Imigração austríaca no Brasil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Austro-brasileira)
Áustria Austro-brasileiros Brasil
29- Imperatriz rainha D. Leopoldina.jpg
Leticia Spiller 2008 cropped.jpg
Lançamento Passos dos Jesuítas - Itanhaém (16) (6148588568).jpg
Bia Wiki.jpg
Guilherme Schüch - Retrato.jpg
Franz Weissmann, Fundo Correio da Manhã.tif
Alexander Kellner cropped.png
Francisquinho.jpg
Lino Facioli in the Park.jpg
Carlos Galhardo recebe de Norma Blum o prêmio de “Papai-Cantor”, 1960.tif
Tancredo aecio neves (2).jpg
Isabel, Princesa Regente do Brasil.jpg
População total

Não há dados

Regiões com população significativa
Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná e Santa Catarina. Migrações internas por todo o Brasil.[carece de fontes?]
Línguas
Português. Minorias falam alemão.
Religiões
Catolicismo. Minorias seguem o judaísmo.
Grupos étnicos relacionados
brasileiros brancos e austríacos.

A imigração austríaca no Brasil foi o movimento migratório de imigrantes austríacos para diversas partes do Brasil nos séculos XIX e XX. Teve início em 1824, durante o Império Austríaco, e entre 1876 e 1910, mais de 60 mil imigrantes oriundos da Áustria-Hungria imigraram para o Brasil.[1]

Um austro-brasileiro é uma pessoa de nacionalidade brasileira e de ascendência total, parcial ou predominantemente austríaca, ou ainda um imigrante austríaco no Brasil.

História[editar | editar código-fonte]

Os imigrantes fundaram colônias no Brasil como, entre outras, Colônia Tirol (1859) no Espírito Santo, Colônia Imperial de Santa Maria do Novo Tirol (1878) no Paraná e Treze Tílias (1933) em Santa Catarina.[2][3] No Rio Grande do Sul, uma parte importante dos austríacos se dirigiram para cidades como Jaguari e Ijuí.[4]

Em algumas regiões de onde os imigrantes europeus partiram, como a Galícia na Europa Centro-Oriental, e que hoje faz parte da Polônia e da Ucrânia, estavam sob o domínio da Rússia e do Império Austro-Húngaro, não havendo uma distinção entre estas duas etnias na hora do embarque.[5] Muitos ucranianos e poloneses tiveram seus passaportes extraídos como russos ou austríacos, e em muitos casos foram classificados dessa forma, gerando uma confusão de identidade.[5]

De acordo com dados do censo redigido em 31 de dezembro de 1915, na Colônia Federal Ivay, no Paraná, viviam aproximadamente 2.560 austríacos, que conviviam com alemães e russos. Esses austríacos poderiam ser da Áustria propriamente dita, ou da região da Galícia.[5]

Austro-brasileiros notáveis[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. A emigração de austríacos para o Brasil (1876-1938). Außenministerium Österreich, 2008. Consultado em 3 de janeiro de 2021
  2. Descrição: 150 anos de um povoado austríaco no Brasil. Instituto Jones dos Santos Neves, 2007. Consultado em 3 de janeiro de 2021
  3. Treze Tílias comemora 86 anos de imigração austríaca em outubro. Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, 28 de agosto de 2019. Consultado em 3 de janeiro de 2021
  4. Haiske, André. «AUSTRIAN IMMIGRANTS IN THE MUNICIPALITY OF IJUÍ: A REPORT ON THE IMMIGRATION BY LUDWIG STREICHER». Consultado em 7 de outubro de 2021 
  5. a b c Lucimara Koss (2015). «O processo imigratório e a formação da Colônia Federal ivaí no início do século XX» (PDF). ANPUH. XXVII Simpósio Nacional de História. Consultado em 9 de janeiro de 2021 
  6. «Leopoldo Nachbin». Instituto de Matemática - UFRJ. Consultado em 19 de abril de 2015. Arquivado do original em 26 de abril de 2013 
  7. «UMA NOVA HISTÓRIA MUSICAL». Consultado em 16 de maio de 2017. Arquivado do original em 13 de maio de 2017 
  8. «O intelectual e seus deveres». Jornal Opção. Consultado em 16 de maio de 2017