Miss Universo 1962

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Miss Universo 1962
Data 14 de julho de 1962
Apresentadores Gene Rayburn
Local Miami Beach Auditorium, Miami Beach, Flórida, Estados Unidos
Emissoras CBS
Candidatas 51
Semifinalistas 15
Estreias Benim, Haiti, Malásia, Taiti
Retiradas Birmânia, Chile, Dinamarca, Guatemala, Jamaica, Madagáscar, Federação da Rodésia e Niassalândia
Retornos Costa Rica,República Dominicana, Hong Kong, Nova Zelândia, Filipinas
Vencedora Norma Nolan
 Argentina

Miss Universo 1962 foi a 11.ª edição do Miss Universo, realizada em 14 de julho de 1962 no Miami Beach Auditorium, em Miami Beach, Flórida, nos Estados Unidos. Candidatas de 52 países e territórios competiram pelo título. No final do título, a Miss Universo 1961, Marlene Schmidt, da Alemanha, coroou a Argentina Norma Nolan como sua sucessora, sendo este o primeiro e único título conquistado por seu país até hoje.

Evento[editar | editar código-fonte]

Num ano importante para a Argentina, de redemocratização após um período de ditadura militar, de ebulição das artes e de intensa produção cultural no país, após conquistar o Miss Mundo no ano anterior a Argentina conquistou seu primeiro título do Miss Universo.

Norma Nolan não estava entre as favoritas da imprensa e quando foi classificada entre as Top 15 foi chamada de "azarão".[1] Só começou a aparecer ante os olhos do público presente e da imprensa, após seu desfile com traje típico e vestido de noite, onde mostrou sua elegância e postura. Num ano em que 11 das 15 semifinalistas eram morenas e a Miss Haiti, Evelyn Miot, foi a primeira semifinalista negra, Norma, que era bastante popular entre as outras candidatas, derrotou as duas loiras favoritas, Miss Áustria e Miss Finlândia. O Brasil, que no ano anterior tinha ficado de fora das semifinalistas pela primeira vez, voltou ao Top 5 com o quinto lugar da baiana Maria Olívia Rebouças.

O evento também ficou marcado pela participação da primeira Miss USA de etnia não-branca, a havaiana Macel Leilane. A Miss Noruega, Julie Ege, se tornaria uma sex symbol e estrela de filmes-B, fotografando para a Penthouse e fazendo uma ponta no filme 007 A Serviço Secreto de Sua Majestade, anos depois.[2]

Entre os juízes desta edição do concurso, estava o jornalista brasileiro Edilson Cid Varela, superintendente dos Diários Associados – que organizavam o Miss Brasil na época – e recriador do Correio Brasiliense, na sua primeira participação entre muitas que se seguiriam.[3]

Depois de seu ano de reinado, Nolan desapareceu da mídia, preferindo levar uma vida privada na Argentina.

Resultados[editar | editar código-fonte]

Colocação Candidata
Miss Universo 1962
2.ª colocada
3.ª colocada
4.ª colocada
  • Taiwan — Helen Liu Shiu-Man
5.ª colocada
Top 15

Prêmios especiais[editar | editar código-fonte]

Miss Simpatia[editar | editar código-fonte]

Miss Fotogenia[editar | editar código-fonte]

Melhor Traje Típico[editar | editar código-fonte]

Candidatas[editar | editar código-fonte]

Em negrito, a candidata eleita Miss Universo 1962. Em itálico, as semifinalistas.[4]

Referências

  1. «Norma Nolan - Miss Universe 1962». globalbeauties.com. Consultado em 10 de julho de 2011. 
  2. «Julie Ege». The Guardian. Consultado em 6 de fevereiro de 2015. 
  3. «Miss Universe 1962 Judges & Guest stars». belezavenezuelana.com. Consultado em 9 de julho de 2011. 
  4. «1962». pageantopolis.com. Consultado em 10 de julho de 2011. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]