Catedral Basílica Menor Nossa Senhora da Luz

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Catedral Basílica Menor
Nossa Senhora da Luz
Construção 1893
Diocese Arquidiocese de Curitiba
Bispo José Antônio Peruzzo
Website Site Oficial
Local Curitiba, PR,  Brasil

A Catedral Basílica Menor Nossa Senhora da Luz - ou Catedral Metropolitana de Curitiba[1], é um templo católico do município de Curitiba, capital do estado brasileiro do Paraná.

História[editar | editar código-fonte]

Em 1668 uma pequena igreja de pau a pique foi edificada no local, hoje Centro Histórico de Curitiba, com a denominação de Igreja de Nossa Senhora da Luz e Bom Jesus dos Pinhais.[2]

Em 1693 instalou-se em suas dependências a Câmara Municipal, a fim de eleger as primeiras autoridades locais. No dia 29 de março do mesmo ano foi oficializada a fundação da Vila de Nossa Senhora da Luz e do Bom Jesus dos Pinhais de Curitiba.[2]

Anos mais tarde, essa pequena construção deu lugar a uma maior, em pedra e barro, denominada Igreja Matriz, que foi concluída em 1721. Essa, por sua vez, foi demolida entre os anos de 1875 e 1880, para que finalmente fosse edificada a atual Catedral, cujos trabalhos ocorreram entre 1876 e 1893.[2][3]

A Catedral em construção, na década de 1880
Interior da Catedral, fotografado em julho de 2013

Em 1894 recebe o título de Catedral, com a posse do primeiro bispo, D. José Camargo.[2]

No dia 7 de junho de 1993, cem anos após sua inauguração, a Catedral foi elevada ao grau de Basílica Menor, em reverência à Nossa Senhora da Luz dos Pinhais, a santa padroeira da capital paranaense.

Arquitetura[editar | editar código-fonte]

A catedral foi construída em estilo neogótico - ou gótico romano - inspirada na Catedral da Sé de Barcelona, na Espanha. As pinturas existentes são dos artistas italianos Carlos Garbaccio e Anacleto Garbaccio[4].

A autoria do projeto é atribuída ao arquiteto francês Alphonse Conde des Plas, com pequenas modificações feitas pelo engenheiro Giovani Lazzarini[3], responsável pela execução da obra[5].

No projeto original, uma torre comportaria um sino e um relógio, enquanto a outra um observatório meteorológico dotado com um barômetro, que jamais foi instalado pelos altos custos.[3]

Em 1947 foi construído um anexo. Esta ampliação impede que o Iphan - Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional reconheça a Catedral como patrimônio histórico. Porém é uma unidade de interesse de preservação municipal.[3]

Restauração[editar | editar código-fonte]

Poço descoberto na última restauração.

Em 2012 foi finalizada a mais profunda e detalhada restauração do templo, devolvendo-lhe as cores originais.[6]

Nesta etapa, algumas características até então desconhecidas ou esquecidas foram descobertas, como um poço de nove metros no altar, que provavelmente abastecia a primeira igreja e tornou-se uma atração após ser iluminado e coberto com um tampo de vidro.[7]

Ver Também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Atrações turísticas - Curitiba - Praça Tiradentes». BrasilViagem. Consultado em 29 de março de 2008. 
  2. a b c d De capela a basílica Caderno Vida e Cidadania - Gazeta do Povo — acessado em 28 de janeiro de 2012
  3. a b c d Igreja sem torres não é matriz Caderno História - Gazeta do Povo — acessado em 28 de janeiro de 2012
  4. Restauração da Catedral Basílica deve ser concluída no final de 2012 Jornal Gazeta do Povo de 11 de agosto de 2011
  5. Curitiba à la francesa Jornal Gazeta do Povo de 28 de agosto de 2011
  6. Gazeta do Povo
  7. Portal G1