Telêmaco Borba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Telêmaco Borba
"Capital do Papel"
Bandeira de Telêmaco Borba
Brasão de Telêmaco Borba
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 21 de março
Fundação 1964 (50 anos)
Gentílico telêmaco-borbense
Prefeito(a) Luiz Carlos Gibson[1] (PPS)
(2013–2016)
Localização
Localização de Telêmaco Borba
Localização de Telêmaco Borba no Paraná
Telêmaco Borba está localizado em: Brasil
Telêmaco Borba
Localização de Telêmaco Borba no Brasil
24° 19' 26" S 50° 36' 57" O24° 19' 26" S 50° 36' 57" O
Unidade federativa  Paraná
Mesorregião Centro Oriental Paranaense IBGE/2008[2]
Microrregião Telêmaco Borba IBGE/2008[2]
Municípios limítrofes Tibagi, Imbaú, Ventania, Curiúva, Ortigueira
Distância até a capital 249 km
Características geográficas
Área 1 225,676 km² [3]
População 74,270 hab. estimativa populacional - IBGE/2013[4]
Densidade 0,06 hab./km²
Altitude 741 m
Clima subtropical Cfb
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,767 alto PNUD/2000[5]
PIB R$ 1 500 886,840 mil IBGE/2010[6]
PIB per capita R$ 20 004,00 IBGE/2010[6]
Página oficial

Telêmaco Borba é um município brasileiro localizado na região dos Campos Gerais do estado do Paraná, a 249 km da capital paranaense, Curitiba. A cidade possui uma população estimada em 74.270 habitantes (IBGE/2013)[4] e é sede da microrregião que leva o seu nome.

É considerada a "Capital Nacional do Papel"[7] ; contém o sexto maior pólo industrial do Paraná[8] e é centro de referência nacional no setor madeireiro.[8] Na cidade de Telêmaco Borba está localizada a maior fábrica de papel da América Latina[9] , a unidade Monte Alegre das indústrias Klabin. A cidade ganhou as manchetes dos principais noticiários nacionais quando em 4 de janeiro de 2006, a cidade foi epicentro de um terremoto (abalos sísmicos) chegando a 4.3 na Escala de Richter.[10]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

Homenagem a Telêmaco Augusto Enéas Morosini Borba, benemérito paranaense que era filho do capitão Antonio Rodrigues Borba e de Joana Hilária. Nasceu a 2 de agosto de 1840 na Borda do Campo, próximo a Curitiba, e depois de casar-se com Rita do Amaral, em 1860, foi dirigir o Aldeamento de São Pedro de Alcântara, à margem esquerda do Rio Tibagi, defronte à Colônia Militar do Jataí. De sua convivência com povos indígenas, escreveu o livro "Atualidade Indígena", ampliou seus conhecimentos de sertanista, permitindo-lhe corresponder-se com autoridades indigenistas internacionais e inspirando-o a fundar em Tibagi o Museu do Índio. Em 1882 entrou para a política, elegendo-se alternadamente prefeito de Tibagi e deputado provincial pelo Partido Liberal. Quando da deposição do governador Generoso Marques, seu correligionário, enfrentou a tropa formada num protesto histórico. Em 1894, durante a Revolução Federalista, sua participação foi intensa ao lado dos insurretos na condição de comandante da fronteira com o Estado de São Paulo, em Itararé. Fracassada a Revolução, obrigou-se a partir para o exílio, comandando ao lado de Juca Tigre uma coluna de soldados e civis, na retirada pelos sertões do oeste paranaense. Mais tarde, anistiado, retomou suas atividades políticas, voltando a eleger-se deputado e prefeito, seguindo a regra anterior. Como sertanista participou de inúmeras expedições, notadamente a de Bigg-Wither. Redescobriu o Salto de Sete Quedas, proeza relatada em crônica diária de Nestor Borba, publicada em livro. Telêmaco Borba faleceu na cidade de Tibagi, a 23 de novembro de 1918, vítima da gripe espanhola, sendo o precursor de notável família de políticos. (texto original de Túlio Vargas, Academia Paranaense de Letras 1936-1995, 66).

