Canal Biggs

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Panda Biggs)
Ir para: navegação, pesquisa
Biggs
Tipo Rede de televisão por assinatura
País  Portugal
Fundação 1 de dezembro de 2009 (7 anos)
Pertence a Dreamia - Serviços de Televisão S.A. (DSTVSA)
Corus Entertainment
Cidade de origem Lumiar, Lisboa em Portugal
Sede Lisboa,  Portugal
Slogan Nem cabe na tua televisão!
Formato de vídeo 16:9 (576i, SDTV)
Canais irmãos A&E
AMC
Blast
Canal de História
Canal Hollywood
Canal Panda
Casa Club
MOV
Odisseia
Sundance Channel
Cobertura  Portugal
Cobertura internacional Brasileira BR
Nome(s) anteriore(s) Panda Biggs
Página oficial www.biggs.pt
Disponibilidade por satélite
Portugal NOS
Canal 43
Portugal Meo
Canal 42
Disponibilidade por cabo
Portugal NOS
Canal 43
Portugal Cabovisão
Canal 57
Angola TV Cabo
Canal 41
Portugal Meo
Canal 42
Portugal Vodafone
Canal 55
Disponibilidade via ADSL
Portugal Meo
Canal 42

O Biggs (anteriormente Panda Biggs) é um canal de televisão português dedicado ao público infanto-juvenil. Aposta maioritariamente em séries de animação live-action, transmitindo às vezes filmes, além de possuir uma forte componente de produção própria, com reportagens sobre música, desporto e últimas tendências.

O canal foi lançado a 1 de dezembro de 2009 pela ZON TV Cabo, a 30 de março de 2010 pela Cabovisão, a 24 de abril de 2010 pela antiga Optimus Clix e a 29 de junho de 2012 pelo Meo.[1][2][3][4][5][6][7]

Transmite também minisséries, que são exibidas quando há mudança de uma série para outra. A duração normalmente é de 5 minutos. A emissão era entre as 5h e a 1h da manhã todos os dias, mas a partir de 6 de junho de 2017, passou a ser entre as 5h e a 00h30 das terças aos sábados, as 5h e as 2h45 aos domingos e as 5h e a 1h da manhã às segundas.

O Biggs é muitas vezes considerado um canal de animes, mas agora passa alguns de manhã e de tarde.

Programação[editar | editar código-fonte]

Minisséries[editar | editar código-fonte]

Séries já transmitidas[editar | editar código-fonte]

Filmes[editar | editar código-fonte]

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Nos dias 6 e 27 de Novembro de 2016, o canal censurou um beijo lésbico na série Sailor Moon Crystal, o corte foi motivado por “mera opção editorial, ainda que susceptível de suscitar discordância”, os fãs reagiram com protestos e acusações de homofobia por parte do canal, levando o mesmo a cancelar temporariamente a série.[8]

Um episódio de Shin-Chan causou polémica entre pais e educadores devido a uma cena que envolve Shin-Chan a ser examinado ao rabo por três enfermeiras.[9] A série acabou por ser alvo de uma deliberação da Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC).

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]