Miss Universo 1994

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Data 20 de maio de 1994
Apresentadores Bob Goen, Arthel Neville e Angela Visser.
Local Philippine International Convention Center, Pasay, Filipinas
Candidatas 77
Semifinalistas 10
Vencedora Sushmita Sen

Miss Universo 1994 foi a 43ª edição do concurso, realizado no dia 20 de maio daquele ano no Philippine International Convention Center, em Pasay, um subúrbio de Manila, capital das Filipinas. Sushmita Sen, da Índia, foi coroada e tornou-se a primeira indiana a conquistar o título, derrotando candidatas de outros 76 países.

O evento teve inicio às 08:00h locais do dia 21 de maio de 1994, para que pudesse ser exibido ao vivo no horário nobre da televisão americana,para que a então detentora do evento a CBS transmitisse o concurso em horário nobre dos Estados Unidos. A cidade o sediou pela segunda vez, vinte anos depois da primeira edição do Miss Universo nas Filipinas, em 1974.[1] As candidatas chegaram ao país um mês antes, na metade de abril, e passaram semanas participando de atividades pelo interior das Filipinas conhecendo locais e atrações. A abertura da noite final foi apresentada pela televisão por duas ex-Miss Universo locais, Gloria Diaz, Miss Universo 1969 e Margarita Moran, Miss Universo 1973.

Este foi um ano dourado para a Índia nos concursos de beleza internacionais. A vencedora do Miss Índia Sushmita Sen foi coroada Miss Universo nas Filipinas em maio e em outubro a segunda colocada Aishwarya Rai foi eleita Miss Mundo, na África do Sul.[2] As duas, que terminaram o concurso nacional exatamente empatadas na pontuação geral, sendo necessário o uso do critério desempate para escolher a vencedora, se tornariam nos anos seguintes e até hoje duas das maiores celebridades do país, fazendo carreira no cinema e na televisão.

Evento[editar | editar código-fonte]

A primeira candidata a chegar às Filipinas foi a Miss EUA Lu Parker, que falando algumas palavras em tagalo para se comunicar, se tornou uma das mais populares e favoritas do concurso. Ao lado dela, também chamaram a atenção as misses Bélgica, Austrália, Colômbia, Venezuela e a estreante Miss República Eslovaca Silvia Lakatosova, a primeira representante deste país no Miss Universo e atualmente diretora do concurso local.[3]

A Índia, que havia começado a se destacar nos concursos anteriores, mais uma vez vinha sendo observada atentamente. A elegante e eloquente Sushmita Sen vinha ganhando terreno durante todas as preliminares e com grande apresentação nestas etapas começou a se tornar uma das principais favoritas à coroa. Nas semanas anteriores à final, as candidatas foram tratadas como celebridades por todas as Filipinas, por onde viajaram, sendo recebidas com grande entusiasmo pelos locais. Algumas delas tiveram problemas como o calor e a comida local, mas ninguém precisou de hospitalização como em edições anteriores. Para a grande final, cerca de 200 pessoas de serviços de apoio, 55 cabeleireiros e maquiadores locais, 80 estilistas e 100 estabelecimentos privados e agências governamentais deram apoio ao concurso em Manila.[3]

Para tornar esta edição ainda mais especial, sete ex-detentoras da coroa de Miss Universo participaram do evento: as locais Gloria Diaz (1969) e Margarita Moran (1973), a holandesa Angela Visser (1989), a venezuelana Irene Sáez (1981), Michelle McLean da Namíbia (1992), Mona Grudt da Noruega (1990), que foi jurada, e Dayanara Torres (1993), de Porto Rico, que foi a Manila coroar a sua sucessora e gostou tanto do país que morou lá por três anos.[4]

PICC em Manila, local do concurso.

No dia anterior à final, uma bomba caseira explodiu no local onde horas antes as candidatas haviam realizado o último ensaio, e apesar de ninguém ter se ferido, o fato preocupou a todos com relação ao show do dia seguinte e centenas de policias foram enviados ao local como reforço para a segurança das misses e das pessoas trabalhando e cobrindo o evento.

O Top 10 da edição, apresentado após um espetacular número de abertura, foi formado pelas misses da Grécia, Colômbia, Índia, Suécia, Venezuela, Suíça, Estados Unidos, Itália, República Eslovaca e a dona da casa, que ganhou o prêmio de Melhor Traje Típico. Para a etapa seguinte, o Top 6, ficaram Colômbia, Venezuela, Índia, EUA, Eslováquia e Filipinas. Uma das grandes favoritas, a loura Miss Itália Arianna David, foi eliminada particularmente por uma entrevista pífia.

Sushmita Sen da Índia, Carolina Gómez da Colômbia e Minorka Mercado da Venezuela ocuparam o Top 3, e após uma última pergunta, numa das mais difíceis decisões de um corpo de jurados, Sen ficou em primeiro e a colombiana em segundo. Pela terceira vez consecutiva a Colômbia amargou um segundo lugar no Miss Universo e pela primeira vez a Índia conquistava a coroa.[3]

Sushmita foi uma das melhores Miss Universo da história e tornou-se uma enorme celebridade em seu país com a inédita vitória, tendo uma recepção popular e inesquecível pela ruas indianas quando retornou ao país. Nos anos seguintes, virou estrela de televisão e de cinema em Bollywood e hoje fundou e dirige o I am She, o concurso nacional de beleza que indica a representante indiana ao Miss Universo.

