Marisol Malaret

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Marisol Malaret
Data de nascimento 13 de outubro de 1949 (70 anos)
Local de nascimento Utuado, Porto Rico
Nacionalidade Porto Rico porto-riquenha
Altura 1, 73
Títulos Miss Universo 1970

Marisol Malaret Contreras (Utuado, 13 de outubro de 1949) é uma rainha da beleza porto-riquenha, coroada como Miss Universo 1970, a primeira de Porto Rico na história do concurso.

Começou a trabalhar muito cedo como secretária na companhia telefônica International Telephone and Telegraph Company (ITT), devido à morte do pai e da doença crônica da mãe,que faleceu quando tinha oito anos e ela e o irmão Jesús Antonio passaram a ser criados pela tia Esther Contreras. Neste emprego, que dividia com trabalhos avulsos de modelo, foi persuadida por amigos a competir no Miss Porto Rico, e sua aparência e força de vontade a fizeram uma das favoritas no concurso nacional, que venceu em 21 de junho de 1970.[1]

Miss Universo[editar | editar código-fonte]

Em Miami Beach, Marisol não era um das favoritas, posição ocupada pelas Miss Austrália, Suécia, Argentina e a favorita da imprensa e do público, a norte-americana Deborah Shelton.[2] Classificada entre as dez semifinalistas após o desfile de maiô, começou a despertar atenção a partir daí, com um corpo perfeito e um grande desfile em passarela, preparada que foi para o concurso por Anna Santisteban, respeitada empreendedora, diretora e organizadora do concurso nacional em seu país, que sob sua direção faria três Misses Universo porto-riquenhas.[3]

As cinco finalistas escolhidas foram Porto Rico, EUA, Argentina, Austrália e Japão. Ao final, ficaram no palco apenas Marisol e Deborah Shelton. A audiência presente tinha certeza que a americana Deborah Shelton seria coroada a Miss Universo. A surpresa veio com o anúncio do mestre de cerimônias Bob Barker, declarando Shelton em segundo lugar e Malaret como a nova Miss Universo. A princípio, nem ela própria - muito mais bonita pessoalmente que em fotos e imagens de televisão, talvez tenha sido a menos fotogênica de todas as Misses Universo[2] - acreditou, mas o considerado impossível aconteceu e na noite de 11 de julho de 1970 ela tornou-se a primeira Miss Universo porto-riquenha.

Seu retorno a Porto Rico dez dias depois, foi considerado até então uma das maiores apoteóticas recepções populares já acontecidas no Aeroporto Internacional Luis Muñoz Marin, então Isla Verde International Airport, em San Juan. Além de ser recebida pelo governador-geral Luis Ferre e membros do gabinete e do senado na escada do avião, o aeroporto foi invadido por uma onda humana de cerca de 10 mil pessoas, que destruíram cercas e barreiras para recepcioná-la, além da multidão que se postou nas ruas por onde desfilou em carro aberto.[4]

Vida posterior[editar | editar código-fonte]

A ruiva porto-riquenha de maior beleza natural entre todas as portorriquenhas a ser coroada,[2] foi recebida com honras em seu país e até hoje é uma figura de grande popularidade local. Nos anos seguintes, tornou-se celebridade da mídia local, e tornou-se a diretora-fundadora da revista Caras em Porto Rico.[1]

Referências

  1. a b «Marisol Malaret». Fundación Nacional para la Cultura Popular. Consultado em 15 de julho de 2011 
  2. a b c «Marisol Malaret - Miss Universe 1970». globalbeauties.com. Consultado em 14 de julho de 2011. Arquivado do original em 12 de setembro de 2011 
  3. «Anna Santisteban transmitió su elegancia». primerahora.com. Consultado em 15 de julho de 2011 
  4. «Puerto Ricans greet Marisol». Consultado em 15 de julho de 2011 
Precedido por
Gloria Diaz
Miss Universo
1970
Sucedido por
Georgina Rizk