Dólar dos Estados Unidos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Dólar Americano)
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Dólar redireciona para este artigo. Para outros significados, veja Dólar (desambiguação).
Dólar dos Estados Unidos
United States dollar (em inglês)
USDnotes.png
Dados
Código ISO 4217 USD
Usado Oficialmente:
 Estados Unidos
Timor-Leste[1]
Equador[2]
El Salvador[3]
 Panamá[4]
 Porto Rico
Não oficialmente:
Ilhas Virgens Britânicas
Ilhas Marshall
Estados Federados da Micronésia
Palau
Flag of the Turks and Caicos Islands.svg Turks e Caicos
 Zimbabwe
Inflação 1.3% (apenas Estados Unidos)
The World Factbook, 2016 est.
Sub-Unidade
1/10
1/100
1/1000

Dime (um décimo do dólar)
Cent (um centésimo do dólar)
Mill (um milésimo do dólar)
Símbolo $, US$
Plural Dólares
Moedas 1, 5, 10, 25 e 50 cents; 1 dólar
Notas 1, 2, 5, 10, 20, 50 e 100 dólares
Banco central Reserva Federal
www.federalreserve.gov
Fabricante Bureau of Engraving and Printing (notas)
United States Mint (moedas)
www.moneyfactory.gov e www.usmint.gov

O dólar dos Estados Unidos (em inglês: United States dollar) ou dólar estadunidense é a moeda emitida pelos Estados Unidos e utilizada no mundo inteiro, tanto em reservas internacionais como em livre circulação em alguns países. Atualmente, a sua expedição é controlada pela Reserva Federal dos Estados Unidos.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O nome dollar deriva de thaler (em português táler), abreviação de Joachimsthaler, uma moeda de prata cunhada pela primeira vez em 1518, com prata extraída das minas situadas em torno da cidade de Joachimsthal ("Vale de São Joaquim"), atual Jáchymov, na Boêmia. 1815

Abreviações[editar | editar código-fonte]

O código ISO 4217 para o dólar dos Estados Unidos é USD (que significa United States Dollar), e o Fundo Monetário Internacional refere-se ao mesmo como US$, abreviação que também é muito comum fora dos EUA para designá-lo, uma vez que o dólar foi criado pelos estadunidenses.

Usa-se também o símbolo $, normalmente escrito antes do valor numérico, para o dólar dos EUA, assim como para muitas outras moedas. O sinal foi o resultado de uma evolução, no fim do século XVIII, da sigla "ps", do peso. O p e s, passaram a ser escritos um sobre o outro, dando origem ao $.[5][6][7][8]

Outra explicação popular é que ele vem das Colunas de Hércules no brasão espanhol da moeda espanhola cunhadas no Novo Mundo na Cidade do México, Potosí (Bolívia) e em Lima (Peru). Estas Colunas de Hércules nas moedas espanholas de prata assumiram a forma de duas barras verticais (||) com uma faixa de pano balançando na forma de um "S".

Há ainda outra explicação ficcional que sugere que o sinal do dólar foi formado a partir das letras maiúsculas U e S escritas ou impressas uma em cima da outra. Esta teoria, popularizada pela escritora Ayn Rand em Atlas Shrugged ,[9] ignora o fato de que o símbolo já estava em uso antes da formação dos Estados Unidos.[10]

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

O dólar dos Estados Unidos é dividido em 100 cêntimos ou então em 10 dimes, mas este último é usado hoje em dia somente para designar a moeda de 10 cents. Moedas e notas de um dólar existem simultaneamente, embora notas sejam encontradas mais facilmente. Denominações menores que um dólar são emitidas em moedas, enquanto que as que o superam são emitidas em notas da Reserva Federal (Federal Reserve).

Após a 2ª Guerra Mundial[editar | editar código-fonte]

Até 1944, quando ocorreu a Conferência de Bretton Woods, era difícil determinar o valor do dólar em comparação ao de outras unidades monetárias, sendo a dificuldade ainda maior com os fortes abalos causados pela Segunda Guerra Mundial. Geralmente as cotações se baseavam nas reservas em ouro dos países, por ser o ouro um parâmetro universal. A esta altura os EUA já eram a maior potência mundial, por isso tentou-se estabelecer um padrão em que o grama de ouro teria um valor fixo em dólares.

O sistema durou até o início da década de 1970, quando o dólar já estava seriamente desvalorizado em relação ao valor acordado originalmente. Em 1971, o dólar deixou de ser diretamente conversível em ouro e, graças aos avanços tecnológicos que permitem negociações rápidas e em grandes volumes, surgiu o câmbio flutuante englobando vários pares de moedas. Foi assim que nasceu o Forex.

Circulação fora dos Estados Unidos[editar | editar código-fonte]

Em 1995, mais de 380 bilhões de dólares dos Estados Unidos estavam em circulação, dois terços disso fora dos EUA. Em abril de 2004, aproximadamente 700 bilhões estavam em circulação,[11] com uma estimativa de metade de dois terços dele fora dos EUA.[12]

Os Estados Unidos são um dos vários países que usam a moeda dólar. Vários países usam o dólar dos Estados Unidos como sua moeda oficial, e muitos outros permitem que ela seja usada de facto.

Dolarização da economia[editar | editar código-fonte]

Nas décadas de 1980 e 1990, muitos economistas viam, com grande simpatia, a dolarização da economia brasileira como forma de romper o círculo vicioso da inflação, que, na época, já podia ser considerada hiperinflação. Adotando o dólar como lastro para a moeda nacional, o Brasil poderia se ver livre do tão terrível dragão inflacionário. Outros economistas tinham receio na adoção dessa solução, principalmente quando viram a Argentina sofrer com a incapacidade de pagamento, resultando no abandono desse sistema.