A partir de 1994, com o impulso da conquista de Sen e da também vitória de Aishwarya Rai no Miss Mundo, a Índia transformou-se numa potência em concursos de beleza na década de 1990, ganhando títulos seguidos nos mais importantes concursos do mundo e ainda hoje permanece com uma das grandes forças neste segmento do entretenimento internacional.

Resultados[editar | editar código-fonte]

Países que enviaram misses ao concurso e resultados:
azul escuro - vencedora
azul claro - 2º lugar
verde escuro - 3º lugar
verde claro - 4º ao 6º
laranja - 7º ao 10º
vermelho - sem classificação
Colocação Candidata País
Miss Universo 1994 Sushmita Sen  Índia
2º lugar Carolina Gómez  Colômbia
3º lugar Minorka Mercado  Venezuela
Semifinalistas (Top 6): Silvia Lakatosova
Lu Parker
Charlene Gonzales
Flag of Slovakia.svg Eslováquia
 Estados Unidos
Filipinas
Semifinalistas (Top 10): Rea Toutounzi
Arianna David
Dominique Forsberg
Patricia Fässler
 Grécia
 Itália
 Suécia
Suíça
Premiações especiais
Miss Simpatia Christalene Kahatjipara Namíbia
Miss Fotogenia Minorka Mercado  Venezuela
Melhor Traje Típico Charlene Gonzales Filipinas
Melhor Traje de Banho Minorka Mercado  Venezuela
Melhor Cabelo Charlene Gonzales Filipinas
Prêmio Minolta Photo Gitte Andersen  Dinamarca
Melhor Sorriso Kodak Areeya Chumsai  Tailândia
Melhor em Traje Filipino Minorka Mercado  Venezuela
Embaixadora da Philippines Airlines Gitte Andersen  Dinamarca

Jurados [4][editar | editar código-fonte]

  • Mona GrudtMiss Universo 1990
  • Carlos Zapata – estilista colombiano
  • Florence Larue – atriz e cantora
  • Richard Dalton – cabeleireiro
  • Beulah Quo – atriz
  • Emilio T. Yap – empresário filipino
  • Stephanie Beacham – atriz britânica
  • Jonas McCord – escritor e diretor

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

  • A Rússia, que competia pela primeira vez, teve sua candidata, Inna Zobova, detida por 15 horas numa sala sem janelas no Aeroporto Internacional de Bangkok, na Tailândia, a caminho das Filipinas, por não ter visto em seu passaporte.[5]
  • O concurso foi atacado pelo Movimento Nacionalista das Novas Mulheres, um setor do partido político Frente Democrática Nacional, que afirmava que ele estava sendo usado para promover o turismo sexual no país. [6] O congresso filipino também criticou os custos do evento, apesar dele ter sido endossado e aprovado pelo presidente da república Fidel Ramos. Uma atividade social onde as candidatas compareceram antes da final, foi alvo de piquetes de grupos feministas, que se opunham à natureza do concurso e aos seus gastos[7]
  • A Miss Malásia, Liza Koh, pediu desculpas públicas pelo fato de seu país ter prendido mais de 1200 empregadas filipinas na capital malaia, Kuala Lumpur, poucos dias antes do concurso, o que a levou a ser advertida pelo Ministério das Relações Exteriores da Malásia para que não se pronunciasse sobre questões políticas.[8]
  • Viveka Babajee, Miss Ilhas Maurício, foi uma figura bastante controversa durante todo o concurso, por seu envolvimento no que ficou conhecido como o escândalo do Metro Manila Film Festival, ocorrido naquele ano, em que a vencedora do prêmio de melhor atriz teve o nome trocado por ela e outro apresentador, beneficiando uma atriz amiga.[9] Babajee suicidou-se em 2010.[10]
  • Assim como no ano anterior, a Miss Indonésia desta edição, Venna Melinda, foi impedida de participar por questões morais levantadas por seu governo contra o desfile de maiô. Melinda viajou às Filipinas para participar apenas como observadora. [11]

Candidatas[editar | editar código-fonte]

Em negrito, a candidata eleita Miss Universo 1994. Em itálico, as semifinalistas.[12]

Referências

  1. «Philippines to host Miss Universe pageant». Reuters. 24 de outubro de 1993 
  2. Blade, Toledo. «Miss World». Consultado em 9 de junho de 2012. 
  3. a b c «Sushmita Sen - Miss Universe 1994». globalbeauties.com. Consultado em 10 de junho de 2012. 
  4. a b «India wins its first crown». Critical Beauty. Consultado em 2 de fevereiro de 2015. 
  5. «Miss Russia held by Thais on way to Miss Universe». Reuters. 28 de abril de 1994 
  6. «Communist insurgents say Miss Universe promotes sex tourism». Agence France-Press. 29 de abril de 1994 
  7. «Feminists picket Miss Universe social function». Agence France-Press. 1 de maio de 1994 
  8. «Miss Malaysia told not to make political remarks». Straits Times. 29 de abril de 1994 
  9. «"Take it! Take it!": Viveka Babajee, Miss Mauritius and '94 MMFF scam participant commits suicide». Spot. Consultado em 10 de junho de 2012. 
  10. «Viveka's suicide triggers spate of condolences». Emirates 24/7. Consultado em 10 de junho de 2012. 
  11. «Miss Indonesia to watch but not take part». Straits Times. 19 de maio de 1994 
  12. «1994». pageantopolis.com. Consultado em 9 de junho de 2012. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]