Bom Jardim de Minas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Bom Jardim de Minas
Vista parcial de Bom Jardim de Minas

Vista parcial de Bom Jardim de Minas
Bandeira de Bom Jardim de Minas
Brasão de Bom Jardim de Minas
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 17 de dezembro de 1938 (75 anos)
Gentílico bonjardinense
Prefeito(a) Joaquim Laércio Rodrigues (PMDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Bom Jardim de Minas
Localização de Bom Jardim de Minas em Minas Gerais
Bom Jardim de Minas está localizado em: Brasil
Bom Jardim de Minas
Localização de Bom Jardim de Minas no Brasil
21° 56' 49" S 44° 11' 27" O21° 56' 49" S 44° 11' 27" O
Unidade federativa  Minas Gerais
Mesorregião Sul/Sudoeste de Minas IBGE/2013[1]
Microrregião Andrelândia IBGE/2013[1]
Municípios limítrofes Sul: Passa-Vinte e Santa Rita de Jacutinga;
Oeste: Arantina e Liberdade;
Norte: Andrelândia;
Leste: Rio Preto, Olaria e Lima Duarte.
Distância até a capital 295 km
Características geográficas
Área 412,021 km² [2]
Distritos Sede e Taboão de Minas
População 6 663 hab. estatísticas IBGE/2013[3]
Densidade 16,17 hab./km²
Altitude 1250 m
Clima tropical mesotérmico brando úmido Cwb
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,673 médio PNUD/2010[4]
PIB R$ 55 041 mil IBGE/2011[5]
PIB per capita R$ 8 479,56 IBGE/2011[6]
Página oficial
Prefeitura http://www.bomjardimdeminas.mg.gov.br/

Bom Jardim de Minas é um município brasileiro no interior do estado de Minas Gerais, Região Sudeste do país. Pertence à Mesorregião do Sul/Sudoeste de Minas e Microrregião de Andrelândia e localiza-se a sul da capital do estado, distando desta cerca de 295 km.[7] Ocupa uma área de 412,021 km², sendo que 1,7197 km² estão em perímetro urbano,[8] e sua população em 2013 era de 6 663 habitantes,[3] sendo então o 507º mais populoso do estado mineiro.

A sede tem uma temperatura média anual de 21,2 ºC[9] e na vegetação do município predomina a Mata Atlântica. Com 85% da população vivendo na zona urbana,[10] a cidade contava, em 2009, com cinco estabelecimentos de saúde.[11] O seu Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é de 0,673, considerando como médio em relação ao estado.[4]

O povoamento do lugar teve início por volta de 1770, com o estabelecimento de uma fazenda nas atuais terras bonjardinenses. No local se formou um arraial, que foi elevado à categoria de freguesia e, em 1856, a distrito de Andrelândia, sendo emancipado em 17 de dezembro de 1938.[12] Atualmente, Bom Jardim se destaca na realização de festas como o Carnaval, que é um dos maiores da região; e a festa do padroeiro da cidade, Bom Jesus dos Matozinhos, em agosto; além dos atrativos naturais, como cachoeiras e serras.[13]

História[editar | editar código-fonte]

A região onde atualmente se localiza Bom Jardim de Minas era habitada pelos índios Puri. Em 1770, houve o início da ocupação da região por colonizadores, entre os quais o português Manoel Arriaga de Oliveira (casado com D. Maria Alcântara de Oliveira, com quem teve seis filhos) e sua família. Após se estabelecerem na região, fundaram a Colônia de Campo Vermelho, próximo à atual sede municipal. Esta foi atacada por uma tribo de indígenas que habitava a região, tendo durante o ataque sido massacrado um de seus filhos. Manoel Arriaga, entristecido com o fato, afastou-se da Colônia e fixou residência às margens do Córrego Milho Branco, onde organizou uma fazenda, atualmente a cidade.[14]

Anos mais tarde, o Senhor Manoel Arriaga recebia em sua fazenda a visita do Capitão Antônio Correia de Lacerda, que vinha acompanhado de sua esposa e filhos. Simpatizaram-se com o local e associaram-se a Manoel para a ampliação da fazenda, iniciando o cultivo da terra em grande escala.[14] A pedido do Capitão Lacerda, foi erigida no núcleo do povoado, ainda em formação, a primitiva Capela do Bom Jardim, hoje a Antiga Matriz.[14] Alguns anos depois, a partir da união das famílias Arriaga e Lacerda, a fazenda recebia a denominação de "Fazenda do Bom Jardim". A origem do nome foi devido a um bem cuidado jardim, que havia nas proximidades da sede da fazenda.[14]

A partir da Fazenda do Bom Jardim, surgiu em 1856 o Arraial do Senhor Bom Jesus do Bom Jardim. A Lei providencial nº 761 de 2 de maio de 1856, criou o distrito com a denominação de "Senhor Bom Jesus do Bom Jardim", pertencendo ao município do Turvo (atual Andrelândia).[14] Pela lei estadual nº 843, de 7 de setembro de 1923, passou a se denominar-se distrito "Bom Jardim", continuando a pertencer ao município de Turvo.[14]

Pelo decreto-lei estadual nº 148, de 17 de dezembro de 1938, cria-se o município de Bom Jardim, constituído pelo Distrito-Sede (desmembrado de Andrelândia) e Taboão (desmembrado do município de Rio Preto). Pelo decreto-lei estadual nº 1.058, de 31 de dezembro de 1943, o Bom Jardim passa a denominar-se Bom Jardim de Minas e é criado o distrito de Arantina, com território desmembrado do Distrito-Sede. Em 30 de dezembro de 1962, porém, ocorre a emancipação de Arantina, permanecendo desde então Bom Jardim dividida em dois distritos (Distrito-Sede e Taboão de Minas).[14] [15]

Geografia[editar | editar código-fonte]

A área do município, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), é de 412,021 km², sendo que 1,7197 km² constituem a zona urbana e os 410,301 km² restantes constituem a zona rural.[2] [8] Situa-se a 21°56'60" de latitude sul e 44°11'28" de longitude oeste e está a uma distância de 295 quilômetros a sul da capital mineira. Seus municípios limítrofes são Passa-Vinte e Santa Rita de Jacutinga, a sul; Arantina e Liberdade, a oeste; Andrelândia, a norte; e Rio Preto, Olaria e Lima Duarte, a leste.[7] Na geodésica Bom Jardim de Minas é localizado por UTM: 7.579.452 (N), 594.052 (E).[16]

Relevo e hidrografia[editar | editar código-fonte]

Relevo ondulado em rua da cidade.

