Miss Universo 2006

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Data 23 de julho de 2006
Apresentadores Nancy O'Dell e Carlos Ponce
Local Shrine Auditorium, Los Angeles, EUA
Candidatas 86
Semifinalistas 20
Vencedora Zuleyka Rivera

Miss Universo 2006 foi a 55° edição do concurso Miss Universo, realizada em 23 de julho de 2006 no Shrine Auditorium, em Los Angeles, Estados Unidos. Zuleyka Rivera, Miss Porto Rico, de 18 anos, foi consagrada Miss Universo 2006 e conquistou a quinta coroa para seu país. O concurso de 2006 foi marcado por dois recordes até então: o maior número de participantes da história e também o maior reinado.

Esta edição também foi a única com vinte semifinalistas, algo que não seria repetido, devido a um "buraco" na programação de televisão. Como foi uma edição completamente bancada pela iniciativa privada, as autoridades de Los Angeles não tiveram interesse em pagar para que a transmissão fizesse a promoção turística da cidade, como é o usual nas edições realizadas pelo mundo. A final ficou com um espaço de 7 minutos e, em função disso, para preenchê-lo a organização resolveu aumentar o número de candidatas no primeiro corte para 20 candidatas, ao invés das 15 tradicionais, de maneira que o processo um pouco mais longo fechasse o tempo em aberto na televisão.[1]

Cidade-sede[editar | editar código-fonte]

Depois de uma falta de interesse de várias cidades contatadas, a organização demorou para conseguir um local apropriado para a realização da edição, o que a levou a ser realizada apenas em julho, ao invés do usual mês de maio. Durante um certo período de tempo, existiam rumores de que o concurso retornaria à Bangkok, antes da cidade de Los Angeles ser oficialmente confirmada.[1]

Evento[editar | editar código-fonte]

O evento já começou com a declaração de Donald Trump de que estava feliz porque teria a oportunidade de selecionar algumas das candidatas à semifinal, o que já ocorria desde o ano anterior, mas que não era oficialmente confirmado. A primeira grande favorita entre a imprensa e os fãs era Lauriane Gilliéron, a primeira Miss Suíça em onze anos que vinha da Suíça romanda (região de fala francesa). As que também posicionaram-se como favoritas foram as candidatas do México, Austrália, Canadá, Trinidad e Tobago e a Miss Colômbia Valerie Dominguez, prima da cantora Shakira.[1] Mas na noite final foi Zuleyka Rivera, de Porto Rico, que começou a causar a impressão mais forte nos jurados, não apenas pela beleza, mas pelas impecáveis passagens que realizava na passarela e pela grande autoconfiança que demonstrava. Rivera era a mais nova de todas as participantes: tinha apenas 18 anos, entretanto era a mais experiente, pois desde criança participava de concursos de beleza e tinha ganhado o Miss Porto Rico na primeira tentativa.

Shrine Auditorium, local do evento.

O único Top 20 da história do Miss Universo foi formado por Bolívia, Brasil, Colômbia, Dinamarca, Porto Rico, Suíça, EUA, Paraguai, Japão, Etiópia, Rússia, Canadá, Suécia, Trinidad e Tobago, Tailândia, Índia, Argentina, Ucrânia, Hungria e México, deixando de fora uma das favoritas, Miss Austrália, e a sempre favorita Miss Venezuela. Tal como as outras edições, o Top 10 foi o segmento da competição responsável pela competição em traje de gala, e foi composto pelas misses Suíça, Japão, Paraguai, Canadá, México, EUA, Bolívia, Trinidad e Tobago, Colômbia e Porto Rico. Zuleyka Rivera desfilou com um vestido colado ao corpo, inteiramente feito de fios de aço entrelaçados, e a Miss EUA, Tara Conner, com um vestido elaborado pelos participantes do reality show de moda Project Runway.[1]

As cinco finalistas foram Zuleyka Rivera, Lauriane Gilliéron, Tara Conner, Lourdes Arevalos do Paraguai (considerada como a grande surpresa da noite), e a japonesa Kurara Chibana, que ao longo da competição havia se transformado na favorita do público por sua personalidade esfuziante, desfiles impecáveis e respostas inteligentes - além de ser poliglota, respondeu às entrevistas e à pergunta final em várias línguas, motivo pela qual a tornou emotiva diante do enorme apoio que vinha da audiência. Kurara, apelidada de "Rainha Samurai" por causa de seu traje típico que era a mistura da roupa de um samurai com uma fantasia de tokusatsu (heróis de séries japonesas, como Power Rangers),[2] era um produto de Inès Ligron, a sofisticada francesa coordenadora-geral do Miss Japão que conseguiu trazer de volta o Japão às principais posições do concurso, conseguindo classificar Miyako Miyazaki em 5º lugar em 2003 e agora Chibana, em segundo lugar; trabalho esse que atingiria o apogeu no ano seguinte, com a polêmica vitória de Riyo Mori.[3] Chibana foi a última a ficar ao lado da porto-riquenha antes do anúncio final, que, por decisão do júri, dada a média de toda a competição, elegeu Zuleyka Rivera como a nova Miss Universo e a quinta de Porto Rico.

