Papa Estêvão VI

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Estêvão VI
113º papa
Nascimento Roma,
850
Eleição 22 de Maio de 896
Fim do pontificado agosto de 897 (1 anos)
Morte agosto de 897 (47 anos)
Antecessor Bonifácio VI
Sucessor Romano
Listas dos papas: cronológica · alfabética
Papa Estêvão VII (à esquerda) no Sínodo Cadavérico de Formoso.

O Papa Estêvão VI foi o 113º Papa da Igreja Católica Romana.

Foi eleito em 22 de maio de 896 e morreu em agosto de 897. Sucedeu o Papa Bonifácio VI. Morto Bonifácio VI, o partido dos duques de Espoleto elevou ao trono pontifício o romano Estêvão, filho de João. Com ele entrou em Roma o poder de Lamberto de Espoleto. A mãe deste, a terrível Ageltrudes, fez com que Estêvão reconhecesse como único imperador a Lamberto e reprovasse os atos do finado Papa Formoso, que coroara Arnolfo da Alemanha.

Abusando da condescendência de Estêvão, os partidários de Lamberto instituíram um tribunal que passou à História com o nome de "Sínodo do Cadáver". À presença de Lamberto e da imperatriz-mãe, rodeados de eclesiásticos, foi trazido o cadáver mumificado de Formoso, retirado sacrílegamente de seu ataúde. Foi o corpo assentado num trono e acusado do grande crime de haver aceito ser Papa (os Papas são Bispos de Roma), quando já era Bispo de Porto. Intimado a se defender, e logicamente nada respondendo, foi o morto julgado criminoso, despojado das insígnias pontificais; cortaram-lhe os dedos da destra que abençoara as multidões; o corpo foi depois atirado ao rio Tibre, que, mais piedoso, o depôs junto à igreja de Porto, onde o povo, que lhe guardava enorme carinho e admiração, deu-lhe sepultura provisória na pequena igreja de Santa Inês.

Estêvão VI, aliás, acabou seus dias aprisionado por seus ex-amigos e estrangulado. O Papa Sérgio III erigiu-lhe um mausoléu, com uma inscrição em que se conta seu trágico fim devido exclusivamente à ingerência de partidos políticos civis. Quanto a Formoso, seu maltratado corpo foi sepultado entre papas, por Teodoro II, e sua memória foi defendida plenamente por João IX.

Ver também[editar | editar código-fonte]

  • Papa eleito Estêvão (que deixou de ser considerado Papa, daí a dupla numeração dos posteriores Papas que adotaram o nome Estevão).

Referências[editar | editar código-fonte]

Woodrow, Ralph. Babilônia: a Religião dos Mistérios. Cap. 13, p. 106. [1]


Precedido por
Bonifácio VI
Emblem of the Papacy SE.svg
Papa

113.º
Sucedido por
Romano


Ícone de esboço Este artigo sobre um papa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.