Portal:Namíbia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Conteúdo · Temas gerais · Resumo do conhecimento · Portais · Categorias · Anexos por tema · Glossários · Índice A-Z

Bem vindo ao
Portal da Namíbia
Sossusvlei Dune Namib Desert Namibia Luca Galuzzi 2004.JPGNamibie Etosha Leopard 01edit.jpgLeuchtturm Swakopmund.jpgNamibie Duwisib Castle 01.JPGNamibia Rugby Team.jpg
Cartella viola.jpg
Brosen windrose-fr.svg
ver    
Bandeira da Namíbia
Brasão de armas da Namíbia
Mapa de Localização

A Namíbia (oficialmente Republic of Namibia, também conhecida como Republik Namibia em língua alemã, e Republiek van Namibië em língua africâner) é um país da África Austral limitado a norte por Angola e pela Zâmbia, a leste e a sul pelo Botswana, a sul pela África do Sul e a oeste pelo Oceano Atlântico, e cuja capital é Windhoek. É o segundo país menos densamente povoado no mundo, depois da Mongólia.

As terras secas da Namíbia foram habitadas desde tempos remotos pelos bosquímanos, damara, namaqua, e desde o século XIV, por imigração bantu que vieram com a expansão bantu. Foi visitado pelos missionários britânicos e holandeses durante o século XVIII. Também foi visitado pelos excursionistas Dorsland (também conhecidos como Boers Junker) em 1879, mas tornou-se um protetorado alemão imperial em 1884. Em 1920, a Liga das Nações fez o país mandato da África do Sul (Sudoeste Africano), que impôs as suas leis e a partir de 1948, a sua política de apartheid.

Obteve a independência da África do Sul em 21 de março de 1990, na sequência da Guerra de Independência da Namíbia.

Cartella viola.jpg
Nuvola filesystems services.png
ver    

Surviving Herero

O genocídio dos hererós e namaquas ocorreu no Sudoeste Africano Alemão, onde hoje se localiza a Namíbia, entre 1904 e 1907, durante a partilha de África. É considerado o primeiro genocídio do século XX.[1] [2] [3]

Em 12 de janeiro de 1904, os hererós, sob a liderança de Samuel Maharero, organizaram uma revolta contra o domínio colonial alemão. Em agosto, o general alemão Lothar von Trotha derrotou os hererós na batalha de Waterberg e dirigiu-os para o deserto de Omaheke, onde a maioria deles morreu de sede. Em outubro, os namaquas também pegaram em armas contra os alemães e foram tratados de forma semelhante. No total, entre 24.000 e 65.000 hererós (todos os valores são estimados como sendo 50% a 70% da população Herero total) e 10.000 namaquas (50% da população total namaqua) morreram.

Duas características do genocídio foram a morte por inanição e o envenenamento de poços utilizado contra os hererós e populações namaquas que foram presos no deserto da Namíbia.[4] [5] [6]

Em 1985, as Nações Unidas reconheceram a tentativa da Alemanha de exterminar os povos hererós e namaquas do Sudoeste da África como uma das primeiras tentativas de genocídio no século XX. O governo alemão pediu desculpas pelos eventos em 2004.[7]

Referências

  1. Levi, Neil e Rothberg, Michael. The Holocaust: Theoretical Readings. [S.l.]: Rutgers University Press, 2003. 465 pp. ISBN 0-8135-3353-8
  2. Mahmood Mamdani, When Victims Become Killers: Colonialism, Nativism, and the Genocide in Rwanda, Princeton University Press, Princeton, 2001, p. 12
  3. Cooper, Allan D. (31 de agosto de 2006). Reparations for the Herero Genocide: Defining the limits of international litigation. Oxford Journals African Affairs.
  4. Samuel Totten, William S. Parsons, Israel W. Charny, "Century of genocide: critical essays and eyewitness accounts", Routledge, 2004, pg. 51 [1]
  5. Marie-Aude Baronian, Stephan Besser, Yolande Jansen, "Diaspora and memory: figures of displacement in contemporary literature, arts and politics", Rodopi, 2007, pg. 33, [2]
  6. Dan Kroll, "Securing our water supply: protecting a vulnerable resource", PennWell Corp/University of Michigan Press, pg. 22, [3]
  7. Germany admits Namibia genocide. BBC News (14 de agosto de 2004). Página visitada em 23-4-2008.
Cartella viola.jpg
Nuvola apps kontact.png
ver    

Behati Prinsloo in Zac Posen Photographed by Ed Kavishe for Fashion Wire Press.jpg

Behati Prinsloo (Grootfontein, 16 de Maio de 1989), é uma modelo africana nascida na Namíbia e faz parte do casting da linha de lingerie Victoria's Secret. Ela ficou famosa por seus trabalhos nas grifes Prada, Lacoste, H&M e por ser uma das angels da linha Victoria's Secret.

Desde 2008 é embaixadora da coleção Pink, submarca da Victoria's Secret. Behati foi descoberta por Sarah Doukas, o mesmo olheiro que revelou Kate Moss.

Cartella viola.jpg
Nuvola filesystems camera.png
ver    
Thorn Tree Sossusvlei Namib Desert Namibia Luca Galuzzi 2004.JPG
Uma árvore seca da espécie Acacia erioloba da região da Sossusvlei, do deserto da Namíbia.
Cartella viola.jpg
Nuvola apps remote.png
ver    
  • ... que os escravos crioulos, sob a liderança de Oude Ram Afrikaner estavam entre os primeiros a se chamar de africanos, e que Afrikaans tem o nome desta denominação?
  • ... que o presidente namibiano Sam Nujoma visitou a Índia 11 vezes?
  • ... que a mina de ouro de Navachab é a única mina de ouro na Namíbia?
Cartella viola.jpg
Nuvola apps kate.png
ver    
Cartella viola.jpg
Nuvola apps bad kcontrol.png
ver    

Artigos para desenvolver:

  • Outros artigos:

Artigos para revisar/reciclar:


Artigos para sofrerem fusão: Observação importante: Após fazer a fusão, favor riscar o nome da lista acima usando <s> e </s>.


Artigos para traduzir: Observação importante: Após fazer a fusão, favor riscar o nome da lista acima usando <s> e </s>.


Predefinições a traduzir/completar: Observação importante: Ao criar novos artigos procure criar todos os possíveis redirecionamentos.

Cartella viola.jpg
Nuvola apps kdmconfig.png
ver    
Cartella viola.jpg
Nuvola apps bookcase.png
ver    
Cartella viola.jpg
Portal.svg
ver