Na região do município, é possível encontrar em grande quantidade o quartzito e a gnaisse, e sobre essas rochas, localmente, desenvolvem-se solos tipo cambissolos álicos e latossolos vermelho-escuro.[17] Outros dos principais minerais encontrados em maior abundância são o quartzo, mica, caulim, ferro e feldspatos. Dentre as rochas destacam-se o granito (rochas magmáticas); o micaxisto e o migmatito (rochas metamórficas); e o arenito, arcózio, argila e conglomerado (rochas sedimentares).[17]

O relevo é predominantemente ondulado, sendo constituído principalmente por planaltos, com altitude média de 1 100 metros, porém, esta média diminui em direção ao Rio Grande, para formar a planície pluvial que é contornada pelos mares de morros e serras, com nível topográfico mais elevado.[17] Aproximadamente 50 % do território bonjardinense é coberto por áreas onduladas, enquanto em cerca de 30 % há o predomínio de mares de morros em terrenos montanhosos, e os 20 % restantes são lugares planos.[7] A altitude máxima encontra-se na Serra da Bandeira, no distrito de Taboão de Minas, que chega aos 1 733 metros,[17] enquanto que a altitude mínima está na divisa com Olaria, com 998 metros.[7]

O município está localizado às margens do Rio Grande e na Serra da Mantiqueira. A região de Taboão é constituída de muitas serras de grande altitude, com muitas nascentes de água, o que faz com que haja várias cachoeiras na região. As nascentes do Rio do Peixe, um dos maiores rios da região, localizam-se nas serras do distrito de Taboão.[17] Situa-se sobre um divisor de águas de duas importantes bacias hidrográficas, a Bacia do Rio Grande e a Bacia do rio Paraíba do Sul, apresentando muitos córregos afluentes dessas bacias como: Rio do Peixe, Ribeirão Imbutaia, Ribeirão do Taboão, Córrego das Três Barras, Córrego da Serra da Bandeira, Córrego do Goiabal, Córrego do Ataque, Córrego do Milho Branco, entre outros córregos e ribeirões sem denominação.[17]

Clima[editar | editar código-fonte]

Maiores acumulados diários de chuva registrados
em Bom Jardim de Minas por meses
Mês Acumulado Data Mês Acumulado Data
Janeiro 134,5 mm 04/01/2001 Julho 51,2 mm 22/07/1976
Fevereiro 115,8 mm 08/02/1988 Agosto 54,8 mm 03/08/1969
Março 165,6 mm 20/03/1983 Setembro 82,4 mm 12/09/1996
Abril 76,0 mm 27/04/1992 Outubro 150,0 mm 31/10/1973
Maio 77,4 mm 16/05/1994 Novembro 105,2 mm 22/11/1996
Junho 74,2 mm 04/06/1983 Dezembro 129,4 mm 18/12/2011
Fonte: Agência Nacional de Águas (ANA)[18] [19] [20]

O clima bonjardinense é caracterizado, segundo o IBGE, como tropical mesotérmico brando úmido (tipo Cwb segundo Köppen),[21] tendo temperatura média anual de 21,2 °C com invernos secos e frios e verões chuvosos com temperaturas amenas.[22] [23] O mês mais quente, janeiro, tem temperatura média de 24,1 °C, sendo a média máxima de 29,4 °C e a mínima de 18,9 °C. E o mês mais frio, julho, de 17,3 °C, sendo 24,8 °C e 9,8 °C as médias máxima e mínima, respectivamente. Outono e primavera são estações de transição.[9] [17]

A precipitação média anual é de 1 412,9 mm, sendo agosto o mês mais seco, quando ocorrem apenas 13,9 mm. Em dezembro, o mês mais chuvoso, a média fica em 259,8 mm.[9] Nos últimos anos, entretanto, os dias quentes e secos durante o inverno têm sido cada vez mais frequentes, não raro ultrapassando a marca dos 28 ºC, especialmente entre julho e setembro. Em agosto de 2010, por exemplo, a precipitação de chuva em Bom Jardim não passou dos 0 mm.[24] Durante a época das secas e em longos veranicos em pleno período chuvoso também são comuns registros de queimadas em morros e matagais, principalmente na zona rural da cidade, o que contribui com o desmatamento e com o lançamento de poluentes na atmosfera, prejudicando ainda a qualidade do ar.[25]

Segundo dados da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) coletados entre 2002 e 2011, a temperatura mínima registrada em Bom Jardim de Minas foi de 4,7 ºC, no dia 20 de junho de 2008, enquanto que a máxima foi de 31,3 ºC, observada dia 11 de outubro de 2002.[26] Já de acordo com informações do Instituto Mineiro de Gestão das Águas (IGAM), entre 1941 e 2013 o maior acumulado de chuva registrado em 24 horas em Bom Jardim de Minas foi de 165,6 mm, no dia 20 de março de 1983.[27] Outros grandes acumulados foram de 150,0 mm, em 31 de outubro de 1973;[28] 134,5 mm, em 4 de janeiro de 2001;[29] e 129,4 mm, em 18 de dezembro de 2011.[30] De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), o município é o 325º colocado no ranking de ocorrências de descargas elétricas no estado de Minas Gerais, com uma média anual de 4,5862 raios por quilômetro quadrado.[31] Ocasionalmente também são registrados episódios de geadas.[32]

Fauna e flora[editar | editar código-fonte]

A vegetação da cidade é formada por duas classes de formações fisionômicas ecológicas nativas, sendo estas a Florestal (pela mata atlântica) e o Campestre; ocorrendo também a vegetação exótica ou monoculturas.[17] Estas, associadas à topografia acidentada, resultam numa cobertura vegetal diversificada, constituindo, assim, um complexo vegetacional formado por mosaicos de comunidades de diferentes fisionomias.[17] Destacam-se na mata atlântica árvores como os ipês, jacarandás, angicos, quaresmeiras, araucárias e cedro.[33]

Já a fauna, existem na cidade cerca de 25 a 30 espécies de mamíferos de médio e grande porte, como a Capivara, Jaguatirica, Lobo-Guará, Paca, Lontra, Mão Pelada, além de primatas como o Sauá e o Mico-estrela. A avifauna possui uma boa representatividade, existindo mais de 200 espécies, entre elas, o Marrequinho, Pato-selvagem, Garça, Carcará, Canário-da-terra, Bem-te-vi, Azulão, Tucano, Pintassilgo, Sabiá-laranjeira, Sabiá-do-campo e Sangue-de-boi.[17] As espécies de peixes, citando: Dourado, Piaba, Mandi, Traíra, Piau, Chorão e Lambari-do-rabo-vermelho situam-se no Rio Grande; e as espécies Lambari-barriga-azeda, Lambari-do-rabo-vermelho, Bagre (Maria Mole), Cará e Traíra, situam-se nos córregos e ribeirões da região. Porém, a pesca irregular com rede de arrastão, a retirada do oxigênio da água, a intoxicação das águas com carbureto ou gás, e, também, a introdução de espécies exóticas como o Bagre-africano, põe em risco os ecossistemas daquele rio, podendo levar à extinção dos peixes.[17]

Localidades na vizinhança[editar | editar código-fonte]

O diagrama seguinte representa as localidades ao redor de Bom Jardim de Minas.[34]

