Tálassa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde março de 2010). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Tálassa
Tálassa, a personificação do mar
Imagem do Dioscórides de Viena (Konstantinopel, 512)[1]
Representação artística da ira de Tálassa segundo a fábula de Esôpo, "O fazendeiro e o mar".

Tálassa (em grego: θάλασσα, Θάλασση ou Θάλαττη, "mar") foi, no mito grego, uma das primeiras personificações femininas pré-olímpicas do mar Mediterrâneo e, por extensão, de todo o oceano. Era filha do Éter com Hêmera.[2]

Com Pontos, ela foi a mãe de todos os peixes e seres do mar,[2] da ninfa Hália, às vezes também do gigante Egeon, a personificação do mar Egeu e dos nove Telquines.

Quando o sêmen de Urano a fecundou, ela teve Dione, a deusa das ninfas. Outra versão coloca Dione como uma das oceânidas e essa mesma versão coloca Tálassa como mãe de Afrodite com Urano.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Pedanius Dioscorides – Der Wiener Dioskurides, Codex medicus Graecus 1 der Österreichischen Nationalbibliothek Graz: Akademische Druck- und Verlagsanstalt 1998. Ausschnitt aus fol. 391 verso (Band 2), Kommentar S. 47 und 52. ISBN 3-201-01725-6
  2. a b Higino, Fabulae, Prefácio
Ícone de esboço Este artigo sobre mitologia grega é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.