História[editar | editar código-fonte]

As terras da região foram mencionadas pela primeira vez em uma carta de concessão de sesmarias, que data de meados de 1727. Desse período até a compra da Fazenda Monte Alegre pelos irmãos Klabin em 1941, as terras teve presença de indígenas, tropeiros, bandeirantes, jesuítas e diversos exploradores.[11]

José Felix da Silva e Antônio Machado Ribeiro firmaram a posse de extensa área de terras na região do Rio Tibagi aproximadamente nos anos de 1700. Dividiram as terras conquistadas, cabendo ao primeiro as sesmarias do Tibagi[11] e as do Iapó, onde estavam localizadas a Fazendas Boa Vista, Piraí Mirim, Taquara e Monte Alegre e, ao segundo, as terras para além do Rio Tibagi.

Por volta de 1890, chegavam ao Brasil, vindos da Lituânia, as famílias Klabin, Lafer e Valmonnts de origem judaica, tendo a frente Salomão, Hessel Klabin, Miguel Lafer e Husterbe Valmonnt. Radicando-se em São Paulo e, iniciando as atividades no comércio e importação de papel, viram as possibilidades industriais do Brasil, e firmaram o propósito de implantar uma indústria de papéis e derivados.

Assim, em 1906, com o dinamismo de Maurício Klabin, instalaram a primeira fábrica de papel em Salto do Itu, município do Estado de São Paulo. Com o propósito de expandir as suas atividades no fabrico de papel, em 1933, os Klabins adquiriram em leilão junto ao Banco do Estado do Paraná, em 1934, a Fazenda Monte Alegre no município de Tibagi, na região florestal do Paraná, junto às margens do Rio Tibagi, onde se aliavam a matéria-prima e a água, como elementos indispensáveis para o seu empreendimento.

Com a instalação das Indústrias Klabin na região dos Campos Gerais, surgiu vários acampamentos como Harmonia, Lagoa, Antas, Mauá, Mandaçaia, Mina de Carvão, Miranda, Mirandinha.[12] Anos mais tarde a Klabin comprou as terras, na margem esquerda do rio Tibagi, frente as instalações da Fábrica de Papel e Celulose. A Klabin, criou a Cia. Territorial Vale do Tibagi, que foi responsável pela urbanização e loteamento das terras. Os novos moradores, a grande maioria funcionários da Klabin, começaram a chamar o povoado de Cidade Nova. A Cidade Nova teve rápido e extraordinário desenvolvimento,[13] crescendo social e economicamente dentro de reduzido lapso de tempo, até que em 25 de julho de 1960, através da Lei Estadual nº 4.245, em seu artigo 1°, item IV, sancionada pelo governador Moysés Lupion de Tróia, foi elevado à categoria de município, com a denominação de Telêmaco Borba, com território desmembrado do município de Tibagi.

No entanto, o município nem chegou a ser instalado, visto que a Assembleia Legislativa do Estado do Paraná, pela Lei Estadual nº 26, de 31 de dezembro de 1960, revogou o item IV, do artigo nº 1, da Lei nº 4.245, de 25 de julho de 1960 e, em consequência, foi extinto o município de Telêmaco Borba, voltando à condição de simples bairro, com território pertencente novamente ao município de Tibagi, e retomando sua antiga denominação de Cidade Nova.[12]

Pela Lei Estadual n° 4.445, de 16 de outubro de 1961, foi criado o Distrito Administrativo de Cidade Nova, no município de Tibagi. Em 5 de julho de 1963, através da Lei Estadual n° 4.738, sancionada pelo governador Ney Aminthas de Barros Braga, o distrito foi elevado à categoria de município emancipado. com território desmembrado do município de Tibagi, porém com denominação novamente alterada definitivamente para Telêmaco Borba.[14]

A instalação oficial deu-se em 21 de março de 1964, quando tomou posse o primeiro prefeito municipal eleito, sr. Péricles Pacheco da Silva e seu vice sr. João Vitor Mendes de Alcantara Fernandes, assim como a Câmara de Vereadores.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Possui uma área é de 1.226 km² representando 0,6149 % do estado, 0,2175 % da região e 0,0144 % de todo o território brasileiro. Localiza-se a uma latitude 24°19'26" sul e a uma longitude 50°36'57" oeste, estando a uma altitude de 700 metros. Sua população estimada em 2005 era de 63.742 habitantes.