Localidades na vizinhança
6663 habitantes (2013)Bom Jardim de Minas
74 habitantesCapoeira Grande
Poucos habitantesPacau
Poucos habitantesMorangal
Bairro urbanoVila Formosa
Poucos habitantesDois Córregos
Poucos habitantesImbutaia

Demografia[editar | editar código-fonte]

Crescimento populacional
Censo Pop.
1970 5 378
1980 7 710 43,4%
1991 6 236 -19,1%
2000 6 643 6,5%
2010 6 501 -2,1%
Est. 2013 6 663 0,3%
Fonte: Instituto Brasileiro de
Geografia e Estatística
(IBGE)[3] [35]

Em 2010, a população do município foi contada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 6 501 habitantes.[10] Segundo o censo daquele ano, 3 249 habitantes eram homens e 3 252 habitantes mulheres. Ainda segundo o mesmo censo, 5 576 habitantes viviam na zona urbana e 925 na zona rural.[10] Já segundo estatísticas divulgadas em 2013, a população municipal era de 5 576 habitantes, sendo o 509º mais populoso do estado.[3] Da população total em 2010, 1 373 habitantes (21,12%) tinham menos de 15 anos de idade, 4 378 habitantes (67,34%) tinham de 15 a 64 anos e 750 pessoas (11,54%) possuíam mais de 65 anos, sendo que a esperança de vida ao nascer era de 74,3 anos e a taxa de fecundidade total por mulher era de 1,4.[36]

Em 2010, segundo dados do censo do IBGE daquele ano, a população bonjardinense era composta por 4 640 brancos (71,37%); 355 negros (5,46%); 39 amarelos (0,6%); 1 446 pardos (22,24%); e 21 indígenas (0,32%).[37] Considerando-se a região de nascimento, 6 383 eram nascidos na Região Sudeste (98,18%), 71 na Região Nordeste (1,10%), 25 no Centro-Oeste (0,39%), 12 no Sul (0,19%) e três no Norte (0,05%). 5 917 habitantes eram naturais do estado de Minas Gerais (91,02%) e, desse total, 4 902 eram nascidos em Bom Jardim de Minas (75,41%).[38] Entre os 1 599 naturais de outras unidades da federação, o Rio de Janeiro era o estado com maior presença, com 277 pessoas (4,26%), seguido por São Paulo, com 183 residentes (2,82%), e por Pernambuco, com 16 habitantes residentes no município (0,25%).[39]

O Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M) de Bom Jardim de Minas é considerado médio pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), sendo que seu valor é de 0,673 (o 2598º maior do Brasil). A cidade possui a maioria dos indicadores próximos à média nacional segundo o PNUD. Considerando-se apenas o índice de educação o valor é de 0,569, o valor do índice de longevidade é de 0,822 e o de renda é de 0,653.[4] De 2000 a 2010, a proporção de pessoas com renda domiciliar per capita de até meio salário mínimo reduziu em 53,5% e em 2010, 83,8% da população vivia acima da linha de pobreza, 11,3% encontrava-se na linha da pobreza e 4,9% estava abaixo[40] e o coeficiente de Gini, que mede a desigualdade social, era de 0,42, sendo que 1,00 é o pior número e 0,00 é o melhor.[41] A participação dos 20% da população mais rica da cidade no rendimento total municipal era de 51,4%, ou seja, 11,5 vezes superior à dos 20% mais pobres, que era de 4,5%.[40]

De acordo com dados do censo de 2010 realizado pelo IBGE, a população de Bom Jardim de Minas está composta por: 5 529 católicos (85,06%), 789 evangélicos (12,14%), 116 pessoas sem religião (1,78%), 13 espíritas (0,20%) e 0,82% estão divididas entre outras religiões.[42]

Política e administração[editar | editar código-fonte]

A administração municipal se dá pelo poder executivo e pelo poder legislativo.[43] O primeiro prefeito da cidade foi Américo Ferreira Pena, por uma gestão de oito anos (1938–1946).[12] Atualmente (2013) o prefeito municipal é Joaquim Laércio Rodrigues, do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), que venceu as eleições municipais no Brasil em 2008 e foi reeleito nas eleições de 2012 com 2 733 votos (56,51% dos eleitores).[44]

O poder legislativo se instalou na cidade no dia 13 de dezembro de 1947, por André Rodrigues Sarmento, juiz de direito da Comarca de Andrelândia da época.[45] É constituído pela câmara, composta por nove vereadores eleitos para mandatos de quatro anos (em observância ao disposto no artigo 29 da Constituição[46] ) e está composta por quatro cadeiras do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), três cadeiras do Democratas (DEM) e duas cadeiras do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB).[47] Cabe à casa elaborar e votar leis fundamentais à administração e ao Executivo, especialmente o orçamento participativo (Lei de Diretrizes Orçamentárias).

O poder judiciário, conjunto dos órgãos públicos com função jurisdicional, foi regularizado pela lei nº 9.886, de 3 de março de 1888, quando foi criado o Cartório de Registro Civil e Tabelionato, iniciando-se as atividades de registro civil, casamentos e óbitos no dia 1º de janeiro de 1889. O primeiro juiz de paz e escrivão foi o Capitão Zótico Marcelino de Carvalho, exercendo suas funções por 40 anos consecutivos. Anterior a este o responsável pela função era o vigário da cidade. Apesar de o município não ser sede de uma comarca, Bom Jardim de Minas pertence à Comarca de Andrelândia.[45] Possuía 5 613 eleitores em abril de 2013, o que representava 0,037% do total do estado de Minas Gerais.[48]

Economia[editar | editar código-fonte]

No Produto Interno Bruto (PIB) de Bom Jardim de Minas, destacam-se a agropecuária e a área de prestação de serviços. De acordo com dados do IBGE, relativos a 2011, o PIB do município era de R$ 55 041 mil.[49] 3 446 mil reais eram de impostos sobre produtos líquidos de subsídios a preços correntes e o PIB per capita era de R$ 8 479,56.[49] Em 2010, 58,69% da população maior de 18 anos era economicamente ativa, enquanto que a taxa de desocupação era de 6,92%.[36]

Salários juntamente com outras remunerações somavam 11 811 mil reais e o salário médio mensal de todo município era de 1,7 salários mínimos. Havia 231 unidades locais e 236 empresas atuantes.[50] Segundo o IBGE, 70,96% das residências sobreviviam com menos de salário mínimo mensal por morador (1 574 domicílios), 21,73% sobreviviam com entre um e três salários mínimos para cada pessoa (482 domicílios), 2,61% recebiam entre três e cinco salários (58 domicílios), 1,40% tinham rendimento mensal acima de cinco salários mínimos (31 domicílios) e 3,29% não tinham rendimento (73 domicílios).[51]

Setor primário
Produção de cana-de-açúcar, mandioca e milho (2011)[52]
Produto Área colhida (hectares) Produção (tonelada)
Cana-de-açúcar 100 3 000
Mandioca 43 559
Milho 200 260

