Deuses primordiais

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde janeiro de 2015). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Divindades gregas

Zeus arte.jpg
Busto de Zeus
Deuses olimpianos
Deuses olímpicos
Deuses ctónicos
Titãs
Divindades aquáticas
Musas
Outras divindades
Deuses primordiais

Os deuses primordiais da mitologia grega, também chamados Protogonos (em grego Πρωτογονος, transl. Prôtogonos, ou Πρωτογενος, Prôtogenos, "nascido primeiro", "primordial") eram as divindades que nasceram em primeiro lugar, que surgiram no momento da criação, e cujas formas constituem a estrutura básica do universo.

Os antigos gregos dispunham de várias teogonias diferentes, e ainda que estas apresentassem algumas personagens comuns, é difícil elaborar uma lista única de divindades primordiais para a mitologia grega, pois essas divindades, assim como o papel de cada uma, varia de uma fonte para outra.

Fontes mitológicas[editar | editar código-fonte]

Hesíodo - A fonte mais famosa a este respeito é inquestionavelmente a Teogonia, de tal forma que se confunde frequentemente o panteão primordial grego com o descrito na obra. A primeira divindade que se cita na obra é o Caos, seguido por Gaia, Tártaro, Eros, Nix, Érebo, Éter, Hemera, Ponto, Urano e os Óreas.

Homero - A teogonia homérica parece considerar Oceano e Tétis os pais de todos os deuses, vinculando o seu nascimento ao mar.

Alcman – O poeta considera a Titânide Tétis a primeira deusa que "ordena todas as coisas", criadora de poros ("caminhos"), tekmor ("sinais") e skotos ("escuridão") no monótono e uniforme vazio.

Orfeu - O poeta considera Tésis e Hidros, como os primeiros deuses, pais de Physis, que mais tarde gerou com Hidros a Chronos e Ananke, que juntos geraram um ovo do qual nasceu Fanes, mas sozinho, Chronos também gerou Aer (ar), Akmon (luz) e Skotos (trevas).

Epiménides - Epiménides faz de Aer (o Ar) e de Nix os dois seres primordiais, que se unem para parir o Tártaro. Posteriormente nasceriam dois Titãs, que engendrariam um ovo primordial de onde surgiria uma nova ordem.

Os primordiais[editar | editar código-fonte]

  • Caos: a primeira fase do Universo, sendo talvez o vazio, o vácuo, ou mesmo a explosão que deu origem à todas as coisas;
  • Nix: a noite;
  • Érebo: a escuridão, as trevas;
  • Gaia: a Terra;
  • Urano: o céu;
  • Éter: a luz, o céu superior (atmosfera, o espaço sideral), o ar;
  • Hemera: a primeira divindade do Sol, o dia;
  • Tálassa: o mar Mediterrâneo;
  • Pontos: o furioso alto-mar;
  • Tártaro: o inferno, o submundo, o abismo sombrio;
  • Óreas: as montanhas;
  • Nesoi: as ilhas;
  • Ananke: a necessidade, o destino, o fato, a precisão;
  • Chronos: o tempo eterno, a imortalidade;
  • Calígena: a névoa primordial;
  • Fanes: a criação;
  • Eros: o amor, a junção (para alguns é filho de Afrodite, e não é primordial);
  • Ofíon: a serpente dos ventos, do ar em movimento;
  • Eurínome: as planícies marinhas;
  • Physis: a matéria (para alguns não é primordial, pois muitos gregos não cultuavam-na como viva ou como podendo se manifestar);
  • Hidros: as águas primordiais;
  • Tésis: a criação;


Genealogia[editar | editar código-fonte]

Fonte: Abril Coleções[1]

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Caos
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Nyx
 
 
 
Érebo
 
 
 
Gaia
 
 
 
Tártaro
 
 
Eros
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Nereu
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Ponto
 
Óreas
 
Urano
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Éter
 
Hemera
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Hipnos
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Oniros
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Moros
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Tânato
 
 
 
 
 
Éris
 
Legenda

Deuses Primordiais

Deuses Olímpicos

Deuses Infernais

Monstros

Titãs

Tradições órficas[editar | editar código-fonte]

A poesia órfica tomava geralmente Nix como princípio fundamental.

Na obra, Pássaros, de Aristófanes, Nix era, junto com Caos, Érebo e Tártaro, uma divindade primordial, dando depois origem a Eros ao pôr um ovo.

Fontes filosóficas[editar | editar código-fonte]

Os filósofos e pensadores gregos também construíram as suas próprias cosmogonias, com os seus próprios deuses primordiais:

  • Filotes (amor) e Neicos (conflito) eram os princípios fundamentais de Empédocles, que construíram o universo a partir dos quatro elementos com os seus poderes de amor e conflito.

Referências

  1. Mitologia Grega - Deuses, Heróis e Mitos. 80 p. Abril Coleções, Ed. Abril, São Paulo, abril de 2013. ISBN 978-85-364-1646-5