Divisão territorial[editar | editar código-fonte]

Em 2005 a prefeitura divulgou um mapa de bairros de acordo com a necessidade do plano diretor. Foram estabelecidos 32 bairros urbanos.[15] Foram classificadas também 12 macrozonas urbanas e 7 macrozonas rurais, para definir o macrozoneamento urbano e rural.[16]

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

O município está situado na Bacia Hidrográfica do Rio Tibagi, sendo que a sede da cidade de Telêmaco Borba situa-se à sua margem esquerda. Destacam-se entre os principais afluentes do município, o Rio Imbaú, o Rio Harmonia, o Rio Quebra-perna, o Rio Faisqueira, o Rio Imbauzinho, o Ribeirão das Antas, o Rio Alegre, e o Arroio Uvaranal.

Principais rios que cortam o município:

Terras insulares[editar | editar código-fonte]

  • Ilha da Goiabeira;
  • Ilha do Surubi;
  • Arquipélago da Mineropar;

Demografia[editar | editar código-fonte]

Religião[editar | editar código-fonte]

Existe diversas comunidades religiosas, como a Igreja Católica, Igreja Batista Betel, Igreja Presbiteriana do Brasil, Igreja O Brasil para Cristo, Igreja Universal do Reino de Deus, Assembleia de Deus, Congregação Cristã no Brasil, entre outras. Existe também uma comunidade greco-católica de rito ucraniano, a capela São José, localizada no bairro Alto das Oliveiras.

Paróquias[editar | editar código-fonte]

Em Telêmaco Borba, há duas paróquias católicas:

Paróquia Nossa Senhora de Fátima, no Centro. Fundada em 1960. É administrada pela Congregação do Santíssimo Redentor (Redentoristas).

Paróquia de São Pedro e São Paulo, no Parque Limeira Área 2. Fundada em 2008. É administrada pelos Padres Diocesanos.

Economia[editar | editar código-fonte]

O parque industrial com mais de 80 empresas coloca a cidade como centro de referência nacional desse setor.[8] As empresas do Município dispõem de madeira certificada dentro dos princípios e critérios do FSC - Forest Stewardship Council - que atestam que a madeira é oriunda de florestas bem manejadas. A grande parte da produção do município é exportada para os Estados Unidos, Canadá e países da Europa e também da Ásia.

Usinas Hidrelétricas[editar | editar código-fonte]

Os rios que cortam o município e a região apresentam grande potencial hidroelétrico, não é a toa a construção de barragens e instalações de usinas para gerarem energia elétrica. Em Telêmaco Borba encontram-se duas hidrelétrica, a Usina Hidrelétrica Presidente Vargas e a Usina Hidrelétrica Mauá, ambas no rio Tibagi. Há ainda perspectivas futuras da construção de mais uma hidrelétrica em Telêmaco Borba,[17] com a formação de uma represa abrangendo os municípios de Telêmaco Borba, Tibagi e Imbaú.[18] A hidrelétrica denominada Usina Hidrelétrica Telêmaco Borba está em fase de estudos já a alguns anos.[19]

Usina Hidrelétrica Presidente Vargas[editar | editar código-fonte]

Inaugurada no dia 25 de janeiro de 1953, com 22,5 MW de capacidade, teve como objetivo inicial atender as necessidades das Indústrias Klabin e dos núcleos habitacionais formados na Fazenda Monte Alegre pertencente a fábrica.

Usina Hidrelétrica Mauá[editar | editar código-fonte]

A Usina Hidrelétrica Mauá teve sua construção iniciada em 2008 e foi inaugurada no dia 12 de dezembro de 2012.[20] A usina de 361 MW de capacidade de geração é suficiente em atender ao consumo de 1 milhão de pessoas. A barragem da hidrelétrica foi construída no Rio Tibagi, entre os municípios paranaenses de Telêmaco Borba e Ortigueira, localizada na região do Salto Mauá, porção média do Rio Tibagi. A casa de força fica na margem direita do Rio Tibagi, no município de Telêmaco Borba, perto da foz do Ribeirão das Antas, no local conhecido como Poço Preto.