A pecuária e a agricultura representam o setor menos relevante na economia de Bom Jardim. Em 2011, de todo o PIB da cidade, 4 491 mil reais era o valor adicionado bruto da agropecuária,[49] enquanto que em 2010, 25,91% da população economicamente ativa do município estava ocupada no setor.[36] Segundo o IBGE, em 2011 o município possuía um rebanho de 5 061 bovinos, 489 equinos, 194 muares, 1 215 suínos, 52 caprinos, 62 ovinos e 6 417 aves, entre estas 4 310 galinhas e 2 107 galos, frangos e pintinhos.[53] Em 2011 a cidade produziu 2 593 mil litros de leite de 1 896 vacas, 13 mil dúzias de ovos de galinha e 6 430 quilos de mel de abelha. 29 ovinos foram tosquiados, produzindo 38 quilos de lã.[53]

Na lavoura temporária são produzidos principalmente a cana-de-açúcar (3 mil toneladas produzidas e 100 hectares cultivados), a mandioca (559 toneladas e 43 hectares) e o milho (260 toneladas e 200 hectares), além do feijão (5 toneladas e 1 hectare).[52] Já na lavoura permanente destacam-se a banana (45 toneladas produzidas e 4 hectares colhidos), a laranja (25 toneladas produzidas e 3 hectares colhidos) e a tangerina (7 toneladas produzidas e 2 hectares colhidos), além do café (4 toneladas produzidas e 4 hectares colhidos).[54]

Setores secundário e terciário
Supermercados Ibralândia de Bom Jardim de Minas.

A indústria, em 2011, era o segundo setor mais relevante para a economia do município. 10 718 reais do PIB municipal eram do valor adicionado bruto do setor secundário.[49] A produção industrial ainda é muito incipiente na cidade, mesmo que comece a dar sinais de aprimoramento, sendo resumida principalmente à produção de laticínios ou pequenas fábricas. No ano de 2000, a principal empresa industrial classificada segundo o número de empregados era a Real Comércio e Laticínios Ltda., que atuava no ramo de fabricação de produtos alimentícios e bebidas.[7] Também se destacam os Laticínios Bom Jardim e Rio do Peixe, os maiores em processamento e transformação de leite e derivados da cidade.[55] Segundo estatísticas do ano de 2010, 5,68% dos trabalhadores de Bom Jardim de Minas estavam ocupados no setor industrial.[36]

O movimento comercial bonjardinense tem se expandido desde o início da década de 1990. Era um sinal visível do crescimento econômico, da modernização e, consequentemente, do progresso da cidade, apesar da lentidão com que se desenvolveu antes da década de 90. O comércio da cidade foi beneficiado ainda pelo fato de Bom Jardim ter se tornado uma cidade turística, sendo que em períodos de festas ou na alta temporada o movimento comercial é maior em comparação a outras épocas do ano.[45] Em 2010, 10,01% da população ocupada estava empregada no setor de construção, 0,73% nos setores de utilidade pública, 14,23% no comércio e 40,50% no setor de serviços[36] e em 2011, 36 387 reais do PIB municipal eram do valor adicionado bruto do setor terciário.[49]

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Habitação, serviços básicos e criminalidade[editar | editar código-fonte]

Residências em Bom Jardim de Minas.

No ano de 2010 a cidade tinha 2 218 domicílios particulares permanentes. Desse total, 2 100 eram casas, uma era casa de vila ou condomínio, 114 eram apartamentos e três eram habitações em cortiços. Do total de domicílios, 1 564 são imóveis próprios (1 556 próprios já quitados e oito em aquisição); 408 foram alugados; 228 foram cedidos (48 cedidos por empregador e 180 cedidos de outra forma) e 18 foram ocupados de outra maneira.[56] Parte dessas residências contava com água tratada, energia elétrica, esgoto, limpeza urbana, telefonia fixa e telefonia celular. 1 904 domicílios eram atendidos pela rede geral de abastecimento de água (85,84% do total); 2 196 (99,00%) possuíam banheiros para uso exclusivo das residências; 1 919 (86,51% deles) eram atendidos por algum tipo de serviço de coleta de lixo disponibilizado pela prefeitura; e 2 177 (98,15%) possuíam abastecimento de energia elétrica.[56]

A energia elétrica está presente na cidade desde o dia 15 de setembro de 1928, quando instalou-se na cidade a Companhia Sul Mineira de Eletricidade.[57] Atualmente (2013) a responsável pelo serviço é a Companhia Energética de Minas Gerais (CEMIG). Segundo a empresa, em 2003 havia 2 501 consumidores e foram consumidos 3 304 758 KWh de energia.[7] Já o serviço de coleta de esgoto da cidade é feito pela prefeitura, enquanto que a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) é a encarregada pelo abastecimento de água.[7]

Entre 2006 e 2008, as taxas de homicídio[58] e suicídio[59] foram nulas em Bom Jardim de Minas. Em 2007 e 2008 também não ocorreram óbitos por acidentes de transito, porém em 2006 foram registradas duas mortes por acidentes de transporte.[60] Por força da Constituição Federal do Brasil, o município possui uma Guarda Municipal, que tem função de proteger os bens, serviços e instalações públicas.[61]

Saúde e educação[editar | editar código-fonte]

Em 2009, o município possuía cinco estabelecimentos de saúde entre hospitais, pronto-socorros, postos de saúde e serviços odontológicos, sendo três deles públicos e dois privados e que dois dos públicos pertenciam à rede municipal. Dois estabelecimentos faziam parte do Sistema Único de Saúde (SUS) e no total existiam 30 leitos para internação.[11] Em 2012, 99,3% das crianças menores de 1 ano de idade estavam com a carteira de vacinação em dia[62] e em 2011, foram registrados 75 nascidos vivos, sendo que o índice de mortalidade infantil neste ano foi de 26,7 óbitos de crianças menores de cinco anos de idade a cada mil nascidos.[62] Em 2010, 5,87% das mulheres de 10 a 17 anos tiveram filhos (todas acima dos 15 anos) e a taxa de atividade entre meninas de 10 a 14 anos era de 14,99%.[36] Em 2012, 96,9% das crianças do município foram pesadas pelo Programa Saúde da Família, sendo que 0,5% deste total estavam desnutridas.[40]

Na área da educação, o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) médio entre as escolas públicas de Bom Jardim de Minas era, no ano de 2011, de 5,4 (numa escala de avaliação que vai de nota 1 a 10), sendo que a nota obtida por alunos do 5º ano (antiga 4ª série) foi de 6,0 e do 9º ano (antiga 8ª série) foi de 4,9; o valor das escolas públicas de todo o Brasil era de 4,0.[63] Em 2010, 1,19% das crianças com faixa etária entre sete e quatorze anos não estavam cursando o ensino fundamental.[36] A taxa de conclusão, entre jovens de 15 a 17 anos, era de 45,4% e o percentual de alfabetização de jovens e adolescentes entre 15 e 24 anos era de 96,7%. A distorção idade-série entre alunos do ensino fundamental, ou seja, com com idade superior à recomendada, era de 22,6% para os anos iniciais e 36,6% nos anos finais e, no ensino médio, a defasagem chegava a 35,7%.[63] Dentre os habitantes de 18 anos ou mais, 39,61% tinham completado o ensino fundamental e 27,88% o ensino médio, sendo que a população tinha em média 9,58 anos esperados de estudo.[36]

