Simão Sessim

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Simão Sessim
Deputado Federal de  Rio de Janeiro
Período 1º de fevereiro de 1979
até a atualidade
(10 mandatos consecutivos)
Prefeito Nilópolis‎‎ Nilópolis
Período 1973-1977
Antecessor(a) Reinaldo Doyle Maia
Sucessor(a) João Batista da Silva
Vida
Nascimento 8 de dezembro de 1935 (81 anos)
Rio de Janeiro, Distrito Federal,  Brasil
Dados pessoais
Alma mater Universidade Gama Filho
Cônjuge Shirley Sampaio Sessim
Partido UDN, ARENA, PDS, PFL, PPR, PSDB, PPB, PP
Profissão advogado, professor

Simão Sessim (Rio de Janeiro, 8 de dezembro de 1935) é um advogado, professor e político brasileiro que exerce atualmente o décimo mandato consecutivo de deputado federal pelo Rio de Janeiro.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de Sessim David e Regina Simão. Advogado formado em 1969 pela Universidade Gama Filho assumiu a direção do Instituto de Educação Rangel Pestana em Nova Iguaçu em 1964 onde permaneceu até ser nomeado Secretário Municipal de Educação em 1969 e chefe de gabinete da prefeitura. Foi procurador-geral de Nilópolis e assessorou a presidência da Fundação para o Desenvolvimento da Região Metropolitana do Rio de Janeiro (FUNDREN) no governo Faria Lima.[1]

Membro da UDN antes do Regime Militar de 1964 foi eleito prefeito de Nilópolis em 1972 pela ARENA e nesta legenda foi eleito deputado federal pelo Rio de Janeiro em 1978[2] sendo reeleito pelo PDS em 1982 e nesse novo mandato ausentou-se da votação da Emenda Dante de Oliveira em 1984 e votou em Tancredo Neves no Colégio Eleitoral em 1985, fato que o fez ingressar no PFL renovando o mandato em 1986 e 1990. Partícipe da Assembleia Nacional Constituinte que elaborou a Constituição de 1988, votou pelo impeachment de Fernando Collor em 29 de setembro de 1992 filiando-se ao PPR e ao PSDB pelo qual perdeu a prefeitura de Nilópolis em 1996. Filiado ao PPB foi reeleito em 1998 e 2002 obtendo novos mandatos pelo PP em 2006 e 2010.[2] Em 17 de abril de 2016, votou favoravelmente pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Primo de Farid Abrão David e do patrono da Beija-Flor de Nilópolis Anísio Abraão David. Seu filho Sérgio Sessim foi eleito prefeito de Nilópolis em 2008.

Envolvimento em corrupção[editar | editar código-fonte]

Simão foi investigado pelo Supremo Tribunal Federal por ser acusado por delatores de receber propina no escândalo conhecido como Petrolão que desviava recursos da estatal Petrobras.[3]

Referências

  1. a b «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Simão Sessim». Consultado em 5 de dezembro de 2013 
  2. a b «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral: estado do Rio de Janeiro». Consultado em 5 de dezembro de 2013 
  3. Redação (3 de abril de 2015). «Deputado do PP agradeceu propina, diz delator». Estadão. Consultado em 19 de março de 2016 


Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.