Coordenadas da barragem 24°03’48” S / 50°42’05” W

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Educação[editar | editar código-fonte]

Ensino Superior e Técnico[editar | editar código-fonte]

  • CEMEP - Centro Municipal de Ensino Profissionalizante;
  • AEF - Associação Educacional "Fanuel" - Guarda Mirim de Telêmaco Borba - PR (Aprendizagem profissional - Oportuniza o primeiro emprego);
  • SENAI - Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial. Centro Técnico de Celulose e Papel;
  • Faculdades da Indústria - campus Telêmaco Borba
  • UNINTER- campus de Telêmaco Borba
  • UNIDERP- Universidade Anhanguera-Uniderp - campus universitário de Telêmaco Borba;
  • FATEB - Faculdade de Telêmaco Borba - campus universitário Carlos Hugo Wolff von Graffen;
  • UEPG - Universidade Estadual de Ponta Grossa - campus universitário de Telêmaco Borba;
  • IFPR- Instituto Federal do Paraná - campus de Telêmaco Borba;

Transportes[editar | editar código-fonte]

Rodoviário[editar | editar código-fonte]

  • PR-160 - Rodovia do Papel.
  • PR-340 - Rodovia Francisco Sady de Brito, denominação no trecho Telêmaco Borba/Castro.
  • BR-153 - Rodovia Transbrasiliana, no trecho Tibagi/Ventania, cortando o município de Telêmaco borba próximo a divisa do município de Ventania.

Ferroviário[editar | editar código-fonte]

Telêmaco Borba faz parte do 2 º Distrito de Produção, segundo a Rede Ferroviária Federal S/A – RFFSA (Atual América Latina Logística). O trecho entra no município pela porção nordeste chegando até a sede municipal, localizada no centro-sul do município. Atualmente a região é atendida apenas com trens de carga para o escoamento da produção da empresa Klabin.

Aeroviário[editar | editar código-fonte]

Aeroporto de Telêmaco Borba[editar | editar código-fonte]

Telêmaco Borba é servida por um aeroporto que recebe o mesmo nome da cidade, identificado pela sigla SBTL. Possui uma ampla infraestrutura, com uma pista revestida com asfalto de 1800 metros de comprimento por 30 metros de largura e atende, normalmente, a uma média de 67 pousos e decolagens por mês. Opera também em períodos noturnos. É considerado o maior Aeroporto da região dos Campos Gerais do Paraná.

Designativo das Cabeceiras: 02/20 Resistência da Pista: 24/F/B/X/T Coordenadas Geográficas: 24º18'59"S/050º39'08"W

Teleférico[editar | editar código-fonte]

Bonde Aéreo de Telêmaco Borba

Foi inaugurado no final da década de cinquenta, 11 de novembro de 1959,[21] tendo a capacidade para 32 passageiros por cabine, ligando a cidade de Telêmaco Borba ao Bairro de Harmonia, com 1.318 m de vão livre sobre o Rio Tibagi. Comumente chamado de bondinho, tornou-se uma das principais atrações turísticas do município e é considerado um ícone do turismo na região.[22]

Turismo[editar | editar código-fonte]

Telêmaco Borba apresenta um grande potencial turístico, notando-se a presença do turismo cultural, artesanal e ambiental, com ênfase para o turismo industrial e de negócios.

Cultura[editar | editar código-fonte]

Culinária[editar | editar código-fonte]

Prato típico[editar | editar código-fonte]

Eventos[editar | editar código-fonte]

  • EXPOMAD - Exposição de Máquinas e Equipamentos do Ramo Florestal e Madeireiro.
  • FICMA - Feira Internacional da Cadeia Produtiva da Madeira
  • FEMINT - Festival de Música e Interpretação
  • Festival de Dança de Telêmaco Borba

Esporte[editar | editar código-fonte]

A cidade possuiu vários clubes que participaram no Campeonato Paranaense de Futebol, dentre eles o CAMA (campeão na edição de 1955)[24] , o Telêmaco Borba Esporte Clube [25] e o Mixto Bordô. [26]

Visitas Presidenciais[editar | editar código-fonte]