Em 2010, de acordo com dados da amostra do censo demográfico, da população total, 1 641 habitantes frequentavam creches e/ou escolas. Desse total, quatro frequentavam creches, 99 estavam no ensino pré-escolar, 77 na classe de alfabetização, cinco na alfabetização de jovens e adultos, 973 no ensino fundamental, 259 no ensino médio, 57 na educação de jovens e adultos do ensino fundamental, 95 na educação de jovens e adultos do ensino médio, nove na especialização de nível superior, 59 em cursos superiores de graduação e três em mestrado. 4 860 pessoas não frequentavam unidades escolares, sendo que 801 nunca haviam frequentado e 4 059 haviam frequentado alguma vez.[64] O município contava, em 2012, com aproximadamente 1 323 matrículas nas instituições de ensino da cidade.[65] Segundo o IBGE, neste mesmo ano, das quatro escolas do ensino fundamental, uma pertencia à rede pública estadual e três à rede pública municipal. A instituição que fornecia o ensino médio pertencia à rede pública estadual.[65]

Educação de Bom Jardim de Minas em números (2012)[65]
Nível Matrículas Docentes Escolas (total)
Ensino pré-escolar 155 9 1
Ensino fundamental 899 66 4
Ensino médio 269 28 1

Comunicação e imprensa[editar | editar código-fonte]

O código de área (DDD) de Bom Jardim é 032[66] e o Código de Endereçamento Postal (CEP) é 37310-000.[67] No dia 3 de novembro de 2008 o município passou a ser servido pela portabilidade, juntamente com outros municípios com o mesmo DDD. A portabilidade é um serviço que possibilita a troca da operadora sem a necessidade de se trocar o número do aparelho.[68]

A primeira agência de correios foi criada em 1879, sendo seu primeiro agente Sabino Tertuliano de Novais, e em agosto de 1950 instalou-se na cidade a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. O rádio chegou em 21 de março de 1933, sendo o primeiro aparelho adquirido pelo comerciante Gumercindo Gonçalves da Cunha, e por volta de 1960 foi comprada a primeira televisão, de posse da família do farmacêutico Aristeu Augusto de Mattos. Nesta época não havia antena repetidora e o equipamento captava apenas chuviscos e vultos, porém houve grande rebuliço por parte da população, que não conhecia o aparelho.[12] O telefone se instalou no dia 29 de outubro de 1927, na casa de Assis Marques. Em 27 de novembro de 1975 foi ligada a rede interna de telefones em Bom Jardim, e o circuito de interurbanos só foi possível em 22 de janeiro de 1976.[12]

A imprensa escrita foi introduzida em Bom Jardim em 1907 com a publicação do Jornal "A Palavra", redigido por Luiz Sebastião de Souza, sendo na mesma época também criador do jornal "O Sonho". Em julho de 1938 Leybnitz de Assis redigiu o jornal "O Ipiranga", e Antônio Troufa fundou em 2 de julho de 1929 o jornal "O Cruzado". Além destes, a cidade possuiu vários outros jornais, tais como: "O Sorriso", redigido pelo Sr. José Augusto da Rocha; "A Independência" (1928), redigido por Anésio Carneiro Sobrinho e Antônio Peixoto Pereira; "O Satélite" (1937), redigido por Honório Teixeira; o "Jornal Renascer" (1982); o "Jornal Bejotaminas" (1987); e, mais recentemente, "O Bonjardinense" (2001).[12]

Transportes[editar | editar código-fonte]

Ferrovia do Aço cruzando a BR-267 em Bom Jardim.

A frota municipal no ano de 2010 era de 2 242 veículos, sendo 1 300 automóveis, 110 caminhões, 127 caminhonetes, 64 caminhonetas, 14 micro-ônibus, 537 motocicletas, 43 motonetas, treze ônibus, sete utilitários e 27 classificados como outros tipos de veículos.[69] Bom Jardim de Minas possui um terminal rodoviário, e liga o município, principalmente, a várias outras cidades do estado de Minas Gerais e do Rio de Janeiro. A cidade possui ainda transporte coletivo, que liga a região do centro às comunidades rurais que possuem paradas de ônibus implantadas pela prefeitura.[12] O município é atendido pela BR-267 — que inicia-se na cidade de Leopoldina, no entroncamento com a BR-116, e prossegue até a fronteira do Brasil com o Paraguai em Porto Murtinho, Mato Grosso do Sul — e pela MG-457 — que começa na BR-267 e termina na RJ-151, na divisa com o Rio de Janeiro.[7] [70]

Na década de 1890 Bom Jardim passou a ter transporte ferroviário, sendo atendida pela Estrada de Ferro Sapucaí. A primeira estação da cidade foi inaugurada em 2 de janeiro de 1897, tendo funcionado até 1977 (a partir de 1972 apenas ligando o município a Aiuruoca), quando o prédio foi fechado e abandonado, vindo a ser destruído em um grande incêndio no dia 17 de novembro de 1980. Atualmente (2013) o município é cortado pela Ferrovia do Aço, sendo que entre Bom Jardim e Santa Rita de Jacutinga situa-se o Tunelão, maior túnel do Brasil e o segundo da América Latina, possuindo 8,6 quilômetros de extensão,[71] porém não há transporte de passageiros.[72] Também há alguns aeroportos que operam próximos a Bom Jardim de Minas, como o Aeroporto Francisco Álvares de Assis (IATA: JDFICAO: SBJF), em Juiz de Fora, situado a cerca de 115 km do centro do município,[73] e está em construção o Aeroporto Regional Vale do Aço, em Volta Redonda, no Rio de Janeiro, a 90 km da cidade.[74]

Cultura e lazer[editar | editar código-fonte]

Antiga Matriz do Senhor Bom Jesus do Matozinhos
Rotatória em Bom Jardim de Minas.