A vencedora[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Zuleyka Rivera

Zuleyka Rivera, uma participante veterana em concursos de beleza em seu país desde a infância, teve um reinado bastante atribulado. Ainda ao final do concurso, poucos minutos após a sua coroação e a caminho dos bastidores, quando conversava com jornalistas [4] acabou desmaiando e precisou ser carregada por seguranças. Foi socorrida pelo namorado da Miss Brasil Rafaela Zanella, que era médico e teve que cortar o vestido para que Zuleyka respirasse.

Durante seu reinado visivelmente engordou, saindo dos padrões exigidos à função. Tornou-se amarga, irritadiça e triste. Durante sua visita à Índia, foi fotografada sempre com o rosto fechado ou com expressões de enfado. Alguns meses depois de coroada, ela deu uma entrevista ao Telemundo falando das dificuldades de exercer o mandato e anunciando sua vontade de renunciar ao título; isto levou a Miss Universe Organization a agir rapidamente, facilitando sua agenda e adequando os compromissos às suas necessidades físicas e emocionais, oferecendo-lhe inclusive aconselhamento psicológico profissional, após ela concordar em terminar o reinado.

Sua insatisfação chegou às vistas de todos durante a transmissão do Miss Universo 2007, quando apareceu para o desfile de despedida sem dar qualquer sorriso ou ar de alívio. No momento de coroação da sucessora, Riyo Mori, de maneira displicente praticamente lhe jogou a coroa sobre a cabeça. [1]

Anos depois, numa entrevista ao jornal Primera Hora, de Porto Rico, ela confessou o quanto ser Miss Universo a tinha deprimido, devido ao fato de ser ainda muito jovem – tinha apenas 18 anos quando foi eleita – para conseguir suportar todas as pressões e cobranças que vinham junto com a coroa. [1]

Resultados[editar | editar código-fonte]

Zuleyka Rivera, Miss Universo 2006.
O Top 5: Lauriane Gilliéron (Suiça), Lourdes Arevalos (Paraguai), Kurara Chibana (Japão), Tara Conner (EUA) e Zuleyka Rivera (Porto Rico).
Colocação Candidata País
Miss Universo 2006 Zuleyka Rivera  Porto Rico
2º lugar Kurara Chibana  Japão
3º lugar Lauriane Gilliéron Suíça
4º lugar Lourdes Arevalos  Paraguai
5º lugar Tara Conner  Estados Unidos
Semifinalistas (Top 10) Kenisha Thom
Valerie Dominguez
Alice Panikian
Desiree Durán
Priscila Perales
Trinidad e Tobago
 Colômbia
 Canadá
 Bolívia
 México
Semifinalistas (Top 20) Rafaela Zanella
Magali Romitelli
Betina Faurbiye
Dina Fekadu
Adrienn Bende
Neha Kapur
Anna Litvinova
Josephine Alhanko
Charm Onwarin
Inna Tsymbalyuk
 Brasil
 Argentina
 Dinamarca
 Etiópia
 Hungria
 Índia
 Rússia
 Suécia
 Tailândia
 Ucrânia
Premiações especiais
Miss Fotogenia Lia Andrea Ramos Filipinas
Miss Simpatia Angela Asare Gana
Melhor traje típico Kurara Chibana  Japão

Jurados [2] [editar | editar código-fonte]

Candidatas[editar | editar código-fonte]

Em negrito a candidata eleita Miss Universo 2006. Em itálico as semifinalistas.[5]

Referências

  1. a b c d e f «Miss Universe 2006 Zuleika Rivera». GlobalBeauties. Consultado em 9 de fevereiro de 2015. Arquivado do original em 28 de janeiro de 2015 
  2. a b «MISS PUERTO RICO WINS MISS UNIVERSE But Samurai Queen steals the show». Critical Beauty. Consultado em 9 de fevereiro de 2015 
  3. «Riyo Mori (Japan)». PageantMania. Consultado em 7 de fevereiro de 2015. Arquivado do original em 7 de fevereiro de 2015 
  4. «Puerto Rico wins, faints». The Age. Consultado em 9 de fevereiro de 2015 
  5. «2006». pageantopolis. Consultado em 9 de fevereiro de 2015. Arquivado do original em 12 de março de 2013 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]