Papa Estêvão VI

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Estêvão VI
Papa da Igreja Católica
113° Papa da Igreja Católica
Atividade Eclesiástica
Diocese Diocese de Roma
Eleição 22 de maio de 896
Fim do pontificado agosto de 897 (1 ano)
Predecessor Bonifácio VI
Sucessor Romano
Ordenação e nomeação
Cardinalato
Criação 891
por Papa Estêvão V
Ordem Cardeal-diácono
Dados pessoais
Nascimento 850
Gallese, Itália
Morte agosto de 897 (47 anos)
Roma, Itália
Nacionalidade Italiano
Sepultura Basílica de São Pedro
dados em catholic-hierarchy.org
Categoria:Igreja Católica
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo
Listas de papas: cronológica · alfabética
Papa Estêvão VII (à esquerda) no Sínodo Cadavérico de Formoso.

O Papa Estêvão VI foi o 113º Papa da Igreja Católica Romana.

Foi eleito em 22 de maio de 896 e morreu em agosto de 897. Sucedeu ao Papa Bonifácio VI. Morto Bonifácio VI, o partido dos duques de Espoleto elevou ao trono pontifício o romano Estêvão, filho de João. Com ele entrou em Roma o poder de Lamberto de Espoleto. A mãe deste, a terrível Ageltrudes, fez com que Estêvão reconhecesse como único imperador a Lamberto e reprovasse os atos do finado Papa Formoso, que coroara Arnolfo da Alemanha.

Abusando da condescendência de Estêvão, os partidários de Lamberto instituíram um tribunal que passou à História com o nome de "Sínodo do Cadáver". À presença de Lamberto e da imperatriz-mãe, rodeados de eclesiásticos, foi trazido o cadáver mumificado de Formoso, retirado sacrílegamente de seu ataúde. Foi o corpo assentado num trono e acusado do grande crime de haver aceito ser Papa (os Papas são Bispos de Roma), quando já era Bispo de Porto. Intimado a se defender, e logicamente nada respondendo, foi o morto julgado criminoso, despojado das insígnias pontificais; cortaram-lhe os dedos da destra que abençoara as multidões; o corpo foi depois atirado ao rio Tibre, que, mais piedoso, o depôs junto à igreja de Porto, onde o povo, que lhe guardava enorme carinho e admiração, deu-lhe sepultura provisória na pequena igreja de Santa Inês.

Estêvão VI, aliás, acabou seus dias aprisionado por seus ex-amigos e estrangulado. O Papa Sérgio III erigiu-lhe um mausoléu, com uma inscrição em que se conta seu trágico fim devido exclusivamente à ingerência de partidos políticos civis. Quanto a Formoso, seu maltratado corpo foi sepultado entre papas, por Teodoro II, e sua memória foi defendida plenamente por João IX.

Ver também[editar | editar código-fonte]

  • Papa eleito Estêvão (que deixou de ser considerado Papa, daí a dupla numeração dos posteriores Papas que adotaram o nome Estevão).

Referências[editar | editar código-fonte]

Woodrow, Ralph. Babilônia: a Religião dos Mistérios. Cap. 13, p. 106. [1]


Precedido por
Bonifácio VI
Emblem of the Papacy SE.svg
Papa

113.º
Sucedido por
Romano


Ícone de esboço Este artigo sobre um papa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.