  • 1943 - Presidente Getúlio Vargas.[27]
  • 25 de janeiro de 1953 - Presidente Getúlio Vargas, na companhia de demais autoridades como os ministros Horácio Laffer e Souza Lima e o governador do Paraná Bento Munhoz da Rocha. As autoridades foram recepcionadas pelos diretores da Klabin, onde prestigiaram os processos de fabricação da Fábrica de Papel e Celulose e inaugurando também oficialmente a Usina Hidrelétrica Presidente Vargas, no Rio Tibagi.
  • 14 de fevereiro de 1980 - Presidente João Baptista de Oliveira Figueiredo, na companhia de demais autoridades federais, estaduais e municipais, e do governador do Paraná Ney Braga. na ocasião foi celebrado oficialmente a conclusão do Projeto IV, Programa de modernização e expansão da produção de papel das Indústrias Klabin do Paraná de celulose S.A..
  • 14 de abril de 2009 - Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, com demais autoridades que também se fizeram presentes, visitaram o município de Telêmaco Borba, sendo um dos motivos pela ilustre visita a comemoração dos 110 anos de aniversário de fundação das Indústrias Klabin.

No dia 15 de Outubro de 2010, o prefeito Eros Danilo Araújo receberia o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ministro da Educação Fernando Haddad e o reitor do Instituto Federal do Paraná, Alípio Santos Leal Neto, para inaugurar o campi do IFPR-TB, evento que ocorreu simultaneamente com inaugurações dos campi de Jacarezinho, Paranavaí e Umuarama.[28] [29] [30] Porém, o mau tempo na tarde do dia 15, no aeroporto de Telêmaco Borba, impediu que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva pousasse na cidade, cujo notícia também foi notificada pela assessoria da Presidência. Lula participaria às 16h de uma cerimônia de inauguração de escolas técnicas federais.[31] A cerimônia em Telêmaco teve continuidade mesmo sem o presidente Lula e quem a comandou foi o governador Orlando Pessuti.[32] Em 2008, no dia 15 de setembro, o Presidente Lula, também cancelara a visita, na ocasião a Klabin inaugurou o Projeto de Expansão MA-1100, o maior da sua história de 109 anos.[33] [34]

"Há determinados momentos em que nós temos que acreditar, trabalhar. E o ponto de equilíbrio é nossa ação, governos, empresários, trabalhadores, dando continuidade, acreditando e fazendo as coisas acontecerem. É bom saber que o Brasil tem gente ousada. Verificar sempre o que é possível fazer. Isso pode ser alcançado. Qualquer governo que vier a governar este País ou pensa para os próximos 20 anos, para não sofrer retrocessos, ou para. E isso tem que ser pensado além das eleições".

Luiz Inácio Lula da Silva, presidente da República, durante sua passagem por Telêmaco Borba, em 14 de Abril de 2009.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • CARVALHO, Dinizar Ribas de. Telêmaco Borba: o município - história política da capital do papel e da madeira, 2006.
  • CORAIOLA, André Miguel Sidor, Capital do Papel - A História do Município de Telêmaco Borba, 2003.
  • FERNANDES, Hellê Vellozo. Monte Alegre Cidade-Papel, 1973.

