The Shawshank Redemption

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Um Sonho de Liberdade)
Ir para: navegação, pesquisa
Um Sonho de Liberdade
Os Condenados de Shawshank (PT)
Um Sonho de Liberdade (BR)
Poster de divulgação
 Estados Unidos
1994 • cor • 142 min 
Direção Frank Darabont
Produção Niki Marvin
Produção executiva Liz Glotzer
David V. Lester
Roteiro Frank Darabont
Baseado em Stephen King
Narração Morgan Freeman
Elenco Tim Robbins
Morgan Freeman
Género Drama
Idioma Inglês
Música Thomas Newman
Direção de fotografia Roger Deakins
Edição Richard Francis-Bruce
Estúdio Castle Rock Entertainment
Distribuição Columbia Pictures
Warner Bros.
Lançamento Estados Unidos 23 de setembro de 1994
Brasil 27 de janeiro de 1995
Orçamento US$ 25.000.000[1]
Receita US$ 28.341.469[1]
Página no IMDb (em inglês)

The Shawshank Redemption (Um Sonho de Liberdade (título no Brasil) ou Os Condenados de Shawshank (título em Portugal)) é um filme norte-americano, escrito e dirigido por Frank Darabont. O filme é estrelado por Tim Robbins e Morgan Freeman.

Baseado na novela "Rita Hayworth and Shawshank Redemption", de Stephen King, o filme retrata a história de Andy Dufresne, um banqueiro que passa quase duas décadas na fictícia prisão estadual de Shawshank, condenado pelo assassinato de sua esposa e do seu amante, apesar de Andy afirmar sua inocência. Durante seu tempo na prisão, ele se torna amigo de Ellis "Red" Redding, e se torna protegido pelos guardas após o agente penitenciário passar a utilizá-lo em operações de lavagem de dinheiro.

Lançado em 23 de setembro de 1994, o filme teve fraca recepção nos cinemas {carece de fontes}, arrecadando pouco mais de 28 milhões de dólares - apenas 3 milhões de dólares de lucro em relação ao orçamento. Apesar disso, Um Sonho de Liberdade recebeu resenhas favoráveis dos críticos, múltiplas indicações à prêmios, além da inclusão na lista dos melhores filmes estadunidenses do American Film Institute. The Shawshank Redemption foi indicado para sete Óscars, incluindo Melhor Filme e Melhor Ator (Morgan Freeman).

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Em 1946, o jovem e bem-sucedido banqueiro Andy Dufresne (Tim Robbins) é sentenciado a duas penas consecutivas de prisão perpétua pelo assassinato de sua esposa e de seu amante, a serem cumpridas na Penitenciária Estadual de Shawshank, no Maine, comandada pelo religioso, todavia cruel agente penitenciário Samuel Norton (Bob Gunton). Rapidamente, Andy se torna amigo de Ellis "Red" Redding (Morgan Freeman), interno influente, também sentenciado à prisão perpétua, que controla o mercado negro do presídio. Ao longo das quase duas décadas de Dufresne na prisão, ele se revela um interno incomum, buscando seus objetivos através de seus próprios meios.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

  • Tim Robbins como Andy Dufresne: Um banqueiro bem-sucedido preso pelo assassinato de sua esposa e seu amante.
  • Bob Gunton como Warden Norton: o agente penitenciário de Shawshank é versado na Bíblia e se apresenta como um cristão devoto, além de um administrador reformista. Todavia, suas ações o revelam como corrupto, cruel e impiedoso.
  • William Sadler como Heywood: um dos integrantes do grupo de presos perpétuos de Red.
  • Clancy Brown como capitão Hadley: chefe dos guardas. Hadley é um guarda descontrolado que só pensa em aplicar punições físicas aos internos para manter a ordem.
  • Gil Bellows como Tommy: um jovem interno cuja experiência em uma prisão anterior sustenta a tese da inocência de Dufresne.
  • James Whitmore como Brooks Hatlen: curador da biblioteca da prisão e um dos mais antigos presos.
  • Mark Rolston como Boggs Diamond: líder da gangue "The Sisters" e estuprador da prisão.