Alguns dizem que o Plano Real foi, por um breve período, um tipo de dolarização da economia brasileira, visto que a URV — Unidade Real de Valor —, tinha, mais ou menos, o mesmo valor de 1 dólar. Após a desvalorização do real em 1999, houve o descolamento da moeda estadunidense, com a adoção do câmbio flutuante.

Notas fora de circulação[editar | editar código-fonte]

Papel-moeda privado no valor de 2 dólares, emitido durante a Free Banking Era (1837-1864).[13]

Notas acima de US$ 100 eram produzidas antigamente, porém a produção parou em 1946 e foram retiradas de circulação em 1969. Estas notas eram usadas em transações entre bancos ou pelo crime organizado; foi o uso ilícito que fez com que o presidente Richard Nixon mandasse uma ordem executiva em 1969 proibindo seu uso. Com o advento das transações eletrônicas, as notas tornaram-se desnecessárias. As notas com valor acima de US$ 100 eram as de US$ 500, US$ 1.000, US$ 5.000, US$ 10.000 e US$ 100.000.

Recentemente foram lançadas novas notas de US$ 10 a US$ 100, com projeto gráfico diferenciado, entretanto, as antigas continuam valendo, devendo ser retiradas de circulação conforme forem se desgastando.

Notas atuais[editar | editar código-fonte]

Moedas e notas contemporâneas do dólar dos Estados Unidos
Unidade ($) Anverso Inverso Desenho no anverso Desenho no inverso
Moedas
0,01
Penny
US One Cent Obv.png US One Cent Rev.png Abraham Lincoln Escudo da União
0,05
Nickel
US Nickel 2013 Obv.png US Nickel 2013 Rev.png Thomas Jefferson Monticello
0,10
Dime
Dime Obverse 13.png Dime Reverse 13.png Franklin D. Roosevelt Tocha, ramo de carvalho, ramo de oliva
0,25
Quarter
2014 ATB Quarter Obv.png US coin 25c 2016 ATB Harpers-Ferry.jpg George Washington Vários; cinco por ano
0,50
Half-Dollar Coin
US Half Dollar Obverse 2015.png US 50 Cent Rev.png John F. Kennedy Selo Presidencial
1,00
Dollar Coin
1 Dollar (United States).jpg 2017 Native American Dollar Reverse.png Perfil de Sacagawea com seu filho, Jean Baptiste Charbonneau; atual moeda em comparação com a antiga Águia-careca no voo (2000–2008), Vários; Novo design por ano
Notas
1
One Dollar Bill
Onedolar2009series.jpg US one dollar bill, reverse, series 2009.jpg George Washington Grande Selo
2
Two Dollar Bill
US $2 obverse.jpg US $2 reverse.jpg Thomas Jefferson Declaração da Independência
5
Five Dollar Bill
US $5 Series 2006 obverse.jpg US $5 Series 2006 reverse.jpg Abraham Lincoln Lincoln Memorial
10
Ten Dollar Bill
US10dollarbill-Series 2004A.jpg US $10 Series 2004 reverse.jpg Alexander Hamilton Prédio do Tesouro
20
Twenty Dollar Bill
US20-front.jpg US20-back.jpg Andrew Jackson Casa Branca
50
Fifty Dollar Bill
50 USD Series 2004 Note Front.jpg 50 USD Series 2004 Note Back.jpg Ulysses S. Grant Capitólio
100
Hundred Dollar Bill
Obverse of the series 2009 $100 Federal Reserve Note.jpg New100back.jpg Benjamin Franklin Independence Hall

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Central Bank of Timor-Leste». Consultado em 22 de maio de 2013. A moeda oficial de Timor-Leste é o dólar dos Estados Unidos, que é a moeda legal para todos os pagamentos em numerário. 
  2. «Ecuador». CIA World Factbook. 18 de outubro de 2010. Consultado em 27 de outubro de 2010. O dólar é a moeda legal 
  3. «El Salvador». CIA World Factbook. 21 de outubro de 2010. Consultado em 27 de outubro de 2001. O dólar dos Estados Unidos tornou-se a moeda de El Salvador em 2001 
  4. Em conjunto com moedas de Balboa panamiano
  5. Cajori, Florian. A History of Mathematical Notations (Vol. 2). New York: Dover, 15–29. ISBN 0-486-67766-4
  6. Aiton, Arthur S. and Benjamin W. Wheeler (May 1931). "The First American Mint", The Hispanic American Historical Review 11 (2), 198 and note 2 on 198.
  7. Nussbaum, Arthur (1957). A History of the Dollar. New York: Columbia University Press. p. 56. The dollar sign, $, is connected with the peso, contrary to popular belief, which considers it to be an abbreviation of 'U.S.' The two parallel lines represented one of the many abbreviations of 'P,' and the 'S' indicated the plural. The abbreviation '$.' was also used for the peso, and is still used in Argentina. 
  8. "What is the origin of the $ Sign?", US Bureau of Engraving and Printing website
  9. Rand, Ayn. Atlas Shrugged. 1957. Signet. 1992. p628
  10. James, James Alton (1970) [1937]. Oliver Pollock: The Life and Times of an Unknown Patriot. Freeport: Books for Libraries Press. p. 356. ISBN 9780836955279 
  11. «Federal Reserve» (em inglês). Reserva Federal 
  12. «Federal Reserve» (em inglês). Reserva Federal 
  13. Sechrest, Larry J. Free Banking: Theory, History, and a Laissez-Faire Model. Ludwig von Mises Institute, pág. 11, 1993, ISBN 9781610164870

Ligações externas[editar | editar código-fonte]