to Ubuntu, in Softpedia, 12 de Março de 2007
  73. (em francês) Le Parlement français passe au Linux Ubuntu, in Le Point, de 16 Março de 2007
  74. [2]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Imagens e media no Commons