Principais prêmios e nomeações[editar | editar código-fonte]

Oscar 1995 (EUA)

Globo de Ouro 1995 (EUA)

SAG Awards 1995 (EUA)

Prêmio Chlotrudis Awards 1995 (EUA)

  • Venceu na categoria de: Melhor Ator (Morgan Freeman)
  • Indicado na categoria de: Melhor Ator (Tim Robbins).

Prêmio Chicago Film Critics Association Awards 1995 (EUA)

  • Indicado nas categorias de: Melhor Filme e Melhor Ator Coadjuvante (Morgan Freeman).

Prêmio Humanitas Prize 1995 (EUA)

  • Venceu na categoria de: Melhor Filme.

Academia Japonesa de Cinema 1996 (Japão)

  • Venceu na categoria de: Melhor Filme Estrangeiro.

Prêmio Hochi Film Awards 1995 (Japão)

  • Venceu na categoria de: Melhor Filme Estrangeiro.

Prêmio Mainichi Film Award 1995 (Japão)

  • Venceu na categoria de: Melhor Filme Estrangeiro.

Prêmio American Society of Cinematographers 1995 (EUA)

  • Venceu na categoria de: Melhor Fotografia.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • Um Sonho de Liberdade ocupa apenas o 72° lugar na "Lista dos melhores filmes estadunidenses" do American Film Institute, mas é considerado por muitos críticos como o melhor filme da história. Na lista Top 250 do The Internet Movie Database (IMDb) ocupa a primeira posição, com o maior número de votos, superando grandes clássicos como O Poderoso Chefão, Cidadão Kane e ...E o Vento Levou.
  • No conto de Stephen King em que Um Sonho de Liberdade foi baseado, o personagem Ellis Boyd "Red" Redding era irlandês. Este detalhe foi mantido no filme na forma de uma piada, quando Red diz a Andy enquanto conversam e jogam baseball: "Maybe it's 'cause I'm Irish" (Talvez seja porque eu sou irlandês).
  • Boa parte de Um Sonho de Liberdade foi rodado na Penitenciária Estadual de Mansfield, em Ohio, que estava desativada na época das filmagens. Como a penitenciária estava em péssimas condições, foi necessário que se fizesse uma pequena reforma que tornasse possível rodar o filme.
  • O nome do filme foi satirizado em um episódio da série Luzes, Drama, Ação! intitulado como 'Um Chefe de Liberdade' e em Uma Família da Pesada.
  • Um Sonho de Liberdade foi apontado por uma pesquisa do Jornal Independent como o filme mais injustiçado da história do Oscar.

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

  1. May (0:33)
  2. Shawshank Prison (Stoic Theme) (1:53)
  3. New Fish (1:50)
  4. Rock Hammer (1:51)
  5. An inch Of His Life (2:48)
  6. If I Didn't Care by Ink Spots (3:03)
  7. Brooks was Here (5:06)
  8. His Judgement Cometh (2:00)
  9. Suds On The Roof (1:36)
  10. Workfield (1:10)
  11. Shawshank Redemption (4:26)
  12. Lovesick Blues by Hank Williams (2:42)
  13. Elmo Blatch (1:08)
  14. Sisters (1:18)
  15. Zihuatanejo (4:43)
  16. The Marriage Of Figaro: Duetto-Sul Aria by Deutsche Opera Berlin (3:32)
  17. Lovely Raquel (1:55)
  18. And That Right Soon (1:08)
  19. Compass and Guns (3:53)
  20. So Was Red (2:44)
  21. End Title (4:05)

Referências

  1. a b Box Office Mojo (em inglês). Página visitada em 9 de junho de 2011.
  2. Comentário de áudio com o diretor Frank Darabont

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um filme é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.