Miss Universo 1972

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Miss Universo 1972
Data 29 de julho de 1972
Apresentadores Bob Barker
Local Cerromar Beach Hotel, Dorado, Porto Rico
Emissoras CBS
Candidatas 61
Semifinalistas 12
Estreias Iraque, Zaire
Retiradas Tchecoslováquia, Libano, Nicarágua, Panamá,Trinidad e Tobago, Tunísia, Iugoslávia
Retornos Chile, Dinamarca, El Salvador, Hong Kong, Paraguai
Vencedora Kerry Anne Wells
 Austrália

Miss Universo 1972 foi a 21.ª edição do Miss Universo, realizada em 29 de julho de 1972 no Cerromar Beach Hotel, em Dorado, em Porto Rico. Candidatas de 61 países e territórios competiram pelo título. No final do evento, a Miss Universo 1971, Georgina Rizk, do Líbano, coroou a australiana Kerry Anne Wells como sua sucessora.

Um dos concursos mais politicamente conturbados e cercados de segurança da história do concurso, o Miss Universo 1972 foi alvo de protestos diários que obrigaram as participantes a viverem fechadas dentro do hotel usado como sede da organização. Num outro ineditismo, esta foi também a primeira e única vez que o nome da vencedora não pode ser visto no momento do anúncio pela televisão. Alegadamente, ativistas do Partido Independentista Portorriquenho, pró-independência nacional dos EUA – Porto Rico é um estado associado americano – conseguiram cortar os cabos que transmitiam a imagem do evento para todo mundo - pela primeira vez em cores via satélite para 33 países[1] - no momento do anúncio da vencedora, com a imagem retornando apenas quando Wells já havia sido coroada.[2]

Georgina Rizk foi a primeira e até hoje a única Miss Universo que, estando normalmente na função, nunca coroou sua sucessora. Sua presença em Dorado foi impedida por seu governo, temeroso de um ataque terrorista contra ela. Esse receio foi causado por um atentado à bomba ocorrido dois meses antes no hotel em que se hospedava no país a Miss EUA, Tanya Wilson, e demais participantes do concurso nacional americano, que foi realizado também em Dorado. Além disso, um grupo de terroristas japoneses do Exército Vermelho Japonês treinado por árabes, realizou um ataque ao Aeroporto Internacional de Tel Aviv, em Israel, que causou a morte de 22 turistas porto-riquenhos, pouco tempo antes do concurso.[3] Rizk, que apesar de ter passado boa parte do ano em Porto Rico encontrava-se no Líbano na época, foi proibida de retornar. Neste ano, o Líbano também não enviou representante ao concurso e Wells foi coroada pela Miss Universo 1970, a porto-riquenha Marisol Malaret.

Evento[editar | editar código-fonte]

As representantes da Ásia, Europa e África encontraram-se primeiro em Nova York, onde passaram quatro dias conhecendo a cidade e fazendo divulgação do concurso em programas de televisão, enquanto as latino-americanas reuniram-se em Lima, Peru, antes de seguirem para Porto Rico. Quanto o grupo chegou à Dorado, quatro misses foram logo consideradas favoritas à coroa: Alemanha, Venezuela, Israel e a Miss Brasil Rejane Vieira Costa (conhecida futuramente como Rejane Goulart, o nome que adotaria na carreira artística). Miss Austrália foi uma das últimas a chegar, e apesar de ser a mais alta do grupo, passou despercebida nos primeiros dias em Dorado.[2] O Iraque enviou uma representante, Wijdan Sulyman, a primeira e a única até então, quando em 2017 enviou novamente uma representante.

Entre as doze semifinalistas estavam, além de Wells, Brasil, Inglaterra, Venezuela, Israel, Alemanha e Índia, sem maiores surpresas. A anfitriã, Porto Rico, foi deixada de fora. A apresentação impecável e inquestionável beleza de Wells colocou-a entre as favoritas durante a última apresentação das semifinalistas e cinco morenas compuseram o Top 5: Austrália, Brasil, Venezuela, Inglaterra e Israel. Todas as cinco tinham beleza equivalente e esperava-se qualquer coisa dali em diante.

Israel, Inglaterra e Venezuela foram as três primeiras eliminadas, restando a brasileira e a australiana na disputa da coroa. O apresentador Bob Barker então anunciou o Brasil na segunda colocação e, depois de três anos consecutivos com ótimas colocações mas nunca vencendo, a Austrália fez sua primeira Miss Universo. Rejane Goulart juntou-se à Martha Rocha, Adalgisa Colombo e Terezinha Morango como a quarta Miss Brasil a ser segundo lugar no concurso. O Brasil nunca mais conseguiria colocação tão alta até 2007, com a mineira Natália Guimarães.[4]

Entre os jurados da edição, estavam os atores Curd Jurgens e Lynn Redgrave, o jornalista brasileiro Edilson Cid Varela e a Miss Universo 1967 Sylvia Hitchcock. Outras duas Misses Universo, Corinna Tsopei (1964) e Gloria Diaz (1969), também participaram como convidadas especiais.[5]

Kerry Wells, uma modelo profissional de Perth, no leste da Austrália, cumpriu seu reinado com perfeição mas não sem algum percalço. Pouco tempo depois do concurso, o governador-geral de Porto Rico, Luis Ferri, que havia convencido a Miss Universo Inc. a realizar a edição em seu território e mudar seu quartel-general para San Juan, foi derrotado nas eleições, acusado de corrupção. O novo governo praticamente expulsou a organização do país e Wells, que, assim como Rizk anteriormente, morava lá, teve que deixá-lo e passou a maior parte de seu reinado baseada em Nova York.[2]

Resultados[editar | editar código-fonte]

Mapa mostrando os países e territórios que participaram do Miss Universo 1972 e suas colocações finais.
Colocação Candidata
Miss Universo 1972
2.ª colocada
3.ª colocada
4.ª colocada
5.ª colocada
Top 12

Prêmios especiais[editar | editar código-fonte]

Miss Simpatia[editar | editar código-fonte]

  • Vencedora: Zaire — Ombayi Mukuta.

Miss Fotogenia[editar | editar código-fonte]

  • Vencedora:  Bélgica — Anne Marie Roger.

Melhor Traje Típico[editar | editar código-fonte]

  • Vencedora:  Peru — Carmen Ampuero.

Candidatas[editar | editar código-fonte]

Em negrito, a candidata eleita Miss Universo 1972. Em itálico, as semifinalistas.[6]

Referências

  1. «Aussie Beauty is Winner». Veestarz.com. Consultado em 16 de julho de 2011. 
  2. a b c «Karen Anne Wells - Miss Universe 1972». globalbeauties.com. Consultado em 16 de julho de 2011. 
  3. «Georgina Rizk - Miss Universe 1971». globalbeauties.com. Consultado em 15 de julho de 2011. 
  4. «Natália Guimarães volta ao Brasil após segundo lugar no Miss Universo». Consultado em 16 de julho de 2011. 
  5. «AUSSIE WEATHERBIRD RISES TO THE OCCASION». criticalbeauty.com. Consultado em 16 de julho de 2011. 
  6. «1972». pageantopolis.com. Consultado em 16 de julho de 2011. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]