Demografia do Amapá

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde janeiro de 2012). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Demografia do Amapá
Mortalidade infantil
Ficha técnica
População 684 301 (2011).
Densidade 4,79 hab./km² (2010).
Crescimento demográfico 3,4%. ao ano (2000-2010).
População urbana 89,8% (2010).
Acesso à água tratada 67,8% (2010).
Acesso à rede de esgoto 37,5%.
IDH 0,780 (2005).
22,5 para cada mil nascidos vivos.

A Demografia do Amapá é domínio de estudos e conhecimentos sobre as características demográficas do território amapaense. Segundo o IBGE, o estado tem uma população de 684.301 habitantes, sendo o vigésimo sexto mais populoso da federação. As cidades mais populosas do Amapá são: Macapá, Santana, Laranjal do Jari, Oiapoque, Mazagão, Porto Grande e Tartarugalzinho. O estado concentra 4% da população da região norte do Brasil, o que resulta numa densidade demográfica de 4,79 hab./km². Em Santana, essa densidade é de 65,2 hab./km².

Evolução demográfica[editar | editar código-fonte]

Evolução demográfica do Amapá


Etnias[editar | editar código-fonte]

Composição da População
Pardos 74,4%
Brancos 21,4%
Negros 4,5%
Amarelos ou Indígenas 0,8%

APA do Curiaú[editar | editar código-fonte]

APA do Curiaú.

A Apa do Curiaú (ou apenas Curiaú como é conhecido) é um distrito pertencente ao município de Macapá, que abriga um grande números de negros do estado. É dividida em duas partes: Curiaú de Dentro e Curiaú de Fora. O local é uma reserva ambiental (assim como a Apa da Fazendinha e outras) e foi um quilombo. Os primeiros escravos a chegarem ao local, chegaram em 1751, vindo da Bahia, do Rio de Janeiro e do Maranhão, trazidos por famílias que vinham habitar no estado. O maior número de negros veio mesmo em 1765 para a construção da Fortaleza de São José. Em abril daquele ano, o governo do Grão-Pará mantinha 177 negros escravos trabalhando no forte. Alguns morreram de doenças como sarampo e malária, e por acidente de trabalho. Outros conseguiram fugir aventurando-se pelo Lago do Curiaú. Atualmente a área é protegida pela lei estadual n.º 0431 de 98. Limita-se com Campina Grande do Curiaú e com a rodovia BR-156. Cerca de 180 famílias vivem na unidade e há ainda duas comunidades ribeirinhas ao norte da região: Pescada e Pirativa. Os aspectos geológicos da APA correspondem à chamada Formação de Barreiras, compostas por sedimentos terciários.

Principais centros urbanos[editar | editar código-fonte]

  • Macapá - capital estadual e o maior município do estado. Concentra o maior numero de habitantes do estado. Sua população já ultrapassa os 400 mil habitantes.
  • Santana - segunda maior cidade do estado e concentra o distrito industrial da região metropolitana. Também concentra o maior porto do estado.
  • Laranjal do Jari - localiza-se no Sul do Amapá.
  • Oiapoque - na fronteira com a Guiana Francesa é um centro turístico do estado.
  • Mazagão - beira os 17 mil habitantes e localiza-se no sul do estado.
  • Serra do Navio - é uma cidade histórica e o maior polo de extração mineral do estado.
Evolução demográfica de Macapá


Evolução demográfica de Santana
Evolução demográfica de Laranjal do Jari


Evolução demográfica de Porto Grande


Evolução demográfica de Serra do Navio


Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]