Os Acorrentados

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura o filme de 1958, veja The Defiant Ones.
Disambig grey.svg Nota: Se procura reality show produzido pela SIC em 2001, veja Acorrentados (reality show).
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde fevereiro de 2010). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Os Acorrentados foi uma telenovela brasileira produzida pela TV Rio e exibida entre 02 de dezembro de 1968 a maio de 1969 às 18h. Foi escrita por Janete Clair e dirigida e produzida por Daniel Filho. Também foi exibida em São Paulo pela RecordTV entre janeiro e maio de 1969, às 12h

Enredo[editar | editar código-fonte]

Na Jamaica, um guerrilheiro chamado Rodrigo busca refúgio num convento onde violenta a Irmã Amparo de Fátima, que, grávida, é expulsa e passa a desenvolver uma relação de amor e ódio com seu algoz.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • Foi uma telenovela exibida pela TV Rio em horário nobre, às 18h30 no Rio de Janeiro e, pela TV Record, em horário inferior (meio-dia) em São Paulo.
  • No período em que escrevia os últimos capítulos de Passo dos Ventos e os primeiros de Rosa Rebelde, Janete Clair prestou uma ajuda a Daniel Filho que, fora da Rede Globo, tentava dirigir a TV Rio, que estava em um período de decadência. Escondida da Globo, ela elaborou o enredo de Acorrentados para ser exibida na emissora concorente, um de seus mais obscuros trabalhos.
  • Acorrentados foi ao ar em São Paulo pouco tempo depois de sua exibição no Rio. Enquanto era apresentada na Record, a Globo já exibia Rosa Rebelde, com a mesma autora e o mesmo diretor.
  • Com elenco estelar, foi a estreia de Betty Faria em telenovelas.
  • A telenovela não teve um final devido ao atraso nos pagamentos da TV Rio, ao abandono das gravações de alguns atores e à recontratação de Daniel Filho pela Globo.
  • Em seu livro Antes que me esqueçam (Editora Guanabara, 1988), Daniel Filho falava sobre Acorrentados, que tinham scripts convencionais. Dina Sfat, que estava no elenco, era uma atriz que nunca tinha feito televisão e atuava muito bem no cinema, já que na época estava filmando Macunaíma. Eram terríveis as condições de trabalho. A audiência, tanto no Rio como em São Paulo, era de poucos pontos, um caso raro para uma telenovela com história razoável, ótimo elenco e a maestria de uma grande autora.
  • A telenovela teve música original composta por Mário Litwin. Era um luxo na época, pois apenas na década de 1970 a Globo passaria a convidar compositores para criar a trilha sonora de suas novelas. Hoje essa prática não é mais utilizada.
  • Os Acorrentados estreou na TV Rio em 2 de Dezembro de 1968 no horário das 18h30.
  • Não tem nada a ver com Acorrentada, telenovela exibida pelo SBT em 1983.
Ícone de esboço Este artigo sobre telenovelas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.