Referências

  1. ELEITOS PREFEITO, VICE E OS 13 VEREADORES EM T. BORBA RepórterTB (15 de outubro de 2012). Página visitada em 2 de janeiro de 2013.
  2. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  3. IBGE (10 de outubro de 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 de dezembro de 2010.
  4. a b Estimativa Populacional 2013 Estimativa Populacional 2013. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1º de julho de 2013). Página visitada em 25 de novembro de 2013.
  5. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  6. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2010 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  7. Cidades paranaenses que recebem apelidos (em português) Gazeta do Povo (25 de Outubro de 2011). Página visitada em 11 de Abril de 2012.
  8. a b c Telêmaco Borba - Economia Prefeitura Municipal de Telêmaco Borba. Página visitada em 11 de agosto de 2014.
  9. Klabin - Perguntas Frequentes (em português) www.klabin.com.br. Página visitada em 11 de Abril de 2012.
  10. Tremor de terra no Paraná foi de 4,3 graus na escala Richter (em português) Gazeta do Povo (4 de janeiro de 2006). Página visitada em 15 de outubro de 2010.
  11. a b XXVII - Ana Flávia Braun Vieira; Miguel Archanjo de Freitas Júnior (22 e 26 de julho de 2013). Para além do papel: memória e identidade do cidadão telemacoborbense pelas páginas do jornal O Tibagi. (em português). Página visitada em 3 de agosto de 2014.
  12. a b André Miguel Coraiola. (2003). "Capital do Papel - A História do Município de Telêmaco Borba". Livro 1: 269.
  13. Cosen (24, 25 e 26 de junho de 2009). Telêmaco Borba – PR, 7° Encontro de Museus do Paraná – Fórum Estadual (em português). Página visitada em 3 de agosto de 2014.
  14. Dinizar Ribas de Carvalho. (2006). "Telêmaco Borba o município: história política da capital do papel e da madeira". Livro 1: 200.
  15. Prefeitura Municipal de Telêmaco Borba (13 de outubro de 2005). Mapa dos Aspectos sócio-espaciais (em português). Página visitada em 8 de agosto de 2014.
  16. Prefeitura Municipal de Telêmaco Borba - Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano Município de Telêmaco Borba (13 de outubro de 2005). Mapa das Macrozonas (em português). Página visitada em 8 de agosto de 2014.
  17. Prefeitura Municipal de Telêmaco Borba (9 de fevereiro de 2012). Município analisa pedido da ANEEL para nova usina na região (em português). Página visitada em 3 de agosto de 2014.
  18. Bonde News (21 de julho de 2014). Justiça suspende audiências sobre a instalação de usina hidrelétrica no Paraná (em português). Página visitada em 3 de agosto de 2014.
  19. G1 (21 de julho de 2014). Justiça suspende audiências públicas sobre construção de usina no Paraná (em português). Página visitada em 3 de agosto de 2014.
  20. G1 (12 de dezembro de 2012). Usina capaz de atender um milhão de unidades é inaugurada no Paraná (em português). Página visitada em 12 de fevereiro de 2013.
  21. Bonde aéreo da Klabin completa 50 anos (em português) Klabin (13 de novembro de 2009). Página visitada em 12 de fevereiro de 2012.
  22. 50 Anos do Bonde Aéreo de Telêmaco Borba (em português) Reporter TB. Página visitada em 21 de abril de 2014.
  23. “ENTREVERO” - TELêMACO BORBA DEFINE PRATO TíPICO (em português) (14 de julho de 2008). Página visitada em 1º dezembro de 2012. Prefeitura Municipal de Telêmaco Borba.
  24. http://www.rsssfbrasil.com//tablesfq/pr1955.htm
  25. http://www.rsssfbrasil.com//tablesfq/pr1999l3.htm
  26. http://www.rsssfbrasil.com//tablesfq/pr1989l2.htm
  27. História Klabin. Página visitada em 10 de abril de 2014.
  28. Prefeito Eros recebe Presidente Lula para inauguração do campus de TB do IFPR (em português) PMTB Notícias (14 de outubro de 2010). Página visitada em 15 de outubro de 2010.
  29. Em inauguração em Telêmaco Borba, Lula tenta neutralizar presença de Serra no Paraná (em português) Gazeta do Povo (15 de outubro de 2010). Página visitada em 15 de outubro de 2010.
  30. Lula inaugura campus do IFPR em Telêmaco Borba (em português) PMTB Notícias (14 de outubro de 2010). Página visitada em 15 de outubro de 2010.
  31. Lula muda agenda devido a mau tempo no Paraná (em português) G1.com (15 de outubro de 2010). Página visitada em 15 de outubro de 2010.
  32. Chuva impede presidente de inaugurar IFPR em Telêmaco (em português) JM News - Jornal da Manhã (15 de outubro de 2010). Página visitada em 15 de outubro de 2010.
  33. Klabin inaugurou o Projeto de Expansão (em português) Klabin Notícias (15 de setembro de 2008). Página visitada em 15 de outubro de 2010.
  34. Lula cancela a visita em Telêmaco Borba em última hora, na inauguração de projeto de expansão da Klabin (em português) Paraná Online (15 de outubro de 2010). Página visitada em 15 de outubro de 2010.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Paraná é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.