Bom Jardim de Minas, juntamente com os municípios de Bias Fortes, Ibertioga, Lima Duarte, Pedro Teixeira, Rio Preto, Santa Rita de Ibitipoca, Santa Rita de Jacutinga e Santana do Garambéu, faz parte do Circuito Turístico Serras de Ibitipoca, que foi criado em 17 de março de 2006 pela Secretaria de Estado de Turismo com o objetivo de estimular as manifestações culturais e o turismo ecológico na região destas cidades.[75]

Cinema[editar | editar código-fonte]

O primeiro cinema em Bom Jardim de Minas foi construído no início de 1928 e seu proprietário foi Honório Teixeira. Como a cidade ainda não possuía abastecimento de energia elétrica, utilizava-se um gerador a gasolina. Os primeiros filmes exibidos eram mudos, por este motivo, a casa de espetáculo era animada durante os filmes por uma jazz band. Em 1929 foi exibido o primeiro filme brasileiro que não fosse mudo e o primeiro desenho animado.[12]

Em 1948 foi inaugurado o "Cine Central", do português Manoel José Lopes, sendo que neste período os filmes já eram legendados, e em 1950 foi inaugurado o "Cine Teatro Matozinhos", de propriedade de Marques e Mattos e Cia. Em 1953, com o desenvolvimento de Bom Jardim de Minas, foi apresentado ao público desta cidade o primeiro filme colorido, com a exibição de "Mulher Satânica". Este funcionou até 1972.[12]

Eventos e gastronomia[editar | editar código-fonte]

Para estimular o desenvolvimento socioeconômico local, a prefeitura de Bom Jardim de Minas, juntamente ou não com instituições locais, passou a investir mais no segmento de festas e eventos. Anualmente destaca-se a realização do carnaval da cidade, o BJFolia, em fevereiro ou março, que é considerado um dos maiores do sul mineiro e conta com desfiles de escolas de samba da própria cidade;[76] das celebrações da Semana Santa, em março ou abril;[77] a Festa de Maio, na segunda quinzena do mês de maio, em comemoração a Nossa Senhora da Conceição Aparecida e São Benedito;[13] a Festa de Agosto, em homenagem a Bom Jesus do Matozinhos;[13] e o aniversário de Bom Jardim de Minas, em dezembro, com exposições de arte, shows com bandas regionais, missas e feiras.[78]

Na área da gastronomia, destaca-se, em Bom Jardim de Minas, a preparação de pratos típicos da culinária mineira, como a feijoada e o tradicional arroz com feijão. É bastante típico da cidade a preparação de pratos como o frango com quiabo, angu e torresmo. Esses pratos são comercializados e consumidos nos tradicionais bares e restaurantes do centro da cidade ou durante a realização de eventos, que recebem um maior contingente de pessoas durante a alta temporada do turismo.[55] Por ser um importante produtor de laticínios, o município também é conhecido pela produção de queijos mineiros artesanais, com métodos de produção tradicionais e passados de geração em geração.[17]

Atrativos e artesanato[editar | editar código-fonte]

Além das manifestações culturais e eventos já citados, também destacam-se vários atrativos naturais, como a Caverna das Pitangueiras; a Serra da Bandeira, com altitude máxima chegando aos 1 500 metros; a Serra do Cruz, que chega aos 1 650 metros; e a Serra dos Gerais, com 1 250 metros; além das cerca de 100 cachoeiras existentes, sendo as mais frequentadas:[79] do Pacau, dos Dois Córregos, do Rio Grande; das Três Quedas; das Pitangueiras; Véu da Noiva; do Imbutaia; da Mandioca; e da Fumaça.[17] [13] [55]

O artesanato é uma das formas mais espontâneas da expressão cultural bonjardinense. Em várias partes do município, é possível encontrar uma produção artesanal diferenciada, feita com matérias-primas regionais e criada de acordo com a cultura e o modo de vida local. Há associações que reúnem artesãos da região, disponibilizando espaço para confecção, exposição e venda dos produtos artesanais. Normalmente essas peças são vendidas em feiras, exposições ou lojas de artesanato.[55]

Esportes[editar | editar código-fonte]

Recorrentemente são organizados eventos esportivos em Bom Jardim de Minas, com torneios de basquete, futsal, handebol, voleibol e xadrez. Os principais espaços esportivos da cidade são o Ginásio Poliesportivo José Murilo da Cunha, a Quadra Poliesportiva Nelo Carneiro e a Quadra Poliesportiva Virginia Abud, além dos espaços esportivos das escolas públicas do município.[80] São algumas das principais equipes de futebol amador do município a Associação Atlética Bonjardinense, o Clube Atlético Bonjardinense, o Clube Atlético Juventus e o Estrela Branca Futebol Clube.[81]

Na zona rural é comum a prática de diversos esportes radicais. Em algumas quedas d'água destaca-se a prática de rapel e alguns rios propiciam o rafting. Bom Jardim ainda conta com diversas trilhas com trilhas, que servem para caminhadas ecológicas e passeios de bicicleta ou para a prática de motocross e esportes envolvendo veículos 4x4.[82] [79]

Feriados[editar | editar código-fonte]

