Portal:Afeganistão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Conteúdo · Temas gerais · Resumo do conhecimento · Portais · Categorias · Anexos por tema · Glossários · Índice A-Z

Emblem of Afghanistan.svg Bem-vindo ao
Portal do Afeganistão
Mountains of Kabul.jpgKabul Babur tomb.jpgMonk Caves in Bymian Valley.jpgJam Minaret decoration1.jpg
Cartella viola.jpg
Brosen windrose-fr.svg
ver    
Bandeira do Afeganistão
Brasão de armas do Afeganistão
Mapa de Localização

O Afeganistão é um país sem saída para o mar no centro da Ásia. É comumente designado como um país da Ásia central, da Ásia meridional e do Oriente Médio. Possui vínculos religiosos, etno-lingüísticos e geográficos com a maioria dos países vizinhos. Limita com o Paquistão ao sul e ao leste, com o Irã a oeste, com o Turcomenistão, o Uzbequistão e o Tadjiquistão ao norte, e com a China a nordeste. O nome do país significa "terra dos afegãos".

O país é um cadinho cultural entre o Ocidente e o Oriente e tem sido um antigo ponto focal para o comércio e a migração. Sua localização é estratégica, ao ligar o sul, o centro e o sudoeste da Ásia. Ao longo de sua história, o país assistiu a diversos invasores e conquistadores, embora em outras ocasiões reinos locais tenham invadido as regiões vizinhas. O Império Durrani, fundado em 1747, tinha por capital a cidade de Candaar; posteriormente, a capital foi transferida para Cabul e a maior parte do seu território foi cedida a países vizinhos. No final do século XIX, o Afeganistão tornou-se um Estado-tampão envolvido no "Grande Jogo" entre o Império Britânico e o Império Russo. Em 19 de agosto de 1919, após a Terceira Guerra Anglo-Afegã, o país recuperou a sua independência plena do Reino Unido.

Desde o final dos anos 1970, o Afeganistão vem sofrendo uma guerra civil contínua e brutal, que incluiu intervenções estrangeiras como a invasão soviética de 1979 e a recente ação chefiada pelos EUA que derrubou o regime dos talibãs. No final de 2001, o Conselho de Segurança das Nações Unidas autorizou a criação de uma Força Internacional de Assistência para Segurança (ISAF, em inglês), composta por tropas da OTAN que apóiam os esforços do governo do Presidente Hamid Karzai para estabelecer o império da lei e para reconstruir a infra-estrutura do país. Em 2005, o país assinou com os EUA um acordo de parceria estratégica que prevê uma relação de longo prazo entre as duas partes. Vários milhões de dólares foram recebidos da comunidade internacional para investimentos na reconstrução do país.


Cartella viola.jpg
Nuvola filesystems services.png
ver    
Pormenor de mosaico sobre a batalha de Issus.

O Afeganistão foi invadido diversas vezes ao longo de sua história, e suas fronteiras e governo têm sido constantemente alvo de disputas. Entre Alexandre, o Grande, os conquistadores "Mugal" da Ásia do sul, os czares russos e o recente governo comunista, o império britânico e recentemente os Estados Unidos da América e a coalizão ocidental, todos parecem interessados nesse território.

Os conflitos atuais para o controle do Afeganistão podem ser vistos como uma extensão para o controle da Ásia central e seus recursos naturais, bem como da sua posição estratégica no meio da Eurásia. Historicamente, a conquista do Afeganistão teve um papel importante na invasão da Índia pelo oeste, através do passo Khyber.

Leia mais
Cartella viola.jpg
Nuvola apps kontact.png
ver    

Abdul Rahman (nascido em 1965) é um cidadão afegão que foi preso em fevereiro de 2006 acusado de apostasia em seu país. Sua conversão do islão para o cristianismo era passível de pena de morte segundo a maioria das interpretações da charia, a lei islâmica. Sua prisão e julgamento chamaram a atenção de diversos países para uma contradição que parece haver na Constituição do Afeganistão, que reconhece tanto a liberdade de religião e a escola hanafita da charia. O processo de Abdul Rahman foi condenado internacionalmente, em particular pelos EUA, que comandaram a operação para derrubar o regime Talibã em 2001 e são o principal aliado e patrocinador do Afeganistão.

Rahman foi libertado a 27 de março de 2006 por ordem do governo afegão. A Itália e a Alemanha propuseram-se recebê-lo, tendo finalmente sido Roma o seu destino escolhido. Até à sua saída do país em direcção a Roma a 29 de Março de 2006 Abdul foi protegido pelo ONU e mantido em local secreto.

Cartella viola.jpg
Nuvola filesystems camera.png
ver    
Cartella viola.jpg
Nuvola apps remote.png
ver    
Arghandab district fruit farmer.jpg
  • ... que há ainda uma grande quantidade de gastrópodes que ainda não foram descobertos no Afeganistão?
  • ... que alguns líderes botânicos acreditam que o Afeganistão é o berço do cultivo da romã (foto)?
  • ... que Samangan (Aybak), a capital da província de Samangan, encontra-se no rio Khulm?
Cartella viola.jpg
Nuvola apps kate.png
ver    
Cartella viola.jpg
Nuvola apps bad kcontrol.png
ver    

Artigos para desenvolver:

  • Outros artigos:

Artigos para revisar/reciclar:


Artigos para sofrerem fusão: Observação importante: Após fazer a fusão, favor riscar o nome da lista acima usando <s> e </s>.


Artigos para traduzir: Observação importante: Após fazer a fusão, favor riscar o nome da lista acima usando <s> e </s>.


Predefinições a traduzir/completar: Observação importante: Ao criar novos artigos procure criar todos os possíveis redirecionamentos.

Cartella viola.jpg
Nuvola apps kdmconfig.png
ver    
Predefinições
Infobox
Ligações
Portal A Wikipédia possui o
Portal do Afeganistão
Cartella viola.jpg
Nuvola apps bookcase.png
ver    
Cartella viola.jpg
Portal.svg
ver