Paul Gascoigne

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes fiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde maio de 2012) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes fiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes fiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Gascoigne
Gascoigne
Gascoigne no evento "Memorabilia", em 2006.
Informações pessoais
Nome completo Paul John Gascoigne
Data de nasc. 27 de Maio de 1967 (47 anos)
Local de nasc. Gateshead,  Reino Unido
Nacionalidade Inglês
Altura 1,78 m
Apelido Gazza
Clube atual Aposentado
Clubes de juventude
1980-1985 Inglaterra Newcastle United
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos/gols)
1985–1988
1988–1992
1992–1995
1995–1998
1998–2000
2000–2002
2002
2003
2004
Inglaterra Newcastle United
Inglaterra Tottenham
Itália Lazio
Escócia Rangers
Inglaterra Middlesbrough
Inglaterra Everton
Inglaterra Burnley
República Popular da China Gansu Tianma
Inglaterra Boston United
92 (21)
92 (19)
43 (6)
74 (30)
41 (4)
32 (1)
6 (0)
4 (2)
4 (0)
Seleção nacional
1987-1988
1989
1988-1998
Flag of England.svg Inglaterra Sub-21
Flag of England.svg Inglaterra B
Flag of England.svg Inglaterra
13 (5)
4 (1)
57 (10)

Paul John Gascoigne, mais conhecido como Paul Gascoigne (Gateshead, 27 de maio de 1967), é um ex-treinador de futebol e ex-futebolista inglês, que atuava como Meia atacante[1] [2] .

Carreira[editar | editar código-fonte]

Gascoigne iniciou a carreira no Newcastle United, em 1985, vindo das categorias de base dos "Magpies". Antes, quando ainda jogava em equipes escolares, despertou interesse de Ipswich Town, Middlesbrough e Sunderland. Sua estreia foi contra o Queens Park Rangers, em abril do mesmo ano.

No Newcastle, Gazza enfrentaria seus primeiros problemas extra-campo, chegando a ser afastado por indisciplina durante algum tempo. Pelos "Magpies", disputou 92 jogos e marcou 21 gols. Prestes a fechar contrato com o Manchester United, assinou com o Tottenham, em 1988, por 2 milhões de libras. A estreia foi justamente contra o Newcastle, e até 1992, fez 19 gols em 92 partidas. Uma fratura na final da Copa da Inglaterra 1990-91 deixou Gascoigne incapacitado de jogar por um ano. Ao final da temporada, foi contratado pela Lazio. Pelo time italiano, não rendeu o mesmo que no Tottenham, fazendo apenas seis gols em 46 partidas.

Retornou à Grã-Bretanha em 1995, desta vez para atuar no Rangers, e durante sua passagem pela equipe escocesa, os escândalos envolvendo Gascoigne começaram a surgir - agredia sua esposa, vivia bebendo, estava fora de forma e se lesionava frequentemente. Chegou até a discutir com Glenn Hoddle, treinador da Seleção Inglesa na época. Mesmo assim, era ídolo da parte azul de Glasgow, e até era ameaçado por torcedores mais radicais do Celtic por conta de uma comemoração provocativa em uma Old Firm. Conquistou quatro títulos pelos Gers (dois Campeonatos nacionais, uma Copa da Liga e uma Taça da Escócia) antes de voltar à Inglaterra para defender o Middlesbrough, onde marcaria quatro gols em 41 jogos.

Contratado pelo Everton em 2000, reencontraria Walter Smith, seu ex-técnico no Rangers. Atuações abaixo do esperado abreviaram a passagem de Gascoigne pelos Toffees (32 partidas, um gol). Em 2002, assinou com o Burnley, jogando seis partidas antes de pendurar as chuteiras pela primeira vez, só retomando a carreira depois da Copa de 2002.

Enquanto trabalhava como comentarista, Gazza quase foi contratado pelo D.C. United. Iria aos EUA fazer tratamento de desintoxicação, e admitiu pela primeira vez que tinha sérios problemas com o álcool.

Gascoigne retornaria ao futebol em 2003, como jogador-treinador do Gansu Tianma, onde trabalharia durante nove meses, mas o contrato não chegaria a ser finalizado. Treinaria por seis semanas no Wolverhampton, não chegando a ser contratado pela agremiação. Ele encerraria de vez sua carreira em 2004, no Boston United, também como jogador-treinador.

Carreira de treinador[editar | editar código-fonte]

Na fase final de sua carreira, Gascoigne trabalhou simultaneamente como jogador e técnico de Gansu Tianma e Boston United, suas últimas equipes defendidas como atleta. Em 2005, trabalhou como comandante do Kettering Town e do Algarve United, mas não teve sucesso.

Após a aposentadoria[editar | editar código-fonte]

Com a aposentadoria, Gazza viu sua situação pessoal piorar ainda mais. Envolveu-se novamente com o alcoolismo e até com drogas, chegando a ser internado com pneumonia, e preso por agredir um fotógrafo.

Contra sua vontade, foi detido e internado, em fevereiro de 2008, sob a Lei de Saúde Mental de Inglaterra e Gales, e passou por tratamento médico. Sete meses depois, foi novamente internado, desta vez na cidade portuguesa de Faro, com suspeita de overdose.

Em 2010, Gordon Taylor, presidente da Associação de Futebolistas da Inglaterra, chegou a afirmar que Gascoigne estava em situação de pobreza, e que pediu ajuda à entidade para não se tornar um sem-teto. Depois que sofreu um acidente de carro, foi novamente levado a uma clínica de reabilitação.


Carreira na Seleção[editar | editar código-fonte]

Após passar pelas Seleções Sub-21 e B da Inglaterra, Gascoigne faria seu primeiro jogo pelo time principal em 1988, contra a Dinamarca.

Convocado por Bobby Robson para a Copa de 1990, roubou a cena na semifinal, contra a Alemanha Ocidental. Depois de disputa de bola com Thomas Berthold, foi advertido com cartão amarelo pelo árbitro brasileiro José Roberto Wright, significando que, se a Inglaterra vencesse, Gascoigne ficaria de fora da final por ser seu segundo amarelo na Copa. Ciente disso, começou a chorar compulsivamente.

O Mundial de 1990 foi o único de sua carreira - não foi convocado para a Eurocopa de 1992 e a Inglaterra não se classificou para a Copa de 1994.

Seu último torneio com o English Team foi a Eurocopa de 1996, onde marcou um belo gol contra a Escócia: ao receber passe de Darren Anderton, deu um chapéu em Colin Hendry e chutou forte, no ângulo do goleiro Andy Goram.

Mesmo estando longe dos planos de Glenn Hoddle, com quem chegou a discutir asperamente, Gazza foi peça importante na classicicação inglesa para a Copa de 1998. Foi convocado para o Torneio da França, não tendo marcado gols. Atendendo os pedidos da torcida inglesa, Hoddle chegou a pré-convocar Gascoigne para a Copa, mas a má forma física e o temperamento explosivo do atacante enterraram suas chances de participar da competição.

Em dez anos, Gascoigne disputou 57 jogos com o English Team, marcando dez gols.[3] .

Referências

  1. Paul Gascoigne (em português). Página visitada em 31 de Maio de 2012.
  2. Paul Gascoigne (em inglês). Página visitada em 31 de Maio de 2012.
  3. Appearances for England National Team - RSSSF (em inglês)
Bandeira de InglaterraSoccer icon Este artigo sobre futebolistas ingleses é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.