Em Bom Jardim de Minas há dois feriados municipais e oito feriados nacionais, além dos pontos facultativos. Os feriados municipais são o dia de Corpus Christi, celebrado em maio ou junho, e o dia de Assunção de Maria, em 15 de agosto.[83] De acordo com a lei federal nº 9.093, aprovada em 12 de setembro de 1995, os municípios podem ter no máximo quatro feriados municipais com âmbito religioso, já incluída a Sexta-Feira Santa.[84] [85]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais (19 de julho de 2013). Divisão Territorial do Brasil. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Página visitada em 9 de fevereiro de 2014.
  2. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (15 de janeiro de 2013). Área territorial oficial. Página visitada em 9 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014.
  3. a b c d Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1º de julho de 2013). Estimativas da população residente nos municípios brasileiros com data em 1º de julho de 2013. Página visitada em 2 de setembro de 2013. Cópia arquivada em 2 de setembro de 2013.
  4. a b c Atlas do Desenvolvimento Humano (29 de julho de 2013). Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Página visitada em 2 de setembro de 2013. Cópia arquivada em 2 de setembro de 2013.
  5. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2011). Produto Interno Bruto dos Municípios - 2011 » PIB a preços correntes » Comparação entre os Municípios: Minas Gerais. Página visitada em 9 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014.
  6. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2011). Produto Interno Bruto dos Municípios - 2011 » PIB per capita a preços correntes » Comparação entre os Municípios: Minas Gerais. Página visitada em 9 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014.
  7. a b c d e f g h Cidades.Net. Bom Jardim de Minas - MG. Página visitada em 10 de maio de 2013. Cópia arquivada em 10 de maio de 2013.
  8. a b Embrapa Monitoramento por Satélite. Minas Gerais. Página visitada em 10 de maio de 2013. Cópia arquivada em 6 de maio de 2011.
  9. a b c d Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Climatologia de Bom Jardim de Minas - MG. Jornal do Tempo. Página visitada em 10 de maio de 2013. Cópia arquivada em 10 de maio de 2013.
  10. a b c Sistema IBGE de Recuperação de Dados Automática (Sidra) (2010). População residente por sexo, situação e grupos de idade - Amostra - Características Gerais da População. Página visitada em 10 de maio de 2013. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  11. a b Cidades@ - IBGE (2009). Serviços de Saúde 2009. Página visitada em 11 de maio de 2013.
  12. a b c d e f g h SOUZA, Pedro Samuel de. Bom Jardim, uma história, de Minas. Bom Jardim de Minas: Amiga, 2000.
  13. a b c d Correio do Papagaio (18 de março de 2013). Turismo - Bom Jardim de Minas. Página visitada em 12 de maio de 2013. Cópia arquivada em 12 de maio de 2013.
  14. a b c d e f g Dirigido por: FERREIRA, Jurandir Pires. Texto por: PEREIRA, Maria Auxiliadora Peres; & DIAS, Miguel. Enciclopédia dos Municípios Brasileiros. Rio de Janeiro: IBGE, 1957.
  15. Enciclopédia dos Municípios Brasileiros (2007). Bom Jardim de Minas - Histórico. Biblioteca IBGE. Página visitada em 10 de maio de 2013. Cópia arquivada em 10 de maio de 2013.
  16. SAD96 (6 de março de 2006). Relatório de Estação Geodésica. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Página visitada em 1º de abril de 2014.
  17. a b c d e f g h i j k l m TEIXEIRA, Felipe Faria. Curso de Turismo. Bom Jardim de Minas: [s.n.], 2012.
  18. Instituto Mineiro de Gestão das Águas (IGAM). Monitoramento Hidrometeorológico - Municípios - Bom Jardim de Minas (Estação Bom Jardim de Minas). Página visitada em 4 de maio de 2014.
  19. Instituto Mineiro de Gestão das Águas (IGAM). Monitoramento Hidrometeorológico - Municípios - Bom Jardim de Minas (Estação Tabuão). Página visitada em 4 de maio de 2014.
  20. Instituto Mineiro de Gestão das Águas (IGAM). Monitoramento Hidrometeorológico - Municípios - Bom Jardim de Minas (Estação Pedreira-Pacau). Página visitada em 4 de maio de 2014.
  21. World Map of the Köppen-Geiger climate classification. World Map of the Köppen-Geiger climate classification. Institute for Veterinary Public Health. Página visitada em 10 de maio de 2013. Cópia arquivada em 24 de abril de 2011.
  22. Portal Brasil (6 de janeiro de 2010). Clima. Página visitada em 10 de maio de 2013. Cópia arquivada em 2 de novembro de 2011.
  23. Biblioteca IBGE. Brasil - Climas. Página visitada em 10 de maio de 2013. Cópia arquivada em 2 de novembro de 2011.
  24. Instituto Mineiro de Gestão das Águas (IGAM). Chuvas - Médias Diárias – 08/2010. Agência Nacional de Águas (ANA). Página visitada em 10 de maio de 2013. Cópia arquivada em 10 de maio de 2013.
  25. Sociedade Brasileira Para o Progresso da Ciência (SBPC) (15 de julho de 2011). Mapeamento das áreas municipais queimadas na região da Bacia Hidrográfica do Rio Paraibuna MG/RJ através do processamento digital de imagens do satélite Landsat 5. Página visitada em 10 de maio de 2013. Cópia arquivada em 10 de maio de 2013.
  26. Sistema de Monitoramento Agrometeorológico (Agritempo). Dados Meteorológicos - Minas Gerais. Página visitada em 10 de maio de 2013.
  27. Instituto Mineiro de Gestão das Águas (IGAM). Chuvas - Médias Diárias – 03/1983. Agência Nacional de Águas (ANA). Página visitada em 4 de maio de 2014. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  28. Instituto Mineiro de Gestão das Águas (IGAM). Chuvas - Médias Diárias – 10/1973. Agência Nacional de Águas (ANA). Página visitada em 4 de maio de 2014. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  29. Instituto Mineiro de Gestão das Águas (IGAM). Chuvas - Médias Diárias – 01/2001. Agência Nacional de Águas (ANA). Página visitada em 4 de maio de 2014. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  30. Instituto Mineiro de Gestão das Águas (IGAM). Chuvas - Médias Diárias – 12/2011. Agência Nacional de Águas (ANA). Página visitada em 4 de maio de 2014. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  31. Grupo de Eletricidade Atmosférica (ELAT) (2010). Ranking de Descargas Atmosféricas de Minas Gerais. Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). Página visitada em 4 de maio de 2014.
  32. Dihitt (19 de julho de 2012). Geada passa a fazer parte da paisagem na zona rural de Bom Jardim de Minas. Página visitada em 5 de maio de 2014. Cópia arquivada em 5 de maio de 2014.
  33. Bioma Urbano (24 de julho de 2009). Árvores típicas da Mata Atlantica. Página visitada em 10 de maio de 2013. Cópia arquivada em 10 de maio de 2013.
  34. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (16 de novembro de 2011). Sinopse por setores. Página visitada em 26 de fevereiro de 2014.
  35. Sistema IBGE de Recuperação de Dados Automática (SIDRA) (2010). Tabela 200 - População residente por sexo, situação e grupos de idade - Amostra - Características Gerais da População. Página visitada em 10 de maio de 2013. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  36. a b c d e f g h Atlas do Desenvolvimento Humano (2013). Perfil - Bom Jardim de Minas, MG. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Página visitada em 4 de maio de 2014. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  37. Sistema IBGE de Recuperação de Dados Automática (SIDRA) (2010). População de Bom Jardim de Minas por raça e cor. Página visitada em 10 de maio de 2013. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  38. Sistema IBGE de Recuperação de Dados Automática (SIDRA) (2010). Tabela 1505 - População residente, por naturalidade em relação ao município e à unidade da federação - Resultados Gerais da Amostra. Página visitada em 4 de maio de 2014. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  39. Sistema IBGE de Recuperação de Dados Automática (SIDRA) (2010). Tabela 631 - População residente, por sexo e lugar de nascimento. Página visitada em 4 de maio de 2014. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  40. a b c Portal ODM (2010). 1 - acabar com a fome e a miséria. Página visitada em 11 de maio de 2013. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  41. Portal ODM (2010). Perfil municipal. Página visitada em 11 de maio de 2013. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  42. Sistema IBGE de Recuperação de Dados Automática (SIDRA) (2010). Tabela 2094 - População residente por cor ou raça e religião. Página visitada em 10 de maio de 2013. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  43. Flávio Henrique M. Lima (8 de fevereiro de 2006). O Poder Público Municipal à frente da obrigação constitucional de criação do sistema de controle interno. JusVi. Página visitada em 10 de maio de 2013. Cópia arquivada em 6 de maio de 2012.
  44. Eleições 2012 (7 de outubro de 2012). Candidatos a Prefeito Bom Jardim de Minas/MG. Página visitada em 10 de maio de 2013. Cópia arquivada em 10 de maio de 2013.
  45. a b c Câmara Municipal. Nossa História. Página visitada em 10 de maio de 2013. Cópia arquivada em 10 de maio de 2013.
  46. DJI. Constituição Federal - CF - 1988 / Art. 29. Página visitada em 10 de maio de 2013. Cópia arquivada em 6 de maio de 2012.
  47. Eleições 2012 (7 de outubro de 2012). Candidatos a Vereador Bom Jardim de Minas/MG. Página visitada em 10 de maio de 2013. Cópia arquivada em 10 de maio de 2013.
  48. Tribunal Superior Eleitoral (TSE) (abril de 2013). Consulta Quantitativo. Página visitada em 10 de maio de 2013.
  49. a b c d e Cidades@ - IBGE (2011). Produto Interno Bruto dos Municípios. Página visitada em 4 de maio de 2014.
  50. Cidades@ - IBGE (2011). Estatísticas do Cadastro Central de Empresas. Página visitada em 4 de maio de 2014.
  51. Sistema IBGE de Recuperação de Dados Automática (SIDRA) (2010). Domicílios particulares permanentes, por classes de rendimento nominal mensal domiciliar per capita. Página visitada em 4 de maio de 2014. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  52. a b Cidades@ - IBGE (2010). Lavoura Temporária 2010. Página visitada em 11 de maio de 2013.
  53. a b Cidades@ - IBGE (2010). Pecuária 2010. Página visitada em 11 de maio de 2013.
  54. Cidades@ - IBGE (2011). Lavoura Permanente 2011. Página visitada em 11 de maio de 2013.
  55. a b c d Mix Gerais. Cultura. Página visitada em 12 de maio de 2013. Cópia arquivada em 12 de maio de 2013.
  56. a b Cidades@ - IBGE (2010). Censo Demográfico 2010: Características da População e dos Domicílios: Resultados do Universo. Página visitada em 11 de maio de 2013.
  57. Paróquia de Bom Jesus dos Matozinhos. (agosto 2006). "" (em Português). Informativo da paróquia do Senhor Bom Jesus dos Matozinhos: 3 pp.. Bom Jardim de Minas: Associada.
  58. Sangari (2011). Número e taxas (em 100 mil) de homicídio nos municípios com 10.000 habitantes ou mais (xls). Página visitada em 11 de maio de 2013.
  59. Sangari (2011). Número e taxas (em 100 mil) de suicídio nos municípios com 10.000 habitantes ou mais (xls). Página visitada em 11 de maio de 2013.
  60. Sangari (2011). Número e taxas (em 100 mil) de Óbitos Ac.Transporte nos municípios com 10.000 habitantes ou mais (xls). Página visitada em 11 de maio de 2013.
  61. Presidência da República (1988). Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Página visitada em 11 de maio de 2013. Cópia arquivada em 19 de julho de 2012.
  62. a b Portal ODM (2010). 4 - reduzir a mortalidade infantil. Página visitada em 11 de maio de 2013. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  63. a b Portal ODM (2010). 2 - educação básica de qualidade para todos. Página visitada em 11 de maio de 2013. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  64. Cidades@ - IBGE (2010). Censo Demográfico 2010: Resultados da Amostra - Educação. Página visitada em 4 de maio de 2014.
  65. a b c Cidades@ - IBGE (2012). Ensino, matrículas, docentes e rede escolar 2009. Página visitada em 9 de setembro de 2013.
  66. DDD Cidade. DDD. Página visitada em 11 de maio de 2013. Cópia arquivada em 16 de julho de 2012.
  67. Correios. CEP de cidades brasileiras. Página visitada em 11 de maio de 2013.
  68. Estadão (3 de novembro de 2008). Portabilidade numérica chega a mais de 31 milhões de usuários. Página visitada em 11 de maio de 2013. Cópia arquivada em 11 de maio de 2013.
  69. Cidades@ - IBGE (2010). Frota 2010. Página visitada em 11 de maio de 2013.
  70. Google Maps. Acessado em 11 de maio de 2013.
  71. Pell Portland (1998). Ferrovia do Aço - The "Tunelão", Longest Tunnel in South America (em inglês). Página visitada em 12 de maio de 2013. Cópia arquivada em 12 de maio de 2013.
  72. Estações Ferroviárias do Brasil (7 de setembro de 2011). Bom Jardim de Minas. Página visitada em 11 de maio de 2013. Cópia arquivada em 11 de maio de 2013.
  73. Em Sampa. Juiz de Fora - MG. Página visitada em 11 de maio de 2013. Cópia arquivada em 11 de maio de 2013.
  74. PanRotas (23 de dezembro de 2011). Volta Redonda (RJ) ganhará aeroporto Vale do Aço. Página visitada em 11 de maio de 2013. Cópia arquivada em 11 de maio de 2013.
  75. Secretaria de Turismo de Minas Gerais (28 de novembro de 2011). Circuitos Turísticos de Minas Gerais. Página visitada em 12 de maio de 2013. Cópia arquivada em 12 de maio de 2013.
  76. Correio do Papagaio (28 de fevereiro de 2013). BJ Folia mais um ano de sucesso. Página visitada em 12 de maio de 2013. Cópia arquivada em 12 de maio de 2013.
  77. Correio do Papagaio (29 de março de 2012). Bom Jardim de Minas: Paróquia Senhor Bom Jesus de Matozinhos comemora a Semana Santa. Página visitada em 12 de maio de 2013. Cópia arquivada em 12 de maio de 2013.
  78. Correio do Papagaio (3 de janeiro de 2013). Bom Jardim de Minas comemora seu 74º Aniversário de Emancipação Política. Página visitada em 12 de maio de 2013. Cópia arquivada em 12 de maio de 2013.
  79. a b Bloco Pé de Cana (18 de setembro de 2010). Bom Jardim de Minas - MG. Página visitada em 12 de maio de 2013.
  80. Megaminas.com (11 de maio de 2013). Fim de semana de esportes na Zona da Mata e Campo das Vertentes. Página visitada em 12 de maio de 2013. Cópia arquivada em 12 de maio de 2013.
  81. Futebol Amador de Minas Gerais (22 de abril de 2008). Presidente da Liga convoca membros do Colégio eleitoral para eleição da diretoria e do Conselho Fiscal. Página visitada em 12 de maio de 2013. Cópia arquivada em 12 de maio de 2013.
  82. Tribus (26 de janeiro de 2010). Trilhas nas Minas Gerais. Página visitada em 12 de maio de 2013. Cópia arquivada em 12 de maio de 2013.
  83. Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG). Guia Judiciário - Comarca de Andrelândia. Página visitada em 12 de maio de 2013. Cópia arquivada em 12 de maio de 2013.
  84. Sérgio Ferreira Pantaleão. Carnaval - é ou não feriado? folga automática pode gerar alteração contratual. Guia Trabalhista. Página visitada em 12 de maio de 2013. Cópia arquivada em 9 de novembro de 2011.
  85. Presidência da República. Lei n.º 9.093, de 12 de setembro de 1995. Página visitada em 12 de maio de 2013. Cópia arquivada em 9 de novembro de 2011.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ouça o artigo (info)
Este áudio foi criado a partir da revisão datada de 3 de junho de 2013 e pode não refletir mudanças posteriores ao artigo (ajuda com áudio).

Mais artigos audíveis
Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikcionário Definições no Wikcionário
Wikisource Textos originais no Wikisource
Commons Categoria no Commons
Mapas